;

Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

ONU

05/04/2021 00:00h

Iniciativa é uma parceria entre UNICEF, Unaids e Cedaps

Baixar áudio

Jovens de todo o Brasil podem participar do curso online e gratuito HIV+Covid-19 – Prevenção em tempo de pandemia para adolescentes e jovens. A iniciativa é uma parceria entre o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), Centro de Promoção da Saúde (Cedaps) e o Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids).

Através da plataforma digital, os jovens podem se inscrever e já iniciar o curso, que ficará disponível por seis meses. A duração média é de três a quatro horas para conclusão e, ao final, será emitido um certificado de participação.

O curso é totalmente autoinstrucional, ou seja, o aluno pode acompanhar o conteúdo sem a necessidade de um tutor e pode estudar de acordo com seu próprio ritmo de aprendizagem e disponibilidade de tempo.

Arte - Unicef

A chefe da área de Saúde e HIV/Aids do UNICEF no Brasil, Cristina Albuquerque, destaca como é importante, em tempos de pandemia, os adolescentes e jovens terem acesso a informações confiáveis sobre prevenção do HIV e outras infecções sexualmente transmissíveis.

Minuto Unicef: como limpar e desinfectar corretamente o ambiente escolar?

SUS vai oferecer teste rápido de tuberculose para pessoas com HIV/AIDS

A produção do curso contou com apoio e curadoria de 23 adolescentes e jovens; contribuição de profissionais e ativistas; além de estudos de caso e análise participativa de materiais informativos e educativos sobre o tema.

Copiar o texto
26/02/2021 12:00h

O evento é aberto a indígenas e não indígenas, com oito horas de capacitação entre os dias 1º e 3 de março e inscrições abertas até 26 de fevereiro

Baixar áudio

A Organização das Nações Unidas (ONU) Brasil abriu inscrições para um workshop sobre o sistema internacional de proteção de direitos dos povos indígenas. O evento acontece entre 1º e 3 de março, on-line e aberto a indígenas e não indígenas.

As inscrições encerram nesta sexta-feira (26). O curso será conduzido pelo Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos, com oito horas de capacitação.

O workshop tem como objetivo oferecer um panorama sobre mecanismos internacionais de defesa dos direitos humanos, com foco em pessoas indígenas, para proporcionar bases que permitam a essas populações acompanhar e dar apoio às comunidades e organizações na defesa dos próprios direitos.

 

Copiar o texto
Brasil
23/12/2020 00:00h

O objetivo da iniciativa é auxiliar os governos na implementação e no monitoramento dos princípios da Agenda

Baixar áudio

O Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos (UN-Habitat) lançou o Novo Guia sobre a Nova Agenda Urbana (NAU). O objetivo da iniciativa é auxiliar os governos na implementação e no monitoramento dos princípios da Agenda. 

Na Nova Agenda Urbana, os gestores locais perceberão a visão geral focada em estabelecer padrões globais para o desenvolvimento urbano nas próximas décadas, além de oferecer uma mudança de paradigma na construção e gerenciamento das cidades, em especial o acesso à moradia adequada e o direito à cidade.

Pró-Cidades terá investimento de R$ 1 bilhão em 2021

Gestores municipais têm até julho de 2021 para implementar ‘taxas de lixo’

O guia, disponível em língua inglesa, considera estudos de caso, infográficos e ações ilustrativas para viabilizar estratégias, políticas e iniciativas. A Confederação Nacional de Municípios (CNM) lembra que o novo guia é um dos produtos previstos para auxiliar os gestores no uso da Plataforma de Agenda Urbana.

 

Copiar o texto
Brasil
15/12/2020 00:00h

Vida Nova nas Grotas tem como foco implementação de intervenções urbanas e infraestrutura

Baixar áudio

O programa Vida Nova nas Grotas, implementado em Maceió (AL), melhorou a vida de diversos moradores de comunidades do município. A iniciativa engloba um conjunto de projetos, planos e ações com foco na população que vive em vulnerabilidade social. O projeto tem como objetivo a implementação de intervenções urbanas, como escadarias e rampas, e de infraestrutura que possam diminuir as desigualdades de acesso a serviços. 

O projeto foi implementado em 2016 pelo governo de Alagoas e conta com a parceria da ONU-Habitat (Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos). Ao todo, 54 grotas de Maceió foram contempladas pelo programa. Grotas são depressões geográficas em encostas e bastante comuns na cidade. 

Karla França, analista técnica de planejamento urbano da Confederação Nacional de Municípios (CNM), explica que iniciativas como essa podem ser promovidas em outras cidades. Ela afirma que os gestores municipais precisam priorizar ações conjuntas, que envolvam todas as esferas de poder. 

“Os desafios em urbanizar e melhorar a qualidade de vida das pessoas que moram em áreas precárias - favelas, cortiços e loteamentos irregulares - requerem cooperação da União, estados e municípios para estruturação de programas com viabilidade financeira, que integrem setores de habitação, saneamento, mobilidade e conectividade.”

Reconhecimento

Neste ano, o programa recebeu o prêmio internacional World Smart City Awards. A premiação é considerada uma das mais importantes em relação à inovação em cidades e ocorreu na Espanha em novembro. 

Mosart Amaral, secretário de Transporte e Desenvolvimento Urbano de Alagoas, comemora o reconhecimento e afirma que, até o momento, foram investidos R$ 120 milhões na iniciativa. “É um programa que atinge em cheio o lado social. O resultado desse trabalho é extremamente positivo. A vitória desse prêmio internacional comprova que estamos trabalhando no caminho certo”, diz

João Honorato da Silva, diretor administrativo da Associação dos Moradores e Amigos do Feitosa, bairro de Maceió, diz que as pessoas com deficiência ou mobilidade agora contam com uma melhor qualidade de vida após intervenções de acessibilidade. “As pessoas com deficiência estavam praticamente sem sair de casa e hoje elas contam com rampas e corrimões.”

TCU determina que ANTT cobre atrasos em obras de concessões rodoviárias no país

Governo cria sistema para centralizar dados sobre projetos de investimento em infraestrutura

Grotas

Mapeamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2010 verificou a existência de um total de 100 grotas em Maceió. Além das obras de acessibilidade, pelo programa também foram construídas quadras esportivas e hortas comunitárias.

Copiar o texto
Brasil
24/07/2020 10:45h

Ações continuadas e criadas pelo governo mantêm o País fora do Mapa; segundo dados da FAO, menos de 2,5% da população está em situação de insegurança alimentar

Baixar áudio

O Brasil segue fora do Mapa da Fome. A conclusão é do relatório da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO), publicado recentemente. Segundo os dados, menos de 2,5% da população brasileira vive em situação de subnutrição.  

O governo federal vem dando continuidade a ações implementadas em governos passados, combinando estratégias de programas de transferência de renda e apoio à produção, abastecimento e acesso à alimentação. Alguns dos destaques são o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Cisternas e Programa de Fomento e Inclusão Produtiva Rural, que ajudam na segurança alimentar da população, especialmente da camada mais vulnerável. 

Projeto de socorro a agricultores familiares é aprovado pela Câmara dos Deputados 

Ministério da Cidadania estabelece melhorias na execução do Programa Cisternas 

A preocupação agora é com as consequências da crise global na saúde, originada pelo novo coronavírus. O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, garantiu que o Executivo Federal está tomando todas as providências para mitigar os efeitos negativos da pandemia. Ele anunciou que serão executados R$ 500 milhões no PAA, que vão atender cerca de 150 mil agricultores familiares. 

O secretário nacional de Inclusão Social e Produtiva do Ministério da Cidadania, Enio Marques, ressaltou também que o Brasil tem um grande protagonismo na segurança alimentar e nutricional no mundo e que o país é um dos maiores fornecedores de alimentos, estando presente nas mesas das famílias de mais de 200 países. 

Copiar o texto