22/12/2022 03:30h

Opção para período de férias escolares, museu interativo tem programação até 30 de dezembro, com oficinas, jogos, sessões de cinema, entre outras atrações. Entrada é gratuita neste primeiro mês de funcionamento

Baixar áudio

Em dezembro, o SESI Lab aposta em uma programação recheada de atividades educativas e culturais. Entre as atrações deste mês estão sessões de cinema, jogos, oficinas, visitas guiadas, entre outras atividades, sendo uma ótima opção de lazer para esse período de férias. O museu interativo nasceu de uma parceria entre o Serviço Social da Indústria (SESI) e o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI).

O espaço multiuso, inaugurado em 30 de novembro, no antigo Edifício Touring Club, no coração de Brasília, tem o intuito de agregar conhecimento de modo lúdico, interativo e democrático. De acordo com a gerente de Programação Cultural do SESI, Agnes Mileris, as atrações para este mês foram pensadas para atrair todos os públicos. 

“Toda essa programação e exposições têm entrada gratuita até dia 31 de dezembro. A gente preparou essa programação educativa e cultural bem especial nesse primeiro mês. A gente espera todos os visitantes aqui de Brasília para vir aqui, conhecerem o museu e participarem das atividades com a gente.”, convida Agnes Mileris.

A participação nas atividades necessita de retirada de senha, obtida no balcão de recepção, 30 minutos antes de cada atração. Para as sessões de cinema, as entradas são retiradas no mesmo local, mas com uma hora de antecedência. As visitas guiadas são feitas todos os dias às 10h30 e às 15h30, também mediante retirada de senha. 

Para ter acesso gratuito ao museu interativo é necessário retirar o ingresso na plataforma Sympla. No entanto, o espaço não vai estar aberto ao público nos períodos de 24 a 26 de dezembro e 31 de dezembro a 2 de janeiro, retomando as atividades no dia 3 de janeiro.

Confira a programação para este mês:

Programação de dezembro do SESI Lab

O espaço

O antigo Edifício Touring Club, localizado próximo à Rodoviária do Plano Piloto e a Biblioteca Nacional, foi transformado em um reduto da união entre ciência, tecnologia, arte e cultura. O SESI Lab tem 8.000 metros quadrados de área construída, que conta espaços expositivos, salas interdisciplinares, cafeteria e loja de artigos exclusivos. Segundo o diretor de Operações do SESI, Paulo Mól, o complexo multiuso com experiências sensoriais e educativas foi pensado para ser um espaço lúdico, democrático e inclusivo.

“É uma forma da gente demonstrar o compromisso que o SESI tem com a educação de qualidade, com a formação dos nossos alunos, com a melhoria da educação no país. Então é o SESI, na Esplanada dos Ministérios, no centro do poder, no centro do país, deixando uma mensagem clara de melhora da educação e que a agenda da educação é prioritária para se ter um país melhor”, ressalta Paulo Mól.

O SESI Lab funciona de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e sábado, domingo e feriados, das 10h às 19h. Toda primeira quinta-feira do mês o horário de funcionamento será estendido, das 9h às 21h.

Copiar o texto
08/12/2022 22:11h

Atração natalina é gratuita com acesso a brinquedos, oficinas, espetáculos e lições financeiras para o público infantil

Baixar áudio

Tem programação cultural gratuita em clima natalino chegando à Brasília. Neste domingo, 11 de dezembro, a CAIXA Cultural Brasília inaugura a 12ª edição da atração “O Magnífico Circo de Natal”. 

No evento, os visitantes terão acesso à brinquedos, oficinas e espetáculos. A programação ocorre na área externa da CAIXA Cultural, com visitação até o dia de 6 de janeiro.

A atração natalina da CAIXA não ocorreu nos últimos dois anos seguindo as medidas de isolamento social por conta da pandemia de Covid-19. Agora, nessa edição, além da presença do Papai Noel, o evento contará com mágicos, duendes e renas. O público também poderá conferir espetáculos natalinos apresentados pela Cia Teatral Mapati. 

A programação terá: “Os Saltimbancos de Natal”, que é uma trupe de duendes palhaços; “Academia de Trapezistas” com cama elástica; “Labirinto dos Mágicos” composto por um grande brinquedo. Também haverá a “Escola dos Duendes”, com oficina de malabares; o “Palco Picadeiro”, com shows de mágica, contação de histórias e coral natalino e “O Espetáculo do Natal”, que oferece uma experiência imersiva de vídeo.

A CAIXA criou ainda espaços instagramáveis para fotos. Serão cinco cenários natalinos representando as regiões brasileiras, com decoração e elementos cenográficos nos quais os visitantes poderão interagir, fotografar e compartilhar as imagens nas redes sociais. O espaço vai funcionar no prédio da Matriz I da CAIXA.

Para participar do Magnífico Circo de Natal, basta fazer o cadastro e agendamento da visita pelo site www.magnificonatalcaixa.com.br, a partir desta sexta-feira, 9 de dezembro. 

Além de aventuras, a atração natalina da CAIXA vai proporcionar lições de educação financeira para a garotada. Na entrada do evento, o participante receberá um cartão com créditos limitados. Para brincar, é necessário passar o cartão em cada atração natalina até chegar ao encontro com o Papai Noel. 

As atrações do Magnífico Circo de Natal vão acontecer das quatro da tarde às dez horas da noite, de segunda a sexta-feira. Já aos sábados e domingos, o horário será das onze da manhã às dez horas da noite. Os portões fecham diariamente às 21h. 

Nos dias 24, 25, 31 de dezembro e em 1º de janeiro, o parque estará fechado. A CAIXA Cultural fica no Setor Bancário Sul, quadra 4, Asa Sul.

Para outras informações, acesse www.magnificonatalcaixa.com.br e o perfil do Instagram da CAIXA Cultural Brasília.

Copiar o texto
24/11/2022 13:50h

Relembre os momentos marcantes de “Tremendão”, que morreu nessa terça-feira (22), aos 81 anos.

Baixar áudio

Para alguns críticos, Erasmo Carlos foi apenas o grande amigo e maior parceiro do “rei” Roberto Carlos. Mas a extensa obra do "Tremendão'', que morreu nessa terça-feira (22) aos 81 anos, torna-o merecedor de todas as numerosas e emocionadas homenagens que recebeu de artistas e críticos musicais, que acompanharam sua longa trajetória de sucesso.  

O consagrado artista morreu de uma doença pouco conhecida: síndrome edemigênica, que provocou a acumulação de líquidos nos tecidos. Em virtude disso, o cantor passou vários dias internado e chegou a receber alta, com muitas manifestações de solidariedade.

Erasmo Carlos deixa, contudo, seu nome consagrado como um dos  precursores do rock nacional, influenciado pelo fenômeno Elvis Presley. Assim, notabilizou-se por ser um dos criadores do movimento musical que abalou o Brasil, a partir dos anos 60: a Jovem Guarda. 

Trajetória

“Erasmo Esteves”, que nasceu no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, compôs mais de 600 músicas em toda a sua carreira. Ele estava longe de ser considerado um artista decadente ou que se resignava a viver à sombra do sucesso de Roberto Carlos.

Desde que estreou com a banda Sputnik, em 1957, ao lado de Roberto Carlos e de outro grande amigo, Tim Maia, que lhe ensinara tocar violão, Erasmo Carlos não parou de colecionar amigos e parceiros musicais. A banda Sputnik se transformaria em Snakes (cobras, em inglês)

Frederico Tomé, psicanalista, historiador e doutor em Ciências Sociais, destaca que o movimento cultural da Jovem Guarda, consolidado na década de 1965, por meio do programa televisivo Jovem Guarda exibido pela TV Record, representou uma transformação no movimento cultural brasileiro.

Comandado por Erasmo, Roberto Carlos e Wanderléa, o programa de auditório já vinha de um certo padrão radiofônico, mas na televisão assumia novas configurações. “Um Brasil de 1965, pós golpe de 64, onde um certo assunto político trazia consequências. Então era um programa destinado à massa que começava a acompanhar as novas tendências do rock que se produzia no ocidente, especificamente nos Estados Unidos e Inglaterra. Estavam preocupados em viver, curtir a vida, uma juventude ávida, pra uma experiência, uma urgência de vida”, explica o historiador.

Por embalarem canções românticas numa época de repressão política, Erasmo e Roberto sempre foram alvos de preconceito por parte da mídia e de críticos musicais, por não envolverem temas polêmicos nas canções, que geralmente falavam de amor e encantavam a juventude da época.

Além disso, segundo o historiador Frederico Tomé, o movimento da Jovem Guarda foi inovador, já que também abordava o mundo urbano e industrial. “[Tem] muitas músicas do Roberto, Erasmo que cantam sobre esses automóveis, essa velocidade. Isso chegando até os cinemas. E as produções cinematográficas que eram decorrentes desse sucesso. Então a Jovem Guarda é música, televisão, cinema”, afirma.

Em outubro deste ano, Erasmo Carlos foi o vencedor do Grammy latino de Melhor Álbum de Rock em Língua Portuguesa, com o título “O futuro pertence à Jovem Guarda”, lançado em fevereiro deste ano. O disco reúne canções lançadas entre 1964 e 1966.

Antes dessa premiação recente, Erasmo Carlos também venceu o Grammy de 2014, com o melhor álbum de rock e de música alternativa, em 2014. Ou seja, ao contrário do que sugere o título de uma de suas músicas mais conhecidas, o cantor carioca, nascido no bairro da Tijuca, nunca foi de ficar “sentado à beira do caminho”. Foi um inquieto protagonista, em constante movimento.

Erasmo Carlos também fez muito sucesso com a música “Minha fama de mau”, que virou título de um livro autobiográfico _ e também um filme. Essa suposta “fama” sempre gerou muitas brincadeiras entre os seus amigos e parceiros. A curiosidade era que o artista sempre  foi  reconhecido pela generosidade e companheirismo.

Nos últimos anos, a homenagem ao universo feminino que Erasmo Carlos fez na canção “Mulher” lhe garantiu enorme sucesso. O cantor, que teve três filhos (um deles morreu em acidente de moto), só conheceu o pai aos 23 anos. Era filho de mãe solteira. Mas nunca abandonou o bom humor, como quando numa entrevista na tevê lamentara ter um corpo grande, “mas uma voz pequenina”.

Despedida

Ao lamentar publicamente a morte do amigo, Roberto Carlos demonstrou toda sua admiração pelo antigo parceiro: “Não sei como dizer tudo o que eu penso do meu amigo querido, um grande irmão, meu ídolo por tudo, pela lealdade, sua inteligência, bondade, por tudo que eu conheço dele”.

No começo do mês, ao comemorar o prêmio que recebera de melhor álbum do ano, Erasmo Carlos exaltou, em rede social, talvez a sua forma de encarar a vida, até aquele momento, quando já enfrentava a doença fatal: ”Existem várias formas de amor, e eu preciso de todas”.

Certamente, os eternos fãs de Erasmo Carlos ainda lembrarão do ídolo por muito tempo, como um artista talentoso e sensível, que soube cultivar o amor e a amizade, em sua plenitude.

Copiar o texto
11/11/2022 19:10h

A apresentação acontece no sábado (12) e será gratuita

Baixar áudio

A CAIXA Cultural Brasília recebe neste sábado (12), às oito horas da noite, o concerto 'Hora do Show – Músicas Inesquecíveis', com repertório de músicas brasileiras e internacionais. A apresentação será gratuita e executada por cerca de 90 artistas do Projeto Musical Arte Jovem, com idade a partir dos três anos, sob regência do maestro Edmilson Júnior.

O espetáculo é dividido em dois atos, com a interpretação de canções de grandes nomes da música nacional, como Ary Barroso, Roberto Carlos, Milton Nascimento e Dominguinhos, entre outros. Já o repertório internacional passeará do pop ao rock, com músicas de grupos como Beatles e cantores como Michael Jackson e Elvis Presley.

Criado em 2016, o Projeto Musical Arte oferece educação musical continuada à população de Ceilândia e já iniciou musicalmente mais de 1,2 mil crianças, além de formar músicos profissionais que hoje atuam em bandas militares.  O projeto possui patrocínio da CAIXA.

Os ingressos solidários devem ser retirados, mediante doação de 1kg de alimento não perecível, na bilheteria da CAIXA Cultural com uma hora de antecedência. A capacidade do teatro é de 406 lugares, com oito destinados a cadeirantes. 

A CAIXA Cultural Brasília fica no Setor Bancário Sul, Quadra 4. 

A classificação indicativa do espetáculo é Livre.

Copiar o texto
09/11/2022 21:00h

Morte da cantora baiana, que estava em plena atividade, comoveu o País

Baixar áudio

A cantora Gal Costa, um dos maiores ícones da música popular brasileira e  representante do Tropicalismo, morreu nesta quarta-feira (9), aos 77 anos. A artista era uma das principais atrações do festival Primavera Sound, realizado em São Paulo, no último fim de semana, mas teve a participação cancelada às vésperas do evento. Gal ainda tinha os shows da turnê “As Várias Pontas de uma Estrela” marcados para dezembro e janeiro.

Com sucessos marcantes como “Baby”, “Meu bem, bem mal” e “Chuva de prata”, entre outras canções, Gal Costa é considerada uma das maiores vozes de sua geração. No banco de dados do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), a cantora possui 1.080 gravações cadastradas.

Trajetória de Gal Costa
Nascida Maria da Graça Costa Penna Burgos, no dia 26 de setembro de 1945, em Salvador, na Bahia, Gal começou a cantar ainda na adolescência, em festas escolares. No início dos anos 1960 fez sua grande estreia na música, ao lado de Caetano Veloso, Gilberto Gil, Maria Bethânia e Tom Zé, no espetáculo “Nós, Por Exemplo”.

O primeiro álbum de estúdio da cantora foi lançado em 1967, mas foi no ano seguinte que a cantora caiu nas graças do público brasileiro, quando gravou o álbum “Tropicália ou Panis et Circenses”, em parceria com Caetano, Os Mutantes e Gilberto Gil. 

O historiador Frederico Tomé destaca que Gal iniciou sua carreira em um momento difícil, em um contexto de tensões políticas no Brasil, quando aconteceu o golpe militar. “Inaugurando, assim, uma ditadura, que até então, não sabia que duraria 21 anos. Seus parceiros mais próximos foram presos, exilados, e de certa maneira, Gal Costa levou adiante aquilo que seu grupo de amigos se propôs a fazer, né? A tropicália”, explica.

Tropicália foi um movimento que lutou contra a ditadura por meia da arte e da música, no qual Gal Costa foi um dos nomes de destaque. De acordo com o especialista, a artista não foi um grande nome apenas por conta da voz, mas também pelo comportamento. A cantora não fugiu de suas responsabilidades como cidadã e sempre se posicionou à frente de temas polêmicos. “Ela permaneceu no Brasil e manteve essa postura de enfrentamento. Sempre levando em consideração ou colocando à frente seu corpo, seus desejos, as suas vontades”, informa Frederico.

O historiador ainda diz que Gal estava à frente de seu tempo, e que colocava o corpo à mostra em shows e capas de discos, que foram censuradas. “Contribuiu muito para uma afirmação da mulher no cenário musical, no cenário político, no cenário social brasileiro. É uma perda irreparável”.

Com 57 anos de carreira, Gal Costa se consolidou como uma das protagonistas do MPB e não parou de produzir músicas desde então, com mais de 40 álbuns lançados entre discos de estúdio e ao vivo. “Nenhuma Dor”, de 2021, foi seu último lançamento e contou com a participação de Criolo, Seu Jorge, Zeca Veloso e Silva.

Copiar o texto
26/08/2022 04:00h

Mais de R$ 3 milhões serão concedidos para projetos sociais, ambientais, culturais, esportivos, feiras, exposições e eventos

Baixar áudio

Estão abertas as inscrições para os Editais Públicos de Patrocínio de 2023 do Banco da Amazônia (Basa). De acordo com a instituição, o valor total de recursos destinados à iniciativa é de R$ 3.084.000,00. O montante é para projetos sociais, ambientais, culturais, esportivos, feiras, exposições e eventos.

Na última edição, em 2022, foram inscritos 607 projetos e 93 deles foram classificados. Segundo o secretário executivo do Basa, Alcir Bringel Erse, a seleção dos projetos inscritos levará em conta a relevância conceitual e temática, inovação, impacto social, viabilidade técnica e estarem aderentes ao posicionamento mercadológico e estratégico do banco.

“Existe um teto de R$ 40 mil por projeto. Já em relação à nossa pauta de exposição, nós incentivamos com R$ 25 mil para custear as despesas do artista para fazer sua exposição no nosso espaço cultural”, explica Erse.

MDR abre seleção de projetos para o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil

Profissões do futuro: conheça as tendências e os desafios para os próximos anos

Produção de veículos em julho é a maior desde novembro de 2020

No caso do edital de pautas do Espaço Cultural do Banco da Amazônia, as oportunidades são para projetos de artes visuais, como desenho, pintura, fotografia, grafite, esculturas, entre outros. Já os Editais de Patrocínio atuam na área cultural, ambiental, social, música, literatura, audiovisual, artes cênicas, feiras, exposições, eventos e esportes.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas até o dia 16 de setembro de 2022. Podem participar pessoas físicas e jurídicas endereçadas em áreas de atuação do Basa nos estados da Amazônia Legal. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pelo e-mail edital.patrocinio@basa.com.br.
 

Copiar o texto
21/11/2021 17:16h

Proposta pode gerar mais economia e turismo para um trecho de mais de mil quilômetros da BR 040

Baixar áudio

A junção de pontos turísticos nas regiões Centro-Oeste e Sudeste vão servir para a criação da maior rota turística do Brasil. Os estados de Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro e o Distrito Federal vão fazer parte da “Via Liberdade”, como foi chamado o novo roteiro, que nasceu da ideia de unificar um caminho apresentado atrativos que se liguem às belezas históricas, culturais e artísticas dessas localidades. 

Mais de mil quilômetros da BR 040 vão ser palco para ações e programas estratégicos com foco voltado para os patrimônios da humanidade, paisagens entre montanhas e mar, cidades imperiais, natureza exuberante, horizontes, metrópoles, comidas típicas, tradições, sertão, arte e contemporaneidade.

Para o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto, o novo roteiro tem tudo para ser um bom exemplo para outros destinos do país. “Juntar diversos atrativos como a história de Minas Gerais, o turismo cívico de Brasília, a bela natureza goiana e as cidades imperiais do Rio de Janeiro é um grande acerto para o turismo nacional. Temos que concretizar e trazer essa experiência para outros estados e regiões. Como já está acontecendo no Norte e no Nordeste, por exemplo, a Rota do Sol e a Rota Amazônica Integrada reúnem o potencial turístico de todos os estados da região Norte e também do Nordeste”, destacou. 

Mosquito da dengue precisa ser combatido durante todo o ano, diz especialista

Brasil e Paraguai assinam acordo para reduzir os riscos à saúde na fronteira, durante e após a pandemia da Covid-19

O objetivo dessa proposta é o de que a rota seja alimentada a partir de encontros direcionados a pesquisadores, artistas e especialistas com temas relacionados aos marcos da história do Brasil. Para os gestores municipais e estaduais dessas regiões, a expectativa é a de um impacto positivo no segmento de turismo por conta dessa rota, além das oportunidades econômicas.

De acordo com a jornalista e escritora Amneres Santiago, esse tipo de turismo desperta o olhar dos viajantes para o espaço social urbano ao seu redor e que faz parte da história de uma cidade. No livro “Roteiro Geopóetico de Brasília”, que a autora lança na próxima quarta-feira (24), ela lança luz aos mitos que envolveram a fundação de Brasília, inaugurada em 1960, pelo presidente Juscelino Kubitschek. A escritora compara Brasília ao manifesto urbanístico do IV Congresso Internacional de Arquitetura Moderna, realizado em Atenas em 1933. Por isso, realizar o turismo na capital federal é uma experiência social.

“Brasília realmente possui uma estrutura muito diferente das outras cidades do país e até do mundo. É como se Brasília fosse um imenso laboratório do modernismo, da Carta de Atenas, da arquitetura e da arte modernistas. É uma cidade que é um museu a céu aberto e que tem vários tesouros escondidos dentro dos seus palácios, monumentos e jardins. Tudo, na cidade, foi pensado nessa cartilha do modernismo”, romantizou a escritora.

A “Via Liberdade” vai passar por 307 cidades, quatro biomas (Mata Atlântica; Serra do Mar; Cerrado e Serra do Espinhaço), e seis parques (Parque Nacional da Serra dos Órgãos – RJ; Parque Estadual do Ibitipoca – MG; Parque Estadual do Itacolomi – MG; Parque Estadual Serra do Rola Moça – MG; Parque Nacional da Serra do Cipó – MG; e o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros - GO). Além disso, os turistas poderão conferir patrimônios históricos e culturais para visitar na Via Liberdade, como Brasília, Goiás Velho, Conjunto Moderno da Pampulha (MG), Rio de Janeiro, Sítio Arqueológico Cais do Valongo (RJ), Sítio Burle Marx (RJ), Congonhas (MG), Ouro Preto (MG), e Diamantina (MG).

Copiar o texto
05/08/2021 14:15h

Municípios interessados no dinheiro precisam concluir a solicitação até às 17h

Baixar áudio

Os gestores municipais devem ficar atentos porque o prazo para solicitar recursos da Lei Aldir Blanc se encerra nesta quinta-feira (05). A princípio, a data limite para acesso aos recursos da Secretaria Especial da Cultura seria na segunda-feira (02). 

Brasil ultrapassa marca de 66% da população vacinada contra Covid-19

Os municípios que não solicitaram o dinheiro em 2020, ou reverteram os recursos para os estados, podem concluir os procedimentos de solicitação da verba até às 17h. Isso porque, os estados foram autorizados a repassar os recursos aos municípios que não solicitaram verbas da Lei Aldir Blanc para 2020 e o prazo para prestação de contas foi estendido até 2022.

A Lei Aldir Blanc apoia os profissionais da cultura e cria o auxílio financeiro ao setor. Ao todo, mais de R$ 3 bilhões foram destinados aos estados e municípios e, a princípio, deveriam ser gastos até julho de 2021. 

As notas técnicas de orientação para uso e prestação de contas dos recursos da Lei Aldir Blanc estão disponíveis no site da Secretaria Especial da Cultura. 

Copiar o texto
30/07/2021 11:15h

O prédio havia sido destruído por um incêndio em dezembro de 2015. As obras de reconstrução foram entregues nesta quinta-feira (29)

Baixar áudio

O Museu da Língua Portuguesa vai ser reaberto ao público a partir deste domingo (1º). No dia seguinte, haverá uma cerimônia de abertura que contará com a presença de autoridades de países falantes da língua portuguesa e ex-presidentes do Brasil.

Um edifício do final do século 19, o museu está localizado na Estação da Luz, no centro de São Paulo. O prédio havia sido destruído por um incêndio em dezembro de 2015. As obras de reconstrução foram entregues nesta quinta-feira (29).

Para a reconstrução do espaço, foram investidos aproximadamente R$ 85 milhões. O dinheiro foi repassado por diversos apoiadores privados, pelo governo do estado de São Paulo e pelo governo federal, por meio da Lei Rouanet.

PL que moderniza mercado cambial contribui para criação de empregos nos mais variados setores

SP: estado registra redução de 74% de mortes por Aids

As obras iniciaram em 2017 e foram acompanhadas pelos órgãos federais, estaduais e municipais de proteção do patrimônio histórico e artístico. A reconstrução apresenta novos espaços ao projeto original, assinado pelo arquiteto Paulo Mendes da Rocha (1928-2021).

Entre as novidades está um terraço com vista para o Jardim da Luz e para a torre do relógio, símbolo da estação. Além disso, foi criado um centro de referência de estudos da língua portuguesa.

 

Copiar o texto
21/06/2021 19:00h

Ao todo 822 municípios foram pontuados no programa e receberão recursos para iniciativas patrimoniais e culturais

Baixar áudio

A tabela de pontuação provisória do programa ICMS Patrimônio Cultural, do exercício 2022, já está disponível no site do Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (Iepha-MG). Gestores municipais de todo o estado que apresentaram a documentação até 22 de dezembro do ano passado já podem consultar as fichas através do site.

Ao todo, 822 municípios foram pontuados no programa. Aqueles que desejam enviar recursos e solicitações de revisão por e-mail, o prazo vai até 30 de junho. Em novembro, a pontuação definitiva será encaminhada à Fundação João Pinheiro, instituição responsável por calcular os valores que as prefeituras irão receber do Governo de Minas.

Garantia-Safra autoriza pagamento para mais de 380 mil agricultores

Defesa Civil vai repassar quase 700 mil reais a dois municípios de Minas Gerais atingidos por desastres naturais

Comunicado orienta municípios sobre saldos remanescentes da Lei Aldir Blanc

Para receber os recursos, o município deve elaborar e colocar em prática, com a participação da comunidade, sua política municipal de proteção ao patrimônio cultural. Várias iniciativas ligadas à proteção do patrimônio histórico e cultural contam pontos. Até 2020, Minas Gerais possuía 6 mil bens culturais tombados e registrados.

Copiar o texto
Brasil 61