Covid
03/12/2021 21:00h

Embora primeiros indícios apontem para maior transmissibilidade, autoridades pedem calma, e dizem que vacina continua sendo importante para evitar internações e óbitos

Baixar áudio

Embora as evidências científicas até o momento apontem que é mais transmissível, a nova variante Ômicron do coronavírus não deve ser motivo de pânico, afirmou Soumya Swaminathan, cientista-chefe da Organização Mundial da Saúde (OMS), nesta sexta-feira (3). 

Identificada primeiramente na África do Sul, a Ômicron já está presente em mais de 20 países, de acordo com a OMS, que classificou a cepa como “variante de preocupação”. O que já se sabe sobre a variante, diz a infectologista Ana Helena Germoglio, é que a Ômicron possui um alto número de mutações, sendo que a maioria dessas modificações ocorre na proteína spike do coronavírus. Essa parte do vírus é a que se conecta à célula humana para iniciar a infecção, e na qual as tecnologias de produção de algumas vacinas se baseiam, caso da Pfizer, por exemplo. 

“Aparentemente, essa quantidade de mutação que ela tem confere uma maior transmissibilidade, inclusive mais do que a Delta. A grande dúvida que a gente tem é saber se ela confere maior risco de evento grave, de internação e de óbito. Aparentemente, não”, diz a infectologista, ressaltando que ainda é cedo para qualquer tipo de certeza. 

Até agora, não há registro de nenhuma morte no mundo em decorrência da nova variante. No Brasil, o Ministério da Saúde confirma cinco casos: três em São Paulo e dois no Distrito Federal. Por isso, as autoridades de saúde pedem calma. “A gente precisa ter respeito. As outras medidas continuam sendo efetivas da mesma forma. A gente está vendo alguns hospitais com aumento de demanda, talvez seja justamente pelo pânico da população. E agora não faz sentido a gente criar pânico”, garante a infectologista. 

Em resposta à chegada da variante ao Brasil, o Ministério da Saúde montou uma sala para monitorar o cenário epidemiológico e planejar as medidas para conter o avanço da Ômicron. Além dos três casos confirmados, a pasta afirma que oito ocorrências estão sob investigação, sendo uma em Minas Gerais, uma no Rio de Janeiro e seis no DF. 

Em coletiva nesta quinta-feira (2), o secretário de Vigilância em Saúde, Arnaldo Medeiros, afirmou que o órgão tem acompanhado a variante de perto. “Nós temos reforçado cada vez mais o aumento da vigilância genômica, que é extremamente importante como instrumento para o monitoramento do padrão da circulação das variantes. Nós já adquirimos sequenciadores genéticos para todos os estados do país. Esse é um dos exemplos do esforço do nosso ministério para aumentarmos a vigilância genômica”, afirmou.
 
É por meio do sequenciamento genômico que as autoridades de saúde conseguem descobrir quais variantes do novo coronavírus estão em circulação no país, incluindo aquelas que ameaçam se espalhar, e tomar medidas a partir dessas informações. 

A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde informou que a partir desta sexta vai atualizar a situação da Ômicron no Brasil junto ao informativo tradicional de casos e óbitos por Covid-19. 

Com presença da Ômicron no Brasil, Queiroga diz que País já trabalha para impedir avanço da variante

Nova mutação da Covid-19 chega ao Brasil

Saúde garante mais 100 milhões de vacinas contra a Covid-19

Dados da Covid-19

De acordo com o Ministério da Saúde, mais 2,8 milhões de doses da vacina da Janssen contra a Covid-19 chegaram ao Brasil, nesta sexta-feira (3). Desde o início da campanha de imunização, 90% dos brasileiros já tomaram a primeira dose do imunizante. Já completaram o esquema vacinal 140,5 milhões de pessoas, quase 80% do público-alvo, segundo a pasta. 

Nesta sexta, o Brasil registrou mais 10.627 casos e 221 óbitos por Covid-19, de acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde. Desde o início da pandemia, mais de 22,1 milhões de brasileiros foram infectados pelo novo coronavírus. 

O Rio de Janeiro ainda é o estado com a maior taxa de letalidade entre as 27 unidades da federação: 5,13%. O índice médio de letalidade do País está em 2,78%. 

Taxa de letalidade nos estados

  • RJ - 5,13%
  • SP - 3,47%
  • AM - 3,21%
  • PE  - 3,16%
  • MA - 2,82%
  • PA - 2,77%
  • AL - 2,63%
  • GO - 2,62%
  • CE - 2,59%
  • PR - 2,58%
  • MS - 2,55%
  • MG - 2,55%
  • MT - 2,50%
  • RS - 2,42%
  • RO - 2,38%
  • SE - 2,17%
  • PI - 2,17%
  • BA - 2,17%
  • DF - 2,13%
  • ES - 2,12%
  • AC - 2,10%
  • PB - 2,07%
  • RN - 1,96%
  • TO - 1,68%
  • SC - 1,62%
  • AP - 1,61%
  • RR - 1,60%

Os números têm como base o repasse de dados das Secretarias Estaduais de Saúde ao órgão. Acesse as informações sobre a Covid-19 no seu estado e município no portal brasil61.com/painelcovid.   

Copiar o texto
03/12/2021 20:18h

Nesta fase, a linha férrea vai atender a cidade de Parnamirim

Baixar áudio

O Governo Federal entregou as obras físicas da primeira fase da Linha Branca da CBTU na Grande Natal, no Rio Grande do Norte. Nessa fase, a linha férrea vai atender a cidade de Parnamirim. O investimento do Ministério do Desenvolvimento Regional nas obras do Trecho I foi de mais de 17 milhões de reais.

O sistema de veículos leves sobre trilhos tem previsão de início da operação até o fim deste ano, no trecho que vai até a Estação Boa Esperança. No início de 2022. será entregue a Estação Cajupiranga, que será a parte final da operação da linha férrea.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, participou do ato na cidade de Parnamirim. Ele destacou o impacto da expansão da linha férrea para os moradores da Região Metropolitana de Natal.

"Com essa obra pronta – não só a física, mas com os vagões que estão vindo com as locomotivas, a gente vai ter um processo de integração cada vez maior com a região metropolitana e quem ganha com isso é a população local".

As obras da Linha Branca foram iniciadas em fevereiro deste ano e beneficiarão 7 mil passageiros. Serão construídos mais de 23 quilômetros de vias, com quatro novas estações a partir de Parnamirim, passando por São José de Mipibu e chegando até Nísia Floresta. O investimento federal é superior a 58 milhões de reais.

Para o diretor-presidente da CBTU, José Marques de Lima, a companhia está cumprindo sua missão ao atuar para ampliar as opções de mobilidade urbana na região.

"Quando a CBTU foi criada, foi exatamente com esse sentido de atender as regiões metropolitanas e as comunidades metropolitanas. São trens metropolitanos de subúrbio que atendem uma população que precisa de mobilidade".

Para saber mais sobre essa e outras ações de mobilidade urbana do Governo Federal, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
03/12/2021 20:00h

O preço do quilo do frango congelado teve diminuição e 0,30% e o produto é vendido a R$ 6,75

Baixar áudio

A cotação da arroba do boi gordo começou a segunda-feira (6) com queda de 3,51% e o produto é negociado a R$ 312,95 em São Paulo. Em Goiânia, o produto é vendido à vista a R$ 308,50. Já em Barretos e Araçatuba, em São Paulo, a arroba é comercializada a R$ 313. 

O preço do quilo do frango congelado teve diminuição e 0,30% e o produto é vendido a R$ 6,75. Já o preço do quilo do frango resfriado caiu 0,29% e a mercadoria é comercializada a R$ 6,76.

No mercado financeiro, o preço da carcaça suína especial não mudou e o produto ainda é negociado a R$ 10,73. Em Minas Gerais, o suíno vivo é vendido a R$ 7,47. No Paraná, o produto é comercializado à vista a R$ 6,52. Os valores são do Canal Rural e Cepea.

Copiar o texto
03/12/2021 20:00h

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve salto de 0,74% e é negociada a R$ 86,86

Baixar áudio

A saca de 60 quilos do café arábica começou a segunda-feira (6) com alta de 2,23% no preço e é vendida a R$ 1.471,19 na cidade de São Paulo. O café robusta também teve elevação no valor. A alta foi de 0,45% e a saca é comercializada a R$ 834,51 para retirada no Espírito Santo.

O açúcar cristal registrou diminuição de 0,36% e o produto é vendido a R$ 155,25 em São Paulo. Em Santos, no litoral paulista, o valor da saca de 50 quilos, sem impostos, caiu 0,78% e a mercadoria é comercializada a R$ 149,73.

No mercado financeiro, o preço da saca de 60 quilos do milho teve salto de 0,74% e é negociada a R$ 86,86. Em Cascavel, no Paraná, o preço é R$ 85. Em Rondonópolis, no Mato Grosso, o milho é vendido a R$ 70. Em Uberaba, Minas Gerais, o preço à vista é R$ 80,50. Os valores são do Canal Rural e Cepea. 
 

Copiar o texto
03/12/2021 18:00h

A temperatura mínima será 21º e a máxima 27º

Baixar áudio

Neste sábado (4), haverá Sol com muitas nuvens e pancadas de chuva a qualquer momento na maior parte do estado do Pará. Em Belém, Amazonas, Roraima, Amapá, Acre e Rondônia, Sol com pancadas de chuva à tarde e risco para trovoadas. No Tocantins, a chuva intercala com o Sol.

A temperatura mínima será 21º e a máxima 27º. A umidade relativa do ar ficará entre 75% e 100%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

Copiar o texto
03/12/2021 18:00h

A temperatura mínima será 18º e a máxima 30º

Baixar áudio

O tempo fica carregado com chuva volumosa no sul do Piauí e por todo oeste da Bahia neste sábado (4). No Maranhão, pancadas de chuva intercalando períodos de Sol. Chove fraco por toda a costa leste do Nordeste e em Salvador. 

A temperatura mínima será 18º e a máxima 30º. A umidade relativa do ar ficará entre 69% e 84%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

Copiar o texto
03/12/2021 18:00h

A temperatura mínima será 21º e a máxima 30º

Baixar áudio

A chuva vai e volta no decorrer deste sábado (4) por áreas do sudeste de Mato Grosso e norte de Goiás, incluindo o Distrito Federal. Nas demais áreas dos dois estados e no noroeste de Mato Grosso do Sul, pancadas de chuva a partir da tarde, com risco de trovoadas.

A temperatura mínima será 21º e a máxima 30º. A umidade relativa do ar ficará entre 50% e 87%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

Copiar o texto
03/12/2021 18:00h

A temperatura mínima será 12º e a máxima 27º

Baixar áudio

Neste sábado (4), o Sol predomina nos três estados da Região Sul. Apesar da variação de nuvens no leste do Paraná, de Santa Catarina e extremo sul do Rio Grande do Sul, o tempo segue firme e seco em todas as áreas. A circulação de vento aumenta a instabilidade sobre os três estados da região. 

A temperatura mínima será 12º e a máxima 27º. A umidade relativa do ar ficará entre 30% e 90%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

Copiar o texto
03/12/2021 18:00h

A temperatura mínima será 15º e a máxima 24º

Baixar áudio

Neste sábado (4), haverá Sol e pancadas de chuva com risco de trovoadas na região central de Minas Gerais, interior do Rio de Janeiro e centro-norte do Espírito Santo. Nas demais áreas e no estado de São Paulo, o Sol aparece, algumas nuvens passam, mas o tempo segue firme. 

A temperatura mínima será 15º e a máxima 24º. A umidade relativa do ar ficará entre 60% e 87%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

Copiar o texto
03/12/2021 17:33h

A expectativa é de que a produção de aço bruto cresça 14,7%, para 36 milhões de toneladas em 2021, enquanto as vendas internas devem somar 22,8 milhões de toneladas, 17% a mais quando comparado a 2020

O Instituto Aço Brasil prevê que o consumo aparente de aço bruto em 2021 alcance 26,7 milhões de toneladas, o que representa um crescimento de 24,3% no consumo, impulsionado pela retomada do mercado interno após a crise de demanda provocada pela pandemia Covid-19 no último ano. 

A expectativa é de que a produção de aço bruto cresça 14,7%, para 36 milhões de toneladas em 2021, enquanto as vendas internas devem somar 22,8 milhões de toneladas, 17% a mais quando comparado a 2020. 

Com relação a 2022, o Instituto Aço Brasil (IABr) prevê que a produção brasileira de aço bruto terá crescimento de 2,2%, alcançando 36,8 milhões de toneladas e as vendas internas aumentem 2,5% na comparação com este ano, chegando a 23,3 milhões de toneladas, enquanto o consumo aparente deve crescer 1,5%, atingindo 27,0 milhões de toneladas. 

A entidade informa que o mercado doméstico está abastecido e que os preços das commodities - que pressionaram os preços dos produtos siderúrgicos ao longo de 2020 e em parte de 2021 - vem se estabilizando e até mesmo decrescendo para alguns insumos.

O grau de utilização da capacidade instalada do setor ainda é muito baixa, em torno de 70%. O aumento da produção de aço busca atender à retomada das exportações, o que permitiria reduzir a ociosidade existente atualmente, elevando o grau de utilização da capacidade instalada do setor para níveis mais próximos ou acima de 80%, considerado mundialmente como o mais adequado para operação das empresas. 

Mas o Aço Brasil afirma que para viabilizar as vendas externas é necessário recompor a competitividade dos setores exportadores, como a indústria do aço, por meio do retorno do mecanismo do REINTEGRA que ressarce, parcialmente, os resíduos tributários embutidos nas exportações. O Reintegra é um mecanismo para evitar a taxação das exportações dos produtos brasileiros, conforme preconizado na Constituição Brasileira.

Nos últimos anos, houve um crescente estabelecimento de medidas protecionistas por vários países e, agora, é vista alguma flexibilização nas restrições às importações de aço, como é o caso das negociações entre os Estados Unidos e a União Europeia. Neste contexto, a indústria do aço brasileira tem a expectativa de que se reestabeleçam as negociações com o governo americano para revisão do sistema de quotas imposto aos produtos siderúrgicos brasileiros no âmbito da Seção 232, vigente desde 2018.

Copiar o texto
Brasil 61