05/12/2022 18:00h

A temperatura pode variar entre 15°C e 33°C

Baixar áudio

A previsão do tempo para esta terça-feira (6) é de céu nublado com chance de pancadas de chuva e trovoadas isoladas em todos os estados da região Norte.

O Instituto Nacional de Meteorologia alerta para chuvas intensas. As instruções recomendadas são desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia, não se abrigar debaixo de árvores e não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda.

A temperatura mínima fica em torno de 15ºC, e a máxima pode chegar aos 33ºC. A umidade relativa do ar varia entre 50% e 95%.

As informações são do INMET.

Copiar o texto
05/12/2022 18:00h

A temperatura pode variar entre 16ºC e 37ºC

Baixar áudio

Dia nublado em todo o território do Nordeste nesta terça-feira (6). Possibilidade de chuva e trovões no Maranhão e nas regiões do extremo oeste baiano e sudoeste piauiense.

A temperatura mínima fica em torno de 16ºC, e a máxima pode chegar aos 37ºC. A umidade relativa do ar varia entre 35% e 95%.

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.

Copiar o texto
05/12/2022 18:00h

A temperatura pode variar entre 15ºC e 36ºC

Baixar áudio

A previsão do tempo para esta terça-feira (6) é de céu encoberto por nuvens com chance de chuva e trovoadas isoladas no Paraná, Santa Catarina, e na região metropolitana de Curitiba e norte e nordeste do Rio Grande do Sul. O dia fica nublado nas demais áreas do Sul.

A temperatura mínima fica em torno de 15ºC, e a máxima pode chegar a 36°C. A umidade relativa do ar varia entre 70% e 100%.

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.

Copiar o texto
05/12/2022 18:00h

A temperatura pode variar entre 16ºC e 32ºC

Baixar áudio

Nesta terça-feira (6), muitas nuvens em toda a região Sudeste, com possibilidade de chuva e trovoadas no sul do Espírito Santo e nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais, exceto em no norte de Minas, Jequitinhonha, e Vales do Mucuri e Rio Doce.

A temperatura mínima fica em torno de 16ºC, e a máxima prevista é de 32ºC. A umidade relativa do ar varia entre 60% e 100%.

As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.

Copiar o texto
05/12/2022 18:00h

A temperatura pode variar entre 19ºC e 37ºC

Baixar áudio

A previsão do tempo para esta terça-feira (6) é de céu encoberto com pancadas de chuva, podendo trovejar, em todo o Centro-Oeste.

O Instituto Nacional de Meteorologia alerta para chuvas intensas. Cuidados como desligar aparelhos elétricos e quadro geral de energia, não se abrigar debaixo de árvores; além de não estacionar veículos próximos a torres de transmissão e placas de propaganda são recomendados.

A temperatura mínima fica em torno de 19°C e a máxima pode chegar aos 37°C, em Mato Grosso do Sul. A umidade relativa do ar varia entre 45% e 95%.

As informações são do INMET.

Copiar o texto
05/12/2022 14:35h

Ministro Daniel Ferreira e secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, se reuniram nesta segunda-feira com o governador Carlos Moisés e parlamentares do estado

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, segue atuando nas ações de resposta às fortes chuvas que atingem o estado de Santa Catarina. Nesta segunda-feira (5), o ministro Daniel Ferreira e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, participaram da reunião do Fórum Catarinense para tratar dos danos causados pelas chuvas intensas no estado. O evento contou com a presença do governador Carlos Moisés.

“Temos que deixar o nosso sentimento e solidariedade às famílias desabrigadas e desalojadas. É um momento de união para mitigarmos o máximo que pudermos essa situação. A população precisa ficar atenta aos alertas da Defesa Civil Nacional e Estadual, para evitar que o desastre se transforme em uma tragédia”, destaca o ministro do MDR, Daniel Ferreira, que acompanhou a reunião de forma virtual.

O Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres (Cenad) opera com equipes de plantão e segue acompanhando o registro de ocorrências significativas junto à defesa civil estadual.

De acordo com a última atualização da Defesa Civil de Santa Catarina, até o momento, 60 cidades catarinenses registraram ocorrências devido às fortes chuvas. São 882 pessoas desalojadas, 195 desabrigadas, 16.350 afetadas, três óbitos e duas pessoas desaparecidas.

Para o secretário Alexandre Lucas, que participou da reunião de forma presencial, o encontro desta segunda-feira foi bastante produtivo. “Nós alinhamos com os poderes públicos federal, estadual e municipal e o parlamento estadual e federal. Uma convergência muito republicana de tudo o que cada um pode fazer para ajudar o povo de Santa Catarina neste momento difícil. Foi uma reunião com boas sugestões e com bons alinhamentos para dar agilidade na liberação de recursos”, afirmou.

O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, destacou a importância da presença da Defesa Civil Nacional na reunião para traçar os passos seguintes que os municípios devem adotar para a solicitação de recursos.

“Se ouvirmos atentamente as orientações da Defesa Civil, vamos ter sucesso para que recursos cheguem aos caixas dos municípios para restabelecerem a situação. É a grande notícia que o coronel Lucas nos trouxe. Nós não deixamos faltar nem sequer por um momento o apoio aos municípios afetados”, relata.

Nesta terça-feira (6), haverá uma reunião entre a Defesa Civil Nacional e os municípios catarinenses atingidos para orientação sobre as ações a serem tomadas com as consequências das fortes chuvas.

Como solicitar recursos federais para ações de defesa civil

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistências às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Cadastre-se para receber releases pelo WhatsApp

Para receber mais notícias e ações do MDR, jornalistas e blogueiros interessados podem se cadastrar nos grupos de WhatsApp. Um deles tem enfoque em notícias de abrangência nacional e, nos demais, serão compartilhadas informações exclusivas de cada estado. Clique neste link para acessar os grupos.

Caso deseje receber apenas informações relacionadas à proteção e defesa civil, cadastre-se neste link.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
05/12/2022 14:05h

Com a medida, cidades poderão solicitar recursos da União para ações de resposta e recuperação ao desastre natural

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) reconheceu a situação de emergência de 30 municípios do estado de Santa Catarina atingidos por chuvas intensas. Com a medida, as prefeituras poderão acessar recursos federais para ações de socorro e assistência à população e para o restabelecimento de serviços essenciais em áreas afetadas. A decisão foi publicada na edição desta segunda-feira (5) do Diário Oficial da União.

O reconhecimento foi por procedimento sumário – quando o desastre, público e notório, é considerado de grande intensidade. Nesses casos, para agilizar o atendimento à população atingida, o MDR antecipa o trâmite e publica a medida antes mesmo que a solicitação do município ou do estado seja oficializada.

Veja abaixo a lista dos 30 municípios com a situação de emergência reconhecida:

  1. Araquari
  2. Campo Alegre
  3. Canelinha
  4. Canoinhas
  5. Corupá
  6. Doutor Pedrinho
  7. Garuva
  8. Gaspar
  9. Guaramirim
  10. Itajaí
  11. Itapoá
  12. Jaraguá do Sul
  13. Joinville
  14. Luiz Alves
  15. Mafra
  16. Major Gercino
  17. Massaranduba
  18. Nova Trento
  19. Orleans
  20. Palhoça
  21. Paulo Lopes
  22. Rio dos Cedros
  23. Rio Negrinho
  24. Rodeio
  25. Santo Amaro da Imperatriz
  26. São Bento do Sul
  27. Schroeder
  28. Tijucas
  29. Timbó
  30. Três Barras

Atuação da Defesa Civil Nacional

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) por meio da Defesa Civil Nacional, segue monitorando a situação das fortes chuvas que atingem Santa Catarina. Nesta segunda-feira (5), o ministro Daniel Ferreira, por videoconferência, e o secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, presencialmente, participaram da reunião do Fórum Catarinense para tratar dos danos causados pelas chuvas intensas no estado. O evento contou com a participação do governador do estado, Carlos Moisés.

Como solicitar recursos federais para ações de defesa civil

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistências às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Cadastre-se para receber releases pelo WhatsApp

Para receber mais notícias e ações do MDR, jornalistas e blogueiros interessados podem se cadastrar nos grupos de WhatsApp. Um deles tem enfoque em notícias de abrangência nacional e, nos demais, serão compartilhadas informações exclusivas de cada estado. Clique neste link para acessar os grupos.

Caso deseje receber apenas informações relacionadas à proteção e defesa civil, cadastre-se neste link.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
05/12/2022 13:45h

Taiobeiras utilizará os recursos para a construção de ponte, enquanto Visconde do Rio Branco fará obras de recuperação de telhados

Baixar áudio

Duas cidades de Minas Gerais afetada por desastres naturais vão receber mais de R$ 286 mil para ações de defesa civil. As portarias com as liberações dos recursos foram publicadas na edição desta segunda-feira (5) do Diário Oficial da União (DOU).

O maior repasse – de mais de R$ 218 mil – será para o município de Taiobeiras, afetado por chuvas intensas. Os recursos serão destinados à construção de uma ponte.

Já Visconde do Rio Branco, atingida por queda de granizo, vai contar com mais de R$ 68 mil para o restabelecimento de telhados. A ação vai atender mais de 1,2 mil pessoas.

Como solicitar recursos federais para ações de defesa civil

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistências às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Cadastre-se para receber releases pelo WhatsApp

Para receber mais notícias e ações do MDR, jornalistas e blogueiros interessados podem se cadastrar nos grupos de WhatsApp. Um deles tem enfoque em notícias de abrangência nacional e, nos demais, serão compartilhadas informações exclusivas de cada estado. Clique neste link para acessar os grupos.

Caso deseje receber apenas informações relacionadas à proteção e defesa civil, cadastre-se neste link.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
05/12/2022 13:16h

Estrutura vai ligar as cidades de Campinas do Sul e Ronda Alta e tem potencial de beneficiar cerca de 1,5 milhão de pessoas

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), vai investir cerca de R$ 22,7 milhões na construção da ponte sobre o lago da barragem do Rio Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. As obras começaram no fim da última semana e têm previsão de conclusão em 2024.

A ponte vai ligar os municípios de Campinas do Sul e Ronda Alta e tem potencial de beneficiar direta e indiretamente cerca de 130 cidades, com uma população estimada em 1,5 milhão de habitantes.

A ponte entre os municípios de Campinas do Sul e Ronda Alta é esperada há 50 anos pela população. A estrutura que existia anteriormente ficou submersa com a construção da barragem da Usina Hidrelétrica de Passo Fundo, inaugurada em 1973. O lago existente no local separou duas regiões, deixando-as dependente de uma balsa ou aumentando o tempo do trajeto por via terrestre.

“Esta obra é exemplo de uma iniciativa de desenvolvimento regional. Porque une duas regiões, diminui o custo e o tempo de deslocamento das pessoas para ir a consultas médicas ou para estudar em outras cidades, por exemplo”, apontou o secretário de Fomento e Parcerias com o Setor Privado do MDR, Fernando Diniz, que representou o Governo Federal no evento de início das obras. “Além disso, reduz o custo das empresas que produzem alimentos na região e cria um novo corredor no norte do estado, encurtando distâncias”, ressaltou.

Cadastre-se para receber releases pelo WhatsApp

Para receber mais notícias e ações do MDR, jornalistas e blogueiros interessados podem se cadastrar nos grupos de WhatsApp. Um deles tem enfoque em notícias de abrangência nacional e, nos demais, serão compartilhadas informações exclusivas de cada estado. Clique neste link para acessar os grupos.

Caso deseje receber apenas informações relacionadas à proteção e defesa civil, cadastre-se neste link.

Copiar o texto
Agronegócios
05/12/2022 11:00h

O grande volume de chuvas favoreceu o cultivo de grãos e garantiu mais um mês sem cobranças extras na conta de luz

Baixar áudio

Os impactos das chuvas causadas pelo fenômeno La Niña serão sentidos pelos produtores rurais até o final da colheita da safra 2022/23. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), a irregularidade de chuvas e oscilações de temperatura devem se manter até o verão de 2023. 

 De acordo com dados do Boletim de Monitoramento Agrícola (BMA), divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), as regiões mais afetadas foram a Centro-Oeste sul, Norte e litoral do Nordeste. O bom volume de chuva elevou a umidade do solo aos níveis máximos nessas regiões, assegurando o bom desenvolvimento das lavouras e das pastagens. 

Além do fenômeno La Niña, o Brasil segue sob influência da Zona de Convergência do Atlântico Sul. Essa zona de convergência tem provocado uma faixa no Brasil que abrange o litoral de Santa Catarina, parte de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, maioria da Bahia, Tocantins e parte do Pará. “Essa faixa tem recebido um volume maior de precipitações nos locais onde estão sendo cultivados, estão em desenvolvimento as culturas de primeira safra, principalmente o milho, a soja e o feijão. Essas precipitações têm sido benéficas para o desenvolvimento das culturas", explica a superintendente de Informações da Agropecuária da Conab, Candice Romero Santos. 

As chuvas intensas pelo país também refletiram no aumento dos níveis dos reservatórios e nas condições de geração das usinas hidrelétricas. Segundo o Programa Mensal de Operação (PMO), divulgado pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), os reservatórios do Brasil finalizaram novembro com níveis satisfatórios. O destaque foi na região Sul, atingindo quase 82% de sua capacidade de armazenamento. A projeção é que, em dezembro, o Sudeste esteja com seus níveis acima de 52%. 

Neste mês de dezembro, as contas de luz dos brasileiros terão bandeira tarifária verde, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Isso significa que não haverá cobrança extra nas faturas, devido as boas condições de geração de energia no país. “No período úmido, quando chove muito, a gente espera que os reservatórios das hidrelétricas encham e que se tenha essa energia armazenada, para usar durante ano inteiro _ explica o professor de engenharia elétrica da UnB, Rafael Amaral Shayani.

De acordo com dados levantados pela ANEEL, as usinas hidrelétricas hoje representam hoje 60,835% da potência gerada no Brasil. São 1344 usinas, gerando um total de 105.245.955 kW distribuídos para as cidades brasileiras. 

“Como estamos em meses de chuva, a ANEEL vai esperar quanta chuva vai ter em dezembro, janeiro, fevereiro e março, para realmente ter uma estimativa se está chovendo muito ou chovendo pouco, então num período de chuva, a tendência é que a bandeira seja sempre verde. A questão é: no final do período de chuva, ela vai verificar se os reservatórios das hidrelétricas encherão o suficiente ou não para só assim mudar bandeira tarifária", analisa o professor.

A  atual bandeira tarifária passou a ser verde para todos os consumidores brasileiros em 16 de abril deste ano, quando terminou a vigência da bandeira de escassez hídrica, instituída de forma emergencial por conta do baixo nível dos reservatórios das usinas hidrelétricas e da necessidade de acionamento de termoelétricas.
 

Copiar o texto
Brasil 61