Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Trabalho

25/02/2021 00:00h

Selecionados recebem remuneração e possuem os mesmos direitos trabalhistas e previdenciários que os demais empregados da Mineração Rio Norte

Baixar áudioBaixar áudio

Jovens paraenses podem dar os primeiros passos no mercado de trabalho dentro da maior produtora de bauxita do Brasil – a Mineração Rio Norte (MRN). O Programa Jovem Aprendiz, em parceria com o Senai-PA, oferece formação técnica e profissional, no distrito de Porto Trombetas, município de Oriximiná (PA). 

O objetivo do programa é disponibilizar aos jovens da região a primeira experiência profissional, proporcionando uma formação de qualidade, com atividades práticas dentro da empresa e formação teórica nas instalações do Senai. O diretor de operações do Sesi/Senai, Raphael Barbosa, explica quem pode participar.

“Podem participar adolescentes e jovens de 14 a 24 anos. Ele deve estar estudando o nono ano do ensino fundamental, ou já ter concluído o ensino médio, ou estar matriculado em um programa de educação de jovens adultos”.

MS: IEL oferece cursos de estágio em Ribas do Rio Pardo

Empresas que fornecem bens e serviços ao governo terão acesso a empréstimo facilitado

Startups que tiveram apoio do Sistema Fiep receberão investimentos da Petrobras

Oportunidades

Neste novo ciclo do programa, as vagas na MRN foram ofertadas para cursos de eletricistas de manutenção industrial e operador de manutenção de máquinas industriais e terão duração de um ano, com aulas de quatro horas diárias, começando em fevereiro. As oportunidades foram disponibilizadas para 18 comunidades vizinhas à empresa em Porto Trombetas (PA).

Arte - Brasil 61

O jovem Helber de Oliveira Carvalho, 21 anos, é um dos participantes do Programa Jovem Aprendiz. Ele esclarece como a experiência o tem preparado para o mercado de trabalho. 

“Eu aprendi diversas coisas no programa, coisas que não somos ensinados desde pequeno, como tributação de impostos, o funcionamento de um ambiente administrativo, corporativo, de uma empresa grande”. Para ele, um dos benefícios do programa é o conhecimento teórico aliado à prática profissional.

Todo o processo seletivo é realizado pela empresa contratante e não gera nenhum tipo de custo para o jovem. Uma vez aprovado, o estudante será matriculado como aluno regular do Senai e assinará um contrato especial com a empresa, pelo tempo médio de dois anos, com carteira assinada. O diretor de operações Raphael Barbosa aponta os direitos dos jovens aprendizes.

“Ele recebe uma remuneração ao longo desse período de dois anos. E eles têm os mesmos direitos trabalhistas e previdenciários dos demais empregados: férias, décimo terceiro salário, vale-transporte e é feito também o recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço”, afirma.

Segundo Raphael Barbosa, a remuneração do Jovem Aprendiz é calculada com base no valor da hora do atual salário-mínimo que, segundo a Medida Provisória n° 1.021 de 2020, é de R$ 5. Portanto, dependendo do setor em que o jovem for selecionado, a remuneração mensal pode ser maior que R$ 1.100.

O diretor de operações Raphael Barbosa ressalta que o Programa Jovem Aprendiz do Senai incentiva candidaturas de pessoas com deficiência.

“É um programa que busca ter a inclusão de pessoas com deficiência; para esse público não há limite de idade. E para os jovens com deficiência intelectual, não há exigência de escolaridade. A empresa vai considerar as habilidades relacionadas com a profissão”, ressalta.

Contrate-me

Os jovens interessados em se posicionarem no mercado de trabalho também podem acessar a plataforma Contrate-me do Senai, como recomenda o diretor de operações do Sesi/Senai, Raphael Barbosa.

“É uma plataforma de emprego, onde são feitas entrevistas online e análises do perfil desse jovem. Depois de identificadas as características socioemocionais do candidato, essas informações são repassadas aos empresários, que poderão contratar o aprendiz, nesse novo formato. É uma espécie de entrevista prévia”, comenta.

Interessados podem se cadastrar pelo link

Copiar o texto
23/02/2021 00:00h

Saldo positivo é de 6.886 ofertas de trabalho. Em 2019, foram apenas 563

Baixar áudio

Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, setor industrial do Mato Grosso do Sul teve um bom desempenho em 2020 e fechou o ano com saldo positivo de 6.886 vagas de emprego – quase metade (49%) de todas as ofertas de trabalho no estado. Segundo levantamento realizado pelo Radar Industrial da Federação das Indústrias do Estado (Fiems), foram contabilizadas 60.560 contratações e 53.674 demissões. 

Na comparação com 2019, o crescimento foi de impressionantes 1.123%, quando foram gerados apenas 563 novos postos de trabalho. Com o desempenho de 2020, a atividade industrial corresponde hoje a 19,5% de todo o emprego formal do Mato Grosso do Sul, atrás dos setores de serviço (29,2%), administração pública (21,4%) e comércio (19,9%).

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisa da Fiems, Ezequiel Resende, destaca o segmento da indústria com a maior abertura de vagas de emprego em 2020.

“Destaque especial para atividade do segmento frigorífico, que respondeu por seis em cada dez novas vagas criadas pela indústria, no ano 2020, se destacando, o abate de suínos e aves. Outras atividades industriais que também contribuíram para esse desempenho, a gente pode citar a fabricação de celulose, fabricação de óleos vegetais e açúcar”, destaca.

Arte - Brasil 61

Em 2020, o Frigorífico Naturafrig Alimentos passou por um processo de aprimoramento da industrialização das carnes, que passaram a ser vendidas sem ossos. Segundo o dono da empresa Sérgio Capuci, o procedimento demandou mais mão de obra. Além disso, a própria pandemia da Covid-19 exigiu a contratação de funcionários.

“No caso da Covid-19, você tem de ter um pouco mais de funcionário, porque quando algum colaborador é contaminado, você tem que afastar todo o setor dele. Então, no meio de 800 funcionários, sempre tem um ou outro que apresenta teste positivo”, explica.

MS: Índice de Desempenho Industrial atinge maior patamar para o mês de dezembro, aponta Fiems

Três Lagoas é a melhor cidade para se fazer negócios na indústria no estado de Mato Grosso do Sul, aponta estudo

Reforma Tributária pode gerar até 300 mil empregos por ano e tornar oneração da indústria mais justa

No fechamento do ano de 2020, o setor da indústria sul-mato-grossense registrou o maior contingente de trabalhadores formalmente empregados dos últimos seis anos, com 132.186 funcionários. Esse é o terceiro ano consecutivo com abertura de vagas, o que indica recuperação das atividades industriais. Em 2019, o ano fechou com 125.300 trabalhadores.

O economista da Fiems, Ezequiel Resende, aponta o motivo para o bom desempenho da indústria no estado.

“Para esse bom resultado, a gente tem que citar uma melhora da demanda interna por produtos alimentícios, reforçada com bastante peso pela transferência de renda, que a gente observou no último ano, e pelo aumento das exportações, especialmente das carnes, dos óleos vegetais e do açúcar”, explica.

Em relação aos municípios, 59 cidades tiveram saldo positivo de contrações entre janeiro e dezembro de 2020. Entre os municípios com saldo positivo de pelo menos 140 vagas, destacam-se Dourados (+1.702), São Gabriel do Oeste (+625), Três Lagoas (+519), Sidrolândia (+514), Bataguassu (+396), Naviraí (+352), Itaquiraí (+339), Campo Grande (+282), Caarapó (+260), Angélica (+237), Água Clara (+211), Fátima do Sul (+193), Brasilândia (+175), Eldorado (+155) e Selvíria (+154).

Copiar o texto
Brasil
22/02/2021 10:40h

Interessados em uma oportunidade no mercado de trabalho têm até sexta-feira (26) para se candidatar às vagas

Baixar áudio

O Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE) oferta, já a partir desta segunda-feira (22), mais de 12 mil vagas de estágio e aprendizagem. O evento, conhecido como  Maratona de Vagas, vai ocorrer de modo virtual. Interessados em uma vaga no mercado de trabalho podem conferir as oportunidades pela internet até a próxima sexta-feira (26). 
 
Segundo o superintendente nacional de Atendimento do CIEE, Luiz Gustavo Coppola, o início do ano costuma ser o período com mais opções para os jovens encontrarem vagas. Isso ocorre porque as empresas abrem mais espaço para jovens no primeiro semestre. 

MS: IEL oferece cursos de estágio em Ribas do Rio Pardo

Caminho da Escola e Pnate beneficiaram mais de 4,3 milhões de estudantes da educação básica em 2020

Copiar o texto
22/02/2021 00:00h

Por causa da Covid-19, a versão digital teve um aumento expressivo de novos usuários, acessos e downloads desde o ano passado

Baixar áudio

Mais de 303 milhões de pessoas já acessaram a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) Digital desde o lançamento em janeiro de 2019. Fruto de uma iniciativa da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia, com a parceria tecnológica da Empresa de Tecnologia e Informações da Previdência (Dataprev), a CTPS Digital evita que o cidadão tenha que ir presencialmente retirar o documento.

Por causa da Covid-19, a versão digital teve um aumento expressivo de novos usuários, acessos e downloads desde o ano passado. Apenas em 2020 foram mais de 270 milhões de acessos. O documento pode ser acessado ou baixado pelo aplicativo. Está disponível nas versões Android e IOS e é gratuito. Já foram mais de 24,2 milhões de downloads.

Receita Federal unifica sistema de envio de alvarás e do habite-se

Projeto vai estimular o uso de tecnologia na fruticultura do Nordeste

A ferramenta usa as informações das bases de dados federais. Por isso, é fundamental que o empregador esteja em dia com o registro de informações trabalhistas no e-Social para que o trabalhador possa usufruir bem da ferramenta. Se os dados não estiverem atualizados, é preciso solicitar que a empresa empregadora envie as informações mais recentes para as bases federais.

Copiar o texto
13/02/2021 00:00h

As inscrições estão abertas e as aulas começam no dia 22 deste mês

Baixar áudio

Estão abertas as inscrições para as primeiras turmas de 2021 dos cursos profissionalizantes oferecidos pela prefeitura de Uberlândia. As aulas começam no dia 22 de fevereiro nos cinco Centros de Referência Profissionalizante (Morumbi, Lagoinha, Planalto, Campo Alegre e Luizote de Freitas) e na Estação da Juventude.

Reforma Tributária pode mudar divisão de recursos aos municípios

Previsão da inflação de 2021 aumenta de 3,53% para 3,60% e dólar se mantém em R$ 5,01

Serão oferecidos 15 cursos: informática profissional, pizzaiolo, maquiagem, modelagem, mecânica de auto center, preparo de salgados, design de sobrancelhas, secretariado executivo, preparo de bolos e tortas, corte e costura, alongamento de cílios, webdesigner, logística, mecânica automotiva e injeção eletrônica.

Para se inscrever, basta ir até um dos Centros Profissionalizantes e apresentar documento de identidade com foto e CPF originais e comprovantes de endereço e de renda familiar. Para realizar os cursos é preciso ter idade mínima de 16 anos, nível de escolaridade compatível com a especificidade de cada curso e renda familiar também de, no máximo, três salários-mínimos. Vale destacar que, por conta da pandemia da Covid-19, as turmas serão preenchidas com metade da capacidade habitual e seguirão todas as medidas sanitárias de saúde.

Copiar o texto
Economia
09/02/2021 17:45h

Os valores disponibilizados ao abono salarial, em fevereiro, são da ordem de R$ 7,33 bilhões

Baixar áudio

A data para pagamento do abono salarial foi antecipada. De acordo com Resolução publicada pelo Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat), o saque do abono, que antes estava previsto para março, poderá ser efetuado a partir de 9 e 11 de fevereiro de 2021.

Com a decisão, estarão autorizados aos saques do abono salarial do Programa Integração Social (PIS), na Caixa Econômica Federal, os trabalhadores com data de nascimento nos meses de março e abril, e os com data de nascimento nos meses de maio de junho. 

Já no caso do abono salarial do Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), operado pelo Banco do Brasil, estão autorizados os trabalhadores com final de inscrição 6 e 7 e os com final de inscrição 8 e 9.

CNM se inspira em práticas japonesas para revitalização urbana e preservação ambiental

Embrapa lança biopesticida que não traz prejuízos ao meio ambiente

Os valores disponibilizados ao abono salarial, em fevereiro, são da ordem de R$ 7,33 bilhões, enquanto o conjunto de trabalhadores amparados pela antecipação do saque é da ordem de 8,6 milhões, sendo 7,5 milhões pagos pela Caixa Econômica Federal e 1,1 milhão pelo Banco do Brasil.

 

Copiar o texto
08/02/2021 00:00h

ursos técnicos se destacam pela rapidez, preço e direcionamento prático, facilitando acesso ao mercado de trabalho

Baixar áudio

Cerca de 56% dos empresários industriais mineiros planejam fazer novas contratações em 2021. Os dados são da Deloitte Brasil e mostram que o setor industrial se prepara para crescer após a crise econômica causada pela pandemia da Covid-19. No entanto, boa parte das empresas costuma reclamar da falta de mão de obra qualificada para preencher as vagas.
 
Levantamento divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) no ano passado aponta que 50% das indústrias brasileiras têm dificuldade para encontrar trabalhadores qualificados. O setor de biocombustíveis, segundo a pesquisa, é o que mais enfrenta esse problema, em que o percentual chega a 70%. 
 
Nessa hora, os cursos técnicos são fundamentais para qualificação de quem deseja se colocar no mercado de trabalho. Christiano Leal, diretor do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) em Minas Gerais, destaca que essa pode ser a diferença entre a contratação e a rejeição pelo empregador. 
 
“É importante a gente falar que neste biênio 2021/2022 nós teremos um cenário de retomada da economia, onde as indústrias vão precisar trabalhar fortemente em suas linhas de produção com baixo desperdício e grande capacidade de adaptação, os profissionais qualificados com formação técnica vão se apresentar como um grande diferencial, porque eles já vão chegar prontos na indústria”, acredita.
 
Ele elenca que a formação técnica se destaca em relação à superior por três motivos: é mais rápida, barata e focada no aprendizado prático. No entanto, ele afirma que uma não inviabiliza a outra, pelo contrário, podem se complementar. “É muito comum que um aluno que vislumbre Engenharia, por exemplo, faça um curso técnico primeiro, antes da graduação e a via contrária também é real. Nós temos recebido muitos alunos de Engenharia, que vêm ao curso técnico para adquirir uma vivência maior na questão do conhecimento prático.” 

Em seminário virtual, setor industrial e parlamentares debatem Agenda Legislativa de 2021

Número de empresas abertas no País aumentou 6%

Qualificação

Julia Mendonça Pires, 15 anos, está no 2º ano do Ensino Médio da Escola Sesi Hamleto Magnavacca, em Belo Horizonte, e cursa automação industrial em uma unidade do Senai, na cidade de Contagem. A estudante conta que aproveitou a pandemia para adquirir conhecimento e se qualificar para o mercado de trabalho. 
 
Ciente de que as empresas estão sedentas por profissionais qualificados, ela acredita que o curso técnico vai lhe dar muita vantagem na corrida por um emprego, tão logo acabe de cursar automação. “Minhas expectativas estão totalmente altas, ainda mais analisando histórias de outras pessoas que fizeram cursos no Senai e tiveram uma produtividade muito elevada no contexto de empregos”, conta.
 
Para ela, além de preparar profissionais mais especializados, os cursos técnicos trazem outros benefícios para os estudantes, o que a faz recomendar esse tipo de formação. “Se tiver uma oportunidade de fazer um curso técnico, faça, porque aumenta muito a chance e mesmo que o emprego não seja 100% garantido, você vai aprender até a procurar o seu espaço, direcionar o currículo”, cita.

Vagas

O Senai de Minas Gerais está com inscrições abertas para mais de 5 mil vagas em cursos em vários municípios do estado. As matrículas para as turmas do primeiro semestre vão até o dia 26 de fevereiro. Então, corre, e garanta a sua vaga! Os cursos duram um ano e meio. A única exigência é que os interessados devem ter concluído o Ensino Médio ou a Educação de Jovens e Adultos (EJA).
 
Não há prova de seleção. A classificação depende do limite de vagas. O edital com a lista completa de cursos, vagas e valores das mensalidades para cada município estão disponíveis no site senaimg.com.br. 

Copiar o texto
08/02/2021 00:00h

Pesquisa do Ipea também mostrou que as mulheres são maioria no trabalho remoto

Baixar áudio

Estudo do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) aponta para uma redução no total de trabalhadores que fazem home office no Brasil. Segundo o levantamento, em novembro de 2020, 7,3 milhões de pessoas trabalhavam em casa, o que representa uma diminuição de cerca de 260 mil em comparação a outubro.

O trabalho remoto alcançou, em novembro, 9,1% do total de pessoas ocupadas e não afastadas, ante 9,6% em outubro. Foi o terceiro mês consecutivo com redução de pessoas atuando em home office.

Entre os trabalhadores que tiveram que abandonar o home office está a servidora pública Thais Barbosa de Farias, moradora de Brasília, que afirma que diversos procedimentos em seu trabalho foram simplificados com o advento da pandemia. Após 8 meses trabalhando em casa, ela lamenta ter tido que voltar a trabalhar presencialmente. 

“Com o home office, muitos procedimentos foram desburocratizados e o meu trabalho dá para ser feito quase em sua totalidade de casa, onde eu consigo desenvolvê-lo muito bem”, afirma. 

Mudança na CLT propõe mesma regra do presencial para home office

Por outro lado, o jornalista Victor Henrique, 22 anos, morador de Valparaíso (GO), prefere trabalhar presencialmente. Ele chegou a fazer home office, modalidade que, segundo ele, o exigia mais horas de trabalho. “Em casa, se produz muito mais, porém, você fica mais tempo trabalhando.”

Rendimentos

Entre outros pontos, a pesquisa constatou que os trabalhadores em home office contribuíram com 17,4% da massa total de rendimentos efetivamente gerados em novembro. O estudo apontou ainda o perfil predominante das pessoas que trabalham de forma remota.

Em novembro, do total de pessoas em home office 84,8% encontrava-se no setor formal, 57,8% eram mulheres, 76 % das pessoas possuíam ensino superior completo e 31,8% estavam na faixa etária entre 30 e 39 anos.

Outro estudo, esse feito pela consultoria em recursos humanos Soluções em Remuneração (SAP) com apoio da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt), também trouxe diferentes recortes sobre o home office no Brasil. De acordo com o levantamento, 72% das empresas pesquisas pretendem continuar com o trabalho remoto. 

Empresas dos segmentos de tecnologia da informação (TI), químico e papel e celulose são as que mais aderiram à prática. Luis Otávio Camargo Pinto, presidente da Sociedade Brasileira de Teletrabalho e Teleatividades (Sobratt), acredita que a tendência do mercado de trabalho é de que empresas comecem a adotar mais o sistema híbrido. 

“Muitas empresas, segundo pesquisas recentes, passarão a adotar o trabalho híbrido, ainda que o home office esteja presente em apenas um dia da semana”, afirma. 

Regiões

O estudo do Ipea concluiu que a região Sudeste (58,3%) é a que possui a maior concentração de pessoas em home office, seguida pelo Nordeste (16,1%), Sul (14,7%), Centro-Oeste (7,6%) e Norte (3,3%). 
 

Copiar o texto
Economia
04/02/2021 17:45h

O objetivo da proposta é simplificar e adequar os atuais normativos

Baixar áudio

Vai até o dia 18 de fevereiro o prazo para o envio de sugestões para a elaboração das propostas, decreto e de portarias que consolidarão a legislação trabalhista infralegal, informa a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho, do Ministério da Economia. 

O objetivo da proposta é simplificar e adequar os atuais normativos que tratam de procedimentos, programas e condições de segurança e saúde no trabalho, além de disposições relativas à legislação trabalhista, inspeção do trabalho, políticas públicas e relações de trabalho. 

Brasil fecha 2020 com geração de 142 mil empregos formais, aponta Caged

O governo afirma que a iniciativa faz parte do esforço de desburocratização da máquina pública, que começou em 2019. 

Copiar o texto
29/01/2021 10:50h

A retomada dos trabalhos será feita em sessão híbrida, ou seja, virtual e presencial

Baixar áudio

Na próxima segunda-feira (1º), às 10h, será realizada a abertura do Ano Judiciário de 2021 no Supremo Tribunal Federal (STF). A retomada dos trabalhos será feita em sessão híbrida, ou seja, virtual e presencial. Apenas as autoridades da Mesa de Honra e ministros do STF estarão presentes no plenário. Outras autoridades, assim como jornalistas e demais interessados poderão acompanhar ao vivo pela TV Justiça, pela Rádio Justiça e pelo canal do STF no YouTube.

Municípios receberão mais de R$ 3 bilhões de reais nesta sexta-feira (29)

Eleições para presidência da Câmara e do Senado movimentam cenário político brasileiro; especialista explica atribuição dos presidentes do Legislativo

Por conta disso, o ambiente foi preparado para respeitar as recomendações do Ministério da Saúde e da Organização Mundial da Saúde e evitar a disseminação da Covid-19. Além disso, no plenário serão adotadas, entre outras, as seguintes medidas sanitárias: higienização do ambiente, uso de máscaras, aferição de temperatura, manutenção de distanciamento social, divisórias de acrílico transparente para criação de espaços individuais nas bancadas, disponibilização de álcool em gel no acesso ao plenário e em todas as posições da mesa.

Copiar o texto