SENAI

23/01/2023 04:00h

São 4.300 vagas para os cursos presenciais e semipresenciais e 2.045 para cursos na modalidade EAD

Baixar áudio

Para quem busca crescimento profissional, o Serviço Nacional da Indústria (SENAI) de Santa Catarina traz diferentes ofertas para cursos técnicos gratuitos. São 6.345 mil vagas para melhorar o currículo profissional e, até mesmo, garantir novas chances de emprego. As inscrições para o Processo Seletivo 2023/1 ocorrem até 04 de março, sendo que o processo de seleção é por ordem de matrícula. As aulas iniciam no dia 05 de março.

São mais de 35 opções de formação técnica disponíveis em todas as 50 unidades espalhadas no estado. As principais ofertas de cursos técnicos estão nas áreas de automação e mecatrônica automotiva, construção civil, eletroeletrônica, gestão, logística, madeira e mobiliário, metalmecânica, segurança do trabalho, tecnologia da informação, têxtil e vestuário.  

Para a Gerente Executiva Educação do SENAI-SC, Adriana Cassol, os cursos técnicos visam preparar o estudante para o exercício de uma profissão. “Os cursos proporcionam o desenvolvimento de competências referente a uma ocupação técnica reconhecida pelo mercado de trabalho. Eles estão regulados e em consonância com o catálogo nacional de cursos técnicos publicados pelo MEC e pelo itinerário nacional do Senai, e têm duração de 1 a 2 anos”, explica.

As matrículas podem ser realizadas presencialmente nas unidades, pelo site cursos.sesisenai.org.br ou pelo telefone 0800 04812 12.  O único pré-requisito para poder se matricular no curso é que o aluno esteja regularmente matriculado e frequentando a segunda série do ensino médio ou ter concluído já o ensino médio.

Para confirmar a matrícula, o estudante ou responsável legal deve apresentar alguns documentos, como comprovante de matrícula do segundo ano do ensino médio ou certificado de conclusão.

Para quem já concluiu o ensino médio:  identidade, CPF, comprovante de residência. Se tiver alguma deficiência ou laudo médico, também deve apresentar. Se o aluno for menor de idade, o responsável legal deve apresentar o RG, CPF,” explica Adriana Cassol.

Os Cursos Técnicos do SENAI-SC possuem uma das maiores empregabilidades do país: 9 em cada 10 ex-alunos estão empregados. Além de uma metodologia mão na massa, o Senai possui infraestrutura compatível com as melhores indústrias brasileiras, docentes especialistas em áreas industriais e itinerários formativos com o DNA da indústria.
 

Copiar o texto
20/01/2023 03:45h

Inscrições do processo seletivo podem ser realizadas até 6 de fevereiro

Baixar áudio

Para atender às necessidades dos jovens que buscam o primeiro emprego ou de trabalhadores que desejam mudar de posição em seu emprego, o SENAI-RJ disponibiliza 25 cursos técnicos para o primeiro semestre de 2023. Serão oferecidas 2.680 vagas, distribuídas entre as 22 unidades de todo o estado do Rio. As inscrições podem ser realizadas até o dia 6 de fevereiro, data que marca o início das aulas. 

Para a analista de educação do Senai-RJ, Alessandra Matos da Silva, investir na formação profissional constante e estar atento às demandas do mercado são competências essenciais para todos que desejam ingressar no mundo do trabalho ou para quem deseja alavancar a carreira. “Fazendo uma busca em sites de recrutamento e seleção, vemos que a formação é um pré-requisito que mais define a chance de ser ou não escolhido para uma vaga. Então, fazer um curso técnico, por exemplo, pode colocar o candidato em vantagem nessa corrida pela oportunidade certa”, aponta. 

Os cursos técnicos são disponibilizados em duas modalidades: os de Ensino a Distância (EAD) ou semipresenciais. Os cursos possuem uma carga horária realizada 80% à distância e são ofertados em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), com um sistema de tutoria. Os outros 20% do curso são feitos de forma presencial em uma unidade da Firjan SENAI, com interação junto ao instrutor. 

Já os cursos híbridos mesclam as experiências com os instrutores com as aulas virtuais (60%) e presenciais (40%). São três dias por semana com encontros em formato on-line e dois dias por semana com aulas presenciais na unidade. 

Segundo Alessandra Matos, os cursos técnicos do Senai, por terem formações de média duração, “ampliam a oportunidade competitiva unindo teoria e prática, qualificando o profissional a atuar com autonomia na área formativa.” 

O ex-aluno do Senai de São Gonçalo, Wanderson Damasceno, investiu em dois cursos técnicos simultaneamente: Técnico em Automação Industrial e Técnico em Tecnologia da Informação. Hoje, é auxiliar técnico da unidade Senai de São Gonçalo, município situado a 25 km da capital. Para Wanderson, os cursos técnicos foram essenciais para garantir conhecimento e confiança na hora de buscar uma vaga de emprego. 

“Conhecimento técnico te dá bastante confiança no que está fazendo. Ter um curso onde ele se aprofunda bem nos temas que são muito pedidos pelo mercado, quando você precisar deles, em algum contexto da sua vida, você tem essa confiança em saber usar. Tem muitos trampolins para você se projetar para o mundo. O Senai dá várias oportunidades para você, eles te dão uma plataforma para alcançar diversas coisas”, explica. 

O Senai-RJ faz parte de uma das cinco maiores instituições de educação profissional da América Latina, com reconhecimento nacional e internacional. A instituição está presente em todos os estados da federação e tem uma taxa de empregabilidade maior que 80% dos alunos que realizam cursos na instituição.
 

Copiar o texto
20/01/2023 03:30h

Cursos têm início imediato e estão disponíveis nas modalidades presencial ou EAD

Baixar áudio

Neste início de 2023, o Senai Goiás está com diversas modalidades e vagas abertas no campo da profissionalização. Há, até o momento, cerca de 4.000 vagas para processos seletivos, com foco em preparar e qualificar os profissionais para o mercado de trabalho. 

Segundo o Diretor de Educação e Tecnologia do SESI/Senai-GO, Claudemir José Barreto, existem, por exemplo, vagas para cursos de aprendizagem industrial. “São aqueles cursos totalmente gratuitos para os jovens a partir de 14 anos de idade, com duração entre 400 e 800 horas e que têm como objetivo atender as demandas de contratação de aprendizes nas indústrias de Goiás. Também temos vagas e processo em aberto para os programas de habilitação técnica”, explica. 

As inscrições dos cursos gratuitos SENAI podem ser feitas por meio da página oficial do site da instituição e as aulas têm início imediato. Os cursos estão disponíveis em algumas modalidades, sendo elas: ensino presencial e ensino a distância. 

Segundo o diretor, as vagas são ofertadas em todas as unidades espalhadas pelo estado, nas mais diversas áreas e competências demandadas pela indústria. “Há vagas no setor de alimentos, na indústria metal mecânica, indústria de manutenção, as indústrias que trabalham com grandes obras e precisam de profissionais na área da direção, da operação de máquinas, de equipamentos. 

Programas na área da automação industrial, da elétrica, da mecânica, ou seja, diversas áreas de competência que estão alinhadas às demandas e às necessidades da indústria”, exemplifica Barreto.  

Para participar do processo seletivo do SENAI é necessário estar de acordo com algumas regras: ter renda familiar de até dois salários mínimos vigentes; e não ter utilizado outra bolsa de estudos do SENAI.
 

Copiar o texto
19/01/2023 03:00h

Os cursos têm uma carga horária de 360 horas, com previsão de início em 1º de março. Os interessados podem fazer as inscrições no site SENAI - FIEMG até 19 de fevereiro

Baixar áudio

O SENAI de Minas Gerais abre inscrições para especialização técnica de Nível Médio. Os cursos, que têm início em 1º de março, vão abordar demandas sobre processo de transformação da Indústria 4.0. As oportunidades são para diferentes áreas e os interessados podem se inscrever no site do SENAI - FIEMG (https://www7.fiemg.com.br/senai/produto/especializacao-tecnica) até 19 de fevereiro.

As atividades são voltadas para as áreas de sistemas robotizados, sistemas fotovoltaicos, instrumentação e controle de processos industriais, desenvolvimento de produtos automotivos, indústria 4.0 - esta especialização com inscrições a partir do segundo semestre deste ano e internet das coisas – IoT. Os cursos têm uma carga horária de 360 horas.

Senai-SP: estão abertas inscrições para formação inicial e continuada

Senai-MA prorroga prazo de inscrições para cursos técnicos

Os cursos serão ministrados no turno da noite, nas unidades do SENAI na capital Belo Horizonte, no Bairro Horto; Contagem, no Centro de Desenvolvimento da Indústria 4.0, e nas sedes da instituições nas cidades de Divinópolis, Juiz de Fora, Ipatinga, Itabira, Itajubá, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba e Uberlândia.

Responsável pela área de automação industrial do SENAI de Minas Gerais, Caio César de Oliveira Nascimento destaca que os cursos de capacitação do SENAI, por tradição, têm uma filosofia de atender a indústria como um todo, trabalhando a sinergia entre si com o objetivo de promover o crescimento dos alunos dentro de sua área de atuação. 

“O SENAI visa não apenas favorecer um setor específico. A proposta não é atacar um ou outro setor, a proposta do SENAI é ser auxílio de formação para indústria brasileira como um todo”, destaca o dirigente do SENAI Minas Gerais. “Dentro do setor industrial se tem uma mistura, sinergia de várias áreas e isso é repassado para os alunos no nosso dia a dia. Os alunos não saem apenas com a formação técnica, mas para ter capacidade de gestão, planejamento, algumas atividades que o próprio SENAI promove possibilita que os alunos de um determinado curso tenham contatos com áreas de conhecimentos diferentes do curso dele”, esclarece. 

Rafael Viriato Dias é aluno do Curso Técnico em Modelagem do Vestuário no SENAI Horto de Belo Horizonte. Para o estudante, que aprenderá técnicas para criar moldes digitais de roupas e demais peças de vestuário, a relevância dos cursos profissionalizantes oferecidos pela instituição Brasil afora é determinante para fomentar a mão de obra industrial. 

“Vejo tanto nas nossas aulas práticas, quanto nas aulas teóricas e mesmo nas falas dos professores dentro de sala de aula, que nossa formação é toda baseada em nos preparar, nos profissionalizar para indústria, para que a gente possa ser inserido no mercado industrial do nosso país”, conta. “Uma coisa muito interessante também é que o SENAI, juntamente com a FIEMG, fazem um estudo de quais são as profissões que estão em falta dentro do mercado, para que ele possa direcionar os cursos que vão ser ofertados justamente para poder suprir e capacitar os jovens e adultos do nosso país”, elogia. 
 

Copiar o texto
16/01/2023 19:55h

Inscrições podem ser realizadas até o dia 20 de janeiro; Aulas iniciam no dia 6 de fevereiro

Baixar áudio

Com o intuito de desenvolver competências profissionais de jovens e adultos em diversas atividades do setor produtivo, o Serviço Nacional da Indústria (Senai), em Pernambuco, abriu uma seleção para 14 cursos técnicos gratuitos de qualificação profissional. São oferecidas 758 vagas e as inscrições podem ser realizadas até 20 de janeiro, pela internet. 

Para o coordenador do Senai-PE, Antônio Augusto de Medeiros, os cursos têm como objetivo suprir demanda por mão-de-obra qualificada e certificada. “Essa formação visa atender as necessidades do setor produtivo e apoiar a nova revolução industrial, hoje chamada de indústria 4.0”, diz. 

O resultado dos aprovados vai ser divulgado no dia 23 de janeiro. Antonio destaca alguns cursos ofertados: “Curso na área de eletrotécnica, que visa formar profissionais para instalar, manter e projetar sistemas elétricos prediais, industriais e de potência; técnico em automação industrial, para formar profissionais para implementar equipamentos e dispositivos; e técnico de manutenção automotiva, para atuar em processos de manutenção eletromecânica e de sistema estrutural”, explica. 

Entre 24 e 26 de janeiro, os candidatos aprovados deverão realizar as matrículas, presencialmente, nas escolas indicadas no ato de inscrição. As atividades começam no dia 6 de fevereiro. Serão ministradas aulas nos formatos presencial e a distância. 

Segundo Antônio Medeiros, o Senai e a Fiep buscam estar em constante sintonia com o mercado e as indústrias locais para atender as demandas de cada setor e as necessidades de cada área.  “São dessas áreas demandadas pela própria indústria local que adequamos nossos itinerários para disponibilizar os cursos e, assim, formar profissionais com grande potencial de empregabilidade”, explica.

Para participar do processo seletivo, o candidato deve preencher os seguintes requisitos: ser de baixa renda; ter concluído o Ensino Médio; e ter obtido média superior a 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio de 2018, 2019, 2020 ou 2021. O preenchimento das vagas será feito a partir da ordem de classificação geral dos concorrentes, considerando a média obtida na prova do ENEM. 

Documentos necessários para matrícula

  • Certificado de conclusão do Ensino Médio (ou equivalente);
  • Histórico escolar ou documento da escola;
  • Documento de identificação pessoal (RG, CNH, Passaporte ou CTPS); CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Também será preciso entregar a autodeclaração da condição de baixa renda e o comprovante com as notas do ENEM;
Copiar o texto
16/01/2023 19:45h

Entre as oportunidades estão formações na área de alimentos e bebidas, gestão, automação, construção civil, eletroeletrônica e TI. Há cursos na modalidade presencial e a distância.

Baixar áudio

O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) de São Paulo está com inscrições abertas para diversos cursos no programa de Formação Inicial e Continuada (FIC). Entre as oportunidades oferecidas estão formações na área de alimentos e bebidas, gestão, automação, construção civil, eletroeletrônica, TI, entre outras. A maioria dos cursos ofertados são na modalidade presencial, mas também há formações com aulas a distância.

O supervisor de tecnologias educacionais do Senai-SP, Breno Ortiz, afirma que a educação profissional é necessária para suprir a demanda do mercado de trabalho. Ortiz ainda ressalta que, por meio da educação profissional, o acesso ao mercado de trabalho se dá de forma mais rápida e qualificada.

“O Senai-SP valoriza muito a educação profissional para o primeiro emprego dirigido a jovens. Privilegia também a qualificação de adultos que buscam um diferencial de qualidade para progredir na carreira. Também incorpora fortemente o conceito de educação durante toda a vida, oferecendo modalidades de formação continuada para profissionais já atuantes”, diz o supervisor de tecnologias educacionais do Senai-SP.

Breno Ortiz ainda explica que os cursos oferecidos são selecionados a partir da real necessidade do mercado de trabalho, além de oferecer formações que interagem teoria e prática, o que permite o desenvolvimento de resolução de problemas reais e competências técnicas para o estudante.

“O mundo, como sabemos, está mudando muito rápido, evoluindo cada vez mais rápido, e as necessidades da indústria seguem o mesmo ritmo. Por isso, nossos cursos são criados e ofertados considerando essas demandas. Para isso, fazemos uso intensivo da nossa área de inteligência de mercado, que desenvolve estudos e análises para uma rápida tomada de decisão”, pontua Ortiz.

Inscrições

Para realizar a inscrição é necessário acessar o site do Senai-SP, escolher o curso desejado e preencher um formulário. É preciso ficar atento aos prazos de cada curso, pois alguns já iniciam as aulas nesta semana, além de conferir os pré-requisitos de cada formação. Há cursos gratuitos e pagos com vagas disponíveis.

Copiar o texto
16/01/2023 19:15h

Os cursos são totalmente on-line, com até 60 horas de duração e estão com 22% de desconto

Baixar áudio

Pensando em quem procura um curso de aperfeiçoamento curto e de qualidade, a preços acessíveis e que possam ser concluídos a qualquer hora ou lugar, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) está ofertando 10 cursos on-line nas áreas de tecnologia e cibercultura.

Segundo o gerente de Educação Profissional e Superior do SENAI, Mateus Simões, o objetivo dos cursos de verão é criar condições diferenciadas em áreas que as empresas buscam profissionais neste início de ano. “São cursos rápidos, de 20 a 60 horas, totalmente online, onde o aluno consegue concluir durante o verão para já buscar as oportunidades de emprego ainda no início do ano”, explica.

Na maioria dos cursos, o único pré-requisito dos cursos é ter apenas ensino fundamental, em alguns casos, o ensino médio completo é necessário. Para os cursos da área de cibersegurança, é importante que o aluno já tenha algum pequeno conhecimento na área de TI, uma vez que o curso é para ser curto e objetivo.

Para garantir uma vaga, é muito simples. Basta acessar o marketplace pelo site futuro ponto digital, escolher o curso que mais se adequa ao perfil e começar a estudar. 

Para Mateus Simões, se qualificar é fundamental para conseguir uma oportunidade de trabalho. “As oportunidades existem, as vagas existem, porém, é importante se qualificar, é necessário se qualificar. E para quem está buscando uma oportunidade rápida, esses cursos de verão, que são cursos rápidos, trazem essa qualificação que o mercado precisa”, aponta. 

Para comemorar o aniversário de 82 anos da instituição, em 22 de janeiro, os cursos estão com 22% de desconto nas áreas de tecnologia, cujas competências e habilidades são requeridas em diferentes setores. A maioria dos cursos têm início imediato e todos dão certificado.

Cursos de verão Senai: confira as opções e garanta sua inscrição

  • Programação de jogos digitais – 40 / De R$ 583,33 por R$ 455,00

Aprenda programação de jogos 2D utilizando a linguagem Python por meio da biblioteca Pygame. Além disso, o curso traz uma introdução sobre Fundamentos de Jogos digitais e Arte Conceitual.

  • Power BI Desktop - 40h / De R$ 86,40 por R$ 67,39

Crie Dashboards a partir do Power BI para visualização de dados capturados de fontes variadas.

  • Automação residencial YESLY FINDER - 20h / De R$ 277,88 por R$ 216,75

Aprenda a instalar e programar o sistema YESLY FINDER de automação residencial. 

  • Cloud advanced - 80h / De R$ 416,48 por R$ 324,85

Atue na implementação de soluções de cloud computing e use a tecnologia de armazenagem.

  • Curso prático de simulação hiper realista de ataques cibernéticos - 40h / De R$ 2.560,00 por R$ 1.996,80

Seja um profissional habilitado para atuar de modo prático em cibersegurança, mitigando ataques e fortalecendo defesas. 

  • Curso prático de técnicas de computação forense - 20h / De R$ 1.280,00 por R$ 998,40

Esteja habilitado para atuar na execução de testes de segurança em aplicações web.

  • Curso prático de testes de invasão em aplicações web - 20h / De R$ 1.280,00 por R$ 998,40

Seja um profissional habilitado para atuar no processo de perícia computacional.

  • Ferramentas aplicadas no Lean Manufacturing - 60h / De R$ 120,15 por R$ 93,72

Descubra os benefícios e oportunidades de ganhos possíveis com a utilização do Lean manufacturing (Manufatura Enxuta).

  • Gerenciamento de banco de dados - 36h/ De R$ 144,00 por R$ 112,32

O curso Gerenciamento de Banco de Dados te ajudará a desenvolver as capacidades necessárias para a integração entre a aplicação Back-End e um Banco de Dados.
 

Copiar o texto
05/12/2022 04:15h

Atrações culturais, educativas e científicas são voltadas para todos os públicos, em espaço democrático e inclusivo do SESI, em parceria com o SENAI

Baixar áudio

O SESI Lab abriu as portas para o público no dia 30 de novembro, em Brasília, com proposta inclusiva, inovadora, educativa e democrática. A iniciativa tem atrações culturais, científicas e educativas para o público de todas as idades. É uma parceria do Serviço Social da Indústria (SESI) com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). 

O espaço está localizado no coração de Brasília, próximo à Rodoviária do Plano Piloto, no prédio que antes abrigava o Touring Club. O edifício já tem história por si só, pois foi projetado por um dos grandes nomes da arquitetura brasileira: Oscar Niemeyer. Segundo o coordenador de operações do SENAI, Paulo Mól, o museu interativo tem como pilar ser um local acessível para todas as pessoas. 

“O SESI Lab é inclusivo. Ele é inclusivo de várias formas. Então o acesso ao SESI Lab precisaria ser fácil para que as pessoas pudessem chegar até aqui. E tudo aqui é pensado na inclusão. Todas as pessoas podem vir”, afirma Paulo Mól.

O museu reúne cem experimentos interativos em exposição de longa duração, além de programação cultural e mostras temporárias. A expectativa é que o espaço receba 350 mil pessoas a cada ano. Além disso, 85 mil estudantes e três mil professores poderão participar de formações, oficinas, cursos e atividades culturais.

Opção de aprendizado e lazer

A inauguração do SESI Lab movimentou o feriado local do Dia do Evangélico no Distrito Federal, com apresentações musicais, DJs, contações de histórias e performances artísticas. Por isso, muitas pessoas aproveitaram a folga para conhecer o museu interativo, como foi o caso da estudante de mestrado Nathália Feitosa.

“Eu não sou daqui, eu sou de Maceió, cheguei em Brasília há pouco tempo. Mas estava conversando com um pessoal e me falaram sobre a abertura do espaço, e disseram que seria muito legal para designers e eu vim conhecer. Eu tô achando legal, totalmente diferente do que eu já tinha visto”, diz a estudante.

O arquiteto Marcel Santana aproveitou o feriado para levar a filha Maia, apaixonada por ciências, para curtir o mais novo espaço dedicado ao tema. 

“Estou achando muito interessante. A Maia gosta muito de ciências e a gente estava sentindo falta de um espaço desses em Brasília, e agora tem uma atividade diferente para as crianças. É bem interessante, ela está gostando muito”, diz o arquiteto.

Inspiração

A implementação do projeto contou com a assessoria técnica de um dos principais centros interativos do mundo, localizado em São Francisco, nos Estados Unidos, o Exploratorium. Esse laboratório público de aprendizagem, criado pelo físico Frank Oppenheimer, tem como fundamento o ensino da ciência, por meio da interação com a arte, de forma lúdica e interativa. 

O espaço recém-inaugurado também deu vida a um painel de azulejos inédito de Athos Bulcão. O projeto do artista havia sido criado para o antigo Touring Club, mas nunca havia sido executado. O museu também conta com uma cafeteria e uma loja de produtos autorais.

Durante todo o mês de dezembro, a entrada no SESI Lab será gratuita, mas é necessário retirar os ingressos com antecedência via internet, pela plataforma Sympla. Após esse período, a entrada inteira custará R$ 20 e a meia-entrada, válida para estudantes, idosos e professores, será de R$ 10. O museu abre de terça a sexta-feira, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 10h às 19h.

Copiar o texto
23/11/2022 19:13h

Mais de R$ 500 milhões serão alocados em tecnologias educacionais, modernização e expansão das unidades do Sesi e do Senai

Baixar áudio

A Federação das Indústrias de Goiás (FIEG), com o Sesi e o Senai, investirão quase R$ 1 bilhão para atingir a meta de qualificar 300 mil trabalhadores nos próximos três anos e suprir a crescente demanda do setor produtivo no estado. Cerca de 500 milhões de reais serão alocados em tecnologias educacionais, modernização e expansão de escolas em Aparecida de Goiânia, Catalão, Goiânia, Itumbiara, Jataí e Rio Verde. Há ainda R$ 275 milhões previstos para construção de cinco novas escolas, duas delas em Luziânia e Mineiros.  

O presidente da FIEG, Sandro Mabel, entende que ampliar a oferta de educação básica, profissional e tecnológica é o caminho mais curto para elevar a produtividade e a competitividade da indústria.

“Isso vai mudar a condição dos nossos alunos, da nossa profissionalização. A Indústria 4.0 hoje é uma indústria moderna, que precisa de qualificação constante. Isso faz com que as pessoas precisem ter treinamento. É isso que o Sesi e o Senai vão fazer cada vez mais”, afirmou.

Tecnologias educacionais 

Sesi e Senai de Anápolis receberão recursos para aplicar em novas tecnologias educacionais, que envolvem robótica, braço biônico e softwares e ferramentas de inteligência artificial. Em todas as unidades da rede de ensino em Goiás, a FIEG estima investir mais de R$ 150 milhões em recursos de aprendizagem.

Segundo o secretário de Indústria, Comércio, Inovação, Trabalho, Turismo e Agricultura, Alex Martins, ampliar a oferta de ensino em uma cidade que tem a atividade industrial como umas das principais fontes de renda significa investir na geração de emprego e renda. 

“A prefeitura de Anápolis, em parceria com o Senai e o Sebrae, oferece cursos gratuitos de qualificação profissional, relacionados às áreas exigidas pelo mercado local, como elétrica e mecânica. Os dados do Novo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério da Economia, apontam crescimento na geração de empregos com carteira assinada”, assinala.

Dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) do Programa de Disseminação das Estatísticas do Trabalho (PDET), do Ministério do Trabalho, indicam que há quase mil estabelecimentos industriais em Anápolis, a maioria dos setores de alimentos e bebidas (23%), vestuário (12%) e química farmacêutica (11%). Mais de 97 mil funcionários são empregados formalmente pela indústria no município, de acordo com os dados mais recentes de 2020. 

Números que, na avaliação da diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getulio Vargas (FGV), Claudia Costin, evidenciam o sucesso do modelo educacional adotado por Sesi e Senai. A especialista acrescenta que há exemplos internacionais, como o das escolas secundárias da Coreia do Sul, em que a indústria se uniu ao governo, por meio de parcerias público-privadas, na gestão de cursos para ampliar a empregabilidade dos jovens.

“Creio que o aprendizado acumulado pelo Senai poderia ser repassado com grandes vantagens para secretarias de Educação dos estados para que a gente pudesse ter um ensino médio com a mesma qualidade institucional que a instituição conseguiu construir. É um exemplo a ser seguido”, elogia Claudia.

Se de um lado os trabalhadores se requalificam ou aprimoram suas habilidades para conquistar uma vaga no mercado, do outro os empresários passam a ter funcionários capacitados. O resultado é mais eficiência, redução do desperdício de materiais na fabricação de produtos e aumento de produtividade. 

“Investir em educação sempre é sempre o investimento mais importante, principalmente como incentivo à instalação de novas indústrias e de investimento no setor industrial. A capacitação das pessoas é extremamente importante. Nós temos um grande contingente de jovens que precisam ser treinados, precisam ter um incentivo para buscar capacitação voltada para a indústria”, garante o CEO da Caoa Montadora, Eugenio Césare. 

Copiar o texto
13/11/2022 04:00h

Atualmente existem mais de 1.700 especialistas e consultores que trabalham em mais de 60 Institutos SENAI de Tecnologia para garantir a melhoria de produtos e o aumento de produtividade e eficiência nos processos industriais por meio de consultas, serviços metrológicos e tecnológicos

Baixar áudio

Empresários brasileiros de vários segmentos da indústria têm aprimorado o conhecimento para solucionar demandas internas e incentivar a cadeia produtiva de seus negócios no país por meio dos Institutos SENAI de Tecnologia. Uma parceria que também tem ajudado a impulsionar algumas empresas a conquistar o mercado internacional. 

Criados com a finalidade de apoiar pequenas, médias e grandes empresas a se manterem atualizadas tecnologicamente e a fortalecerem sua presença nos mercados nacional e internacional, os Institutos SENAI de Tecnologia atuam fortemente na prestação de serviços técnicos especializados de metrologia, pesquisa e desenvolvimento, serviços técnicos especializados e consultoria. 

“Os Institutos SENAI de Tecnologias foram concebidos para atender setores industriais, então se, por exemplo, tem uma fábrica de queijo, esses ITS do SENAI são feitos para atender desde a primeira etapa, que é a certificação de produtos, mas passando também por melhorias do processo produtivo ou melhorias do processo produtivo, melhorias do produto a ser desenvolvido com uma equipe especializada”, explica, Jefferson Gomes diretor de inovação e tecnologia do SENAI Nacional. 

São iniciativas que ajudam a desenvolver soluções com base nas tecnologias existentes para criar novos processos e produtos nas áreas da indústria civil, alimentos e bebidas, têxtil e confecções, mecatrônica, meio ambiente, entre outros, por meio das suas 62 unidades espalhadas em 16 estados do país e no Distrito Federal. No primeiro semestre de 2022, foram realizados, pelos institutos, 29 mil atendimentos, com 12 mil empresas envolvidas. 

A empresária do ramo de alimentos Mônica Fernandes aderiu aos programas desenvolvidos pelos Institutos SENAI de Tecnologia. Gerente de qualidade, pesquisa e desenvolvimento de uma empresa criada em 2014, especializada em bebidas elaboradas com frutas, ela já realizou diversos projetos com o SENAI. Dentre eles, cita o estudo de caracterização dos coprodutos de frutas e hortaliças, além de experiências na linha de produção industrial de bebidas. 

“A Greenpeople usa duas  tecnologias que são fundamentais para garantir bebidas saudáveis. Uma delas é a prensagem a frio de frutos e hortaliças in natura, que, realizada de forma lenta, minimiza o contato com o oxigênio e, consequentemente, com a oxidação dos compostos. O segundo processo é a alta pressão hidrostática (HTP), que permite a inativação de bactérias e fungos que poderiam estar presentes na bebida, preservando toda a parte nutricional, resultando num produto saboroso naturalmente”, detalha. 

Para ampliar essa teia de atendimento em dimensão virtual, será criada em breve uma plataforma digital chamada Marketplace, com a viabilização de consultorias em vários segmentos industriais das pequenas, médias e grandes empresas. 

Um projeto que será desenvolvido com a participação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). O projeto modelo, que será colocado em prática em breve, terá o setor de alimentos como experiência. “Esse segmento de alimentos é muito amplo e complexo,”, comenta Jefferson, do SENAI. “E será desenvolvido a quatro mãos com o Inmetro, porque é a principal estrutura para certificar os produtos”, explica o gestor.

Copiar o texto
Brasil 61