Cursos

23/01/2023 04:00h

São 4.300 vagas para os cursos presenciais e semipresenciais e 2.045 para cursos na modalidade EAD

Baixar áudio

Para quem busca crescimento profissional, o Serviço Nacional da Indústria (SENAI) de Santa Catarina traz diferentes ofertas para cursos técnicos gratuitos. São 6.345 mil vagas para melhorar o currículo profissional e, até mesmo, garantir novas chances de emprego. As inscrições para o Processo Seletivo 2023/1 ocorrem até 04 de março, sendo que o processo de seleção é por ordem de matrícula. As aulas iniciam no dia 05 de março.

São mais de 35 opções de formação técnica disponíveis em todas as 50 unidades espalhadas no estado. As principais ofertas de cursos técnicos estão nas áreas de automação e mecatrônica automotiva, construção civil, eletroeletrônica, gestão, logística, madeira e mobiliário, metalmecânica, segurança do trabalho, tecnologia da informação, têxtil e vestuário.  

Para a Gerente Executiva Educação do SENAI-SC, Adriana Cassol, os cursos técnicos visam preparar o estudante para o exercício de uma profissão. “Os cursos proporcionam o desenvolvimento de competências referente a uma ocupação técnica reconhecida pelo mercado de trabalho. Eles estão regulados e em consonância com o catálogo nacional de cursos técnicos publicados pelo MEC e pelo itinerário nacional do Senai, e têm duração de 1 a 2 anos”, explica.

As matrículas podem ser realizadas presencialmente nas unidades, pelo site cursos.sesisenai.org.br ou pelo telefone 0800 04812 12.  O único pré-requisito para poder se matricular no curso é que o aluno esteja regularmente matriculado e frequentando a segunda série do ensino médio ou ter concluído já o ensino médio.

Para confirmar a matrícula, o estudante ou responsável legal deve apresentar alguns documentos, como comprovante de matrícula do segundo ano do ensino médio ou certificado de conclusão.

Para quem já concluiu o ensino médio:  identidade, CPF, comprovante de residência. Se tiver alguma deficiência ou laudo médico, também deve apresentar. Se o aluno for menor de idade, o responsável legal deve apresentar o RG, CPF,” explica Adriana Cassol.

Os Cursos Técnicos do SENAI-SC possuem uma das maiores empregabilidades do país: 9 em cada 10 ex-alunos estão empregados. Além de uma metodologia mão na massa, o Senai possui infraestrutura compatível com as melhores indústrias brasileiras, docentes especialistas em áreas industriais e itinerários formativos com o DNA da indústria.
 

Copiar o texto
20/01/2023 03:45h

Inscrições do processo seletivo podem ser realizadas até 6 de fevereiro

Baixar áudio

Para atender às necessidades dos jovens que buscam o primeiro emprego ou de trabalhadores que desejam mudar de posição em seu emprego, o SENAI-RJ disponibiliza 25 cursos técnicos para o primeiro semestre de 2023. Serão oferecidas 2.680 vagas, distribuídas entre as 22 unidades de todo o estado do Rio. As inscrições podem ser realizadas até o dia 6 de fevereiro, data que marca o início das aulas. 

Para a analista de educação do Senai-RJ, Alessandra Matos da Silva, investir na formação profissional constante e estar atento às demandas do mercado são competências essenciais para todos que desejam ingressar no mundo do trabalho ou para quem deseja alavancar a carreira. “Fazendo uma busca em sites de recrutamento e seleção, vemos que a formação é um pré-requisito que mais define a chance de ser ou não escolhido para uma vaga. Então, fazer um curso técnico, por exemplo, pode colocar o candidato em vantagem nessa corrida pela oportunidade certa”, aponta. 

Os cursos técnicos são disponibilizados em duas modalidades: os de Ensino a Distância (EAD) ou semipresenciais. Os cursos possuem uma carga horária realizada 80% à distância e são ofertados em um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), com um sistema de tutoria. Os outros 20% do curso são feitos de forma presencial em uma unidade da Firjan SENAI, com interação junto ao instrutor. 

Já os cursos híbridos mesclam as experiências com os instrutores com as aulas virtuais (60%) e presenciais (40%). São três dias por semana com encontros em formato on-line e dois dias por semana com aulas presenciais na unidade. 

Segundo Alessandra Matos, os cursos técnicos do Senai, por terem formações de média duração, “ampliam a oportunidade competitiva unindo teoria e prática, qualificando o profissional a atuar com autonomia na área formativa.” 

O ex-aluno do Senai de São Gonçalo, Wanderson Damasceno, investiu em dois cursos técnicos simultaneamente: Técnico em Automação Industrial e Técnico em Tecnologia da Informação. Hoje, é auxiliar técnico da unidade Senai de São Gonçalo, município situado a 25 km da capital. Para Wanderson, os cursos técnicos foram essenciais para garantir conhecimento e confiança na hora de buscar uma vaga de emprego. 

“Conhecimento técnico te dá bastante confiança no que está fazendo. Ter um curso onde ele se aprofunda bem nos temas que são muito pedidos pelo mercado, quando você precisar deles, em algum contexto da sua vida, você tem essa confiança em saber usar. Tem muitos trampolins para você se projetar para o mundo. O Senai dá várias oportunidades para você, eles te dão uma plataforma para alcançar diversas coisas”, explica. 

O Senai-RJ faz parte de uma das cinco maiores instituições de educação profissional da América Latina, com reconhecimento nacional e internacional. A instituição está presente em todos os estados da federação e tem uma taxa de empregabilidade maior que 80% dos alunos que realizam cursos na instituição.
 

Copiar o texto
19/01/2023 03:00h

Os cursos têm uma carga horária de 360 horas, com previsão de início em 1º de março. Os interessados podem fazer as inscrições no site SENAI - FIEMG até 19 de fevereiro

Baixar áudio

O SENAI de Minas Gerais abre inscrições para especialização técnica de Nível Médio. Os cursos, que têm início em 1º de março, vão abordar demandas sobre processo de transformação da Indústria 4.0. As oportunidades são para diferentes áreas e os interessados podem se inscrever no site do SENAI - FIEMG (https://www7.fiemg.com.br/senai/produto/especializacao-tecnica) até 19 de fevereiro.

As atividades são voltadas para as áreas de sistemas robotizados, sistemas fotovoltaicos, instrumentação e controle de processos industriais, desenvolvimento de produtos automotivos, indústria 4.0 - esta especialização com inscrições a partir do segundo semestre deste ano e internet das coisas – IoT. Os cursos têm uma carga horária de 360 horas.

Senai-SP: estão abertas inscrições para formação inicial e continuada

Senai-MA prorroga prazo de inscrições para cursos técnicos

Os cursos serão ministrados no turno da noite, nas unidades do SENAI na capital Belo Horizonte, no Bairro Horto; Contagem, no Centro de Desenvolvimento da Indústria 4.0, e nas sedes da instituições nas cidades de Divinópolis, Juiz de Fora, Ipatinga, Itabira, Itajubá, Montes Claros, Pouso Alegre, Sete Lagoas, Uberaba e Uberlândia.

Responsável pela área de automação industrial do SENAI de Minas Gerais, Caio César de Oliveira Nascimento destaca que os cursos de capacitação do SENAI, por tradição, têm uma filosofia de atender a indústria como um todo, trabalhando a sinergia entre si com o objetivo de promover o crescimento dos alunos dentro de sua área de atuação. 

“O SENAI visa não apenas favorecer um setor específico. A proposta não é atacar um ou outro setor, a proposta do SENAI é ser auxílio de formação para indústria brasileira como um todo”, destaca o dirigente do SENAI Minas Gerais. “Dentro do setor industrial se tem uma mistura, sinergia de várias áreas e isso é repassado para os alunos no nosso dia a dia. Os alunos não saem apenas com a formação técnica, mas para ter capacidade de gestão, planejamento, algumas atividades que o próprio SENAI promove possibilita que os alunos de um determinado curso tenham contatos com áreas de conhecimentos diferentes do curso dele”, esclarece. 

Rafael Viriato Dias é aluno do Curso Técnico em Modelagem do Vestuário no SENAI Horto de Belo Horizonte. Para o estudante, que aprenderá técnicas para criar moldes digitais de roupas e demais peças de vestuário, a relevância dos cursos profissionalizantes oferecidos pela instituição Brasil afora é determinante para fomentar a mão de obra industrial. 

“Vejo tanto nas nossas aulas práticas, quanto nas aulas teóricas e mesmo nas falas dos professores dentro de sala de aula, que nossa formação é toda baseada em nos preparar, nos profissionalizar para indústria, para que a gente possa ser inserido no mercado industrial do nosso país”, conta. “Uma coisa muito interessante também é que o SENAI, juntamente com a FIEMG, fazem um estudo de quais são as profissões que estão em falta dentro do mercado, para que ele possa direcionar os cursos que vão ser ofertados justamente para poder suprir e capacitar os jovens e adultos do nosso país”, elogia. 
 

Copiar o texto
18/01/2023 03:30h

Associação do setor de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) estima déficit anual de 106 mil talentos e alerta para necessidade de ampliar formação profissional

Baixar áudio

Até 2025, as empresas de tecnologia devem demandar 797 mil profissionais, ao passo que a projeção é de um déficit anual de 106 mil talentos. Números que refletem, segundo a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais, o crescimento acelerado do setor e alertam para a necessidade de ampliar a formação profissional no mesmo ritmo. 

Além da alta procura, a carreira promissora e a entrada no mercado de trabalho com salário médio inicial que pode variar entre R$ 3 mil e R$ 5 mil fazem da Tecnologia da Informação e Comunicação uma das profissões mais atrativas para quem busca vaga no mercado de trabalho. “A área de TIC é uma das atividades com melhores oportunidades em termos de geração de emprego nos próximos anos. É uma área de competência transversal, ou seja, todas as indústrias e atividades econômicas demandam profissionais com essa competência, não somente para implantar as inovações da indústria 4.0 como também para servir de referência para as soluções digitais dessa tendência global”, pontua o diretor de Educação e Tecnologia do SESI/SENAI Goiás, Claudemir Bonatto. 

Para suprir a carência desses profissionais, o SENAI tem reforçado a oferta de cursos on-line e presenciais de níveis técnico, de qualificação e superior. Bonatto ressalta, inclusive, que o mercado de tecnologia está aquecido em Goiás. “De cada 10 ex-alunos de graduação tecnológica, nove estão empregados. Em três anos, em média, finalizam o curso. E muito antes de concluir o ensino superior, eles já têm a oportunidade de se colocar no mercado de trabalho. Em Goiás, temos muitas oportunidades na região de Goiânia e municípios circunvizinhos e nas regiões de Rio Verde, Catalão e Itumbiara”, sinaliza. Ele cita ainda que atividades como manutenção industrial, manutenção mecânica e elétrica, química e automação industrial são garimpadas pelo setor industrial. 

Inteligência artificial deve ganhar marco regulatório em 2023

Saiba os riscos de utilizar fones de ouvido com volume alto

Na avaliação da professora e diretora de Políticas e Regulação do Instituto Federal de Santa Catarina, Joelma Kremer, o Brasil tem “grande potencial” para oferta de educação profissional e tecnológica, mas pondera que é preciso investir antes de tudo na formação de base. “Há que se destacar a urgente necessidade de melhoria de desempenho da nossa educação fundamental porque, muitas vezes, os jovens chegam ao ensino médio sem as competências necessárias para o desenvolvimento dos aprendizados”, analisa.

A especialista considera que esse desequilíbrio no modelo educacional é resultado da “falta de articulação entre a área de educação e as demais áreas da sociedade, especialmente em relação às políticas públicas”. “Para alcançarmos maior valorização da educação profissional, não basta termos técnicos bem formados. Precisamos que o mundo do trabalho os reconheça e os valorize. O primeiro passo é reduzir a diferença salarial entre egressos de curso superior e os egressos de cursos técnicos. Nos casos em que há grande demanda por técnicos, como no setor de tecnologia da informação e no setor de saúde, já encontramos uma remuneração mais atraente para profissionais técnicos”, indica Joelma.

Tecnologia em sala de aula

A abordagem educacional conhecida como STEAM - sigla em inglês para Ciência, Tecnologia, Engenharia, Artes e Matemática - tem revolucionado a aprendizagem em sala de aula, revela o diretor de Educação e Tecnologia do SESI/SENAI Goiás, Claudemir Bonatto. Oferecida na rede SESI, ele explica que as áreas de conhecimento são trabalhadas conjuntamente.

“O STEAM está implementado como soluções transversais nos conteúdos estruturados pela educação básica desde o primeiro ano do Ensino Fundamental até a terceira série do Ensino Médio. Do ponto de vista prático, os alunos desenvolvem a capacidade de raciocínio lógico, especialmente no fortalecimento de disciplinas como matemática, já que a aplicação de soluções de robótica em sala de aula exige conhecimento e domínio sobre linguagem de programação, pensamento computacional e letramento digital. É o grande diferencial para formação de alunos campeões e profissionais e empreendedores da indústria do futuro”, ressalta.

Joelma Kremer julga que a melhoria da educação brasileira, especialmente da educação profissional e tecnológica, deve começar pelo “reconhecimento da importância da profissionalização da sociedade para além da educação superior”. “A educação precisa ser um compromisso de todos. Não há sociedade no mundo onde todos tenham ensino superior. E nas que alcançam níveis bastante altos, como é o caso da Coreia do Sul, outros problemas emergem porque há postos de trabalho e demandas que não são atendidas por profissionais com educação superior. Valorizar os trabalhadores técnicos, reconhecendo sua importância social e econômica, é um bom caminho para o crescimento econômico do Brasil”, completa a professora e diretora de Políticas e Regulação do Instituto Federal de Santa Catarina.
 

Copiar o texto
16/01/2023 19:55h

Inscrições podem ser realizadas até o dia 20 de janeiro; Aulas iniciam no dia 6 de fevereiro

Baixar áudio

Com o intuito de desenvolver competências profissionais de jovens e adultos em diversas atividades do setor produtivo, o Serviço Nacional da Indústria (Senai), em Pernambuco, abriu uma seleção para 14 cursos técnicos gratuitos de qualificação profissional. São oferecidas 758 vagas e as inscrições podem ser realizadas até 20 de janeiro, pela internet. 

Para o coordenador do Senai-PE, Antônio Augusto de Medeiros, os cursos têm como objetivo suprir demanda por mão-de-obra qualificada e certificada. “Essa formação visa atender as necessidades do setor produtivo e apoiar a nova revolução industrial, hoje chamada de indústria 4.0”, diz. 

O resultado dos aprovados vai ser divulgado no dia 23 de janeiro. Antonio destaca alguns cursos ofertados: “Curso na área de eletrotécnica, que visa formar profissionais para instalar, manter e projetar sistemas elétricos prediais, industriais e de potência; técnico em automação industrial, para formar profissionais para implementar equipamentos e dispositivos; e técnico de manutenção automotiva, para atuar em processos de manutenção eletromecânica e de sistema estrutural”, explica. 

Entre 24 e 26 de janeiro, os candidatos aprovados deverão realizar as matrículas, presencialmente, nas escolas indicadas no ato de inscrição. As atividades começam no dia 6 de fevereiro. Serão ministradas aulas nos formatos presencial e a distância. 

Segundo Antônio Medeiros, o Senai e a Fiep buscam estar em constante sintonia com o mercado e as indústrias locais para atender as demandas de cada setor e as necessidades de cada área.  “São dessas áreas demandadas pela própria indústria local que adequamos nossos itinerários para disponibilizar os cursos e, assim, formar profissionais com grande potencial de empregabilidade”, explica.

Para participar do processo seletivo, o candidato deve preencher os seguintes requisitos: ser de baixa renda; ter concluído o Ensino Médio; e ter obtido média superior a 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio de 2018, 2019, 2020 ou 2021. O preenchimento das vagas será feito a partir da ordem de classificação geral dos concorrentes, considerando a média obtida na prova do ENEM. 

Documentos necessários para matrícula

  • Certificado de conclusão do Ensino Médio (ou equivalente);
  • Histórico escolar ou documento da escola;
  • Documento de identificação pessoal (RG, CNH, Passaporte ou CTPS); CPF;
  • Comprovante de residência;
  • Também será preciso entregar a autodeclaração da condição de baixa renda e o comprovante com as notas do ENEM;
Copiar o texto
16/01/2023 19:15h

Os cursos são totalmente on-line, com até 60 horas de duração e estão com 22% de desconto

Baixar áudio

Pensando em quem procura um curso de aperfeiçoamento curto e de qualidade, a preços acessíveis e que possam ser concluídos a qualquer hora ou lugar, o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) está ofertando 10 cursos on-line nas áreas de tecnologia e cibercultura.

Segundo o gerente de Educação Profissional e Superior do SENAI, Mateus Simões, o objetivo dos cursos de verão é criar condições diferenciadas em áreas que as empresas buscam profissionais neste início de ano. “São cursos rápidos, de 20 a 60 horas, totalmente online, onde o aluno consegue concluir durante o verão para já buscar as oportunidades de emprego ainda no início do ano”, explica.

Na maioria dos cursos, o único pré-requisito dos cursos é ter apenas ensino fundamental, em alguns casos, o ensino médio completo é necessário. Para os cursos da área de cibersegurança, é importante que o aluno já tenha algum pequeno conhecimento na área de TI, uma vez que o curso é para ser curto e objetivo.

Para garantir uma vaga, é muito simples. Basta acessar o marketplace pelo site futuro ponto digital, escolher o curso que mais se adequa ao perfil e começar a estudar. 

Para Mateus Simões, se qualificar é fundamental para conseguir uma oportunidade de trabalho. “As oportunidades existem, as vagas existem, porém, é importante se qualificar, é necessário se qualificar. E para quem está buscando uma oportunidade rápida, esses cursos de verão, que são cursos rápidos, trazem essa qualificação que o mercado precisa”, aponta. 

Para comemorar o aniversário de 82 anos da instituição, em 22 de janeiro, os cursos estão com 22% de desconto nas áreas de tecnologia, cujas competências e habilidades são requeridas em diferentes setores. A maioria dos cursos têm início imediato e todos dão certificado.

Cursos de verão Senai: confira as opções e garanta sua inscrição

  • Programação de jogos digitais – 40 / De R$ 583,33 por R$ 455,00

Aprenda programação de jogos 2D utilizando a linguagem Python por meio da biblioteca Pygame. Além disso, o curso traz uma introdução sobre Fundamentos de Jogos digitais e Arte Conceitual.

  • Power BI Desktop - 40h / De R$ 86,40 por R$ 67,39

Crie Dashboards a partir do Power BI para visualização de dados capturados de fontes variadas.

  • Automação residencial YESLY FINDER - 20h / De R$ 277,88 por R$ 216,75

Aprenda a instalar e programar o sistema YESLY FINDER de automação residencial. 

  • Cloud advanced - 80h / De R$ 416,48 por R$ 324,85

Atue na implementação de soluções de cloud computing e use a tecnologia de armazenagem.

  • Curso prático de simulação hiper realista de ataques cibernéticos - 40h / De R$ 2.560,00 por R$ 1.996,80

Seja um profissional habilitado para atuar de modo prático em cibersegurança, mitigando ataques e fortalecendo defesas. 

  • Curso prático de técnicas de computação forense - 20h / De R$ 1.280,00 por R$ 998,40

Esteja habilitado para atuar na execução de testes de segurança em aplicações web.

  • Curso prático de testes de invasão em aplicações web - 20h / De R$ 1.280,00 por R$ 998,40

Seja um profissional habilitado para atuar no processo de perícia computacional.

  • Ferramentas aplicadas no Lean Manufacturing - 60h / De R$ 120,15 por R$ 93,72

Descubra os benefícios e oportunidades de ganhos possíveis com a utilização do Lean manufacturing (Manufatura Enxuta).

  • Gerenciamento de banco de dados - 36h/ De R$ 144,00 por R$ 112,32

O curso Gerenciamento de Banco de Dados te ajudará a desenvolver as capacidades necessárias para a integração entre a aplicação Back-End e um Banco de Dados.
 

Copiar o texto
30/09/2022 18:04h

A capacitação é voltada a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País, além do público geral interessado

Baixar áudio

Para aprofundar os conhecimentos práticos em gerenciamento de desastres durante e após uma ocorrência, o Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, disponibiliza o curso Proteção e Defesa Civil: Gestão de Desastres.

A capacitação é voltada a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País, além do público geral interessado. O curso é on-line, a distância, totalmente gratuito e pode ser acessado em mdr.gov.br.

Karine Lopes, diretora do Departamento de Articulação e Gestão da Defesa Civil Nacional, explica um pouco mais sobre o curso.

"Os cursos vão da teoria à prática da concepção de alerta. Tratam da importância do monitoramento, da gestão local de risco e desastres e trazem aspectos geo-hidrológicos do país e as diferenças regionais. Nesse curso, o público-alvo são os agentes de proteção e defesa civil. Os cursos são em EAD, gratuitos e certificados pela Escola Virtual de Governo. Acreditamos que o conhecimento salva vidas. Todos podemos nos preparar para possíveis ocorrências. Defesa Civil somos todos nós”

O curso tem duração de 30 horas e está dividido em cinco módulos: Introdução à Gestão de Desastres, Medidas Iniciais, Ações de Resposta, Ações de Recuperação e Decretação e Solicitação de recursos.

Para mais informações, acesse mdr.gov.br.

Reportagem, Gabriel Navajas

Copiar o texto
30/09/2022 16:31h

O curso é voltado a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País

Baixar áudio

Para entender os processos de formação dos eventos geo-hidrológicos que ocorrem nas diferentes regiões do Brasil, interpretar os boletins, alertas, relatórios e demais produtos fornecidos pelos órgãos competentes, o Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, disponibiliza o curso aspectos técnicos dos extremos geo-hidrológicos no país e as diferenças regionais. A capacitação é realizada em parceria com o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, o Cemaden.

O curso é voltado a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País, além do público geral interessado. As atividades são on-line, a distância, totalmente gratuitas e podem ser acessadas em mdr.gov.br.

Karine Lopes, diretora do Departamento de Articulação e Gestão da Defesa Civil Nacional, explica um pouco mais sobre o curso.

"Os cursos vão da teoria à prática da concepção de alerta. Tratam da importância do monitoramento, da gestão local de risco e desastres e trazem aspectos geo-hidrológicos do país e as diferenças regionais. Nesse curso, o público-alvo são os agentes de proteção e defesa civil. Os cursos são em EAD, gratuitos e certificados pela Escola Virtual de Governo. Acreditamos que o conhecimento salva vidas. Todos podemos nos preparar para possíveis ocorrências. Defesa Civil somos todos nós”

O curso tem duração de 60 horas e está dividido em oito módulos: O Ciclo Hidrológico e seus Impactos nas Cidades; Componentes de Tempo e Clima; Extremos Geo-Hidrológicos; A Dinâmica das Bacias Hidrográficas; Previsão de Eventos Hidrológicos; Processos de Movimentos de Massa; e Limiares e Diferenças Regionais dos Eventos Geo-Hidrológicos.

Para mais informações, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
30/09/2022 15:21h

A capacitação é voltada a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País, além do público geral interessado

Baixar áudio

Quer se aprofundar sobre conceitos relacionados ao risco de desastres e entender como eles se expressam nos alertas enviados pelo Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, o Cemaden, e, assim, aplicá-los em sua rotina de trabalho? O Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, tem um curso que trata desse tema. O nome é Metodologia de Concepção do Alerta - da teoria à prática.

A capacitação é voltada a agentes estaduais e municipais de proteção e defesa civil de todo o País, além do público geral interessado. O curso é on-line, a distância, totalmente gratuito e pode ser acessado em mdr.gov.br.

Karine Lopes, diretora do Departamento de Articulação e Gestão da Defesa Civil Nacional, destaca a importância do curso.

"Os cursos vão da teoria à prática da concepção de alerta. Nesse curso, o público-alvo são os agentes de proteção e defesa civil. Os cursos são em EAD, gratuitos e certificados pela Escola Virtual de Governo. Acreditamos que o conhecimento salva vidas. Todos podemos nos preparar para possíveis ocorrências. Defesa Civil somos todos nós”

O curso tem duração de 40 horas e está dividido em cinco módulos: Introdução às ações de redução de risco de desastres; Estrutura Teórica para Determinação de Cenários de Risco; Descrição e Interpretação dos Alertas do Cemaden; Vulnerabilidade e Percepção de Riscos e Importância do Banco de Dados de Ocorrências para Avaliação de Alertas.

Para mais informações, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
29/09/2022 15:00h

Módulos do curso são disponibilizados gratuitamente e de forma on-line na plataforma da Escola Virtual de Governo da ENAP

Baixar áudio

A CAIXA lançou, nesta quinta-feira, 29 de setembro, um curso on-line e gratuito sobre parcerias público-privadas e concessões. Voltada para gestores e servidores municipais e estaduais, a capacitação será disponibilizada pela Escola Virtual de Governo da ENAP.

O curso utiliza exemplos de projetos desenvolvidos no Brasil e no mundo, que demonstram e reforçam o papel das PPPs como instrumento de solução para os desafios enfrentados pela gestão pública.

Os participantes conhecerão todo o processo de estruturação de uma PPP, desde a fase inicial de identificação de oportunidades, passando por avaliação de projetos, aprovação de estudos técnicos, jurídicos e fiscais até etapas como consulta e audiência pública, aprovação dos órgãos de controle, desenvolvimento do edital, realização do leilão e assinatura do contrato. 

O objetivo é trazer a credibilidade de instituições que são referência em projetos de desenvolvimento da infraestrutura no Brasil, aliando expertise técnica e didática da ENAP.

O curso é formado por 4 módulos, com acesso a e-book, vídeos, entre outros materiais de apoio. A carga horária é de 30 horas, com emissão de certificado de conclusão para os aprovados em avaliação de aprendizagem.

O curso sobre parcerias público-privadas e concessões faz parte da parceria firmada entre a CAIXA, o BNDES e a Secretaria Especial do Programa de Parcerias de Investimentos, do Ministério da Economia, para atuação em projetos de concessão e PPPs. Esse esforço conjunto pretende multiplicar os investimentos em infraestrutura por todo o Brasil. 

A capacitação está disponível no site da Escola Virtual de Governo da ENAP, no endereço escolavirtual.gov.br.

Copiar o texto
Brasil 61