Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Goiás

Brasil
19/06/2021 17:03h

As buscas por Lázaro Barbosa seguem com efetivo de 270 policiais de Goiás e do Distrito Federal, mas continuam sem grandes movimentações

Baixar áudio

A caçada ao serial killer Lázaro Barbosa, de 32 anos, chegou ao décimo primeiro dia neste sábado (19), com expectativas renovadas para a prisão do fugitivo. As buscas seguem com efetivo de 270 policiais de Goiás e do Distrito Federal, mas continuam sem grandes movimentações. Na tarde desta sexta-feira (18), policiais e moradores voltaram a avistá-lo na zona rural de Girassol, distrito de Cocalzinho de Goiás. 
 
Com o criminoso acuado e cansado, o entendimento é de que a captura se aproxima. A todo momento, a polícia recebe ligações de pessoas que afirmam terem visto Lázaro. Um morador contou que durante a madrugada Lázaro teria invadido a fazenda vizinha e roubado um queijo, um carregador de celular e R$ 30. 
 
Segundo a Secretaria de Segurança Pública de Goiás (SSP-GO), um novo cerco foi montado e a força-tarefa espera prendê-lo ainda neste sábado. As aparições do criminoso, segundo a pasta, sugerem que a operação está próxima de chegar à localidade exata do fugitivo.

Lázaro troca tiros com polícia e foge novamente; Força Nacional é acionada

GIRO BRASIL 61: Caso Lázaro, implantação do 5G no Brasil, Auxílio Emergencial antecipado e R$ 3,5 bilhões para internet na educação pública
 
A SSP-GO tem feito alertas sobre os prejuízos que notícias falsas têm causado para a investigação, segundo o chefe da pasta, Rodney Miranda.
 
Em coletiva de imprensa feita recentemente, Miranda disse que essas informações falsas acabam fazendo com que os investigadores “deixem de atender mais rapidamente uma informação procedente, para atender uma que não tem relevância”.
 
Segundo ele, tais situações têm provocado interferências na operação. “É um problema sim. Não só essa Fake News [de que Lázaro estaria em um cemitério], como outra de que ele já havia sido baleado, que já estava morto. Tudo isso atrapalha, porque não só a nossa Inteligência, como as unidades de operação, tem que checar. Às vezes a gente deixa de atender mais rapidamente uma informação procedente, para atender uma que não tem relevância”, ressaltou.
 
Miranda disse que a situação é “complexa, grave e de difícil resolução”, mas que avanços têm sido obtidos, contando com o reforço de 20 policiais da Força Nacional de Segurança Pública.
 
A caçada a Lázaro começou depois de ele matar quatro pessoas de uma mesma família em Ceilândia Norte, no Distrito Federal, no dia 9 de junho. Desde então, a procura pelo criminoso alcançou destaque nacional. O assunto tem ganhado repercussão a cada dia que novos crimes são descobertos, suspeitas são levantadas e Lázaro continua solto.  

Copiar o texto
16/06/2021 19:15h

Foragido desde que fugiu de uma penitenciária na Bahia, onde estava preso por duplo homicídio, Lázaro matou cinco pessoas entre o DF e Goiás nos últimos dias, de forma bárbara. Perseguido por 200 policiais nos últimos oito dias, serial killer segue solto

Baixar áudioBaixar áudio

Assassinatos em série, violência sexual e tensão por ter um criminoso à solta. Essa é a realidade de terror vivida por moradores das cidades de Edilândia, Girassol e redondezas, em Goiás, Entorno do Distrito Federal. Lázaro Barbosa é o nome que tira o sono da população e mobiliza um esquema de segurança raro. Já denominado como um “serial killer”, o homem é acusado de, pelo menos, cinco homicídios nas últimas semanas, e completou oito dias de fuga nesta quarta-feira (16).
 
São 200 policiais, cães, helicópteros, drones e equipamentos tecnológicos de ponta sendo utilizados na busca. Forças do DF e de Goiás, com apoio Federal, atuam 24 horas por dia para encontrar Lázaro. No momento, um cerco é realizado em estradas, matas e ruas goianas, dificultado pela falta de sinal e perda de comunicação em áreas rurais. Além disso, o perfil do criminoso traçado pela polícia mostra facilidade de percorrer vegetações fechadas.

O assunto tem ganhado repercussão a cada dia que novos crimes são descobertos, suspeitas são levantadas e Lázaro continua solto. A efeito de comparação, a reportagem analisou dados do Google Trends e apurou que o nome do criminoso vem sendo mais pesquisado na internet do que a CPI que ocorre no Senado Federal, desde o dia 15, quando se completou uma semana de buscas. Além da fuga, mesmo com uma mega operação montada, também chama atenção o histórico do acusado. 

Google Trends

Quem é Lázaro

Lázaro Barbosa, 32 anos, é natural do estado da Bahia, onde também já cometeu crimes de homicídio. Segundo a Polícia Civil do local, ele assassinou duas pessoas no município de Barra do Mendes, em 2007, e chegou a ser preso após se entregar na delegacia. Porém, dias depois de confessar a autoria das mortes e ser encarcerado, ele fugiu da penitenciária. 
 
“Ele conseguiu fugir cerca de dez dias depois, sendo considerado foragido desde então. O inquérito foi concluído e encaminhado à Justiça. Não dispomos de informações relacionadas ao crime”, informou a Polícia Civil da Bahia, em nota. Em 2009, ele foi preso novamente, mas em Brasília, por suspeita de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo.
 
Uma precisa linha do tempo ainda está sendo traçada por diferentes investigadores, mas os casos que motivaram a operação em andamento começaram, ao que tudo indica, em abril. Ele é o apontado como autor de um roubo seguido de estupro, em Sol Nascente, Região Administrativa da periferia do Distrito Federal. Nos meses seguintes, Lázaro ainda fez uma família refém na mesma cidade e cometeu um dos crimes mais bárbaros, o assassinato de um casal e dois filhos, no Incra 9, em Ceilândia (DF).

Confrontos

A polícia colhe relatos de pessoas que dizem ter se deparado com o criminoso e vítimas que relatam histórias semelhantes, de que ele havia invadido casas e obrigado moradores a cozinharem para ele. Lázaro ainda demonstra frieza em roubos, incêndios e fugas com reféns. Pelo menos um carro e uma casa foram incendiados por ele durante os últimos dias.
 
No último sábado, Lázaro entrou na fazenda da família de um soldado da Polícia Militar do DF e manteve refém o caseiro. Lá ele consumiu bebida alcoólica, destruiu objetos da parte de dentro da propriedade, fumou maconha e obrigou o homem a usar a droga. De acordo com a PMDF, houve um confronto nesse dia.
“Nosso soldado voltou para a propriedade, no início da noite. Chegou até a cancela e, provavelmente, quando foi abrir, o homem fugiu e levou o caseiro de refém. O criminoso foi para a fazenda ao lado, cerca de 700 metros, e baleou três homens. Havia uma senhora e uma criança no local. As testemunhas disseram que o criminoso ia colocar fogo na casa, mas não o fez por conta da mulher e da criança”, diz a nota.
 
Ainda segundo a corporação, uma equipe de policiais militares de Goiás foi ao local e tentou abordá-lo, mas acabou sendo recebida a disparos de arma de fogo. “Houve a reação com 15 disparos na direção da Rotam e uma fuga para dentro da mata próxima. O criminoso está com um revólver calibre 32, além de outras armas e munições, furtadas das fazendas”.
 
No começo desta semana, ele foi visto por policiais na BR-070, com um carro furtado, mas abandonou o veículo e fugiu novamente. As últimas aparições de Lázaro foram em Cocalzinho de Goiás, no Entorno do DF. Na região, ele trocou tiros com um caseiro, na noite de segunda-feira, e com um sargento da Polícia Militar, na tarde de terça-feira. 
 
O PM foi baleado de raspão, segundo a corporação. A Secretaria de Segurança Pública de Goiás emitiu nota, nesta quarta-feira, informando que “o policial atingido por um tiro de raspão durante a operação de captura a Lázaro Barbosa Sousa, em Edilândia, povoado de Cocalzinho de Goiás, recebeu alta hospitalar”.  

Medo

A reportagem conversou com moradores de regiões por onde Lázaro passou e ouviu que “o clima é de medo”. Uma moradora do Incra 9, que não quis se identificar, relatou que teve que sair do lote. Ela era vizinha de Cláudio Vidal de Oliveira, 48, uma das vítimas do assassinato de uma família de quatro pessoas. 
 
“A gente se sente indignado. Estamos expostos à violência. Se a polícia não consegue pegar ele, qual a garantia que nós temos da família voltar para onde mora, que não vai acontecer a mesma coisa, ou coisa pior? A família está inconsolável. Ali, todo mundo, na família que morreu, era trabalhador. Os filhos trabalhavam junto com pai e mãe. Então, é uma situação que a gente não tem mais garantia de nada”, desabafa.

Acuado e mais perigoso

Em entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, o secretário de Estado da Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, afirmou que a operação não acaba enquanto Lázaro não for pego, mas ressaltou que o momento atual é delicado devido às circunstâncias do criminoso.
 
“Ele está com mais dificuldade ainda para conseguir alimento. Ele geralmente sai da mata atrás de comida, atrás de alimentação. É uma área muito grande, ele conhece muito bem, é mateiro, já falei isso várias vezes. Mas está cansado e acuado. Cansado e acuado ele fica mais perigoso, mas fica mais suscetível à nossa chegada. Ontem nós ficamos muito perto dele. Hoje nós vamos pegar”, declarou.
 
A suspeita das forças policiais é de que o criminoso não se movimentou na última madrugada, mas saiu do perímetro em que estava se escondendo pela manhã. A inteligência da operação optou por deixar agentes e militares especializados no local, como o Batalhão de Operações Especiais (Bope) da PMDF, representando a capital. A Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Federal também participam das buscas.
 
Rodney avaliou que “todo mundo que a gente precisa” está atuando na caça. “A nossa inteligência tem funcionado, com todas as dificuldades. Nós temos muita dificuldade de comunicação aqui. Hoje, a gente conseguiu um apoio do Exército para rádios que funcionam em frequências dentro da mata. Enfim, a gente está avançando a cada dia”, relatou.
 
O secretário informou que visitou todas as propriedades da região onde Lázaro pode estar e passou uma recomendação de retirada a quem pode sair dos lotes. “Passamos uma orientação. Aqueles que não precisam pernoitar nas propriedades ou ficar o dia todo nas propriedades, [pedimos para que] se retirem. Aqueles que precisam, a gente está tentando manter a polícia o mais próximo possível”.

“Corrida macabra contra o tempo”

Para especialistas, cada dia passado sem a captura de Lázaro representa um perigo a mais. Leonardo Sant’anna, especialista em segurança pública, afirma que “nós estamos no meio de uma corrida macabra contra o tempo”. Ele explica que o nível de desequilíbrio a agressividade do procurado, observado na forma como são realizadas as ações criminosas, são elementos que reforçam a necessidade de fechar o cerco contra o homem.
 
“A ideia é que ele seja capturado vivo. E, nesse caso, nós estamos tratando de uma operação que envolve dois tipos diferentes de técnicas, busca e resgate, conhecida internacionalmente como ‘SAR’, e uma ação policial. A primeira, além de pessoas experientes, necessita também de equipamentos diferenciados, normalmente em pouca quantidade nas instituições policiais, já que não se tem uma cultura de investimento governamental nesse sentido”, cita.
 
Leonardo exemplifica o uso de tecnologias como câmeras que captam a temperatura de quem esteja no solo e podem ser usadas para buscas noturnas. “Existe a necessidade dessas ferramentas especiais também. No segundo caso, das operações policiais, o nível de dificuldade se torna muito maior por entrar na captura de alguém que supostamente está armado, alguém de bastante agressividade, que promove medo e violência por onde passa. Os policiais têm que fazer entrevistas mais minuciosas em todas as casas que passam, e buscar coletar evidências que indiquem o caminho por onde possa ter passado esse agressor social”. 

Governadores

Os governadores de Goiás e do Distrito Federal já se pronunciaram publicamente sobre o caso. Na capital da República, Ibaneis Rocha (MDB) disse que a caçada “impressiona muito”, mas que espera que ele seja preso o mais rápido possível, “para que a gente possa tranquilizar as famílias daquela região e dar a punição devida a esse marginal que vem causando tanto mal e que vem fazendo a polícia do Distrito Federal e do Goiás quase como de bobas”. Ronaldo Caiado (DEM) também manifestou preocupação, avaliando Lázaro como um “facínora”, que age com requintes de crueldade. 
 

Copiar o texto
16/06/2021 14:45h

Serão beneficiados produtores de mini a médio portes em 58 municípios

Baixar áudio

Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) aprova R$ 138,9 milhões em recursos para financiamentos na modalidade rural. O montante deve contemplar 139 cartas-propostas de 58 municípios das diferentes regiões do Goiás e deve contribuir na geração de pelo menos 237 empregos diretos. 

RO: governo cancela 9ª edição do Rondônia Rural Show Internacional em 2021

Câmara aprova projeto de socorro a agricultores familiares na pandemia

Do total de recursos, 46,2% são destinados a pequenos-médios produtores, 41,9% para pequenos produtores, 11,2% para médio produtores e 0,6% para mini produtores. Entre as atividades que devem ser contempladas estão produção de grãos, como soja e milho, bovinocultura, cana-de-açúcar e suinocultura.

Os recursos deverão ser usados para a compra de máquinas e implementos agrícolas, matrizes, reprodutores, benfeitorias de infraestrutura, insumos, entre outros. Em 2021, já foram avaliadas 461 cartas, com previsão de recursos de R$ 496,7 milhões. Foram avaliadas propostas de 110 municípios goianos, que devem resultar na criação de quase 740 empregos diretos no Estado.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
15/06/2021 13:52h

Serviços de esgotamento sanitário, abastecimento de água e manejo de resíduos sólidos podem ser consultados até 14 de julho

Baixar áudio

A cidade de São Simão, em Goiás, promove, até 14 de julho, consulta pública sobre a concessão dos serviços de esgotamento sanitário, abastecimento de água e manejo de resíduos sólidos. 

No total, são estimados investimentos de 245 milhões de reais, incluindo operação e manutenção, para um contrato de 35 anos. Com a iniciativa, espera-se atingir 100% de cobertura de água e esgoto na área urbana em até dois anos após a concessão.

Este é o primeiro projeto brasileiro que integra as três áreas de saneamento básico em uma única concessão, que pode ser replicada em várias partes do País. É o que ressalta Pedro Maranhão, secretário nacional de Saneamento do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR.

“Se realmente houver viabilidade e chegarmos a um denominador comum vamos replicar para o Brasil inteiro.. Com essa modelagem, com água, esgoto e resíduos sólidos, nós avançamos muito mais rápido no cumprimento das metas de universalização."

Entre as ações previstas após a concessão estão a ampliação, operação e manutenção do sistema de captação de água, construção de uma Estação de Tratamento de Água e adequação da Estação de Tratamento de Esgoto.

Para o prefeito de São Simão, Assis Peixoto, o projeto trará grandes avanços para a cidade.

"São Simão busca a solução para um problema que se arrasta a muitos anos em virtude da falta de água. Enfim, precisamos otimizar muita coisa que demandam muito recurso financeiro."

O Governo Federal deseja garantir que, até 2033, 99% da população brasileira tenha acesso a abastecimento de água e 90%, a coleta e tratamento de esgoto. 

Para mais informações sobre as ações do Ministério do Desenvolvimento Regional no setor de saneamento, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
13/06/2021 16:30h

Neste momento, uma força-tarefa montada por policiais civis e militares do DF e Goiás, policiais federais e rodoviários federais estão na região em busca do suspeito

Baixar áudio

As polícias Militar do Distrito Federal (PMDF) e de Goiás (PMGO) continuam as buscas por Lázaro Barbosa de Sousa, 32 anos, suspeito de matar uma família em Ceilândia, no Distrito Federal. Os funcionários de uma fazenda localizada em Cocalzinho de Goiás disseram que viram o suspeito por volta das 8h deste domingo (13).

Eles contam que encontraram Lázaro quando fechavam uma porteira da propriedade. O suspeito teria fugido e se escondido em uma mata fechada. As equipes policiais seguiram para a região e mantiveram o cerco ao criminoso.

Na última quarta-feira (9), Lázaro Barbosa teria matado, no DF, Cláudio Vidal de Oliveira, de 48 anos, Gustavo Marques Vidal, de 21, e Carlos Eduardo Marques Vidal, de 15 anos.

Ele também teria sequestrado e matado a esposa de Cláudio, uma mulher de 43 anos, identificada como Cleonice Marques de Andrade. O corpo da vítima foi encontrado neste sábado (12), em um matagal, próximo à BR-070. O cadáver estava sem roupa e com diversos cortes nas nádegas.

Por volta das 19h de sábado, o homem invadiu uma chácara em Cocalzinho de Goiás e baleou três homens. As pessoas foram socorridas pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e levadas ao hospital da região. As vítimas não correm risco de morte.

Neste momento, uma força-tarefa montada por policiais civis e militares do DF e Goiás, policiais federais e rodoviários federais estão na região em busca do suspeito.

Bahia: número do Disque Denúncia da SSP mudou para 181 em todo o estado

Projeto de educação financeira do BC é expandido para todas as escolas públicas do Brasil

Informações preliminares apontam que Lázaro passou a tarde em uma chácara próximo à Lagoa Samuel, onde manteve um caseiro como refém. De acordo com a PMDF, a propriedade pertence a um soldado da corporação.

Lázaro também ateou fogo em uma casa, na madrugada deste domingo (13), no município de Cocalzinho de Goiás, localizado a cerca de 105 km de Brasília.

O suspeito está armado com um revólver calibre .32, uma Beretta .22, uma pistola calibre .380 e 50 munições. As armas e munições teriam sido furtadas das fazendas que ele invadiu. As buscas pelo homem contam com o reforço de militares do Batalhão de Operações Especiais (Bope) e da Polícia Federal.

Dezessete fazendas da região estão ocupadas por policiais para que a segurança da população local seja garantida.

 

Copiar o texto
11/06/2021 19:00h

Cercada de polêmica, realização do torneio de seleções sul-americanas no Brasil foi mantida após decisão do STF, nesta quinta-feira (10)

Baixar áudio

Após idas e vindas, a Copa América deve, enfim, começar no próximo domingo (13). O jogo de abertura do torneio, que reúne 10 seleções sul-americanas de futebol, será disputado entre o Brasil e a Venezuela, no Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília, às 16h. 
 
A disputa da competição já passou por inúmeras alterações desde o ano passado. Inicialmente, o torneio estava previsto para 2020, mas foi adiado pela Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) por conta da pandemia da Covid-19. Os países que iriam receber a competição este ano, Colômbia e Argentina, desistiram de sediar os jogos. O primeiro, devido ao caos político em que se encontra; o segundo, justamente por causa do agravamento do número de casos do novo coronavírus.
 
Procurado pela Conmebol, o Governo Federal aceitou sediar a Copa América, o que gerou críticas de parte dos especialistas e da população, mas também apoio. Em meio à essa divisão, o Ministério da Saúde, em parceria com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a entidade máxima do futebol sul-americano, promoveram coletiva na última segunda-feira (7) com o objetivo de garantir a segurança sanitária do País durante o campeonato.
 
Segundo o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, não há impedimento legal ou sanitário para que a Copa América deixe de ocorrer no Brasil. “Não há um motivo para se vedar a Copa América aqui no Brasil. Motivo sanitário, que vá agregar risco maior aos jogadores ou que tenha uma demonstração cabal de que esse campeonato vai piorar a situação sanitária do Brasil. Não há evidência disso, em absoluto”, disse.

CPI: Queiroga incentiva distanciamento, diz ter autonomia e planeja vacinação de adultos até o fim do ano

Brasil vai sediar a Copa América 2021

Copa América: Conmebol confirma torneio no Brasil, mas ministro diz que ainda não houve acertos oficiais

Escolha das sedes

Quatro cidades vão receber os jogos da competição. Brasília, Cuiabá, Goiânia e Rio de Janeiro. Assim como a própria realização do evento, a escolha dos municípios que iriam sediar as partidas foi marcada por polêmicas. Conmebol, CBF e Governo Federal foram os responsáveis pela decisão de onde os jogos vão ocorrer, informação essa que um assessor da entidade sul-americana confirmou à reportagem do Brasil61.com, na última terça-feira (8). 
 
Ainda antes de o ministro-chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos, confirmar o País como sede do torneio, no dia 1º de junho, governadores de diversos estados se manifestaram sobre a possibilidade de receber os jogos da Copa América. 
 
Representantes de Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Pernambuco, por exemplo, que são estados com clubes de tradição do futebol nacional, descartaram a ideia. Mesmo caso de Alagoas, Rio Grande do Norte e Paraíba. Outros entes da federação que teriam estrutura para receber a competição, como Bahia e São Paulo, afirmaram que, para sediar o torneio, os participantes teriam que seguir as normas sanitárias locais, como estádios sem torcida.
 
A definição das sedes, no entanto, explicitou uma divisão entre algumas autoridades estaduais e das capitais que vão receber as partidas, como explica o Brasil 61 abaixo. 

Brasília

Consultado pelos organizadores da Copa América, o governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, autorizou a realização dos jogos na capital federal. O mandatário defendeu a decisão do Governo Federal e chegou a dizer que as críticas ao Brasil como país-sede eram fruto de “politização”.  
 
Em nota à reportagem, a Subsecretaria de Relações com a Imprensa, do Palácio do Buriti, disse que as competições esportivas profissionais estão autorizadas no DF, desde que sigam os protocolos sanitários indicados em decreto do poder Executivo local, que proíbe a presença de torcida nos estádios e obriga a adoção de medidas não farmacológicas de combate à Covid-19. 

Cuiabá

Antes mesmo da oficialização do Brasil como país-sede da Copa América, o governo de Mato Grosso colocou a Arena Pantanal, em Cuiabá, à disposição para ser um dos palcos do campeonato. Na visão das autoridades estaduais, o evento é uma oportunidade de projetar Mato Grosso para fora do País. O estádio foi construído para uso na Copa do Mundo de 2014. 
 
Receber jogos da Copa América não era o desejo da prefeitura de Cuiabá, de acordo com assessoria de imprensa do município, que garante que o chefe do executivo local não foi chamado para discutir sobre a realização do evento. Em resposta ao Brasil61, a prefeitura diz, ainda, que não acredita que a competição possa ser feita de forma segura na cidade “devido aos índices elevados de contaminação e variantes circulando por todo o mundo”.
 
Esta semana, inclusive, o prefeito Emanuel Pinheiro foi à Brasília pleitear a imunização de toda a população cuiabana como contrapartida pela realização da Copa América na cidade. Além disso, as secretarias de Saúde de Cuiabá e de Várzea Grande (cidade vizinha, onde se localiza o aeroporto) discutem a implantação de barreiras sanitárias nas entradas dos dois municípios. 
 
Vale lembrar que a Arena Pantanal é propriedade do estado de Mato Grosso e, neste caso, a autorização para jogos no local depende do governo estadual. 

Goiânia

O governador de Goiás, Ronaldo Caiado, foi consultado sobre a disponibilidade de Goiânia receber jogos do torneio sul-americano de seleções. Após impor uma série de condições aos organizadores, como a proibição de público nas partidas e treinos e a criação de um sistema de bolha que isolasse todos os envolvidos no evento, incluindo o staff da Conmebol, atletas e imprensa, ele liberou o Estádio Olímpico e o Serra Dourada para os jogos.
 
Antes da Copa América, esses estádios recebiam jogos do Campeonato Brasileiro e até de competições internacionais, como a Sul-Americana. A permissão para que Goiás recebesse o torneio, disse ele em uma rede social, não poderia ser politizada. 
 
“Porque estamos tendo Campeonato Brasileiro, Sul-Americana, Libertadores e Eliminatórias. Tivemos os estaduais. Qual a diferença se protocolos até mais rígidos de segurança serão tomados? É preciso pensar na saúde e ter coerência”. 
 
Procurada, a prefeitura de Goiânia, inicialmente, não respondeu sobre os motivos que levaram a cidade a se candidatar para receber os jogos. Depois, disse que a grande estrutura esportiva da cidade é o trunfo mais importante. Ainda segundo as autoridades locais, os protocolos apresentados pela Conmebol asseguram a realização do mesmo, obedecendo decretos municipais e estaduais. 

Rio de Janeiro

Segundo o governador Cláudio Castro, não houve nenhum tipo de autorização específica para a realização de jogos da Copa América no estado do Rio de Janeiro. Ele disse que o Rio já recebe jogos de outros torneios e que seria incoerente proibir o evento no estado. 
 
Já o prefeito da capital fluminense, Eduardo Paes, classificou a realização da competição na cidade como “meio inoportuna”, mas que não poderia barrar a competição enquanto há jogos de outros campeonatos ocorrendo no Rio de Janeiro. 
 
De acordo com o Ministério da Saúde, o Rio de Janeiro é o estado com a maior taxa de letalidade pela Covid-19 no País. Em nota, a prefeitura disse à reportagem que “não se colocou à disposição para a competição e sequer foi consultada pela Conmebol ou outros organizadores da Copa América”, sobre o evento. 
 
Os estádios Maracanã e Nilton Santos vão receber as partidas no estado. Ambos também sediaram partidas do Campeonato Brasileiro e da Copa Libertadores, este ano, sem público, seguindo modelo que deve ser adotado na Copa América.
 
O fato de os organizadores da competição não terem consultado as prefeituras de algumas das capitais que vão receber os jogos, no entanto, não é errado, segundo o professor de pós-graduação em políticas públicas do Ibmec, Danilo Morais Santos. 
 
Ele explica que os entes federados têm autonomia para vetar, por razões sanitárias, a ocorrência de partidas em seus territórios, mesmo que por ordem do Governo Federal. No entanto, Danilo afirma que não há necessidade de consulta formal prévia e obrigatória junto aos entes da federação. 
 
“A escolha do presidente que recai sobre o território de estados e municípios onde ele reúne notórios alinhados de primeira hora, denota muito possivelmente uma consulta informal aos envolvidos, até para evitar que haja algum tipo de revés, que pudesse desorganizar os jogos. Eu, portanto, não vislumbro qualquer tentativa, qualquer forma de intrusão federativa, na medida em que não houve qualquer objeção explicitada por parte dos estados e municípios”, avalia. 
 
Tanto a Conmebol, quanto o Governo Federal, por meio da Secretaria Especial do Esporte, não informaram quais critérios balizaram a escolha das cidades que vão receber a Copa América. 

Análise do Brasil61.com sobre a taxa de letalidade da Covid-19 nas capitais indica que, das dez capitais com menores índices, apenas Florianópolis, Belo Horizonte e Brasília tem alguma tradição em receber jogos desse porte.

Arte: Brasil 61
 
Protocolo

Entre delegações das seleções e membros da Conmebol, a Copa América no Brasil deve contar com mais de mil pessoas ao redor das quatro subsedes, quando a bola rolar no próximo domingo. Em conjunto com o Ministério da Saúde e a CBF, a Conmebol elaborou um protocolo sanitário para minimizar os riscos de propagação do novo coronavírus por causa da competição.
 
Todos os jogos vão ocorrer sem a presença de público nos estádios, com testagem dos atletas e demais envolvidos por meio do RT-PCR a cada 48 horas. Segundo a Conmebol, oito das dez seleções que participarão do torneio estarão completamente imunizadas contra a Covid-19 até o próximo domingo. Além disso, o Dr. Osvaldo Pangrazio, presidente do Comitê Médico da Conmebol, afirmou que “99% do staff da entidade já recebeu as duas doses da vacina.”
 
Jorge Pagura, presidente da Comissão Médica da CBF, afirma que o protocolo sanitário foi bem elaborado. “Todas as medidas protetivas e medidas de distanciamento, de avaliação no hotel, a criação de um médico para cada sede, além disso um chamado ‘médico entre parentes do controle de Covid’, que cuidará não só dos testes, mas do cumprimento das normas sanitárias nas zonas determinadas para realização do evento”, disse. 
 
Pagura completa. “Nós estamos trabalhando com segurança máxima. PCR com 48 horas, voos fretados, ônibus individuais, restrição à saída dos hotéis, controle dos funcionários de hotéis que têm mais contato com os atletas, andares separados, quartos isolados. Enfim, se tomou muito cuidado em relação a tudo”, detalha. 
 
Ficou acordado, também, que caso sejam contaminados e precisem de atendimento hospitalar, os atletas não vão usar o Sistema Único de Saúde (SUS), mas hospitais da rede privada. Segundo Alessandra Siqueira, diretora do Departamento de Ciência e Tecnologia do Ministério da Saúde, após analisar mais de 250 artigos na literatura, a pasta chegou à conclusão de que “não há um risco maior na população de atletas [de contaminação] quando comparado a comparado à população comum.”
 
O ministro Marcelo Queiroga reforçou que não vê a competição como um risco adicional para a situação da Covid-19 no Brasil. “Os atletas também podem se contaminar com Covid fora do futebol. E eles vão estar dentro do ambiente muito restrito, não é uma bolha total, mas é quase como se fosse uma bolha”, destacou. 
 
O argumento do Governo Federal e de quem é favorável ao Brasil como anfitrião do torneio é que o País já recebe partidas de outros campeonatos nacionais, como o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil e, até, internacionais, como a Libertadores e a Copa Sul-Americana. 
 
Para Mauro Sanchez, epidemiologista da Sala de Situação da Universidade de Brasília (UnB), a realização da Copa América no Brasil talvez não tenha impacto importante nos indicadores da pandemia por aqui. No entanto, ele explica porque é contra. “Vai haver aglomeração na porta do hotel, na frente do estádio, deslocamento de delegações, aglomeração em bares e restaurantes… Então, qualquer caso evitável, hoje em dia, deve ser evitado. Não é porque é um caso em vários milhares que você vai dar menos importância a essa pessoa que vai se infectar”, diz.
 
Ele também diz que, com a quantidade de óbitos pela Covid-19 no País, que se aproxima dos 480 mil, as autoridades deveriam priorizar o combate à pandemia. “A prioridade não deve ser trazer um evento internacional neste momento. Nesse sentido, faltou tato, faltou sensibilidade aos gestores públicos que possibilitaram a realização da Copa América”, critica. 

STF

Na noite desta quinta-feira (10), o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou ações que pediam a suspensão da Copa América no Brasil. Assim, o torneio está mantido e deve começar no próximo domingo. 

Copiar o texto
10/06/2021 04:00h

Para o deputado Vitor Hugo (PSL-GO), a entrada do Brasil na OCDE eleva o patamar do país frente aos padrões exigidos pela organização. Segundo ele, essa condição melhora o ambiente de negócios nacional

Baixar áudioBaixar áudio

A proposta que trata da criação de um escritório da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) no Brasil já está sob análise no Congresso Nacional. Entre os objetivos da medida está promover e garantir a implementação efetiva de atividades conjuntas entre Brasil e OCDE.

Para o deputado Vitor Hugo (PSL-GO), a entrada do Brasil na OCDE eleva o patamar do país frente aos padrões exigidos pela organização. Segundo ele, essa condição melhora o ambiente de negócios nacional, com atração de investidores e aumento da competitividade dos produtos brasileiros.

“A futura entrada do Brasil na OCDE vai permitir que o país aperfeiçoe boas práticas de governança. Permitirá também acesso a modelos de legislação e regulamentação de atividades econômicas, da forma como vários países do mundo que possuem economias maiores e mais dinâmicas do que a nossa têm adotado. E vai, ainda, melhorar o ambiente de negócios no Brasil, possibilitando a geração de emprego e renda”, avalia o congressista.

Câmara deve votar MP sobre remarcação de eventos na pandemia nesta terça-feira

Com sétima alta consecutiva, projeção do PIB brasileiro para 2021 chega a 4,36%

Professor de Políticas Públicas do Ibmec, Eduardo Galvão explica que fazer parte desse grupo é como se o país adquirisse um selo de qualidade. Segundo ele, para o Brasil, fazer parte da organização é importante porque mostra para o cenário internacional o quanto a legislação interna evoluiu, sobretudo em relação à segurança jurídica.

“Com isso, a imagem do Brasil melhora perante os investidores internacionais. Que passam a ter mais confiança em trazer investimentos ao Brasil. Consequentemente, isso vai refletir em aumento de empregos, aumento de renda e mais riqueza e felicidade para a população”, destaca.

A ideia também é que esse escritório possa apoiar missões e eventos da OCDE a serem realizados no Brasil. Além disso, a base irá funcionar como ponto de contato efetivo entre as autoridades brasileiras responsáveis pela cooperação com o secretariado da OCDE.

A OCDE

A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) conta com o envolvimento das nações mais desenvolvidas do mundo. Por meio dela, são estabelecidos parâmetros conjuntos de regras econômicas e legislativas para os seus membros.

O intuito é potencializar o crescimento socioeconômico. Atualmente, o grupo conta com 37 países-membros, a maioria deles situada na Europa. Entre as nações da América Latina estão Chile, México e Colômbia.

O Brasil é considerado parceiro-chave da e participa de diversos órgãos da organização. Para ingressar como membro, o país precisa cumprir uma série de requisitos. Entre as exigências estão normas de governança, comércio, ciência e tecnologia. Dos cerca de 250 instrumentos, o Brasil já aderiu a 96.
 

Copiar o texto
09/06/2021 06:00h

Proposta do programa é universalizar os serviços públicos

Baixar áudio

As prefeituras de Goiás tem até o dia 18 junho para enviar uma carta de intenções à Secretaria de Estado da Administração (Sead) solicitando a disponibilização do Balcão Expresso aos cidadãos de seu município. A divulgação dos primeiros municípios contemplados será realizada no dia 28 de junho.

62,7% dos municípios relatam aumento de casos da Covid-19

Pandemia, eleições, educação: gestores enfrentaram inúmeros desafios à frente dos municípios no último ano

A proposta do Balcão Expresso é universalizar os serviços públicos voltado para os cidadãos que moram em diferentes lugares do estado. Assim, o programa Expresso contempla desde quem gosta de resolver tudo pela internet, com aplicativo e portal único, até os usuários com pouca familiaridade com meios digitais ou que preferem o contato pessoal.

A lista final com as 30 cidades selecionadas será publicada no dia 20 de julho, juntamente com a divulgação do cronograma de desenvolvimento das atividades até a implantação do balcão. O edital com todas as informações está disponível no site da Sead.

Copiar o texto
27/05/2021 15:00h

Sendo assim, neste primeiro momento somente os profissionais das Forças de Segurança Pública e de Salvamento que estejam no desempenho exclusivo de atividades operacionais, em contato com o público em geral, vão tomar a vacina

Baixar áudio

Em Goiás, a intenção do governo do estado é vacinar contra a Covid-19, inicialmente, somente os profissionais das Forças de Segurança Pública e de Salvamento que estejam no desempenho exclusivo de atividades operacionais, em contato com o público em geral.

Sendo assim, neste primeiro momento ficariam sem a imunização os policiais e agentes de segurança que desenvolvem outras atividades, conforme critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

O entendimento é do Ministério Público Federal (MPF), que estabeleceu parecer pela procedência de reclamação ajuizada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP/GO) contra decisão do Tribunal de Justiça goiano (TJGO), que determinou o prosseguimento da vacinação de todos os profissionais e trabalhadores das Forças de Segurança Pública e Salvamento no estado, de maneira prioritária.

Cepa indiana: primeiro caso da variante é confirmada em São Paulo

Covid-19: estados já podem ampliar vacinação com doses da Pfizer para municípios

Segundo o subprocurador-geral da República, Luiz Augusto Santos Lima, em desacordo com as premissas para imunização dos grupos prioritários estabelecidas pelo Ministério da Saúde, a Comissão Intergestores Bipartite (CIB) aprovou a imunização prioritária de todos os trabalhadores das Forças de Segurança Pública que se encontram em atividade.

Na avaliação de Lima, a imunização de todos esses profissionais, independentemente da natureza das atividades por eles desempenhadas, "implica preterição de todos os demais grupos que os antecedem na escala de prioridade já definida no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19, notadamente dos idosos e das pessoas com comorbidades."

 

Copiar o texto
05/05/2021 15:00h

Cada aluno receberá R$ 30 reais por mês para compra de alimentos

Baixar áudio

O governo de Goiás lançou o Cartão Alimentação para beneficiar todos os 530 mil estudantes da rede estadual de ensino. O objetivo é melhorar a alimentação dos alunos goianos durante o período de aulas remotas. Cada estudante receberá R$ 30 reais por mês para compra de alimentos.

Ao todo serão investidos R$ 15,9 milhões no programa, que será pago nos meses de maio, junho e julho. Segundo a Secretaria de Estado da Educação, o cartão substitui os kits de alimentação distribuídos pela pasta desde o segundo semestre de 2020.

MEC lança painel de dados da educação na pandemia

Veículos escolares: FNDE publica novas orientações para aquisição

A retirada do cartão deve ser feita na unidade escolar onde o aluno está matriculado, pela mãe, pai ou responsável legal. É necessário apresentar documento de identidade. Famílias que possuem mais de um filho matriculado na rede estadual, o valor do benefício referente a cada um dos estudantes será depositado em um mesmo cartão.

As compras poderão ser feitas em qualquer um dos comércios credenciais em Goiás, limitadas ao valor do saldo.

Copiar o texto
Brasil 61