Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Agricultura

24/09/2020 12:00h

Os recursos devem contemplar mais de 11 mil pessoas

Baixar áudio

Por meio de portaria publicada nesta quarta-feira (23), o governo federal vai transferir R$ 72,9 milhões que serão utilizados  no Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), que tem como foco o incentivo à agricultura familiar. Os 26 estados do país, além do Distrito Federal vão ser contemplados com o repasse. 

Segundo o governo federal, os recursos devem contemplar mais de 11 mil pessoas. Em abril, o Ministério da Cidadania já havia publicado uma medida provisória que liberou R$ 500 milhões para o programa. 

Mais de 260 municípios devem enviar declaração sobre segunda etapa do PAC

O Programa de Aquisição de Alimentos (PAA)  tem como principais objetivos promover o acesso à alimentação e incentivar a agricultura familiar.  O programa prevê a compra de alimentos com dispensa de licitação e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional e que são atendidas pela rede socioassistencial e entidades filantrópicas. 
 

Copiar o texto
Agronegócios
23/09/2020 10:35h

Isso se deve ao potencial de expansão, de no mínimo 20 mil hectares, da área plantada para os próximos anos com o uso de tecnologias de manejo e de variedades atuais

Baixar áudio

A triticultura da região oeste da Bahia pode contribuir na busca por autossuficiência do Brasil no cultivo de cereal. Isso se deve ao potencial de expansão, de no mínimo 20 mil hectares, da área plantada para os próximos anos com o uso de tecnologias de manejo e de variedades atuais. Atualmente, das cerca de 12 milhões de toneladas consumidas internamente, apenas seis milhões de toneladas devem ser produzidas no Brasil neste ano, de acordo com estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 

Dez mil voluntários serão testados contra a Covid-19 em nova fase

Ministério da Saúde notifica 924.238 casos prováveis de dengue em 2020

O oeste baiano faz parte do Matopiba, uma grande fronteira agrícola nacional que integra o Cerrado do Maranhão, do Tocantins, do Piauí e da Bahia, e é responsável por grande parte da produção nacional de grãos como soja, milho e fibras como o algodão. Segundo estimativas da Conab, a área plantada com trigo na Bahia em 2020 ainda é pequena, com cerca de 3 mil hectares, mas representa quase a totalidade na região oeste. Pesquisadores acreditam que a área possa alcançar rapidamente 20 mil hectares nos próximos anos. 

Copiar o texto
22/09/2020 13:00h

São R$ 2,8 milhões para a aquisição de retroescavadeiras e motoniveladoras

Baixar áudio

A Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste (Sudeco) firmou convênio no valor de R$ 2,8 milhões com a Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Goiás (Seapa-GO). O objetivo é viabilizar recursos para a compra de duas retroescavadeiras e quatro motoniveladoras para o estado. 

Valor da produção agropecuária deve passar de R$ 770 bi e bater recorde histórico, prevê Mapa

Agricultura de precisão pode otimizar produção agropecuária em Mato Grosso

De acordo com a pasta, a medida visa melhorar as condições de logística e escoamento da produção agrícola e, consequentemente, aumentar a receita local. As ações da Superintendência de Desenvolvimento do Centro-Oeste atendem aos interesses da região por meio da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

Copiar o texto
Economia
18/09/2020 16:00h

Em Recife, recuo no preço da cebola foi de 46,9%

Baixar áudio

Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), órgão vinculado ao Ministério da Agricultura, mostra que o preço da cebola apresentou queda na principais Centrais de Abastecimento (Ceasas) do país. Segundo a pesquisa, em agosto, o preço da cebola caiu 46,9% em Recife e 20,7% no Rio de Janeiro, por exemplo.

Em contrapartida, segundo a Conab o tempo frio tem contribuído para a alta do tomate. Em Goiânia, a fruta apresentou alta de 49,2%. A expectativa é que no levantamento que será feito neste mês, o produto apresente queda. 

Garantia-Safra 2020/2021: Ministério da Agricultura abre prazo para agricultores familiares

A pesquisa divulgada pela Conab também  aponta que o setor de folhosas, apesar de ter sido um dos mais impactados pelas medidas restritivas por conta da pandemia, teve uma resposta rápida com a retomada parcial da economia.
 

Copiar o texto
17/09/2020 11:55h

Valor é 19,8% maior em relação ao ano passado

Baixar áudio

O estado de Minas Gerais deve encerrar o ano de 2020 com o Valor Bruto da Produção (VBP) agropecuária em mais de R$ 82 milhões. O valor é quase 20% maior do que o registrado em 2019. Mais da metade da receita mineira veio das lavouras – 64%. Os principais impulsos vêm do café, da soja, do milho, do feijão, do trigo e do amendoim. 

Cresce emissões de certificados sanitários para produtos de origem animal no país

Valor da produção agropecuária deve passar de R$ 770 bi e bater recorde histórico, prevê Mapa

A produção de produtos como mandioca e laranja também tem papel importante no desempenho agropecuário de Minas Gerais neste ano. Na pecuária, os destaques são bovinos, ovos e leite. Também houve crescimento nas exportações de carne bovina em Minas Gerais com valorização do preço no mercado interno. 

Copiar o texto
Agronegócios
16/09/2020 16:00h

O plantio ainda está em fase experimental, mas já teve uma produção superior à média da região Sul

Baixar áudio

A primeira colheita de trigo no Ceará é resultado de uma parceria entre a iniciativa privada e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Foram aproximadamente nove toneladas nessa colheita de trigo, que ainda em fase experimental. Esse valor representa uma produtividade de 1,6 toneladas por hectare na primeira colheita. A iniciativa teve resultado acima do esperado com tempo recorde para o agronegócio do estado, uma vez que era improvável que o cereal crescesse em solo cearense.

Semiárido: Região do Cariri será beneficiada com projeto de fortalecimento da cadeia de macaúba

Plano Nacional de Segurança Hídrica tem quase metade das obras em andamento

O ciclo de produção no Ceará teve duração de 75 dias, enquanto nas principais regiões produtoras do Brasil esse mesmo tipo de plantio e colheita ocorre entre 140 e 180 dias. Com o resultado dessa primeira experiência, é possível prever uma colheita maior nos próximos anos. Esse resultado é fruto dos primeiros experimentos de cultivo no Ceará, em 2019, realizados pela Embrapa e o Instituto Federal do Ceará, que analisaram a viabilidade de produção do cereal no Estado, considerando as condições de solo e clima.

Copiar o texto
Agronegócios
16/09/2020 11:10h

Em agosto, foram emitidos 43.529 documentos que comprovam que esses itens estão de acordo com normas sanitárias

Baixar áudio

Relatório do Serviço de Inspeção Federal (Sif) mostra que o número de emissões de  certificados sanitários para produtos de origem animal cresceu 39% em agosto deste ano, em comparação com o mesmo mês do ano passado. Segundo levantamento da entidade, no mês passado foram emitidos 43.529 documentos que comprovam que produtos de origem animal estão de acordo com os requisitos sanitários, técnicos e legais.

De acordo com o órgão, o total de solicitações de Licenças de Importação (LI) de produtos de origem animal em agosto foi de 5.544. 

Agricultura de precisão pode otimizar produção agropecuária em Mato Grosso

O Serviço de Inspeção Federal (Sif) é a entidade responsável por assegurar a qualidade de produtos de origem animal - comestíveis e não comestíveis - destinados ao mercado interno e externo, bem como de produtos importados. Estão registrados no SIF 3.320 estabelecimentos de produtos de origem animal nas áreas de carnes, leite e produtos lácteos, mel, ovos e pescado. 
 

Copiar o texto
Agronegócios
15/09/2020 11:40h

Puxadas pela soja, lavouras devem resultar em R$ 519 bilhões; já a pecuária, em R$ 252,3 bi

Baixar áudio

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) brasileira de 2020 deve chegar a R$ 771,4 bilhões. Isso significa um aumento de 10,1% em relação ao montante de 2019, quando o país registrou R$ 700,3 bilhões. A informação é do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e foi divulgada nesta segunda-feira (14). 

O VBP deste ano é o maior da história, que começou a ser registrada em 1989. As lavouras devem resultar em R$ 519 bilhões, ou seja, 67,3% do Valor Bruto da Produção Agropecuária. Já para a pecuária, a previsão é de R$ 252,3 bilhões, que equivale a 32,7% do total. 

Garantia-Safra 2020/2021: Ministério da Agricultura abre prazo para agricultores familiares

Exportações agropecuárias podem aumentar até US$ 7,8 bi com acordo Mercosul-Canadá

O destaque nas lavouras deve ficar por conta da soja, cuja receita deve representar 37,4% do valor que vem das lavouras. Segundo José Garcia Gasques, coordenador-geral de Avaliação de Política e Informação da Secretaria de Política Agrícola do Mapa, o desempenho se deve aos preços internos desses itens, que estão bastante superiores aos do ano passado e às exportações de carnes e grãos, principalmente para a China. 

Mato Grosso (R$ 136,5 bi), Paraná (R$ 98,5 bi) e São Paulo (R$ 95,7 bi) são os estados que mais contribuem para os resultados da agropecuária brasileira. 

Copiar o texto
Agronegócios
15/09/2020 07:00h

Ao todo, governo federal destinou R$ 14,7 milhões para adquirir alimentos desses produtores; além disso, cerca de R$ 296 mil vulneráveis devem ser beneficiados com a doação de alimentos

Baixar áudio

Quase três mil agricultores familiares de 105 municípios gaúchos vão poder vender seus produtos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) no estado. Ao todo, o Ministério da Cidadania autorizou a liberação de mais de R$ 14,7 milhões para o PAA. 

O objetivo do governo federal é atender as pessoas mais carentes, beneficiar organizações produtivas do Rio Grande do Sul e fortalecer a agricultura local. Ao todo, cerca de 4,8 mil toneladas de alimentos de 40 cooperativas vão ser adquiridas. A estimativa é de que 296 mil pessoas em situação de vulnerabilidade sejam beneficiadas. 

Agricultores familiares do Nordeste vão ter oferta de serviços de consultoria agrícola online

Mais 117 municípios serão beneficiados com os recursos do Programa de Aquisição de Alimentos

Copiar o texto
15/09/2020 00:00h

Programa garante auxílio de R$ 850 para agricultores familiares do Nordeste e de Minas Gerais que estão sujeitos à perda da produção por estiagem ou excesso de chuvas

Baixar áudio

Agricultores familiares de dez estados (os nove da Região Nordeste e Minas Gerais) já podem se inscrever no programa Garantia-Safra para o período 2020/2021, de acordo com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). 

Criado em 2002, o Garantia-Safra é uma ação que integra o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), e tem como objetivo garantir segurança alimentar e condições mínimas de sobrevivência aos agricultores familiares que perdem a safra por causa da seca ou das enchentes. Por isso, inicialmente focou nos municípios do semiárido nordestino e norte mineiro. 

O programa garante um benefício de R$ 850 — pago em cinco parcelas de R$ 170 — aos agricultores familiares que tiverem perdas de 50% ou mais da produção. No entanto, ainda é preciso cumprir outras condições: possuir renda familiar mensal de, no máximo, 1,5 salário mínimo e plantar entre 0,6 e 5 hectares de feijão, milho, arroz, algodão e/ou mandioca. Além disso, o estado e o município onde o produtor reside devem cumprir os procedimentos de implementação e de verificação das perdas. 

Eduardo Boesing, advogado especialista em agronegócio, afirma que o Garantia-Safra é fundamental, principalmente em uma região que costuma sofrer com estiagem ou enchentes. “Ele [o programa] cria uma garantia de renda mínima e, além disso, a questão de subsistência. Possibilita que o pequeno agricultor que já teve essa perda enorme consiga honrar seus compromissos e dar uma qualidade de vida mínima para a família”, avalia.  

Arte: Brasil 61

Regras

No início do mês, o Comitê Gestor do Garantia-Safra definiu as regras para a safra 2020/2021. Ao todo, o Governo Federal vai disponibilizar R$ 468 milhões para a execução do programa no ano que vem. Serão um 1.350.000 de cotas (agricultores segurados) disponibilizadas aos 10 estados. Para o Ceará, por exemplo, vão ser 350 mil. 

Em seguida, vem a Bahia, com 345 mil cotas, número que vem crescendo nos últimos anos. No estado baiano, o programa referente à safra de 2018/2019 beneficiou cerca de 231 mil famílias de 206 municípios. 

Por causa da pandemia da Covid-19, cerca de 700 mil agricultores foram inscritos de forma automática para a safra 2020/2021. Eles estavam inscritos nas duas safras anteriores e foram incluídos na próxima. O Mapa informa que aqueles que não tiveram a inscrição migrada vão poder se inscrever presencialmente nas instituições emissoras de DAP — que é um documento de identificação da agricultura familiar. É importante lembrar que além da inscrição, o produtor tem um prazo para efetivar a adesão ao programa. Confira abaixo as datas-limites para cada estado. 

Arte: Brasil 61

Boesing explica que o programa tem os recursos oriundos do Fundo Garantia-Safra, criado pela Lei nº 10.420 de 2002. Para a versão 2020/2021, cada agricultor familiar vai ter que contribuir com R$ 17. Os municípios devem contribuir com R$ 51 e os estados com R$ 102 para cada agricultor aderido. 

“O percentual de aporte é em relação às contribuições, onde tem o mínimo para cada agricultor e tem participações dos municípios, estados e União, que depositam nesse fundo, que é de onde saem os recursos para o pagamento das indenizações.” 

Agricultura familiar tem mais recursos e menos juros no Plano Safra 2020/2021

Projeto de socorro a agricultores familiares é aprovado pela Câmara dos Deputados

Desde 2002

Desde quando foi institucionalizado, o Garantia-Safra já disponibilizou R$ 6,8 milhões para R$ 7,6 milhões de famílias de agricultores familiares em 17 safras. O benefício é pago por meio da Caixa Econômica Federal e segue o calendário de pagamento de benefícios sociais. 

Copiar o texto

Acesse nossos conteúdos de rádio