Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

vacinação

29/06/2020 11:00h

Pesquisa é chefiada pela Universidade de Oxford. Brasil investiu cerca de R$ 693 milhões

Baixar áudio

O governo brasileiro fechou acordo de cooperação com o Reino Unido para desenvolver e produzir uma vacina contra a covid-19. O medicamento é desenvolvido pela Universidade de Oxford e pela empresa farmacêutica AstraZeneca. O Brasil vai contribuir com o investimento de US$ 127 milhões, equivalente a cerca de R$ 693,4 milhões. Com isso, o Brasil ganha o direito de receber a tecnologia para produção da vacina e 100 milhões de doses serão colocadas à disposição do país. A produção em território nacional será feita pela Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

Leia mais sobre COVID-19

Apontada pela Organização Mundial da Saúde como a pesquisa em estágio mais avançado entre as mais de 200 tentativas de produzir uma vacina, o estudo britânico está em fase de testes clínicos. Nove mil pessoas já receberam uma dose e, ao que tudo indica, o medicamento é seguro. Agora, o estudo vai ser expandido e a vacina será testada em 50 mil pessoas em todo o mundo, inclusive no Brasil. 

Essa não é a única participação do Brasil no desenvolvimento de vacinas contra o novo coronavírus. No começo do mês, o governo de São Paulo firmou uma parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac para a produção de uma imunização.

Copiar o texto
27/06/2020 22:00h

Pelo menos dois PLs que tramitam na Câmara pedem que dados vacinais dos brasileiros sejam armazenados na internet, em vez dos conhecidos cartões de papel

Baixar áudio

Todo brasileiro já passou pela situação de precisar se vacinar, mas não encontrar a caderneta de vacinação para checar quais doses estão pendentes. Um projeto de lei que tramita na Câmara dos Deputados pode acabar com essa confusão. O PL 3496/20 cria o Sistema Integrado de Vacinação e Imunização online. As doses de vacina já aplicadas, vão ficar armazenadas na internet, junto com o nome, sobrenome, número do cartão de vacinação e outros dados pessoais. O projeto é de autoria da deputada Rejane Dias (PT-PI).
 
A ideia é que o sistema seja mantido por meio de um convênio com estados e municípios e seja acessado pelos agentes de saúde de hospitais e clínicas de vacinação. O texto tem um teor semelhante ao do PL 468/19, do deputado Dr. Luiz Antônio Teixeira Jr. (PP-RJ), que também propõe um cartão de vacinação online. O documento será vinculado ao CPF do paciente e será acessível em todas unidades de saúde do Brasil.

Copiar o texto
24/06/2020 12:00h

Campanha vai até a próxima terça-feira (30). Gestantes, crianças de até 5 anos e puérperas ainda estão longe da cobertura vacinal recomendada

Baixar áudio

A uma semana do fim da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe, 20,8 milhões de pessoas que fazem parte do público-alvo ainda precisam se vacinar. Até agora, 84% do público visado pelo Ministério da Saúde já recebeu a vacina - são 58 milhões de pessoas. A meta é atingir 90% de cobertura vacinal.

Entre idosos e trabalhadores da área de saúde a vacinação atingiu 100% do público. Mas os grupos que menos se vacinaram foram as gestantes, que tiveram 53% de cobertura vacinal, crianças de até 5 anos de idade, somente 53,2% foram vacinadas, e as puérperas, que atingiram 63,8%.

A vacinação contra a influenza é importante para reduzir o número de casos graves e de mortes pela gripe. A imunização é ainda mais importante neste momento porque ajuda a diminuir a procura por hospitais, que vão poder focar seus esforços no atendimento de pacientes da covid-19. A campanha de vacinação vai até a próxima terça-feira, dia 30 de junho. 

Copiar o texto
Saúde
10/05/2020 04:00h

A última fase da campanha será dividida em duas etapas

Baixar áudio

Entre 11 de maio e 5 de junho, o Ministério da Saúde realiza a terceira e última fase da Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe que será dividida em dois momentos. Na primeira etapa, entre 11 e 17 de maio, vão ser vacinadas crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade, gestantes, puérperas no pós-parto até 45 dias e pessoas com deficiência. 

A segunda etapa, no período de 18 de maio a 5 de junho, irá incluir pessoas de 55 a 59 anos e professores. Assim, o último dia de vacinação que estava agendado para o dia 22 de maio, agora com o novo calendário passa a ser no dia 5 de junho.

Renato Kfouri, presidente do Departamento de Imunizações da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), afirma que, quando as gestantes ou mães no pós-parto recebem a vacina contra o vírus Influenza, elas transferem anticorpos para os filhos.

"As crianças pequenas já recebem na amamentação uma proteção muito importante. Além disso, quando vacinamos a grávida, essa transferência de anticorpos e essas defesas que a mãe produz são transferidas para o bebê, protegendo esse primeiro semestre de vida.”

Em 2019, entre os grupos prioritários da campanha, menos de 70% das gestantes e das crianças foram vacinadas, segundo o Ministério da Saúde.

No senso comum, há um mal entendimento de que a vacina contra o Influenza causa gripe, ideia refutada por especialistas de saúde. O Epidemiologista da Fiocruz em Brasília, Cláudio Maieorovich, afirma que esse mito precisa ser desmistificado.

“A vacina é extremamente segura, são constituídas por vírus inativados, fracionados e purificados, portanto, não contêm vírus vivos e não causam a doença. Para aquelas pessoas com história de alergia grave a doses anteriores, administrar a vacina sob observação nos serviços de saúde. Então, reforça-se que não há a menor chance de contrair gripe ou alguma doença pelo fato de ter tomado a vacina”, disse o médico. 

Segundo o Ministério da Saúde, neste ano foi investido mais de R$ 1,1 bilhão na compra de 79 milhões de doses de vacina. Toda semana o órgão envia novas remessas da vacina aos estados, conforme as entregas do produto pelo  Instituto Butantan. Cada estado é responsável por distribuir as vacinas aos seus municípios.  

Em caso de fila, as pessoas, dos grupos prioritários, devem manter distância de dois metros da outra pessoa. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/vacinabrasil.

Copiar o texto
Saúde
06/04/2020 13:41h

Profissionais de saúde da prefeitura percorrem casa a casa para imunizar pessoas acima de 60 anos

Baixar áudio

Em Campo Grande, idosos acamados ou com dificuldade de locomoção serão vacinados contra o vírus Influenza, causador da gripe, dentro de casa. Profissionais de saúde da prefeitura percorrem casa a casa para imunizar esse público. A expectativa é que três mil idosos sejam vacinados dentro do próprio domicílio até 15 de abril, último dia da primeira fase da campanha. 

Para esta tarefa, a prefeitura da cidade conta com o apoio da Câmara Municipal de Campo Grande e do Ministério Público Estadual, que emprestaram veículos para ajudar no transporte das equipes. Para que o idoso receba a vacinação contra o Influenza em casa, é necessário que ele ou algum responsável entre em contato, por telefone, na unidade de saúde de referência da região em que mora. 

Idosos com problemas renais crônicos continuam sendo imunizados nas unidades de saúde, também com agendamento. As pessoas acima de 60 anos são vacinadas em farmácias conveniadas pela Prefeitura.

A superintendente de Vigilância em Saúde de Campo Grande, Veruska Lahdo, recomenda que os moradores de Campo Grande que querem se vacinar contra Influenza fiquem de olho nos canais de comunicação da prefeitura. “Toda informação, todos os pontos de vacinação referentes à campanha de Influenza são informados na página da Sesau: www.campogrande.gov.br/sesau. Lá tem a lista completa dos locais de vacinação das 53 farmácias e das unidades de saúde com a vacina disponível". 

Devido à grande procura, a vacina contra a gripe se esgotou no terceiro dia de campanha. Novas doses serão entregues pelo Ministério da Saúde nesta segunda semana de campanha. O Ministério da Saúde envia as vacinas de forma escalonada e cabe a cada prefeitura planejar a distribuição. 

A Campanha Nacional de Vacinação será realizada em três fases e termina em 22 de maio. A coordenadora Nacional de Imunizações do Ministério da Saúde, Francieli Fontana, tranquiliza a população de Campo Grande e garante que haverá vacina para todos os grupos prioritários.

“Todas as pessoas serão vacinadas em cada fase. As vacinas estão sendo entregues de forma escalonada, de acordo com a entrega do Instituto Butantã, que é o produtor.”

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório com alto potencial de transmissão, segundo o Ministério da Saúde. Os principais sintomas da gripe são febre, dor no corpo, dor de cabeça e tosse seca.

O Ministério da Saúde alerta que, para evitar o contágio de gripe e de outras infecções, além de tomar a vacina a população deve seguir medidas simples como higienizar as mãos e manter hábitos saudáveis. Em todas as etapas da vacinação, 67 mil campo-grandenses devem ser imunizados, conforme estimativa da prefeitura da cidade.

Para mais informações sobre a campanha de vacinação contra Influenza, acesse: saude.gov.br/influenza ou ligue para a Secretaria de Saúde de Campo Grande no telefone (67) 3314-3000.

Em caso de fila, nos postos de saúde, mantenha distância de pelo menos 2 metros dos demais, principalmente os idosos.

E, para mais informações sobre a campanha nacional de vacinação contra a gripe, acesse: saude.gov.br/vacinabrasil. 

Copiar o texto
Saúde
25/03/2020 04:42h

Baixar áudio

A vacinação contra o Influenza, que começou nesta segunda-feira (23), é imprescindível, assim como evitar aglomerações em decorrência do novo coronavírus. Com o objetivo de proteger as pessoas com 60 anos ou mais, o primeiro público alvo da campanha, a Secretaria de Saúde de Recife decidiu instalar postos móveis em escolas, creches e academias da cidade.

Segundo a coordenadora do Programa de Imunizações do Município de Recife, Elizabeth Azoubel, o objetivo é vacinar os mais de 183 mil idosos da capital sem que haja grande concentração de pessoas durante o processo. 

“Recife tem 168 salas de vacina. Durante o período da campanha, todas as 168 salas estão abertas e, também, foram abertas 40 escolas, creches e academias da cidade para desafogar essas unidades. Muitas unidades estão atendendo com mais de uma sala, uma exclusiva para idoso. Tem unidade que abriu até quatro salas com vacinas só para idosos. Tudo isso para evitar aglomeração. Esses 40 postos móveis foram abertos junto a unidades que tem um fluxo muito grande também para evitar que tenha aglomeração, que tenha acúmulo de pessoas.”

Em Recife, o primeiro público-alvo da campanha pode procurar os 168 postos de saúde ou uma das 40 unidades móveis montadas em escolas, creches e academias da cidade. O horário de atendimento será de 8h às 17h. É preciso levar um documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação.

A campanha de vacinação em Recife começou nesta segunda-feira (23/03), para pessoas com 60 anos ou mais e profissionais da área de saúde. A partir do dia 16 de abril, o público-alvo é ampliado para professores, profissionais das forças de segurança e pessoas com doenças crônicas. O Dia D está marcado para 9 maio, quando deverão ser vacinadas as crianças de 6 meses a menores de 6 anos incompletos, gestantes e puérperas, população privada de liberdade e adultos entre 55 a 59 anos.

O Influenza é uma infecção aguda do sistema respiratório e, segundo Ministério da Saúde, possui alto potencial de transmissão. Os principais sintomas da infecção são febre, dor no corpo, dor de cabeça e tosse seca. 

A vacinação contra a Influenza, segundo as autoridades de saúde, é fundamental no combate ao coronavírus. Ao retirá-la da triagem, os casos de Covid-19 são identificados mais rapidamente e, além disso, a vacina previne que idosos tenham o sistema respiratório sobrecarregados.

A especialista em Epidemiologia da USP, Ana Paula Sayuri, destaca que o vírus Influenza pode trazer sérias consequências à saúde dos infectados.

“Essa doença pode se agravar. Na forma grave, a pessoa pode ter dificuldade de respirar, às vezes até necessitando de ser hospitalizada. É o que a gente chama de síndrome respiratória aguda grave.” 

A vacinação contra a gripe, em Recife, conta com mais de 2 mil profissionais. Nesta primeira etapa, a capital recebeu 101 mil doses das vacinas.

O Ministério da Saúde alerta que para evitar pegar influenza ou outras infecções, além de vacinar, a pessoa deve seguir medidas simples como higienizar mãos e a manter hábitos saudáveis.

Para mais informações acesse: saude.gov.br/influenza.
 

Copiar o texto
Saúde
25/03/2020 04:32h

Baixar áudio

A Prefeitura de São Luís deu início, nesta segunda-feira (23), à campanha de vacinação contra a gripe. Até 15 de abril, apenas idosos acima de 60 anos, profissionais de saúde e crianças entre seis meses e de seis anos de idade poderão ser vacinados. Para a ação, a capital maranhense conta com 68 postos de vacinação.

Agentes de saúde da prefeitura irão vacinar, em domicílio, pessoas acamadas ou impossibilitadas de ir a postos de vacinação. O prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Junior, pede para que a população não lote os locais de vacinação para que os idosos não fiquem expostos a infecções, como o novo coronavírus. Ele pede cautela e garante que haverá vacinas para todo o público-alvo.  

“Não há necessidade de lotar os postos de saúde. Lembrem-se que devemos evitar aglomerações. Temos vacinas disponíveis para todos. Faço um apelo para que cuidemos uns dos outros.”

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, e segundo o Ministério da Saúde tem alto potencial de contágio. Os principais sintomas da infecção são febre, dor no corpo, dor de cabeça e tosse seca. 

Segundo o Ministério da Saúde, o vírus da Influenza é responsável por vários casos de internação principalmente entre idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas, como diabetes e hipertensão.

Ao tomar a vacina, a pessoa fica imunizada por um ano. A pneumologista da Fiocruz do Rio Janeiro, Patrícia Canto, esclarece que a imunuzação contra o Influenza é muito segura e não adoece quem é vacinado.

“A vacina é muito segura realmente protege contra a gripe. No mundo inteiro, a vacina tem que ser repetida todos os anos.”

A vacinação contra a influenza, em São Luís, vai até o dia 22 maio. O Ministério da Saúde alerta que para evitar o contágio do influenza ou outras infecções, além de vacinar, a pessoa deve seguir medidas simples como higienizar mãos e a manter hábitos saudáveis. Nesta primeira etapa de vacinação contra a influenza, a prefeitura do município irá oferecer 85 mil doses da vacina em 68 postos de vacinação. As pessoas com dificuldade de locomoção devem agendar a visita de um agente de saúde pelo telefone (98) 99135-9332.

Para mais informações acesse: saude.gov.br/influenza.
 

Copiar o texto
Saúde
24/03/2020 13:35h

Baixar áudio

A campanha de vacinação contra Influenza em Aracaju já conseguiu vacinar cerca de 92% das pessoas com 60 anos ou mais, principal público alvo da primeira fase. A meta é administrar a dose em todos os 53 mil idosos da capital, levando em conta de que é preciso cuidados especiais em plena pandemia do coronavírus. Para isso, a Secretaria de Saúde traçou diversas estratégias, entre elas a vacinação em postos itinerantes montados em praças amplas e arejadas.

Segundo Ilziney Simões, Coordenadora do Programa de Imunizações e Doenças Imunoprevisíveis da Secretaria de Saúde de Aracaju, as medidas foram suficientes para evitar aglomeração.

“Tentamos realizar estratégias fora das unidades básicas de saúde, evitar aglomerações desses idosos dentro das unidades, realizando drive thru em um shopping bastante visitado no município e uma vacinação itinerante na praça, uma praça grande, bem localizada para que os idosos pudessem se vacinar. Além das unidades de saúde estarem ofertando a vacina contra Influenza, nós também ofertamos essas estratégias fora das unidades”, disse.

Além da vacinação na Praça Zilda Arns, no último dia 7, vão ocorrer duas outras itinerantes em lugares amplos para que os idosos restantes posam tomar a dose. No dia 14 de abril, as pessoas com 60 anos ou mais poderão receber a vacina na praça localizada no final de linha do Conjunto Bugio. No dia 15 de abril, a ação acontecerá no quartel do 28º Batalhão de Caçadores.

Aracaju tem 44 salas de vacina nas unidades de saúde, funcionando das 8h às 17h. Os mais de 22 mil profissionais de saúde, também público-alvo da primeira fase da campanha, receberam as doses diretamente nas instituições de saúde, em seus postos de trabalho.

Segundo Cláudio Maierovitch, epidemiologista da Fiocruz, a gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório e a vacinação é fundamental no combate ao Coronavírus. Ao retirá-la da triagem, os casos de Covid-19 são identificados mais rapidamente e, além disso, a vacina previne que idosos tenham o sistema respiratório sobrecarregado.

“No momento em que estamos na iminência da entrada de um outro vírus, que já está entre nós, na verdade, do alastramento de um outro vírus, que causa sintomas muito semelhantes de uma doença muito parecida (com a gripe), até mesmo para que diminua a quantidade de pessoas que estão com doença respiratória e diminua a confusão entre as doenças, é importante que as pessoas tomarem a vacina”, alerta o especialista.

A campanha de vacinação contra Influenza segue até o dia 22 de maio. No dia 16 de abril, é a vez dos professores de escolas públicas e privadas, profissionais das forças de segurança e salvamento e portadores de doenças crônicas. A partir do Dia D, marcado para 9 de maio, o público-alvo é ampliado para crianças de 6 meses a menores de 6 anos, gestantes, puérperas e adultos de 55 a 59 anos. 

O Ministério da Saúde alerta que para evitar pegar Influenza ou outras infecções, além de vacinar, a pessoa deve seguir medidas simples como higienizar mãos e a manter hábitos saudáveis. Para mais informações acesse: saude.gov.br/influenza.
 

Copiar o texto
Saúde
24/03/2020 11:57h

Os moradores de Cuiabá (MT) já podem se dirigir as unidades de saúde localizadas na cidade para se vacinar contra o vírus Influenza, que causa gripe

Baixar áudio

Os moradores de Cuiabá (MT) já podem se dirigir as unidades de saúde localizadas na cidade para se vacinar contra o vírus Influenza, que causa gripe. 

A Secretaria Municipal de Cuiabá utiliza escolas e igrejas para que os idosos sejam imunizados sem risco de contágio de qualquer doença. A responsável Técnica de Imunização de Cuiabá, Sandra Horn, diz que a ampliação dos locais foi necessária porque a população mais velha costuma lotar os postos de vacinação da capital mato-grossense. 

“A procura é muito grande, os idosos vão madrugar nas nossas unidades. Algumas unidades vão ocupar escolas, já que não estamos tendo aulas, e alguns centros religiosos.” 

A gripe é uma infecção aguda do sistema respiratório, e, segundo o Ministério da Saúde, tem alto potencial de transmissão. Os principais sintomas são febre, dor no corpo, dor de cabeça e tosse seca. 

O vírus Influenza é responsável por casos de internação entre idosos, crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas como diabetes e hipertensão, de acordo com o Ministério da Saúde.  

O Epidemiologista da Fiocruz em Brasília Cláudio Maieorovich destaca que a imunização contra Influenza não faz com que a pessoa adquira o vírus e fique gripada. Ele afirma que esse mito precisa ser superado.  

“A vacina é extremamente segura e só não é indicada para quem tem alergia a ovo já que as proteínas do ovo podem estar na vacina, que é produzida com base em ovos. Ela é extremamente segura e não tem vírus vivo. Então, não há a menor chance de contrair gripe ou alguma doença pelo fato de ter tomado a vacina.” 

Depois da imunização dos idosos e técnicos de Saúde, a vacina contra Influenza será estendida a todos, até o dia 22 de maio. O Ministério da Saúde alerta que, para evitar gripe e outras infecções, além de tomar a vacina a pessoa deve seguir medidas simples como higienizar as mãos e manter hábitos saudáveis. Na primeira etapa de vacinação contra Influenza, até 15 de abril, 95 postos de vacinação serão instalados em Cuiabá.  Para mais informações acesse: saude.gov.br/influenza.

Copiar o texto
Saúde
24/03/2020 04:00h

Baixar áudio

Este ano, o município de Vitória inovou para a realização da campanha de combate ao vírus Influenza, causador da gripe. 

As escolas municipais se transformaram em pontos de vacinação, desde a segunda-feira, 23 de março. 

Outra novidade, são os agendamentos.

A população poderá marcar a data e o horário da vacina por meio do agendamento on-line, disponível no site da Prefeitura ou do aplicativo Vitória Online. O serviço já está liberado. 

A medida é para evitar aglomerações e contaminação em ambientes de saúde, em tempos de Coronavírus, como explica a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Tatiane Comério. 

“Entendemos que, neste momento, precisamos de locais mais arejados, evitar aglomeração e que pessoas saudáveis que vão procurar os nossos serviços para vacinação evitem ambientes fechados. Nas Unidades Básicas de Saúde, terão pessoas aguardando atendimento por várias questões e uma delas a gente sabe que é da síndrome gripal dos resfriados que, neste momento, estão aumentando as demandas nas unidades. Então, quando a pessoa chegar à escola já vai estar agendada com o dia que escolheu e o horário que escolheu.”

Para a primeira fase da campanha contra o Influenza, o Ministério da Saúde já enviou 15 mil doses da vacina ao município, destinadas a pessoas acima de sessenta anos e a profissionais da saúde.

Serão duas semanas de intervalo entre uma fase e outra. Na segunda fase da campanha, que começa dia 16 de abril, entram os professores, profissionais das forças de segurança e salvamento, além dos doentes crônicos.

A partir de 9 de maio, Dia D de vacinação, serão vacinadas as crianças de seis meses a menores de seis anos, pessoas com mais de 55 anos, gestantes, mães de até 45 dias após o parto, população indígena e portadores de condições especiais. A campanha seguirá até o dia 23 de maio. 

O Ministério da Saúde alerta que para evitar pegar Influenza ou outras infecções, além de vacinar, a pessoa deve seguir medidas simples como higienizar mãos e a manter hábitos saudáveis. Para mais informações acesse: saude.gov.br/influenza.
 

Copiar o texto

Acesse nossos conteúdos de rádio