Rodovias

21/09/2022 04:30h

De acordo com estudo da Confederação Nacional do Transporte (CNT), mais de 74% das rodovias concedidas estão em bom ou ótimo estado.

Baixar áudio

As concessões rodoviárias liberam a possibilidade de investimento mais rápido em infraestrutura e dão longevidade a rodovias em melhores condições para o tráfego de motoristas. Essa é a avaliação de Gildemir da Silva, professor de finanças e economia dos transportes e pesquisador em Indústrias de Redes. 

“A manutenção ao longo do período de concessão de 30 anos, geralmente, é de qualidade de serviço prestado. Nesse sentido, a concessão abre possibilidade de termos infra mais adequada ao nosso modal. Quando há obra pública, está suscetível a várias leis que precisam ser reestruturadas”, pontua. 

Hoje, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Brasil é um dos países com maior dependência de modal rodoviário para transporte de cargas, que representa 61% da matriz de transporte brasileira ou, descontando a movimentação de minérios e petróleo, 86% do total. Essa dependência pode elevar o custo do transporte, caso as rodovias não estejam em bom estado. 

“Quando há gestão pública bem organizada, a concessão pode ser boa solução para reduzir custos, que são os custos de oportunidade, reduzidos porque diminuímos tempo de viagem, diminui acidentes. Esses custos se reduzem e, consequentemente, o custo total para a sociedade”, avalia Silva. 

Um estudo feito pela Fundação Dom Cabral (FDC) analisou 264.196 acidentes registrados pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) entre 2018 e 2021 em rodovias federais. A análise concluiu que os trechos administrados pelo poder público concentram média anual de acidentes maior: 58,3% do total frente a 41,7% de rodovias concedidas. A taxa de severidade dessas ocorrências também é predominante em locais de administração pública: 80,4% contra 19,6% onde há concessões.

Rodovias concedidas em bom estado

A pesquisa CNT de Rodovias 2021, elaborada pela Confederação Nacional do Transporte, avaliou 109.103 quilômetros da malha rodoviária brasileira nas cinco regiões do país. Desse total, apenas 23.636 estão sob regime de concessão e 85.467 sob gestão pública.

Uma das classificações feitas pelos pesquisadores foi referente ao estado geral dessas rodovias. E, nesse quesito, há uma diferença grande entre os regimes de administração. Mais de 71% dos trechos sob responsabilidade do poder público são avaliados como regular, ruim ou péssimo, e 28,2% como bom ou ótimo. Já nas rodovias concedidas, ruim ou péssimo somam 25,8% das avaliações, e 74,2% são tidas em estado bom ou ótimo. 

Entre 2010 e 2020, a extensão das rodovias pavimentadas no Brasil teve taxa média de crescimento anual de 0,36%, ou cerca de 225 quilômetros. “É muito pouco, principalmente quando avaliamos que a frota de veículos nesse mesmo período subiu 66%”, diz Bruno Batista, diretor executivo da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Para o presidente da CNT, Vander Costa, é necessário mais investimentos em rodovias por parte dos governos que as administram. 

“É preciso investimento até para garantir o desenvolvimento econômico sustentável. Se pegarmos o que foi arrecadado pela Dutra [rodovia que liga os estados de SP e RJ], dava para fazer um desenvolvimento paralelo muito grande. É o que está sendo feito no modal ferroviário. Queremos pegar esse modelo para as rodovias. O que for arrecadado de outorgas, que seja reinvestido e, se possível, dar reequilíbrio econômico ao Brasil”, avalia. 

Copiar o texto
Brasil
10/09/2022 18:00h

Obras devem trazer mais segurança para os motoristas locais

Baixar áudio

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informou, neste sábado (10), que concluiu a construção de dois viadutos de 19 metros cada, na BR-101/PE, que passa pelo município de Escada. O DNIT também liberou um retorno entre as pistas locais em desnível, ou seja, por baixo da rodovia, chamado de Passagem Inferior (PI). 

Os viadutos estão no mesmo ponto. Segundo o DNIT, uma estrutura é voltada para a pista reformada e a outra para a pista duplicada. A obra fica no trecho entre os quilômetros 126 e 127 da BR-101 e custou, aproximadamente, R$ 7 milhões.  

O DNIT afirma que antes dos viadutos que viabilizaram a Passagem Inferior do município, não existia passagem da pista local de um lado para o outro da rodovia. Dessa forma, os motoristas precisavam sair da pista local, acessar a via principal e andar por toda a área urbana de Escada até chegar ao primeiro retorno, que fica fora do perímetro urbano. Só assim passavam para a pista principal do outro lado, retornando por ela, até entrar na pista local desejada. 

Como os retornos entre as pistas restaurada e duplicada da BR-101 ficavam longe um do outro, a população se arriscava ao acessar e fazer retornos indevidos entre as pistas. A construção dos viadutos e da PI criou a possibilidade de realizar o retorno e a passagem de um lado para o outro da cidade sem a necessidade de entrar na rodovia. 

Infraestrutura: para especialistas, expectativa de investimentos para a próxima década é expressiva

Infraestrutura: Brasil estimula investimentos privados para diversificar e modernizar a matriz de transportes

Especialistas destacam que a indústria é fundamental impulsionar o crescimento econômico sustentado do país

Copiar o texto
28/08/2022 16:00h

Motoristas que transitarem pela BR-116/RS, nas proximidades do município de Esteio, devem ficar atentos às alterações no tráfego em função da Expointer

Baixar áudio

Motoristas que trafegam em rodovias no sul do país devem ficar atentos a algumas obras de manutenção e alterações no tráfego. Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a ponte do Rio Ubá, no km 33, da rodovia BR-153, próxima a Santo Antônio da Platina, no Paraná, está em obras e opera em sistema “pare e siga”.

O DNIT informou que são realizados serviços de manutenção, com recuperação de parte da laje da ponte. Os trabalhos têm previsão de serem concluídos neste domingo (28). 

Já em Santa Catarina, em razão das obras de adequação de capacidade na BR-163/SC, diversos pontos da rodovia federal estão com alteração de tráfego. O trecho entre os quilômetros 105,4 e 106,4, em Guarujá do Sul, opera em sistema “pare e siga” 24h. Na área urbana de São José do Cedro, entre o km 100 e o km 105, o fluxo está sendo direcionado por vias marginais.

No Rio Grande do Sul, quem transita pela BR-116/RS, nas proximidades do município de Esteio, deve ficar atento às alterações no tráfego em função da Expointer.

As mudanças acontecem neste domingo e no primeiro final de semana de setembro (3 e 4), devido ao aumento no fluxo de veículos no entorno do Parque de Exposições Assis Brasil, onde acontece o evento. De acordo com informações do DNIT, o trecho estará sinalizado.
 

Copiar o texto
23/07/2022 18:54h

O tráfego de veículos no km 321 da BR-381, no município de Nova Era, voltou a se normalizar na última sexta-feira, após a finalização dos reparos que duraram seis meses

Baixar áudio

A pista principal da BR-381, no km 321, em Nova Era, Minas Gerais, foi liberada para o tráfego de veículos. A área estava interditada desde 14 de janeiro, quando fortes chuvas na região deslocaram uma grande massa de terra e destruíram o asfalto.

População brasileira está mais velha: número de pessoas com 65 anos ou mais cresceu 41% nos últimos dez anos

Frio pode aumentar em até 30% os casos de infarto

Reciclagem, baixa cobertura vacinal contra a gripe, vacina da Covid-19 em crianças de 3 a 5 anos, Julho Turquesa e novo cartão do Auxílio Brasil

Segundo o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), a reconstrução foi uma solução de grande complexidade. O trecho recebeu os serviços de implantação dos dispositivos de drenagem, construção das camadas de base da pista de rolamento e retaludamento, solução geológica que emprega uma maior estabilidade ao corpo do aterro.
 

Copiar o texto
Economia
01/07/2022 04:00h

País ainda é dependente do modal rodoviário, mas aprovação do marco legal das ferrovias e do programa de estímulo à cabotagem, o BR do Mar, visam equilibrar matriz de transportes

Baixar áudio

Cerca de 60% do transporte de cargas no Brasil é feito por meio das rodovias, segundo a Confederação Nacional do Transporte (CNT). Mas a tendência é modernizar e diversificar a matriz, após a aprovação do marco legal das ferrovias e da BR do Mar, que estimulam a ampliação do transporte de produtos por trilhos e pela costa brasileira. 

Segundo o Ministério da Infraestrutura, o marco legal das ferrovias tem potencial para aumentar dos atuais 20% para mais de 40% a participação do transporte ferroviário. Já o programa de estímulo à cabotagem, o BR do Mar, pretende ampliar de 11% para 30% a parcela do modal aquaviário. 

Para Gilberto Gomes, especialista em infraestrutura, a agenda do governo federal e do Legislativo para o setor desde 2019 é marcada por medidas liberais que, diante da baixa capacidade de investimentos públicos, atraíram o capital privado para promover a modernização e diversificação da matriz de transportes do país. 

“Se pegarmos, por exemplo, as reformas no setor de ferrovias, há praticamente uma revolução, em que você deixa de fazer ferrovias com investimentos públicos a partir de concessões para possibilitar que particulares construam suas próprias ferrovias por meio de autorização”, avalia. 

“Do ponto de vista da possibilidade de flexibilização da forma de se prestar esses serviços públicos, de se construir esses pontos de infraestrutura, as medidas foram positivas. São medidas que conseguem atrair novos agentes para o mercado”, acredita Gilberto. 

De acordo com levantamento do Observatório da Política Fiscal do FGV IBRE,  o investimento do governo federal, proporcionalmente ao PIB, passou da casa dos 0,64% ao ano registrados entre 2009 e 2014 para uma média de 0,29% de 2015 a 2020. 

Segundo o deputado federal Domingos Sávio (PL-MG), o governo do presidente Jair Bolsonaro acertou ao estimular a entrada da iniciativa privada no setor de infraestrutura. “O mais importante é que o governo sinalizou e tomou atitudes concretas para mostrar que ele quer estabelecer uma relação de parceria com o setor privado”, destaca. 

O parlamentar reitera que a participação mais expressiva do capital privado no setor de infraestrutura deve ser acompanhada de benefícios ainda mais amplos para o país. 

“Acho que as experiências de concessões feitas no passado foram muito precárias. Não havia muita expertise e as concessões praticamente não exigiam contrapartidas em benefício do desenvolvimento econômico. As novas concessões e as possíveis renovações têm que levar em conta que esse setor é fundamental para o desenvolvimento econômico. Uma linha férrea é uma artéria de desenvolvimento, passa por centenas de cidades, mas não pode apenas passar por ali”, pontua. 

Concessões

Domingos Sávio também elogia as concessões de portos e aeroportos que o governo federal fez nos últimos anos. Em maio, o Executivo anunciou que 16 aeroportos vão a leilão possivelmente ainda este ano. Entre eles os de Santos Dumont, no Rio de Janeiro, e Congonhas, em São Paulo. 

“Os maiores aeroportos do Brasil ou já estão privatizados ou em fase de privatização e melhoraram os seus serviços, a forma de atender a população e desoneraram o governo, que antes só tinha prejuízo com Infraero e gastos exorbitantes para manter esses serviços. Hoje esses serviços são prestados gerando riquezas e não consumindo riquezas do país”, diz. 

De acordo com Ministério da Infraestrutura, desde 2019 foram 34 leilões aeroportuários, os quais atraíram, até janeiro de 2022, R$ 9,6 bilhões em investimentos privados para melhoria dos terminais. 

Aumento do Auxílio Brasil injetaria mais de R$ 10 bi na economia do Nordeste, região mais beneficiada pelo programa

País deixa de crescer R$ 1,5 tri por ano devido ao Custo Brasil

Copiar o texto
15/06/2022 20:50h

A operação Corpus Christi 2022 da Polícia Rodoviária Federal (PRF) vai dessa quarta-feira (15) até à meia noite de domingo (19)

Baixar áudio

A operação Corpus Christi 2022 da Polícia Rodoviária Federal (PRF) vai dessa quarta-feira (15) até à meia noite de domingo (19). Devido ao feriado prolongado, o fluxo de veículos e pessoas nas rodovias aumenta. A operação conta com a participação dos policiais rodoviários, que serão responsáveis pelo policiamento e a fiscalização com foco na segurança viária. 

A chefe do núcleo de Comunicação Social da PRF, Mônica Pellegrini, lembra a importância de verificar as condições do veículo antes de pegar a estrada para aproveitar o feriado. “Para ter uma viagem segura, é importante que o condutor do veículo nunca utilize o celular, pois é importante manter a máxima atenção na estrada. Respeite sempre os limites de velocidade e a distância entre os demais veículos”, orienta. 

Planejar a viagem 

Arisio Cordeiro, de 53 anos, é empresário e vai aproveitar o feriado para viajar com a família para Caldas Novas (GO). Segundo Arisio, antes de viajar de carro, a primeira coisa que faz é uma revisão no veículo para saber se está tudo certo para a estrada.  “Eu faço essas revisões mais rápidas, verifico a água, os pneus, step, confiro todos os equipamentos e vejo qual a melhor estrada para o local onde eu vou”, completa o empresário.
A precaução de Arisio é uma das primeiras orientações da PRF para quem vai viajar.

Com baixa cobertura vacinal, Brasil pode voltar a registrar doenças erradicadas

Aplicativo auxilia jovens a escolher a profissão

Confira a lista completa:

  •    Antes de viajar, o proprietário do veículo deve verificar as condições do carro. A manutenção deve estar em dia, em especial em relação aos itens de segurança, como sistema de freios, pneus e sistemas de iluminação e sinalização.
  •     A viagem deve ser planejada de modo que o condutor não dirija por mais de quatro horas ininterruptas. Ele deve estar descansado e em condições físicas e psicológicas para conduzir o veículo. Deve haver planejamento para abastecimento e alimentação também.
  •     O veículo só pode levar até a capacidade máxima de passageiros permitida pelo manual. Todos os ocupantes devem usar o cinto de segurança ou, em caso de crianças, o sistema de retenção equivalente.
  •     As bagagens devem ser levadas em compartimento próprio, para evitar lesões em caso de envolvimento em acidentes. Se forem levadas em compartimento de passageiros, elas podem se deslocar e machucar os ocupantes do carro.
  •     Os motoristas devem respeitar a sinalização, a velocidade máxima estabelecida para a via e, em relação às ultrapassagens, devem realizar a manobra somente em locais permitidos e quando houver tempo e distância para concluir a manobra sem colocar o trânsito em risco. Ressalta-se que ultrapassagens mal realizadas são responsáveis por um terço das mortes em rodovias federais.
  •     Em caso de chuva, a velocidade deve ser reduzida, os faróis devem permanecer acesos e a distância de segurança entre os veículos deve aumentar
     
Copiar o texto
05/06/2022 16:55h

Na BR 290, por exemplo, haverá sistema de “pare e siga” na pista em Rio Pardo e entre Encruzilhada do Sul e Cachoeira do Sul

Baixar áudio

Condutores de veículos que pretendem trafegar pelas BRs 116 e 290, no Rio Grande do Sul, devem ficar atentos aos sinais de alerta divulgados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). 

De acordo com a autarquia, a partir desta segunda-feira (6) até sábado, 11 de junho, alguns trechos dessas rodovias vão passar por serviços de manutenção rotineira.

5G: número de antenas por habitante em São Paulo (SP) está entre os menores do país

Chegada do tempo frio piora casos de alergias respiratórias

Os locais vão ter sinalização para garantir a segurança e orientação dos usuários. Na BR 290, por exemplo, haverá sistema de “pare e siga” na pista em Rio Pardo e entre Encruzilhada do Sul e Cachoeira do Sul. 

O DNIT informa, ainda, que, em caso de chuva, os serviços de recuperação de pista serão adiados.  

Confira abaixo a programação de cada trecho 

  • BR-116/RS (trecho metropolitano)  

(06 a 10/06) – das 8h30 às 17h

- km 184 ao km 220 (Nova Petrópolis a Dois Irmãos) - Serviços de roçada, caiação, limpeza de canaletas, meio-fio e valas, em ambos os sentidos; 
- km 217 ao km 241 (Morro Reuter a São Leopoldo) - Serviços de limpeza e valas, no sentido Capital-interior; 
- km 227 ao km 228 (Dois Irmãos) - Serviços nos acostamentos, em ambos os sentidos; 
- km 234 ao km 239 (Estância Velha a São Leopoldo) - Serviços de roçada, caiação, poda, limpeza de canaletas e meio-fio, em ambos os sentidos; 
- km 260 ao km 270 (Canoas a Porto Alegre) - Serviços de roçada, caiação, limpeza de canaletas e meio-fio, em ambos os sentidos. 

  • BR-116/RS 

(de 06 a 11/06) – das 8h às 18h 

- km 290 ao km 400,5 (Guaíba a Camaquã) – Serviços de conservação da rodovia, em ambos os sentidos; 
- km 332 ao km 336 (Barra do Ribeiro) – Serviço de restauração do pavimento no sentido Capital-interior. 

  • BR-290/RS  

(de 06 a 11/06) 

- km 98 ao km 112 (Porto Alegre) – Serviços de conservação da rodovia, em ambos os sentidos (das 8 às 18 horas); 
– km 190 ao km 214 (Minas do Leão a Pantano Grande) - Serviço roçada na faixa de domínio, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
– km 199 ao km 203 (Rio Pardo) – Serviços de manutenção na pista com sistema de “pare e siga” (das 7 às 17 horas); 
– km 216 ao km 236 (Pantano Grande a Rio Pardo) – Roçada da faixa de domínio, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
– km 230 ao km 250 (Rio Pardo a Cachoeira do Sul) – Serviços de conservação, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
– km 245 ao km 249 (Encruzilhada do Sul a Cachoeira do Sul) – Serviços de manutenção na pista com sistema de “pare e siga” (das 7 às 17 horas).
 

Copiar o texto
21/05/2022 17:30h

Em alguns trechos estão programados estreitamento, interrupção e sistema de “pare e siga”

Baixar áudio

Rodovias federais do Rio Grande do Sul e da Paraíba recebem serviços de manutenção a partir deste sábado (21). As obras são realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). 

Confira a programação de cada trecho: 

BR-116/RS (trecho metropolitano): 

Sábado (21) – das 8h30 às 17h

  • km 227 ao km 228 (Dois Irmãos) - Serviços nos acostamentos, em ambos os sentidos; 
  • km 244,5 ao km 246,5 (São Leopoldo) - Serviços de roçada, caiação, limpeza de canaletas e meio-fio, em ambos os sentidos. 

De 23 a 27/05 – das 8h30 às 17h 

  • km 216 ao km 234 (Morro Reuter a Ivoti) - Serviços de roçada, caiação, limpeza de canaletas, meio-fio e valas, em ambos os sentidos; 
  • km 227 ao km 228 (Dois Irmãos) - Serviços nos acostamentos, em ambos os sentidos; 
  • km 236 ao km 244 (Estância Velha a São Leopoldo) - Serviços de limpeza e valas, no sentido capital-interior; 
  • km 238 ao km 243 (Novo Hamburgo a São Leopoldo) - Serviços de roçada, caiação, poda, limpeza de canaletas e meio-fio, em ambos os sentidos; 
  • km 244,5 ao km 246,5 (São Leopoldo) - Serviços de roçada, caiação, limpeza de canaletas e meio-fio, em ambos os sentidos.

BR-116/RS:

Domingo (22) - das 9h às 16h

  • km 242,4 o km 246 - Serviços de supressão da vegetação. Haverá estreitamento parcial em uma das pistas, por períodos intercalados de 20 minutos.
  • De 23 a 28/05 – das 8h às 18h 
  • km 290 ao km 400,5 (Guaíba a Camaquã) – Serviços de conservação da rodovia, em ambos os sentidos; 
  • km 330 ao km 334 (Barra do Ribeiro) – Serviço de restauração do pavimento no sentido Capital-interior. 

BR-290/RS:

De 23 a 28/05

  • km 98 ao km 112 (Porto Alegre) – Serviços de conservação da rodovia, em ambos os sentidos (das 8 às 18 horas); 
  • km 120 ao km 145 (Eldorado do Sul) – Roçada da faixa de domínio, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
  • km 150 ao km 190 (Arroio dos Ratos a Minas do Leão) - Serviços de conservação, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
  • km 245 ao km 249 (Encruzilhada do Sul a Cachoeira do Sul) – Serviços de manutenção na pista com sistema de “pare e siga” (das 7 às 17 horas); 
  • km 275 ao km 300 (Cachoeira do Sul) – Roçada da faixa de domínio, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas). 

BR-101/PB:

Sábado (21) e domingo (22)

  • km 83 - Substituição das juntas de dilatação do viaduto Major Ciraulo (Aeroporto). Haverá interrupção temporária do tráfego de veículos em ambos os sentidos das pistas principais do viaduto.

Os locais contam com sinalização para segurança e orientação aos usuários. Em caso de mau tempo, os serviços nas pistas serão adiados.

Copiar o texto
14/05/2022 16:41h

Devido aos serviços nas rodovias, a autarquia orienta aos condutores que fiquem atentos à sinalização dos locais

Baixar áudio

A partir desta segunda-feira (16), haverá serviços de instalação das vigas das pontes em construção sobre a várzea do rio dos Sinos, na BR-116/RS, em São Leopoldo. Por isso, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) orienta que os condutores de veículos que pretendem passar por essa área fiquem atentos à sinalização.

Os trabalhos serão realizados até esta quinta-feira (19). De acordo com o DNIT, não haverá desvios de tráfego. No entanto, serão feitos bloqueios temporários em uma das pistas, que devem durar cerca de 10 minutos. 

RS: Startup inova ao descontaminar carros e devolver peças ao ciclo de produção

Defesa Civil Nacional alerta para onda de frio intenso em grande parte do país

Também a partir desta segunda, haverá mudança no tráfego de veículos em Navegantes, na altura do Km 10 da BR-470/SC. De acordo com informações do DNIT, a intervenção é necessária para dar seguimento às obras de duplicação da rodovia.

A autarquia destaca que o acesso ao bairro do Carvão, em Navegantes, será fechado. Os condutores que pretendem acessar o bairro deverão utilizar o retorno localizado no Km 11. Já os que estão se deslocando no sentido bairro - rodovia BR-470/SC, deverão seguir as sinalizações indicativas de desvio implantadas no local.

No local do bloqueio, o DNIT também executa serviços para a edificação de um viaduto. O monumento dará acesso ao município de Luiz Alves. O trecho é referente ao lote 1 das obras de duplicação da BR. 
 

Copiar o texto
05/05/2022 14:05h

No total, mais de 10 mil toneladas do resíduo serão utilizadas como insumo na estrutura do pavimento próximo ao município

A Anglo American e a Ecovias do Araguaia realizam teste em parceria onde utilizam escória de ferroníquel nas obras de ampliação das rodovias BR-153/GO/TO, BR-414/GO e BR-080/GO. No total, mais de 10 mil toneladas do resíduo serão utilizadas como insumo na estrutura do pavimento próximo ao município de Barro Alto (GO). Os trabalhos começaram em fevereiro deste ano.

Nos últimos anos, a Anglo American, em parceria com a Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), realizou testes que comprovaram que a escória de ferroníquel não possui elementos nocivos ao meio ambiente e às pessoas. A iniciativa implantada em Goiás faz parte do Plano de Mineração Sustentável da companhia, que reduz os impactos ambientais e também dá aplicação à escória, diminuindo a área necessária para estocagem dos resíduos gerados nas plantas industriais da empresa em Goiás. 

Além disso, a medida gera impactos positivos, por ser uma alternativa sustentável e incentivar a economia circular, onde os resíduos de uma indústria servem de matéria-prima reciclada para outra indústria. “Continuaremos buscando novas alternativas para o aproveitamento de resíduos gerados em nosso processo produtivo”, afirma Tiago Alves, gerente corporativo de Meio Ambiente da companhia. Ainda segundo ele, a empresa seguirá investindo em pesquisas, buscando sempre o seu propósito de reimaginar a mineração para melhorar a vida das pessoas.

De acordo com Sidney Filho, gerente de Engenharia da Ecovias do Araguaia, a busca por produtos como ferroníquel em substituição aos que normalmente são extraídos da natureza possibilita impactar positivamente o meio ambiente. “Além de priorizar a sustentabilidade, a iniciativa comprova o quanto estamos atentos em inovar continuamente os nossos processos”, diz.

A Anglo American já investiu R$ 14,7 milhões em ações institucionais no estado de Goiás desde 2018.  Os recursos foram destinados a áreas como revitalização de nascentes no rio Araguaia, mobilidade urbana, saneamento, desenvolvimento da capacidade institucional, desenvolvimento da comunidade, educação e treinamento, além de esporte, lazer, cultura, artes, turismo e patrimônio, ações voltadas para a proteção do meio ambiente, saúde, bem-estar e segurança pública.
 

Copiar o texto
Brasil 61