DNIT

14/11/2021 16:00h

A autarquia também soltou nota indicando que liberou a passagem de veículos leves na ponte do Fandango sobre o rio Jacuí, na BR-153, em Cachoeira do Sul

Baixar áudio

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) anunciou que as BRs 116, 290, e 471, todas no Rio Grande do Sul, passam por serviços de manutenção. As obras devem seguir até o próximo dia 20 de novembro.

A autarquia informa que os condutores devem ficar atentos aos serviços noturnos realizados no segmento metropolitano da BR-116, e de sistema “pare e siga” na BR-471, entre os municípios de Rio Pardo e Pantano Grande. Nesta segunda-feira (15), não haverá serviços de manutenção rotineira nas rodovias por conta do feriado da Proclamação da República.  

Vai viajar no feriadão: confira as dicas para a sua segurança nas estradas

Os locais contam com sinalização que visam dar mais segurança e orientação aos usuários. Em caso de chuva, os serviços de recuperação de pista serão adiados.

Ponte do Fandango em Cachoeira do Sul

O DNIT soltou nota indicando que liberou a passagem de veículos leves na ponte do Fandango sobre o rio Jacuí, na BR-153, em Cachoeira do Sul, no estado gaúcho. Porém, a travessia ainda será interditada para veículos pesados, como ônibus e caminhões.

No dia 29 de outubro deste ano, a ponte apresentou fissuras em um dos pilares de acesso ao vão principal. Para garantir a segurança dos usuários, a autarquia bloqueou totalmente a ponte, liberando posteriormente apenas para a passagem de pedestres.

Rotas Alternativas

  • Porto Alegre - Cachoeira do Sul

Pela BR-290/RS, ir até a BR-471/RS, em Rio Pardo, depois em Santa Cruz do Sul seguir pela RST-287 até Novo Cabrais na BR-153/RS.

  • Cachoeira do Sul - Fronteira Oeste

Sair pela BR-153/RS, seguir até RST-287 em Novo Cabrais e, em Santa Maria, pegar a BR-158/RS e retornar à BR-290/RS em Rosário do Sul.

  • Cachoeira do Sul - Porto de Rio Grande

Quem sai de Cachoeira do Sul e vai para o Porto de Rio Grande deve ir até Santa Maria e pegar a BR-392/RS.

Acidente de ônibus na rodovia Oswaldo Cruz

Um ônibus de turismo tombou na rodovia Oswaldo Cruz em São Luiz do Paraitinga neste sábado (13). De acordo com o Corpo de Bombeiros, cinco pessoas morreram no local, entre elas uma criança, que seria filha do motorista do coletivo. 

Outras 34 pessoas foram socorridas e levadas à Santa Casa de Ubatuba. Nove pessoas foram encaminhadas para o Hospital Regional, em Taubaté e outras seis foram levadas para o pronto-socorro de São Luiz do Paraitinga. Doze pessoas não se feriram no acidente.  
 

Copiar o texto
07/11/2021 18:02h

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) informou que novo laudo sobre a situação da estrutura está sendo feito; autarquia também alerta para trechos de manutenção no estado

Baixar áudio

A passagem de pedestres e veículos na ponte do Fandango, sobre o Rio Jacuí, na BR-153/RS, em Cachoeira do Sul, ficará suspensa até segunda-feira (8). O tráfego foi totalmente suspenso pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) na noite do dia 29 de outubro, quando foram constatadas fissuras na estrutura de acesso à travessia. 

No dia 30, a passagem de pedestres foi liberada, mas a travessia cedeu mais do que o esperado ao longo desta semana e o DNIT, por medida de segurança aos usuários, decidiu interditar a ponte totalmente.

Imagem: Reprodução/Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)

De acordo com a autarquia, um novo laudo da situação da estrutura de acesso à ponte metálica está sendo elaborado, mas a programação para a recuperação da travessia será divulgada somente após nova vistoria nesta segunda-feira.

DNIT realiza intervenções em BRs do Rio Grande do Sul

DNIT alerta sobre trechos interditados em cinco rodovias do País

O DNIT disponibilizou um plano de desvio de tráfego com rotas alternativas para os motoristas evitarem os bloqueios:

  • Porto Alegre – Cachoeira do Sul: Pela BR-290/RS ir até a BR-471/RS, em Rio Pardo, depois em Santa Cruz do Sul seguir pela RST-287 até Novo Cabrais a BR-153/RS.
  • Cachoeira do Sul – Fronteira Oeste: Sair pela BR-153/RS, seguir até RST-287, em Novo Cabrais, e em Santa Maria pegar a BR-158/RS e retornar à BR-290/RS, em Rosário do Sul.
  • Cachoeira do Sul - Porto de Rio Grande: Quem sai de Cachoeira do Sul e vai para o Porto de Rio Grande deve ir até Santa Maria e pegar a BR-392/RS.

Manutenção

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) também informou que serão realizados serviços de manutenção em outras rodovias do Rio Grande do Sul até o próximo sábado (13).

Trechos das rodovias BR-116/RS, BR-290/RS, e BR-471/RS estarão com sinalização, visando a segurança e orientação aos usuários. Em caso de chuva, os serviços de recuperação de pista serão adiados.

Confira cada trecho:

  • BR-116/RS: km 183,6 ao km 195 (Nova Petrópolis a Picada Café); km 183,6 ao km 232 (Nova Petrópolis/Estância Velha); km 209 ao km 209,8 (Morro Reuter); km 227 ao km 228 (Dois Irmãos); km 240 ao km 255 (Novo Hamburgo/Sapucaia do Sul); km 242,9 ao km 243,5 (São Leopoldo); km 246 ao km 263 (São Leopoldo/Canoas);
  • BR-290/RS: km 98 ao km 112 (Porto Alegre); km 98 ao km 102 (Porto Alegre); km 175 ao km 200 (Butiá a Rio Pardo); km 200 ao km 215 (Rio Pardo a Pantano Grande); km 235 ao km 260 (Rio Pardo a Cachoeira do Sul);
  • BR-471/RS: km 142,8 ao km 192,7 (Santa Cruz do Sul a Pantano Grande);
Copiar o texto
16/10/2021 18:05h

A obra foi inaugurada nesta sexta-feira (15) pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT)

Baixar áudio

O Município de São José do Cedro, Santa Catarina, recebeu nesta sexta-feira (15), um novo viaduto localizado na BR-163/SC. A obra foi inaugurada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).

A estrutura faz parte de um importante trecho logístico para o estado, que faz integração da parte oeste de Santa Catarina com as outras regiões, além de ser rota de carga de veículos do Rio Grande do Sul, fundamental para a agroindústria do Brasil. 

O local também faz ligação ao Paraná e às outras regiões do país. O viaduto vai integrar 47,6 quilômetros da BR-163/SC, situado entre os municípios Guaraciaba e Dionísio Cerqueira, onde fica localizado o acesso ao porto internacional de cargas da Receita Federal, que passa por revitalização.

O DNIT informou por nota que as obras haviam sido iniciadas em 2014, foram suspensas e então retomadas em 2019. A pavimentação das vias laterais, drenagem e sinalização ainda estão em fase de conclusão.
 

Copiar o texto
Brasil
20/02/2021 00:00h

Todos os segmentos alterados devem ser finalizados e entregues à população ainda em 2021

Baixar áudio

As obras no Anel Viário de Fortaleza (CE) seguem em andamento e a conclusão está cada vez mais próxima. A passagem sobre o viaduto da CE-065 foi liberada. O trecho interliga a capital ao município de Maranguape, na região metropolitana. O tráfego pela pista da BR-020/CE sob o viaduto também foi autorizado. Os motoristas já circulam no sentido oposto da rodovia, o que garantiu mais fluidez no trânsito.

Na avaliação do professor Heber Oliveira, do Departamento de Engenharia de Transportes da Universidade Federal do Ceará (UFC), trata-se de uma obra que vai beneficiar, sobretudo, a logística de cargas de transporte rodoviário. Segundo ele, o transporte de mercadorias que passa pelo trecho vai ganhar uma agilidade, o que contribuiu para o desenvolvimento do setor.

“Vai ser uma pista duplicada, feita em pavimento de concreto, o que é uma novidade para o estado. Com isso, teríamos uma condição melhor da circulação dos veículos, sobretudo das cargas que utilizam do modo rodoviário de transporte. Vai beneficiar produtores rurais, as indústrias e a população de maneira geral que queira circular com origem e destino, por meio do Anel Viário”, pontua.

A duplicação dos 32 quilômetros do Anel Viário é realizada por meio de um convênio entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) e a Superintendência de Obras Públicas (SOP), órgão vinculado ao governo estadual.

Morador de Fortaleza, o engenheiro civil Nelson Ary de Lemos afirma que o acesso a praias e cidades próximas a Fortaleza melhorou significativamente. Segundo ele, o congestionamento de veículos não causa mais preocupação como antes.

“O acesso pelo Anel Viário melhorou muito, sem sombra de dúvida, para quem vai às praias do litoral Leste, assim como para às cidades localizadas na mesma direção. Ou seja, Porto das Dunas, Beach Park, Prainha, Eusébio e saída para o Rio Grande do Norte. Hoje, é o melhor caminho para não pegar engarrafamento para quem passa por dentro de Fortaleza”, relata.

A obra foi orçada em R$ 257 milhões. Os recursos financeiros foram assegurados pelo Ministério da Infraestrutura. A medida tem garantido a continuidade dos trabalhos no local. Todos os trechos alterados devem ser finalizados e entregues à população ainda em 2021.

Viabilidade

O Anel Viário de Fortaleza é responsável por interligar rodovias que chegam à capital do Ceará, entre elas as CE’s 010, 040, 060, 065, além das BR’s 020, 116 e 222. O Anel Viário faz parte da BR-020/CE e passa por obras de duplicação que pretendem ampliar a capacidade de tráfego da rodovia. O objetivo é melhorar o fluxo de veículos no local, impulsionando a infraestrutura rodoviária do estado.

REFORMA TRIBUTÁRIA: PEC 128/2019 anteviu momento de crise, afirma Luis Miranda

Representantes de 14 municípios participam de debate sobre Concessões e PPPs em iluminação pública

Plataforma permite que cidadãos opinem sobre ações de órgãos federais

O professor Flávio Cunto, que também atua no Departamento de Engenharia de Transportes da UFC, comemora a iminente conclusão da obra do Anel Viário, mas ressalta que houve demora para que, finalmente, a população tivesse acesso à construção e reforma de um trecho importante para a região.

“A obra começou com o governo federal, depois passou para o governo estadual, chegou a ser paralisada e a empresa responsável foi substituída. Durante 11 anos a população vem tentando conviver com as obras do Anel Viário. Mas, a conclusão vai trazer melhorias em relação ao transporte de produtos, por exemplo. Faremos toda a ligação sem passar pelas praias da cidade, além de evitar trechos que ficam próximos ao aeroporto”, destaca.

Com a conclusão das obras, a expectativa é de que haja melhor conexão entre os principais portos marítimos do Ceará (Porto do Mucuripe e Porto do Pecém). A medida deve beneficiar toda a região metropolitana da capital, assim como produção industrial do estado de forma direta.
 

Copiar o texto
26/11/2020 15:30h

Os serviços devem iniciar no segundo semestre de 2022. O projeto também conta com trabalho de restauração de pistas existentes, implantação da variante do Distrito das Neves, entre outros

Baixar áudio

A BR-423, rodovia federal que liga a região de Caruaru à cidade de Garanhuns, no Pernambuco vai ser duplicada, de acordo com o Ministério da Infraestrutura. As obras serão realizadas pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT). Inicialmente, a readequação viária deve ocorrer do km 18,20, no entroncamento com a BR-232, até o km 60, em Lajedo. Ao todo, serão construídos 83,60 quilômetros de pista dupla, nos dois sentidos.

Os serviços devem iniciar no segundo semestre de 2022. Além da duplicação da rodovia, o projeto conta com trabalho de restauração de pistas existentes, a implantação da variante do Distrito das Neves, de ruas laterais, de interseções, de viadutos, de passagens inferiores, de pontes e de passarela.

Governo Federal lança licitação para conclusão de obras da BR-285/RS

BR-135 retoma obras de duplicação da pista no Maranhão

Após essa etapa, o DNIT também deve executar obras no chamado Lote 02, com a continuidade dos serviços de duplicação de pista a partir do km 60, em Lajedo, até as imediações do km 86, além da restauração do pavimento até Garanhuns, no km 107.


 

Copiar o texto
04/11/2020 13:00h

A ideia é que, posteriormente, a rodovia faça a interligação com o Corredor Bioceânico, um trecho de mais de 2,4 mil quilômetros entre Campo Grande (MS) e o Porto de Antofagasta, no Chile

Baixar áudio

Uma parceria firmada entre o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o governo do Paraná e a Itaipu Binacional deve garantir a execução de obras na BR-487, conhecida como Estrada Boiadeira.

A ideia é que, posteriormente, a rodovia faça a interligação com o Corredor Bioceânico, um trecho de mais de 2,4 mil quilômetros entre Campo Grande (MS) e o Porto de Antofagasta, no Chile. A iniciativa pode reduzir o tempo de viagem das exportações do Centro-Oeste brasileiro até os países do Oriente em até duas semanas.

Porto de Santos tem aumento de 5,2% na movimentação no mês de setembro

Produção de Fosfato em Pernambuco e na Paraíba será concedido a administração privada

Para viabilização do empreendimento, o valor investido pela Itaipu deverá ser de aproximadamente R$ 228 milhões. O Dnit será responsável pela realização do empreendimento até o momento. O órgão vai disponibilizar o projeto e supervisionar a execução das obras, que estará a cargo do governo estadual.

Os recursos deverão ser aplicados na implantação, reparação, restauração e pavimentação, além de Obras de Arte Especiais (OAE), em 47 quilômetros da BR-487. O trecho faz a ligação do município de Icaraíma com Umuarama, no noroeste do Paraná.


 

Copiar o texto
Brasil
19/10/2020 10:25h

Aprovação abrange os 303 quilômetros da rodovia, no trecho entre Belo Horizonte e Governador Valadares

Baixar áudio

O Conselho Estadual de Política Ambiental de Minas Gerais aprovou a renovação, por mais quatro anos, da licença de instalação para as obras de duplicação e melhorias da BR-381/MG, no trecho que liga Belo Horizonte a Governador Valadares. O sinal verde foi dado após solicitação do Ministério da Infraestrutura, por meio do DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). 
 
A licença ambiental abrange os 303 quilômetros da rodovia, onde as obras estão em andamento. A licença autoriza a instalação do empreendimento, atividade ou obra de acordo com as especificações constantes dos planos, programas e projetos aprovados. 

TCU determina que ANTT cobre atrasos em obras de concessões rodoviárias no país

Governo cria sistema para centralizar dados sobre projetos de investimento em infraestrutura
 
O DNIT é responsável pelas obras de quatro lotes de duplicação e melhorias na BR-381/MG. Outros sete lotes vão ser realizados por meio do Programa de Concessões do Governo Federal. A expectativa é de que a rodovia seja concedida até o primeiro trimestre de 2021. 
 

Copiar o texto
Brasil 61