Amazonas

22/12/2022 18:48h

Embarcação, que atende 300 mil habitantes de 15 municípios ribeirinhos no estado, traz melhores acomodações e adequações de acessibilidade

Baixar áudio

A CAIXA inaugurou, nesta quarta-feira, 21 de dezembro, em Manaus, as novas instalações da agência-barco Chico Mendes. 

A embarcação tem 34 metros de casco e 9 metros de altura, divididos em três andares, e leva atendimento bancário para aproximadamente 300 mil habitantes de 15 municípios ribeirinhos. 

Segundo a CAIXA, a nova agência-barco Chico Mendes traz mais conforto para clientes e empregados, espaço de atendimento CAIXA Pra Elas, e um novo sistema de conexão mais eficiente. 

O vice-presidente da Rede de Varejo da CAIXA, Júlio Volpp, participou da inauguração das novas instalações do barco, nesta quarta, em Manaus. Na ocasião, ele destacou o papel social da embarcação junto às comunidades ribeirinhas.

"É uma agência histórica para nós [da CAIXA], porque é a primeira da nossa experiência como agência-barco. Atende uma população ao longo dos rios Negro e Solimões aqui, na região Amazônica. E só neste ano de 2022, foram prestados mais de 20 mil atendimentos. Acho que esse número per si já demonstra a importância dessa unidade; porque são pessoas que, se não fosse a agência-barco ir até elas, precisariam se deslocar, às vezes, milhares de quilômetros - por via fluviais, vias terrestres, com uma série de dificuldades - para ter acesso a produtos e serviços da CAIXA."

A unidade traz adequações de acessibilidade, como corredores mais largos, sala de parceiros, com distanciamento para cadeirantes e banheiros adaptados. 

A agência-barco Chico Mendes terá horário de atendimento das nove da manhã às três horas da tarde, nos dias úteis, em locais e datas definidas de acordo com a rota divulgada.

Todas as transações de uma agência bancária são realizadas no barco, com exceção da movimentação de dinheiro em espécie. 

Os atendimentos na agência-barco Chico Mendes serão realizados conforme os dois ciclos alternados já existentes, que têm duração média de 26 e 29 dias cada um.

Em uma das rotas, o barco passa pelos municípios de Amaturá, Santo Antônio do Iça, Tonantins, Jutaí, Fonte Boa, Uarini e Alvarães.  

A segunda rota contempla os municípios de Codajás, Anori, Beruri, Anamã, Manaquiri, Careiro da Várzea, Barcelos e Novo Airão. 

A CAIXA dispõe de duas agências-barco, uma no Amazonas e outra no Pará, para atendimento de populações ribeirinhas da Bacia Amazônica. Essas unidades prestam suporte à necessidade de atendimento bancário causada pelas dificuldades de acesso às regiões, diminuindo os gastos de deslocamento da população até os centros urbanos.

Mais informações sobre a rede de atendimento, acesse o site da CAIXA: www.caixa.gov.br.

Copiar o texto
22/12/2022 12:18h

Comunicador, baixe e utilize em sua programação spot com mensagem destinada a pais e responsáveis, para que levem os filhos para vacinação, em uma unidade de saúde mais próxima

Baixar áudio

O Fundo das Nações Unidas para a Infância alerta: no Brasil, três em cada dez crianças não receberam vacinas “necessárias para protegê-las de doenças potencialmente perigosas”. Ainda de acordo com a UNICEF, as regiões Norte e Nordeste apresentam os indicadores mais baixos de imunização infantil no país. 

Mobilização 

Diante desse cenário, o Unicef pede o apoio das emissoras de rádio no enfrentamento às baixas coberturas vacinais registradas nos municípios das duas regiões. 

Comunicador, baixe e utilize em sua programação o spot para emissoras de rádio disponibilizado neste conteúdo. Com a duração de 30 segundos, o áudio de livre reprodução traz uma mensagem destinada a pais e responsáveis, para que levem os filhos para vacinação, em uma unidade de saúde mais próxima.

VEJA MAIS:

MT: 'Busca ativa' ajuda no retorno de crianças e adolescentes às escolas; confira spots da campanha para rádios

Vacinas na gestação: garantia de saúde para mãe e bebê

Triagem neonatal salva vidas e evita atrasos no desenvolvimento

Copiar o texto
05/12/2022 04:58h

De acordo com o Inmet, nos pontos mais críticos há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios

Baixar áudio

O Brasil terá uma semana com temperaturas mais elevadas e alta umidade do ar, o que favorece maiores instabilidades no tempo, com chuvas em boa parte do país. Segundo o meteorologista do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), Olivio Bahia, as condições serão intensificadas por alguma área de baixa pressão. Segundo ele, a população dos locais mais afetados deve manter a atenção e tomar cuidados para evitar acidentes. 

“Sempre destacamos que a população dessas regiões atingidas deve ficar sempre atenta, porque o solo está encharcado e o nível dos rios ainda estão elevados. Então, qualquer chuva, mesmo que em pouco volume, pode provocar algum transtorno, algum deslizamento de terra. Então, as pessoas devem se manter atentas nesse período de chuva”, orienta. 

Norte

Na região Norte, o tempo ficará mais fechado ao longo da semana, com pancadas de chuvas que podem vir acompanhadas de raios e rajadas de vento. Em algumas áreas dos estados do Amazonas, Roraima e Pará, os volumes devem ser mais expressivos, acima de 80 mm em 24 horas. 

No Acre, a Defesa Civil destaca a preocupação diante do impacto das fortes chuvas registradas em Rio Branco, desde a última sexta-feira (2). O acúmulo de chuvas chegava a 136 mm. Na capital, o Corpo de Bombeiros Militar atendeu pelo menos oito ocorrências de pontos de alagamentos.

Nordeste 

Nos últimos dias, o Nordeste brasileiro registrou maiores volumes de chuva na Bahia e a tendência é que essa condição seja mantida ao longo da semana, principalmente no litoral sul do estado. 

A Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec) informou, no início do mês, que pelo menos 342 pessoas estavam desabrigadas e 3.684 desalojadas. O número total de atingidos chegava a 52.224 pessoas. Cerca de 37 municípios foram afetados. Entre eles estão Baixa Grande, Itabuna, Santa Cruz Cabrália, Cícero Dantas, Ibicuí, Itambé, Nova Viçosa, Prado, Vereda, Itamaraju, Wenceslau Guimarães, Marcionílio Souza e Aiquara.

A previsão é de que também haja chuva forte em áreas do Maranhão e do Piauí. Apesar disso, a expectativa é de que os volumes comecem a diminuir no decorrer da semana. 

Sudeste 

O Sudeste do Brasil também contou com uma semana de chuvas intensas, principalmente no Espírito Santo, leste e nordeste de Minas Gerais, onde alguns pontos registraram 300 mm. A projeção é de que ainda caia chuva até o fim desta semana. 

De acordo com a Defesa Civil de Minas, pelo menos 38 municípios estão em situação de emergência. Cerca de 2.369 pessoas estão desalojadas e 553 desabrigadas. Um morador de Piraúba, na Zona da Mata mineira, morreu. O órgão informa, ainda, que entre as localidades mais afetadas estão Jequitinhonha, Mucuri, Rio Doce, Zona da Mata e Região Metropolitana de Belo Horizonte, inclusive a capital.

Em algumas áreas do estado mineiro, pode haver, inclusive, queda de granizo. No entanto, a chuva começa a se direcionar para São Paulo, outra área de risco que merece atenção da população e das autoridades. Em alguns períodos, as chuvas podem vir acompanhadas de raios e ventos que podem chegar a 80km/h. 

Sul

Na região Sul, os últimos dias também foram de registros de fortes chuvas, sobretudo no centro-oeste do Paraná e leste de Santa Catarina. A expectativa é de que essas condições sejam mantidas no início desta semana, até mesmo com queda de granizo em alguns pontos. 

De acordo com o relatório elaborado pelo Grupo de Ações Coordenadas da Defesa Civil (Grac-DCSC)  de Santa Catarina, divulgado na última sexta-feira (2), 32 municípios reportaram ocorrências em virtude do evento de chuvas intensas. Foram registradas três mortes. Entre os municípios que já decretaram situação de emergência estão Araquari, Campo Alegre, Canelinha, Canoinhas, Corupá, Doutor Pedrinho, Garuva, Gaspar, Guaramirim, Itajaí, Itapoá, Jaraguá do Sul, Joinville e Luiz Alves. 

A partir de quarta-feira (7), a previsão é de que os volumes sejam reduzidos, mas a partir do próximo fim de semana as condições climáticas podem proporcionar a vinda de novos temporais. 

Centro-Oeste

No Centro-Oeste, uma massa quente ajudará a manter as condições favoráveis para chuvas, principalmente entre a tarde e a noite. As previsões apontam para possíveis quedas de granizo em algumas áreas da região, principalmente no sul de Goiás e em pontos do Mato Grosso do Sul, no decorrer da semana. Em Goiás, por exemplo, entre os municípios mais afetados estão Água Fria de Goiás, Alto Paraíso de Goiás, Cavalcante, Campo Belos, Divinópolis de Goiás, Faina, Formosa, Hidrolina, Guarani de Goiás, Itapirapuã e Itapaci. 

INMET alerta para o risco de chuvas volumosas pelo país

Leptospirose: confira medidas essenciais na prevenção da doença

De acordo com o Inmet, há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios nas áreas. A Defesa Civil alerta para os cuidados em relação às medidas de proteção. “Em caso de tempestade, caso o cidadão esteja ao ar livre, ele deverá sempre procurar um abrigo seguro, longe de árvores, de antenas. Evitar para quem está em casa, o uso do eletrodoméstico, do telefone e, sobretudo, em hipótese alguma, usar o aparelho celular plugado à tomada, pois corre risco de choque elétrico. Também, caso esteja conduzindo um veículo, o cidadão deverá procurar um local elevado, evitando assim a enxurrada”, explica o secretário de Estado da Defesa Civil (Sedec) do Piauí, José Augusto Nunes.  
 

Copiar o texto
24/11/2022 09:52h

Decreto publicado pelo governo estadual não é válido para áreas essenciais, como saúde e segurança pública

Baixar áudio

Com o início da Copa do Mundo do Catar, os governos estaduais publicaram decretos que estabelecem o funcionamento dos serviços locais para os dias de jogo do Brasil. Em 11 de novembro, o Ministério da Economia já havia divulgado uma portaria com as regras para o expediente dos servidores federais. O Brasil estreia nesta quinta-feira (24), às 16h, contra a Sérvia. 

No Amazonas, segundo a norma estabelecida pelo Executivo local para a primeira fase da competição, há dois horários definidos. Para os jogos que começam às 16h, ou seja, a partida de estreia e o último jogo, no dia 2 de dezembro, contra Camarões, o expediente termina às 12h. Para a segunda partida, no dia 28 de novembro, às 13h, o trabalho vai até às 11h. 

“Quanto às horas não trabalhadas, a regra é que haja a compensação. Pode utilizar do banco de horas, que pode já ter, ou então compensa, literalmente prolongando a jornada. A prorrogação é de no máximo duas horas por dia”, explica o mestre em Direito das Relações Sociais e Trabalhistas, Washington Barbosa. 

Barbosa destaca ainda que a compensação de horas é mais frequente na iniciativa privada. “A prática de banco de horas de compensação de jornada é comum tanto na administração privada quanto na pública. Na privada, ela é muito mais comum. De poucos anos para cá, a administração pública tem colocado controle de horário. Até a própria lei regula esse tipo de situação. Pode utilizar sim o banco de horas ou mesmo compensação de jornada”, enfatiza. 

Caso a Seleção Brasileira se classifique para as etapas seguintes da Copa do Mundo, o expediente nos órgãos do governo do Amazonas será estabelecido por novas determinações a serem publicadas assim que os confrontos forem definidos.

Serviços essenciais

Para os serviços considerados essenciais, por outro lado, o decreto não vale. De acordo com o comunicado, ficam ressalvados serviços considerados imprescindíveis, como os de natureza médico-hospitalar e de segurança pública.

“Considera-se atividade especial aquelas que são essenciais ao desenvolvimento, à manutenção das pessoas. Podemos citar, por exemplo, postos de gasolina, serviços de segurança e saúde. Podemos falar da questão relacionada à manutenção de elevadores, caldeiras em indústrias. Neste caso, elas não podem, durante os jogos, serem afastadas do trabalho”, diz Barbosa. 

Copa do Mundo: servidores públicos federais vão ter expediente reduzido nos jogos do Brasil 

Bancos

Os bancos também seguem expediente diferente em dias de jogo do Brasil no Catar, conforme decisão comunicada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

Nos jogos que começam às 13h, o funcionamento das agências será das 8h30 às 11h30. Nos dias de jogos às 16h, o horário de funcionamento será das 9h às 14h. Em todos os casos, considera-se o horário de Brasília.

Se o Brasil avançar para as etapas seguintes e tiver algum jogo marcado para meio-dia, o horário de atendimento ao público será das 9h às 11h e das 15h30 às 16h30. Segundo a Febraban, a decisão considera questões como a segurança das agências e de transporte de valores.

Copiar o texto
30/10/2022 19:30h

População do Amazonas foi às urnas também para decidir no segundo turno das Eleições 2022 entre Wilson Lima (União Brasil) e Eduardo Braga (MDB)

Baixar áudio

Wilson Lima (União Brasil) é reeleito governador do Amazonas. Com 56,98% dos votos válidos e 91,4% das urnas apuradas, o candidato foi considerado eleito. 

Aos 46 anos de idade, Lima é formado em jornalismo e natural de Santarém (PA). Ele foi repórter, radialista e apresentador do programa Alô Amazonas. O vice-governador na chapa é Tadeu de Souza (Avante).

Dos 156 milhões de eleitores brasileiros que foram às urnas neste domingo (30) para decidir a disputa presidencial, mais de 2,6 milhões também escolheram o novo governador do Amazonas. A disputa ao governo estadual foi entre Wilson Lima (União Brasil) e Eduardo Braga (MDB).

Operação Eleições 2022 apreende mais de R$ 10 milhões que seriam usados na compra de votos, segundo o ministro da Justiça

Outros 11 estados também escolheram governadores no segundo turno: Alagoas, Rondônia, Bahia, São Paulo, Rio Grande do Sul, Paraíba, Pernambuco, Espírito Santo, Santa Catarina, Mato Grosso do Sul e Sergipe.
 

Copiar o texto
29/10/2022 16:48h

As eleições ocorrem neste domingo (30). Para votar, o cidadão precisa apresentar somente um documento de identificação oficial com foto

Baixar áudio

Além da escolha do novo presidente da República, que ocorrerá neste domingo (30), eleitores de 12 estados brasileiros também voltam às urnas para decidir, em segundo turno, quem será o novo governador ou governadora. 

Em Alagoas, a disputa será entre Paulo Dantas (MDB) e Rodrigo Cunha (União Brasil). Já na Bahia, o eleitorado deverá optar entre Jerônimo (PT) e ACM Neto (União Brasil). Na Paraíba, João Azevêdo (PSB) e Pedro Cunha Lima (PSDB) disputam a vaga. 

No estado de Pernambuco, uma única certeza, a vitória será de uma mulher. Os eleitores vão escolher Marília Arraes (Solidariedade) ou Raquel Lyra (PSDB). Sergipe, por sua vez, tem como candidatos Rogério Carvalho (PT) e Fábio (PSD).

Na região Norte, dois estados terão segundo turno. No Amazonas, a disputa será entre Wilson Lima (União Brasil) e Eduardo Braga (MDB). Já em Rondônia, o próximo governador será Coronel Marcos Rocha (União Brasil) ou Marcos Rogério (PL).

No Centro-Oeste do país, o único estado que terá disputa no segundo turno é Mato Grosso do Sul. Os eleitores devem optar por Capitão Contar (PRTB) ou por Eduardo Riedel (PSDB).

Operação Eleições 2022 apreende mais de R$ 10 milhões que seriam usados na compra de votos, segundo o ministro da Justiça

Eleições 2022: atendimentos na Ouvidoria do TSE aumentam 84% em setembro

O Sul do Brasil contará com eleições em segundo turno no Rio Grande do Sul, onde a disputa fica entre Onyx Lorenzoni (PL) e Eduardo Leite (PSDB), e em Santa Catarina, Jorginho Mello (PL) e Décio Lima (PT) concorrem à vaga. 

Na região Sudeste, haverá segundo turno no em São Paulo e no Espírito Santo. No estado paulista, o eleitorado terá que escolher entre Tarcísio (Republicanos) e Fernando Haddad (PT). Já os capixabas terão Renato Casagrande (PSB) ou Manato (PL) como próximo governador. 

O cientista político Newton Marques acredita que, em alguns estados, pode haver virada, alterando a ordem estabelecida no primeiro turno das eleições. “No Rio Grande do Sul, tem chance de haver virada. Em São Paulo está equilibrado. São os dois principais colégios eleitorais do Brasil. Pernambuco é um caso emblemático, porque imaginava-se que Marília Arraes poderia vencer, mas parece que agora a adversária tem muito mais chance. Eu não sei se o apoio de Lula à Marília Arraes pode conseguir virar esse jogo”, pontua. 

Na avaliação do analista de Risco Político e Estrategista Eleitoral, Márcio Olímpio, os próximos governadores, reeleitos ou não, terão pela frente desafios existentes desde 2018, relacionados, principalmente, ao saneamento das contas públicas estaduais. 

“Grande parte dos governos estaduais vão enfrentar um desafio clássico, que é como estabelecer recuperação fiscal, controle de contas públicas e, ao mesmo tempo, separar parte do orçamento para realizar investimentos públicos, principalmente nas áreas de educação e saúde, e em políticas de emprego e renda. Em linhas gerais, os governadores estaduais vão precisar fazer um bom jogo”, destaca. 

Quais os documentos necessários para votar?

Para votar, o cidadão precisa apresentar somente um documento de identificação oficial com foto. Vale destacar que a apresentação do título de eleitor não é obrigatória. 

O eleitor pode optar pela carteira de identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) física ou digital, passaporte, identidade social, carteira de trabalho, certificado de reservista ou outro documento de valor legal com foto. 

Também é permitido que o eleitor vote com a versão digital do título, adquirida no e-Título, aplicativo gratuito da Justiça Eleitoral, caso a sua foto já apareça esteja disponível.
 

Copiar o texto
17/10/2022 13:00h

Além de levar mais velocidade de navegação ao usuário comum, a nova tecnologia vai revolucionar o setor produtivo. No estado do Amazonas, a indústria rende mais de R$ 33 bilhões por ano e pode usar o 5G para ser mais produtiva

Baixar áudio

O sinal 5G já foi liberado em Manaus (AM) e a tecnologia promete mais velocidade de navegação ao usuário comum. Mas é no setor produtivo do Amazonas que a nova tecnologia de internet móvel pode promover uma revolução. Com maior tráfego de dados, menor tempo de resposta entre envio e recebimento de comandos e a possibilidade de várias conexões em uma mesma rede, o setor produtivo do estado pode se automatizar, inserir novos maquinários e tecnologias, e otimizar os processos.

Segundo levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), o Produto Interno Bruto industrial do Amazonas em 2019 foi de aproximadamente R$ 33 bilhões, o que equivale a mais de 36% de todo o PIB do estado. O setor, que em 2020 chegou ao número de 2.763 empresas, também gera mais de 127 mil empregos, com destaque para eletroeletrônicos, bebidas, construção e serviços industriais de utilidade pública – que devem ter forte evolução graças ao processo de universalização do saneamento básico.

Com o 5G, a tendência é que vários processos automatizados levem a uma maior economia e organização. E isso só é possível porque estima-se que a nova internet suporte aproximadamente a conexão simultânea de um milhão de dispositivos por quilômetro quadrado, o que leva à evolução da Internet das Coisas (IoT), em que máquina “conversa” com máquina para produzir uma análise mais rápida de dados.

Considerado o pilar da indústria 4.0, o 5G permitirá também que a Inteligência Artificial faça ajustes de forma contínua, para que a produção se mantenha sempre de acordo com a demanda, ou ainda monitoramento 24 horas por dia e otimização de desempenho e segurança. Homero Salum, diretor de Engenharia da TIM Brasil, diz que a internet de quinta geração vai impactar não só a rotina do dia a dia, como também revolucionar diversos setores no estado.

“Com conexões melhores e mais rápidas, o 5G é capaz de conectar máquinas, objetos, coisas e pessoas. Por isso, é chamada a tecnologia do futuro. Essas características vão impactar o Brasil em inúmeros segmentos da indústria, do setor de serviços, do agronegócio e até mesmo as rotinas das pessoas dentro das casas”, aponta Salum. “Na indústria, que vai gerar máquinas e equipamentos para toda essa conectividade, o impacto será revolucionário.”

Luciano Stutz, presidente da Associação Brasileira de Infraestrutura para Telecomunicações (Abrintel), revela que o 5G vai impactar tanto as micro e pequenas empresas quanto as de maior porte. Para a grande indústria, a maior novidade será a possibilidade de criar redes privadas com a tecnologia, o que vai otimizar ainda mais os processos e ganhos. Ele ressalta, no entanto, que todo e qualquer produtor que tenha acesso vai começar a se beneficiar a partir de agora.

“O empresário que está incrustado dentro da cidade e que faz também o processo fabril, ou o pequeno agricultor que está na borda e pode se cobrir com esse 5G, ou um microempreendedor pode, sim, ter seus processos produtivos melhorados. Você vai ter uma indústria que vai trabalhar com 5G, esse já vai poder operar um equipamento à distância, seja um drone, um semeador, seja uma máquina agrícola, se ele já tiver acesso ao 5G. Aquelas indústrias que se prevalecem de meios mecânicos, automatizados para fazerem seu processo produtivo, se aproveitam do 5G na medida em que estão presentes”, destaca Stutz.

No estado do Amazonas, as micro e pequenas empresas são responsáveis por 85,3% do total de indústrias. Somente em 2021, segundo a CNI, a indústria local exportou US$ 817 milhões – o setor é responsável por mais de 94% de tudo o que é exportado pelo estado.

5G: seminário internacional debate impactos da tecnologia na educação e indústria

5G vai permitir que máquinas agrícolas “conversem entre si”

O 5G que está sendo instalado nas capitais está presente principalmente na área central. No caso de Manaus, segundo as regras do edital, as empresas Claro, Tim e Vivo devem ativar, pelo menos, 84 estações de 5G, mas as operadoras estão disponibilizando uma quantidade de estruturas maior do que a mínima exigida. A capital amazonense tem hoje, pelo menos, 38 bairros atendidos com a nova tecnologia, entre eles Centro, Adrianópolis, Aleixo, Alvorada, Cachoeirinha, Chapada, Cidade Nova, Colônia Santo Antônio, Compensa, Dom Pedro I, Educandos, Flores, Glória, Nossa Senhora Aparecida, Nossa Senhora das Graças, Nova Esperança e Petrópolis.

Segundo a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), até o momento foram ativadas 5.275 estações 5G standalone nas capitais brasileiras, o dobro do mínimo estabelecido pelos editais. As capitais representam 24% da população brasileira, ou seja, cerca de 50 milhões de usuários brasileiros já podem se beneficiar do 5G puro. A previsão é de que até 2025 as operadoras instalem outras 6 mil estações, ampliando a onda de cobertura da nova tecnologia.

Além de Manaus, outras 4 capitais receberam o 5G no dia 6 de outubro: Rio Branco (AC), Belém (PA), Macapá (AP) e Porto Velho (RO). Com a liberação dos cinco municípios, se completa o ciclo inicial da operação da nova tecnologia em todas as capitais do país. 

O cronograma inicial de ativação do 5G no Brasil previa que o sinal inicial estivesse disponível em todas as capitais, com uma antena para cada 100 mil habitantes, até o dia 28 de novembro. A nova etapa prevista no edital é de levar a tecnologia de quinta geração às cidades com mais de 500 mil habitantes, o que vai beneficiar mais de 500 municípios. 

Copiar o texto
13/09/2022 03:45h

Meta da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite é de vacinar 95% das crianças de um a quatro anos no estado. Para a Multivacinação a meta é atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves. Pais e responsáveis do Amazonas, aproveitem a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves.

Baixar áudio

Os pais e responsáveis por bebês, crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade devem ficar atentos: a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação deste ano já começou. No Amazonas, a mobilização envolve as mais de 600 unidades de saúde do SUS espalhadas pelos municípios do estado. São 18 vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, do Programa Nacional de Imunizações, que previnem doenças como a Poliomielite, Sarampo, Rubéola, Caxumba, entre outras. 

A intenção é ampliar as coberturas vacinais para crianças e os adolescentes menores de 15 anos. Em 2022, a cobertura vacinal da poliomielite, por exemplo, está em 52,9%, no estado. Já a cobertura da primeira dose da Tríplice Viral é de 53,7%. Dados parciais, disponíveis do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações.

A infectologista Ethel reforça: é fundamental ter altas coberturas vacinais para o controle das doenças imunopreveníveis. 

“O que significa atingirmos um percentual grande da população para faixa etária indicada para cada vacina. Em geral, a meta de vacinação está entre 90 e 95% do público-alvo a ser vacinado.”

O foco da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite,  também conhecida como paralisia infantil é de vacinar 95% da população menor de cinco anos de idade.. Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos, não vacinados e que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha de Multivacinação.

A médica Karina sabe muito bem a importância das vacinas para o desenvolvimento saudável de seu filho. Para a moradora de Benjamin Constant, saber que o pequeno está vacinado traz um sentimento de segurança.

“Isso é uma segurança para nós, pais, que sabemos que é importante ter o calendário de vacinação em dia. Acho de suma importância, pelo desenvolvimento saudável que a minha criança vai ter. E por saber que ela vai estar protegida, que vai ter anticorpos.”

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas de saúde. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada(VIP) e poliomielite oral(VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente. 
A atualização da caderneta vacinal aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Saiba mais:

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
10/08/2022 15:25h

Recursos serão repassados aos municípios de Maraã e Alvarães

Baixar áudio

Duas cidades do Amazonas atingidas por desastres naturais vão receber mais de R$ 1 milhão para ações de defesa civil. As portarias com as liberações dos recursos foram publicadas na edição desta quarta-feira (10) do Diário Oficial da União (DOU).

O maior repasse – de mais de R$ 536 mil – será para a cidade de Maraã, no estado do Amazonas. Os recursos serão destinados para a compra de cestas básicas, combustível e kits de limpeza, além do aluguel de embarcações. Cerca de 7,5 mil pessoas serão atendidas.

Também no Amazonas, o município de Alvarães contará com mais de R$ 492 mil para a compra de cestas básicas, atendendo mais de 4,7 mil pessoas. Ambas as cidades foram afetadas por inundações.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
04/08/2022 16:05h

Estão na lista municípios dos estados do Amazonas, Ceará, Rio Grande do Norte e Rio Grande do Sul

Baixar áudio

 A Defesa Civil Nacional reconheceu a situação de emergência em mais seis cidades do País atingidas por desastres naturais. A portaria com os reconhecimentos federais foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quinta-feira (4). Dos seis municípios, três passam por estiagem. São eles: Acari e Doutor Severiano, no Rio Grande do Norte, e Itapagé, no Ceará. Novo Tiradentes e Vila Nova do Sul, no Rio Grande do Sul, registraram enxurradas. Por fim, Novo Aripuanã, no Amazonas, sofreu com inundação.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência ou de estado de calamidade pública pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Congresso debate águas subterrâneas com a presença do MDR

Defesa Civil Nacional alerta para previsão de chuvas intensas em dois estados do Nordeste

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos.

Copiar o texto
Brasil 61