Aeroporto

Infraestrutura
26/05/2023 19:00h

Especialista explica qual é a importância de investimento em infraestrutura Aeroportuário

Baixar áudio

O Governo do Estado do Paraná está finalizando a ampliação da pista do aeroporto de Arapongas, que chega a 90% de execução e tem previsão para ser entregue nas próximas semanas. A obra teve o apoio da Prefeitura Municipal de Arapongas e da Secretaria de Infraestrutura e Logística.

O investimento foi de 8,65 milhões, sendo que R$ 5,65 milhões de contribuições foram do Governo do Estado do Paraná e R$ 3 milhões de acréscimo da prefeitura, que é a responsável pela contratação e realização das obras. O Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná (DER/PR) é o responsável por toda a supervisão e fiscalização do acordo. 

Na avaliação da pesquisadora no Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil da Universidade Federal de Pernambuco, Viviane Falcão, investir em Aeroportos fica mais fácil para as pessoas se deslocar de um lugar para outro, com uma rapidez "surreal". 

“A importância está relacionada à integração nacional. Quando a gente investir em uma infraestrutura de transporte no caso da região norte, especificamente, em aeroportos você está dando para aquela população a possibilidade de ela se deslocar. Quando você se desloca e se movimenta, aí você tem um mundo inteiro à sua frente. Isso se dá eu falando em termo de passageiros, mas a gente pode estar falando em termo de cargas. Diferentes cargas e produtos podem chegar de uma forma mais rápida quando você se tem um infraestrutura Aeroportuário,” destaca. 

De acordo com o Governo do Estado do Paraná e a Prefeitura Municipal de Arapongas, Secretaria de Infraestrutura e Logística (SEIL) e prefeitura municipal, as obras tiveram início em junho do ano passado, com o objetivo de alargar a pista de pouso e decolagem de 22 para 30 metros e aumentar a extensão de 1.200 para 1.400 metros. 

Copiar o texto
Infraestrutura
23/05/2023 04:00h

O deputado federal João Maia (PL-RN), autor do texto, destacou que as debêntures de infraestrutura são importantes para atrair capital privado ao setor. O projeto de lei foi aprovado na Câmara e aguarda há quase 2 anos no Senado

Baixar áudio

Aprovado pela Câmara dos Deputados em 2021, o projeto de lei 2646/2020, que cria as debêntures de infraestrutura, está parado no Senado há quase 2 anos. Autor da proposta, o deputado federal João Maia (PL-RN) afirmou no último dia 18, durante o Fórum de Competitividade realizado em Brasília (DF), que o texto é fundamental para atrair investimento privado para o setor de infraestrutura. 

"O Brasil produz muito bem, só que quando sai da chamada 'porteira pra fora', a estrada é ruim, não existe linha férrea, o porto é ruim e nós não temos dinheiro público para construir essa infraestrutura. A gente aprovou na Câmara, com 411 votos, as debêntures de infraestrutura, ou seja, o setor privado poder emitir debêntures para fazer investimentos. Está parado no Senado faz 2 anos", criticou Maia. 

As debêntures são títulos de dívida que as empresas emitem para captar recursos junto a investidores. Funcionam como uma fonte de financiamento. Entre os vários tipos de debêntures, existem as incentivadas que, de acordo com a lei, têm relação com o setor de infraestrutura. 

Uma concessionária que deseja duplicar uma rodovia sob sua administração, por exemplo, pode emitir debêntures para financiar aquele investimento. Como se trata de uma melhoria que impacta a vida da população, o governo isenta do Imposto de Renda o lucro das pessoas físicas que compram esses títulos. No caso das pessoas jurídicas, a tributação não zera, mas diminui. É uma forma de incentivar melhorias em estradas, ferrovias, portos e aeroportos. 

O PL aprovado na Câmara tenta atrair mais investimentos para o setor. Só que em vez de direcionar os incentivos fiscais aos investidores (pessoas e empresas que compram as debêntures), a proposta tem como alvo as empresas que precisam do financiamento para os projetos de infraestrutura. 

Segundo a proposta, elas poderiam deduzir da base de cálculo do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) os juros pagos aos investidores quando do vencimento das debêntures. Com isso, poderiam, em tese, emitir debêntures que garantam retornos maiores aos investidores. 

Importância das debêntures

A CEO do MoveInfra, Natália Marcassa, ex-secretária de Fomento, Planejamento e Parcerias do Ministério da Infraestrutura, destacou que o país precisa garantir melhores condições de financiamento para o setor, que trabalha com projetos de longo prazo. Ela lembrou que o projeto de lei das debêntures de infraestrutura vai ampliar o leque de financiadores da atividade.

"Como a gente consegue trazer mais capital privado para investir em infraestrutura? A nova série vai permitir que a gente acesse outros bolsos, como os fundos de pensão, que hoje a gente não acessa. Casa com infraestrutura, porque é de longo prazo, são 30 anos, e a gente consegue juntar essas fontes de financiamento para nossos recursos de infraestrutura." 

O ministro dos Transportes, Renan Filho, também participou do debate. Ele pontuou que o país precisa aumentar o investimento público no setor para diminuir o déficit de infraestrutura. Segundo Renan, há uma correlação direta entre o aumento do investimento público e o crescimento do investimento privado. O ministro disse que o PL das debêntures de infraestrutura e o marco legal das garantias (PL 4188/2021) são duas ferramentas importantes para atrair capital privado. 

PL que incentiva emissão de debêntures de infraestrutura pode suprir baixa capacidade de investimento público no setor

Infraestrutura: emissões de debêntures incentivadas atingem R$ 40 bilhões em 2022

Copiar o texto
15/02/2023 12:16h

Mesmo com valores de passagens nas alturas, foliões não deixam de se programar com antecedência para curtirem os dias de Carnaval

Baixar áudio

Há quem diga que o ano só começa de verdade depois de fevereiro,  porque o segundo mês do ano é o mais esperado para  curtir os festejos de  carnaval ou tirar aquele merecido descanso longe da “muvuca”.  Tanto para quem vai cair na folia como quem só quer descansar, e busca paz viajar  feriado prolongado e ainda economizar, é necessário planejar com antecedência.

Segundo a agência de viagem TurMundi, os destinos mais procurados nessa época são as cidades praianas onde o carnaval é animado, com muitas atrações. São elas:  Recife e Salvador por conta dos famosos blocos de Olinda (PE) e os trios-elétricos, na Bahia. São Paulo e Rio de Janeiro  também estão entre as mais procuradas, sobretudo por causa dos desfiles das escolas de samba,  Esses são também  os destinos mais escolhidos pelos  estrangeiros que vêm aproveitar o carnaval no Brasil.  

De acordo com a CEO e agente de viagem da TurMundi, Bruna Bilbao, por ser uma época de alta temporada, as passagens sempre ficam mais caras, sejam aéreas ou rodoviárias. 

“As passagens tanto de ônibus quanto de avião só aumentam, não ficam mais acessíveis por ser alta temporada. Então sempre fica mais caro. Inclusive, a alta da gasolina faz com que aumente mais, e não só as passagens, como os hotéis também, e até restaurantes. Tudo na cidade fica mais caro, principalmente nos locais que têm grande atrativos, tudo aumenta mais”, explicou Bruna Bilbao. 

Para viajar para esses destinos, a média de valores dos trechos saindo da capital federal fica em torno de R$ 2.500 as passagens de ida e volta. Além disso, a agente de viagem afirma que os hotéis e pousadas aproveitam a época de alta temporada para encarecer os serviços e conseguir se manter nos períodos em que os hotéis estão mais vazios.  

“Os hotéis e as pousadas aproveitam esse período para encarecer os serviços, porque logo depois que acaba o carnaval, a gente já entra na baixa temporada, que seria entre março, abril, maio e junho, então são períodos que ficam com hotéis vazios. As pessoas não viajam muito porque estão trabalhando, as crianças estudando, então eles aproveitam esse período de alta temporada que é dezembro, janeiro e fevereiro para conseguir se manter o restante do outro semestre até chegar julho, que é alta temporada de novo”, enfatizou a CEO da agência de viagens. 

A moradora de Samambaia (DF), Ivanilde Andrade (45), conta que todos os anos tem o costume de viajar no carnaval, mas esse ano não conseguiu se programar antes e com os valores mais altos não conseguirá viajar para o destino desejado.

“Todo ano no carnaval, eu e meu esposo viajamos, de preferência para a praia, mas as passagens ultimamente estão muito caras. O jeito que tem é pegar o carro e ir para a cidade dele no Paraná ou para a minha no estado de Minas Gerais”, explicou Ivanilde Andrade. 

Para quem deseja aproveitar o feriado, mas deixou para se planejar de última hora, a agente de viagens tem dicas de como aproveitar o carnaval sem gastar tanto. 

“A dica é: procurar lugares próximos, por exemplo, aqui em Brasília a gente tem um novo resort que inaugurou que é o “Tauá” e fica a uma horinha daqui, ou seja, você já economiza no sentido de não ter que pagar passagens aéreas. Você só pagaria a hospedagem que já inclui café da manhã, almoço e jantar, então é uma boa pedida”, recomenda Bruna Bilbao. 
 

Copiar o texto
13/02/2023 19:18h

Especialista detalha os direitos dos consumidores em casos de atrasos nos voos. Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo estima movimentação de R$ 8,18 bilhões

Baixar áudio

Após dois anos, o carnaval volta a acontecer sem as restrições impostas pela pandemia de Covid-19. A maior e mais tradicional festa do país costuma levar milhões de pessoas às ruas e impulsionar a economia durante o período. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) estima que o Carnaval 2023 vai movimentar em torno de R$ 8,18 bilhões, com destaque para bares e restaurantes, transporte de passageiros e serviços de hotelaria e hospedagem. 

A expectativa da Infraero é que os aeroportos de sua rede recebam cerca de 838 mil passageiros entre os dias 17 e 23 de fevereiro. No ano passado, mais de 493 mil pessoas embarcaram e desembarcaram durante o carnaval. Isso representa um aumento 70% neste ano em relação a 2022. 

A diretora Jurídica do Instituto de Defesa do Consumidor e do Contribuinte (IDC) e especialista em direito do consumidor, Renata Abalém, destaca que o atraso de voos é a principal reclamação de passageiros aéreos. Em seguida está a venda de assentos acima do suportado pela aeronave, o chamado overbooking. Além disso, há também a falta de logística de atendimento nos terminais aeroportuários. Por isso, Abalém explica que é preciso que os consumidores conheçam os seus direitos. 

“A partir de uma hora de atraso, a companhia é obrigada a oferecer suporte de comunicação como internet e telefone. A partir de duas horas, a companhia aérea é obrigada a fornecer alimentação e, se o atraso for de quatro horas, as companhias aéreas devem oferecer, além de alimentação, internet ou telefone, uma assistência material, a reacomodação, reembolso integral da passagem, se o consumidor quiser, ou a execução do serviço por outra modalidade de transporte”, afirma. 

De acordo com a especialista, caso o atraso seja superior a quatro horas, a empresa deverá também oferecer hospedagem aos passageiros, se houver pernoite no aeroporto. Transporte de ida e volta para o local onde o consumidor ficará hospedado também fica a cargo da companhia. Quando o atraso ocorrer na cidade onde o passageiro mora, a empresa oferece apenas o transporte para a sua residência e de lá para o aeroporto. 

Por determinação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso de máscaras faciais no interior dos terminais aeroportuários, meios de transporte e outros estabelecimentos localizados na área aeroportuária continua obrigatória. No entanto, a diretoria colegiada do órgão se reúne na próxima quarta-feira (15) e uma flexibilização da norma não está descartada. 

A Infraero recomenda que os viajantes cheguem ao aeroporto com antecedência mínima de 1 bora e 30 minutos para voos nacionais e 3 horas para voos internacionais. Renata Abalém avalia que além de chegar com antecedência, os passageiros devem manter o bom humor para lidar com os eventuais transtornos de viajar em períodos festivos. 

“Sugiro chegar pelo menos com umas 3 horas de antecedência porque os aeroportos estarão lotados, a logística de terra é falível demais e isso vai evitar muito transtorno. Veja só: o transtorno acontece, inclusive com tudo podendo dar errado e, se for assim, nada melhor do que bom humor para que o consumidor possa aproveitar bem o carnaval mesmo se for no saguão de aeroporto”, recomenda a especialista.  
 

Copiar o texto
15/01/2023 18:05h

Justiça aceita denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios , feita a partir de investigações da Polícia Civil. Caso ocorreu na véspera de natal

Baixar áudio

A Justiça acatou a denúncia do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT) contra três suspeitos de envolvimento na tentativa de explosão de uma bomba instalada em um caminhão-tanque próximo ao aeroporto de Brasília, na véspera de natal (24). A denúncia foi feita com base nas investigações da Polícia Civil. Com a decisão tomada na última terça-feira (10), o trio de suspeitos vira réu. 

O advogado especialista em direito penal Helton Marques explica que, a partir deste momento, as três pessoas suspeitas de tentar explodir o artefato nos arredores do aeroporto de Brasília serão intimadas para apresentar, no prazo de 10 dias, a defesa do processo por meio de advogados ou defensoria pública.

“É nesse momento também que eles podem arrolar testemunhas, oferecer documentos e justificações e especificar as provas também”, explica o especialista em direito penal.

Helton Marques afirma que, mesmo com o trio de suspeitos virando réu, as investigações continuam para saber se há mais pessoas envolvidas no ocorrido. “As investigações irão continuar porque eles estão buscando outros autores do crime ou partícipes também”, esclarece.

Relembre o caso

A suspeita de uma bomba em um caminhão localizado em área próxima ao Aeroporto Internacional de Brasília mobilizou equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil do Distrito Federal no dia 24 de dezembro, véspera de natal. 

Veja o que se sabe até agora sobre prisão de Anderson Torres

O dispositivo foi localizado em via pública, perto de uma concessionária de veículos. O caso ocorreu um dia após a Polícia Militar do Distrito Federal atender ocorrência de suspeita de artefato explosivo na capital. 

Por meio de nota, a Inframérica, administradora do terminal, informou que, durante uma ronda de rotina, ainda pela manhã, “a equipe de vigilância e monitoramento do Aeroporto de Brasília encontrou um artefato suspeito próximo às concessionárias de veículos no sítio aeroportuário e acionou os órgãos policiais e o Corpo de Bombeiros Militar do DF.”
 

Copiar o texto
Brasil
25/12/2022 20:10h

Empresário paraense disse à Polícia Civil ter gasto cerca de R$ 160 mil em armamentos e admitiu que havia mais pessoas envolvidas na tentativa de explosão

Baixar áudio

A Polícia Civil do Distrito Federal (PC-DF) prendeu, na noite de sábado (24), George Washington de Oliveira Sousa, de 54 anos, por tentar explodir uma bomba em local próximo ao Aeroporto de Brasília. Neste domingo (25),  em audiência de custódia a prisão em flagrante foi convertida em prisão preventiva, segundo a assessoria do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT). Em depoimento, o apoiador do presidente Jair Bolsonaro  confessou que tinha a intenção de causar uma explosão no local.

 O delegado-geral da PCDF, Robson Cândido, confirmou que George Washington, morador da cidade de Xinguá, no estado do Pará, se deslocou para Brasília para participar das manifestações de apoio a Jair Bolsonaro, que ocorrem em frente ao QG do Exército, na capital federal. Cândido anunciou neste domingo que a Policia Civil já teria identificado a segunda pessoa que teria instalado o artefato, em caminhão que transportava combustível, no aeroporto de Brasília.

“Se esse material adentrasse no aeroporto de Brasília, próximo a um avião com 200 pessoas, seria uma tragédia aqui dentro de Brasília, jamais vista.   A perícia nos relata que eles tentaram acionar o equipamento, mas não sei por que, talvez até por ineficiência técnica deles, não conseguiram explodir”, enfatizou o delegado.

No depoimento, George Washington afirma ainda que policiais militares e bombeiros disseram a ele que  não iriam coibir destruição e vandalismo durante os atos realizados por manifestantes bolsonaristas, no dia 12 de dezembro, em frente ao Edifício-Sede da Polícia Federal, em Brasília.  

“Houve o protesto contra a prisão do índio onde eu conversei com os PMs e Bombeiros responsáveis por conter os manifestantes que me disseram que não iriam coibir a destruição e o vandalismo desde que os envolvidos não agredissem policiais. Ali ficou claro para mim que a PM e o Bombeiro estavam ao lado do presidente e que  em breve seria decretada a intervenção das forças armadas”, disse.

No twitter, o futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Flávio Dino, criticou os acampamentos de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro. Também na rede social, o atual ministro da Justiça e Segurança Pública, Anderson Torres, informou que a pasta oficiou a Polícia Federal para “acompanhar a investigação, no âmbito de sua competência, adotar as medidas necessárias”. 

Copiar o texto
24/12/2022 13:50h

O dispositivo foi localizado em uma via pública, perto de uma concessionária de veículos. O caso ocorre um dia após a Polícia Militar atender outra ocorrência de suspeita de artefato explosivo na capital

Baixar áudio

A suspeita de uma bomba em um caminhão localizado em área próxima ao Aeroporto Internacional de Brasília mobilizou equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil do Distrito Federal neste sábado (24). 

O dispositivo foi localizado em via pública, perto de uma concessionária de veículos. O caso ocorreu um dia após a Polícia Militar do Distrito Federal atender ocorrência de suspeita de artefato explosivo na capital. 

Por meio de nota, a Inframérica, administradora do terminal, informou que, durante uma ronda de rotina, ainda pela manhã, “a equipe de vigilância e monitoramento do Aeroporto de Brasília encontrou um artefato suspeito próximo às concessionárias de veículos no sítio aeroportuário e acionou os órgãos policiais e o Corpo de Bombeiros Militar do DF.”

Greve dos pilotos e comissários continua, após assembleia das categorias rejeitar nova proposta do TST

Tácido Rodrigues, de 28 anos, esteve no aeroporto na manhã deste sábado, mas diz que não viu movimentações atípicas no local. “Viajamos mais cedo de Brasília para Fortaleza e não ficamos sabendo sobre a questão da bomba. Embarcamos por volta de 8h da manhã e aparentemente estava tudo normal. O aeroporto estava bem movimentado. Até chegarmos no Ceará, não tivemos notícia sobre essa bomba”, relata. 

Após a notificação, a área foi isolada para que fosse feita a investigação. Ainda de acordo com a nota, “não há impacto nas operações do terminal aéreo. Pousos e decolagens ocorrem normalmente.” A via principal que dá acesso ao aeroporto está isolada, mas os condutores podem seguir para o aeroporto pela via marginal.
 

Copiar o texto
23/12/2022 18:20h

Sindicato continuou com as paralisações nos aeroportos nesta sexta-feira (23). E anunciou que pretende prosseguir com a greves, até que cheguem a um acordo sobre suas reivindicações salariais

Baixar áudio

Após rejeitar em assembleia a nova proposta  de acordo salarial para pôr fim à greve dos pilotos e comissários, apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) na tarde da quinta-feira (22), o Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) continuou hoje(23) com as paralisações em aeroportos brasileiros. A categoria pretende prosseguir com a greve pelos próximos dias, até que cheguem a um acordo salarial, com os representantes das empresas. O movimento, que começou na segunda-feira (19), ocorre em aeroportos localizados em Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo, das 6h às 8h.

Segundo o SNA, a proposta traz a renovação da convenção coletiva na sua íntegra, e nas cláusulas econômicas, com o reajuste de 100% do índice inflacionário dos últimos 12 meses, que é de 5,97% mais o acréscimo de 1%. Assim, as cláusulas econômicas seriam ajustadas em praticamente 7% em todos os itens, exceto em diárias internacionais e com um pequeno desconto no teto de recebimento no valor do vale alimentação, onde o reajuste é de 100% do INPC, tirando 2,74% do adiantamento da convenção anterior, que aconteceu em maio deste ano.

Os reajustes não valem para diárias internacionais, que são pagas por outras moedas. Também estava prevista a manutenção das demais cláusulas previstas na Convenção Coletiva de Trabalho (CCT).

As reivindicações dos aeronautas são o  reajuste dos salários com um aumento de 5%, com a reposição inflacionária; além de definição dos horários de início das folgas e o cumprimento dos limites que já existem sobre o tempo em solo entre cada voo.

Em live no canal oficial no Youtube, o presidente do SNA, Henrique Hacklaender, informou que 5.884 tripulantes participaram da votação virtual, que ocorreu na quinta-feira (22), das 16h30 à meia-noite. A proposta foi reprovada por 59,25% dos votos.

Imagem: Sindicato Nacional dos Aeronautas

Henrique afirma que a greve prossegue com os tripulantes que votaram contra e também, a favor.  “Afinal de contas, os benefícios são para todos. Se conseguirmos algo, se ganharmos algo, isso serve para toda a categoria. Afinal de contas, isso tem que ser maior. Nós temos que fortalecer esse movimento”.

Leia mais sobre: 

O que já se sabe sobre a greve de pilotos e comissários 

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até às 18h desta sexta-feira, foram registrados 103 atrasos e 15 cancelamentos de voos no Aeroporto de Congonhas, e 60 atrasos e sete cancelamentos no Aeroporto Santos Dumont, ambos entre partidas e chegadas.

Data

Congonhas

Santos Dumont 

22/12

140 atrasos e 34 cancelamentos

99 atrasos e 24 cancelamentos

21/12

144 atrasos e 75 cancelamentos

153 atrasos e 98 cancelamentos

20/12

127 atrasos e 52 cancelamentos

155 atrasos e 66 cancelamentos

19/12

108 atrasos e 29 cancelamentos

17 cancelamentos e 32 atrasos

Copiar o texto
22/12/2022 20:50h

A greve dos pilotos e comissários, que começou na segunda-feira (19), pode chegar ao fim nesta sexta-feira (23)

Baixar áudio

A greve dos pilotos e comissários, que começou na segunda-feira (19), pode chegar ao fim nas primeiras horas de amanhã (23). Na tarde desta quinta-feira (22), o Tribunal Superior do Trabalho (TST) apresentou uma nova proposta ao Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), que irá anunciar o resultado à 00h30, em live no canal oficial do Youtube.

A nova proposta foi divulgada pelo SNA e trata da renovação da convenção coletiva na sua íntegra, reajuste de 100% do índice inflacionário dos últimos doze meses, que é de 5,97% nos salários fixos e variáveis, mais o acréscimo de 1% de aumento real; entre outros.

Confira a proposta na íntegra:

Imagem: Sindicato Nacional dos Aeronautas

Às 16h30 da data de hoje, teve início a votação dos aeronautas para aceitar ou recusar o acordo. Será encerrada à meia noite, e o resultado será divulgado no canal oficial do SNA no Youtube.

O presidente do SNA, Henrique Hacklaender, informa que o movimento grevista está previsto para amanhã, e a continuidade dele depende do resultado da votação. “Se votar sim, perfeito. Segue a convenção coletiva e suspende a greve. E a partir daqui, então, temos a nossa correção renovada e os nossos salários reajustados. No caso de reprovação, nós vamos continuar a greve e ela vai ter que ser de forma intensiva. Ela vai ter que endurecer. Porque, afinal de contas, nós passamos aqui quatro dias e tivemos essa proposta”, afirma.

Henrique ainda alerta para a possibilidade de um julgamento de dissídio, que acontece quando não há negociação direta entre trabalhadores ou sindicatos e empregadores. 

Leia mais sobre: 

O que já se sabe sobre a greve de pilotos e comissários 

Voos atrasados e cancelados

De acordo com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), até às 16 horas de hoje, foram registrados 48 atrasos e 14 cancelamentos na partida de voos no Aeroporto de Congonhas, e 41 atrasos e 9 cancelamentos na partida de voos no Aeroporto Santos Dumont.

Data

Congonhas

Santos Dumont 

21/12

144 atrasos e 75 cancelamentos

153 atrasos e 98 cancelamentos

20/12

127 atrasos e 52 cancelamentos

155 atrasos e 66 cancelamentos

19/12

108 atrasos e 29 cancelamentos

17 cancelamentos e 32 atrasos

Copiar o texto
21/12/2022 11:43h

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Henrique Hacklaender, diz que ainda vão seguir para um quarto e quinto dia caso seja necessário

Baixar áudio

A greve dos pilotos e comissários de bordo segue seu terceiro dia nesta quarta-feira (21). As paralisações diárias estão ocorrendo das 6h às 8h, em aeroportos de São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas, Belo Horizonte, Brasília, Porto Alegre e Fortaleza. Até o fechamento desta edição, os aeronautas e representantes das companhias aéreas não chegaram a um acordo.

O presidente do Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA), Henrique Hacklaender, diz que o movimento continua ganhando força. "Os voos vêm sendo paralisados e sendo atrasados. Tivemos voos nacionais, voos internacionais em aeroportos que ainda não haviam tido nenhuma parada", informa.

De acordo com Henrique, caso seja necessário, os tripulantes ainda vão seguir para um quarto e quinto dias de paralisação. “Fizemos o que precisa ser feito e vamos continuar fazendo. As empresas não se posicionaram, não apresentaram nada até o momento e nós precisamos chegar numa resolução. Temos um pedido justo, um pedido plausível”, afirma. 

A principal reivindicação das categorias é o reajuste real dos salários, além da definição dos horários de início das folgas e cumprimento dos limites que já existem sobre o tempo em solo entre cada voo.  

Leia mais sobre:

O que já se sabe sobre a greve de pilotos e comissários que está prevista para segunda-feira (19)

Greve dos pilotos e comissários causa cancelamentos e atrasos em voos

Segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero), na manhã de hoje foram registrados 9 atrasos e 12 cancelamentos de voos no Aeroporto de Congonhas, e 14 atrasos e 19 cancelamentos no Aeroporto Santos Dumont.

No total, foram registrados 24 atrasos e 26 cancelamentos e em Congonhas, e 47 atrasos e 38 cancelamentos no Santos Dumont. 

Copiar o texto