Trânsito

02/10/2021 16:17h

As obras são executadas em estados como Amapá, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo

Baixar áudio

O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) chama a atenção de motoristas que trafegam pelas rodovias do país. A partir deste sábado (2), alguns trechos serão interditados em função de obras. Um deles é na BR-156/AP. O tráfego de veículos no km 701,3 da rodovia federal será interrompido até 30 de outubro. 

O trânsito ficará restrito das 8h às 12h e das 13h às 17h. De acordo com o DNIT, a determinação foi dada para facilitar a execução dos serviços de recuperação da ponte de madeira sobre o rio Cassiporé, no trecho Norte da BR. O ponto fica localizado no município de Calçoene. 

Rio Grande do Sul

Outro bloqueio é feito na pista Capital-interior da BR-116/RS, junto à ponte sobre o rio dos Sinos, em São Leopoldo, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Há interrupção do trânsito de veículos desde a última quinta-feira (30) e se estenderá até as 6 horas de segunda-feira (4). 

Durante os serviços, a pista do sentido interior-Capital da BR-116/RS mantém o fluxo normal, com interrupções pelo sistema “pare e siga”. O local contará com sinalização ostensiva, inclusive com dispositivos noturnos. A interdição será necessária para o içamento de 32 vigas pré-moldadas das novas pontes do rio dos Sinos. A ideia é melhorar o tráfego da BR-116/RS, entre Novo Hamburgo e Porto Alegre.

Redução de tarifas é defendia em audiência pública com representantes do setor elétrico

Projeto proíbe bloqueio de recursos para fiscalizar mineração

Ainda no Rio Grande do Sul, o DNIT vai executar serviços de manutenção na BR-116/RS, BR-290/RS e BR-471/RS, neste sábado (2). Na primeira delas, as obras ocorrem do km 290 ao km 400,5, de Guaíba à Camaquã. Os trabalhos de conservação são feitos nos dois sentidos. Também há registro de obras do 392 ao km 394, em Camaquã. O serviço executado é de restauração do pavimento nos dois sentidos. 

Na BR-290, as obras ocorrem nos seguintes trechos:

  • km 98 ao km 112 (Porto Alegre) – Serviços de conservação rotineira, em ambos os sentidos (das 8 às 18 horas);
  • km 98 ao km 99 (Porto Alegre) – Serviços de recuperação do pavimento, em ambos os sentidos com interrupção parcial da pista (das 8 às 18 horas);
  • km 185 ao km 200 (Minas do Leão a Rio Pardo) – Roçada da faixa de domínio, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas);
  • km 200 ao km 214 (Rio Pardo a Pantano Grande) – Serviços de conservação, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas); 
  • km 310 ao km 317 (Cachoeira do Sul a Caçapava do Sul) – Serviços de conservação, em ambos os sentidos (das 7 às 17 horas).

Já na BR 471, os serviços de são realizados do km 142,8 ao km 192,7, de Santa Cruz do Sul a Pântano Grande; e do km 168 ao km 192,7, Rio Pardo à Pântano Grande. 

Santa Catarina

Em Santa Catarina, haverá interrupção total da SC-418, na altura da Serra Dona Francisca, no Norte do estado, neste domingo (3). A informação foi repassada pela Secretaria de Estado da Infraestrutura e Mobilidade.  

O bloqueio será das 7 horas às 16 horas, entre os Kms 8 e 18. O fechamento se deve à elaboração de projeto de engenharia para as obras de restauração da rodovia. 

São Paulo

No estado de São Paulo, o tráfego na Rodovia Raposo Tavares (SP-270) será interrompido nesta segunda-feira (4). A interdição ocorrerá por conta das obras no retorno do km 382+900, em Ourinhos (SP), de acordo com a concessionária Cart, responsável pela rodovia. Os serviços serão executados das 7h30 às 17h30. 
 

Copiar o texto
Brasil
09/09/2021 18:10h

Movimento não foi coordenado por entidades representantes da categoria, mas conta com a mobilização de caminhoneiros autônomos, que demonstram apoio ao presidente Jair Bolsonaro

Baixar áudio

Até as 11h desta quinta-feira (9), caminhoneiros bloqueavam parcial ou totalmente rodovias federais de 15 estados, de acordo com o Ministério da Infraestrutura e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). 

Os protestos tiveram início em vias de Santa Catarina, Paraná, Espírito Santo e São Paulo, mas se espalharam pelo país e, segundo as autoridades, ocorrem também no Rio Grande do Sul, Mato Grosso, Goiás, Bahia, Minas Gerais, Tocantins, Rio de Janeiro, Rondônia, Maranhão, Roraima e Pará. 

Os caminhoneiros que deflagraram o movimento pelo país não tiveram adesão formal de sindicatos ou associações ligadas à categoria. Em contato com a reportagem, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA) reafirmou o posicionamento anterior ao 7 de setembro, ou seja, de que os “atos representam a vontade individual de cada caminhoneiro”. 

O movimento é descentralizado e, por meio das redes sociais, várias pessoas já tentaram se colocar como líderes da paralisação. As pautas dos manifestantes são diversas, mas entre as principais estão o apoio ao presidente Jair Bolsonaro e críticas ao Supremo Tribunal Federal (STF). 

O portal Brasil61.com continua tentando contato com caminhoneiros que aderiram ao movimento em busca de um posicionamento. 
 
Em São Paulo, os caminhoneiros paralisaram, por exemplo, as rodovias Anhanguera e Washington Luís. Ambas cortam o município de Cordeirópolis, cidade importante para a logística do estado, graças à presença de muitas transportadoras e sede de empresas importantes, como a Nestlé. Temendo que os protestos se estendessem por mais tempo, o prefeito Adinan Ortolan resolveu se antecipar. 
 
“O movimento durou poucas horas, mas estávamos nos preparando para durar vários dias. Já colocamos a Guarda Municipal de Prontidão, reservamos com o nosso fornecedor, hoje de madrugada, uma quantidade de combustível que daria para tocar as ambulâncias, SAMU, transporte escolar, e também convocamos uma reunião do secretariado para verificar se iria faltar gás de cozinha nas escolas.”

7 DE SETEMBRO: Atos ocorreram em 24 capitais

7 DE SETEMBRO: Bolsonaro discursa para milhares de manifestantes na Esplanada

Desde ontem, a PRF atua para garantir o fluxo nas rodovias federais em que há bloqueios. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, por exemplo, os caminhoneiros permitiam a passagem dos motoristas de todos os veículos, exceto os caminhões. Por causa disso, 60 postos de combustíveis em Joinville, no norte catarinense, estavam sem gasolina na manhã desta quinta, de acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipetro). 

Na quarta, o Ministério da Infraestrutura disse que a PRF desmobilizou 117 ocorrências. Hoje, até as 15h, a corporação já havia liberado 35 pontos de bloqueios nas rodovias federais. Mais de dois mil policiais rodoviários federais e cinco aeronaves trabalham na operação. 

Pela manhã, a PRF liberou pontos na BR-101, em Campos dos Goytacazes (RJ), BR-116, em Feira de Santana (BA), BR-040 (Goiás), na BR-101 (Espírito Santo), entre outros. 

Nesta quarta-feira (8), o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, divulgou um vídeo confirmando a veracidade de um áudio do presidente Jair Bolsonaro, em que o chefe do Executivo pedia a liberação das rodovias e afirmava que os bloqueios atrapalham a economia, provocam desabastecimento e prejudicam a todos, em especial aos mais pobres.

“A gente sabe que há uma preocupação de todos com a melhoria da situação do país, com a resolução de problemas graves, mas a gente não pode tentar resolver um problema criando outro. Peço a todos que escutem as palavras do presidente e a gente tenha serenidade para pavimentar um futuro melhor”, avaliou Tarcísio. 

De acordo com o Ministério da Infraestrutura, Bahia, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul e Santa Catarina contam com pontos de interdição. Nos demais estados, o trânsito está liberado, mas os caminhoneiros ainda impedem a passagem de veículos de cargas. 
 

Copiar o texto
Brasil
05/09/2021 18:00h

Grupos de apoiadores de pelo menos dez estados confirmaram viagens para a capital federal com ônibus fretados. Confira como deve ficar o trânsito em Brasília no feriado

Baixar áudio

Devido às manifestações populares no feriado de 7 de Setembro, o trânsito de Brasília vai operar em esquema especial, com vias bloqueadas até o fim do ato. Na Esplanada dos Ministérios ficará proibido o trânsito de veículos a partir das 0h, com bloqueio entre a alça leste da Rodoviária do Plano Piloto até o 1º Grupamento de Bombeiro Militar, próximo à L4 Norte.
 
Até o momento, há um cadastro prévio de 13 grupos bolsonaristas e três grupos contrários ao governo federal. De acordo com a divisão da PM, os manifestantes pró-governo ficarão na Esplanada dos Ministérios e podem seguir pela pista principal até chegar à Avenida José Sarney, na ligação entre as vias S1 e N1.
 

 
Os atos contrários estarão concentrados no estacionamento da Torre da TV, a partir das 8h, ao lado da Praça das Fontes. Os grupos seguem a caminhada, a partir das 10h, até o Memorial dos Povos Indígenas, acompanhados pela PMDF durante todo o trajeto.
 
Os ônibus das comitivas, assim como motocicletas e cavalos, deverão ser deixados no estacionamento da Praça da Cidadania, localizada ao lado do Teatro Nacional. Os demais manifestantes poderão utilizar os estacionamentos da parte superior da Rodoviária do Plano Piloto e dos setores de Autarquia, Bancário e Comercial. 

Fiscalização reforçada nas rodovias durante o feriadão

Brasil atinge 213,3 milhões de habitantes
 
As alternativas para quem precisar acessar a região serão as vias N2 e parte da S2, entre os ministérios e anexos. Policiais militares e agentes do Detran estarão nas vias W3 Norte (N2 e N3) e W3 Sul (S2 e S3) para controle do trânsito. 
 
A partir das 6h não será mais possível transitar com veículos da altura da W3 até a Funarte, no Eixo Monumental – nas vias N1 e S1. O restante da avenida estará aberta para o trânsito de veículos. O trecho específico será destinado para os manifestantes contra o governo. O Eixão do Lazer também funcionará normalmente, fechado para veículos, mas com passagem de pedestres permitida.

Reforço do policiamento

Além do bloqueio do trânsito, a região central também receberá reforço no policiamento. A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) programou linhas de revistas pessoais. Alguns itens não serão permitidos aos manifestantes. Entre eles estão: objetos cortantes e perfurantes, pedaços de madeira, cano de PVC e de ferro, mastros de bandeiras, fogos de artifícios, garrafas de vidros e álcool líquido (álcool em gel será permitido). 
 
Segundo o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Júlio Danilo, a área será resguardada por várias forças de segurança do DF e federais. “Esses órgãos federais são responsáveis pela segurança interna e parte daquela zona externa. Em todo perímetro seguinte as forças de segurança assumem essa fiscalização. Nós estamos aí sim trabalhando com a possibilidade de ter diversos policiais dispostos não só na Esplanada, como em toda a área”, disse.
 
A PM recomendou que os alimentos levados pelos manifestantes sejam colocados em sacos transparentes, para que os policiais possam identificar facilmente. Recomenda-se não se esquecer de levar sua água, seu boné, e passar protetor solar, pois, nessa época do ano, as temperaturas são elevadas. 

Caravanas 

Manifestantes de todas as regiões do País se preparam para os protestos. Grupos de apoiadores de pelo menos dez estados confirmaram viagens para a capital federal com ônibus fretados. Apenas em Tocantins foram confirmadas sete caravanas do estado até Brasília. As caravanas também irão sair de Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Bahia e Rio Grande do Sul.
 
O pastor Ricardo Cordeiro é um dos colaboradores de uma caravana que sai do município de Januária, no interior de Minas Gerais. O grupo é formado por empresários do agronegócio e do comércio da região. “Da nossa cidade vai sair um ônibus com 42 pessoas, no entanto, também terão outros carros particulares indo no sentido de nos seguir e acompanhar essa caravana”, contou.
 
A mobilização lotou os hotéis da região, tradicionalmente vazios em feriados.  Dados da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Distrito Federal (Abih-DF) apontam para uma ocupação de quase 100% da capacidade até esta segunda-feira (6), véspera do feriado, e 80% no dia 7.
 

Copiar o texto
04/09/2021 18:40h

Polícia Rodoviária Federal organiza operação para garantir melhor fluidez e segurança nas rodovias federais até o dia 7 de Setembro

Baixar áudio

As rodovias federais em todo o Brasil recebem uma maior quantidade de carros durante os feriadões e neste não será diferente. Para garantir maior fluidez e segurança nas estradas, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) iniciou, na última sexta-feira (3), a Operação Independência, um reforço de policiamento em locais e horários de maior incidência de acidentes graves e de criminalidade.
 
Neste ano, a PRF vai dar atenção especial às ações de combate a embriaguez ao volante, fiscalização de ultrapassagens em trechos de pista simples e o controle do excesso de velocidade, três dos maiores causadores de acidentes nas estradas. O uso do cinto de segurança, do capacete em motocicletas, dos dispositivos de retenção para crianças e do uso de telefone celular, além de fiscalizações específicas de motocicletas e condições de conservação dos veículos também terão atenção especial das equipes de fiscalização nas estradas durante o feriadão.
 
Paulo Cesar Marques, professor de Engenharia de Tráfego na Universidade de Brasília (UnB), acredita que a atenção redobrada por parte das autoridades de trânsito nesta época do ano é necessária, uma vez que há mais acidentes, sobretudo por dois motivos: mais veículos nas ruas e mais motoristas inexperientes pegando a estrada. 
 
“Normalmente, as ocorrências estão vinculadas ao volume de veículos circulando. Então, quanto mais veículos circulando, maiores as oportunidades em que as situações de risco acontecem, como os conflitos, que é o que geram os acidentes. Além disso, nos feriados alongados acaba que há também circulação por parte das pessoas que não têm familiaridade com a forma de funcionamento da rodovia, que não são motoristas do dia a dia, e não conhecem como é que os usuários se comportam”, explica. 

Criminalidade

Durante os períodos de férias e feriados, os assaltos e roubos também se tornam um grave problema nas rodovias e a corporação promete intensificar sua atuação no combate ao crime. Entre as estratégias então a realização de abordagens focadas nas informações do serviço de inteligência e a utilização de ferramentas de comunicação, para prender criminosos, recuperar veículos roubados e retirar armas ilegais, drogas e produtos contrabandeados de circulação.

Viaje seguro

Segundo a Polícia Rodoviária Federal, os motoristas que vão pegar a estrada no feriado podem seguir uma série de recomendações que podem ajudar a garantir uma viagem tranquila e segura:

  • Faça uma revisão no veículo: verifique principalmente pneus (inclusive o estepe), palhetas dos limpadores de para-brisa e itens de iluminação e sinalização;
  • Planejamento: lembre-se de programar paradas em locais adequados para abastecimento, alimentação e descanso. O acostamento deve ser utilizado apenas para situações emergenciais;
  • Jamais dirija sob efeito de álcool;
  • Mantenha a atenção total na rodovia: respeite a sinalização e os limites de velocidade, eles existem para proteger a sua vida;
  • Mantenha sempre os faróis ligados, mesmo durante o dia, para que seu veículo fique mais visível aos demais condutores e pedestres;
  • Lembre-se: o cinto de segurança é obrigatório para todos os ocupantes do veículo;
  • Cadeirinha é obrigatória, no caso de transporte de crianças;
  • Em caso de emergência, contate a PRF: ligue para o telefone de emergência 191.

A dica de Paulo Cesar para que os motoristas minimizem os riscos de acidentes é simples: ter paciência. “Ser mais cuidadoso do que normalmente as pessoas são e serem pacientes com eventuais situações de congestionamento, de alguns pontos de retenção, não tentarem resolver isso fazendo ultrapassagens perigosas, por exemplo. Ou tentar ganhar tempo que, eventualmente, se gastou mais do que esperado num determinado ponto correndo além da conta nos outros trechos. Então, é cautela, atenção redobrada”, alerta. 

Durante a chuva

Além de cuidado redobrado e respeito à sinalização das estradas, o motorista deve ficar atento ao tempo. Em caso de chuva durante a viagem, a PRF orienta aos motoristas que transitem com velocidade moderada, sempre à direita da via. Nestes casos, o ideal é manter os faróis baixos acesos, manter distância segura do outro veículo que segue à sua frente, já que as frenagens ficam comprometidas com a água na pista, e evitar manobras bruscas.

Copiar o texto
02/09/2021 09:45h

Segundo o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, a previsão é de um investimento que chega a R$ 26 milhões

Baixar áudio

O semianel viário de Candeias vai passar por obras de recuperação e melhorar o acesso de quem trafega entre o município baiano e a BR-324, no Viaduto de Via Maré. De acordo com o governo da Bahia, objetivo é evitar o tráfego de caminhões e carretas na área urbana de Candeias.

O aviso de licitação para a execução dos serviços foi publicado, nesta quarta-feira (1°) no Diário Oficial do Estado (DOE). A abertura dos envelopes com as propostas das empresas interessadas acontecerá em 5 de outubro.

Saneamento: Amapá se junta a outros estados que se beneficiaram com o novo Marco Legal

MDR apresenta Programa Pró-Cidades a estados e municípios do Norte e Centro-Oeste

Sob a responsabilidade da Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) a obra compreende um trecho de 13,9 km entre os entroncamentos da BA-523 e da BR-324. Segundo o secretário de Infraestrutura do Estado, Marcus Cavalcanti, a previsão é de um investimento que chega a R$ 26 milhões.

Além da recuperação do Semianel de Candeias, outras obras de infraestrutura são realizadas pela Seinfra no município e região. Uma delas é a restauração de 13,5 km da BA-522, do entroncamento da BA-522 até o distrito de Menino Jesus. A ponte que liga Madre de Deus a São Francisco do Conde, na BA-523, também passa por recuperação.

 

Copiar o texto
17/06/2021 15:30h

Taxas de licenciamento anuais de 2016 a 2020 também ficam dispensadas

Baixar áudio

Governo de Alagoas sanciona lei que aprova a remissão de débito de Imposto Sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) com redução do imposto e dispensa total de multa e juros, bem como pagamento de taxa de licenciamento de veículo ciclomotor.

Pedágio: como funcionará o pagamento proporcional aos quilômetros rodados?

Aviação Acessível: pesquisa levantará informações sobre o uso do transporte aéreo por pessoas com deficiência

De acordo com o documento, as dívidas de IPVA relativas a fatos ocorridos até 31 de dezembro de 2020 podem ser liquidados com redução de 10% do valor do imposto e de 100% do valor da multa e dos juros. Mas o pagamento dos débitos precisa ser feito em prestação única, no prazo e forma previstos, para que os descontos sejam aplicados.

A medida se aplica somente a um veículo por pessoa e os benefícios não se aplicam ao IPVA relacionado a veículo novo, e aos veículos que não estejam registrados junto ao Detran-AL.

Copiar o texto
03/06/2021 03:45h

A norma estabelece a cobrança de tarifas pelo uso de rodovias e vias urbanas sem necessidade de praças de pedágio e com a identificação automática dos usuários

Baixar áudio

O presidente Jair Bolsonaro sancionou lei que estabelece a cobrança de pedágio proporcional por meio de sistemas de livre passagem, o chamado free flow, sem cancelas, onde o usuário paga somente pelo trecho percorrido. A norma estabelece a cobrança de tarifas pelo uso de rodovias e vias urbanas sem necessidade de praças de pedágio e com a identificação automática dos usuários. A regulamentação caberá ao Poder Executivo. 

O governo vetou item do projeto que previa a regulamentação da matéria em até 180 dias a partir da publicação da lei porque, segundo o Planalto, a medida viola o princípio da separação dos Poderes. O veto será analisado em sessão do Congresso Nacional.

Câmara aprova pagamento proporcional de pedágios

TCU determina que ANTT cobre atrasos em obras de concessões rodoviárias no país

Para os contratos de concessão de rodovias e vias urbanas firmados antes da publicação da nova lei, nos quais não seja possível implementar o sistema de livre passagem, a regulamentação deverá prever um termo aditivo para viabilizar a concessão dos benefícios tarifários aos usuários frequentes. 

O valor total destinado à recomposição das perdas de receita das concessionárias, em decorrência do não pagamento de pedágio por usuários da via, não poderá ultrapassar o montante total arrecadado por meio de multas instituídas no Código de Trânsito Brasileiro.

Copiar o texto
18/05/2021 03:00h

Os recursos virão de financiamento por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS

Baixar áudio

A cidade de Paulistana, no Piauí, vai contar com mais de quatro milhões e setecentos mil reais para obras de qualificação viária. Os recursos virão de financiamento por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, o FGTS. O município foi contemplado pelo Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana, coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR.

Maxwell Vieira, diretor de Projetos de Mobilidade e Serviços Urbanos do MDR, conta como os recursos serão utilizados.

"A proposta inclui a realização de serviços de pavimentação, microdrenagem, construção de calçadas com acessibilidade, instalação de iluminação pública, recapeamentos de pistas e sinalização viária em diversas ruas do município. Nosso objetivo é estar cada vez mais próximos dos estados e municípios para auxiliar com as pautas de mobilidade urbana".

O cadastramento de projetos para o Avançar Cidades é contínuo e pode ser realizado durante todo o ano. Podem apresentar propostas os municípios interessados em melhorar a circulação de pessoas nos ambientes urbanos. 

Para saber mais, acesse mdr.gov.br.

Copiar o texto
07/05/2021 03:00h

Portal Brasil61.com entrevistou o diretor geral do Denatran, Frederico Carneiro, que falou sobre a campanha e os cuidados necessários para reduzir os números de acidentes e mortes no trânsito

Baixar áudio

Nesta semana, o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran) deu início a campanha Maio Amarelo. Com o tema “No Trânsito, sua responsabilidade salva vidas”, a ação tem como objetivo conscientizar a população brasileira sobre os cuidados necessários para reduzir os números de acidentes de trânsito.

Desta forma, o Movimento Maio Amarelo surgiu com a proposta de chamar a atenção da sociedade para os altos índices de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. O movimento é uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil, como explica o diretor geral do Denatran, Frederico Carneiro.

“O Maio Amarelo é um movimento que foi idealizado em 2014, pelo Observatório Nacional de Segurança Viária. Tem o propósito de conscientizar toda população brasileira em relação aos riscos e perigos dos acidentes de trânsito e suas consequências. Geralmente são realizadas ações de campo, na rua, mas infelizmente, desde o ano passado, por conta da pandemia da Covid-19, tem sido realizado de forma remota por meio dos sites”, destacou.

Programa “Saúde com Agente” oferece cursos técnicos para Agentes Comunitários de Saúde

Veículos escolares: FNDE publica novas orientações para aquisição

Em março de 2020, a Assembleia-Geral das Nações Unidas editou uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”. Por isso, todos os anos a campanha do Maio Amarelo possui um mote, para levar a mensagem da conscientização. Ampliando o período definido pela ONU, a campanha deste ano tem um conceito que pretende ajudar nessa reflexão.
 
“O tema nacional das campanhas educativas é definido pelo Contran e neste ano é ‘No trânsito, sua responsabilidade salva vidas’. E no movimento Maio Amarelo, o Observatório Nacional de Segurança Viária trouxe dois conceitos importantes e que conversam com o tema nacional que são: respeito e responsabilidade, pratique no trânsito”, explicou Carneiro.


 
De acordo com dados da Confederação Nacional do Transporte (CNT), em 2020, nas rodovias federais brasileiras ocorreram 63.447 acidentes. O número de mortes no ano passado, por sua vez, foi de 5.287, uma redução de 0,8% em comparação com 2019 (5.332). Apesar da redução, não é possível saber o impacto da Covid-19 nesses números. Outro ponto importante é que as ações da campanha do Maio Amarelo ganham repercussão nas capitais, mas essa mobilização é menor nos municípios afastados dos grandes centros e sem uma sede do órgão de trânsito.
 
“O Código de Trânsito Brasileiro prevê que todo município deve ter um órgão de trânsito, ou seja, deve ser integrado ao sistema nacional de trânsito. Infelizmente a realidade do país não reflete isso. Nós temos somente 30% dos municípios integrados ao sistema. Apesar de ser um número baixo, ele representa mais de 80% da frota de veículos registrados no país. As principais cidades onde os veículos são registrados tem um órgão de trânsito. Mas precisamos levar essa estrutura ao país inteiro, pois mais de 50% dos acidentes ocorrem em vias urbanas, desde os pequenos aos grandes municípios”, destacou o diretor geral.

Apesar disso, recentemente a Lei 14.071, que alterou o Código de Trânsito Brasileiro, trouxe condições mais favoráveis para que esses municípios – sobretudo aqueles de menor porte e menor condição financeira – possam se integrar ao sistema por meio de convênios ou consórcios, seja com os órgãos estaduais ou mesmo com órgãos de municípios vizinhos. “Estamos promovendo ações junto a esses municípios para que possamos fomentar essa integração, trazendo mais cidades para o sistema de trânsito e, assim, fazer uma gestão mais eficiente”, avaliou Carneiro.

Copiar o texto
04/05/2021 10:30h

O movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito, tem como tema principal o slogan “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”

Baixar áudio

Com o objetivo de chamar a sociedade para refletir sobre o respeito e a responsabilidade no trânsito, começou nesta semana a mobilização do Maio Amarelo 2021. O movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito, tem como tema principal o slogan “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”.

A mobilização alerta, por exemplo, para a responsabilidade de atitudes como usar passarelas e faixas de pedestres, para o respeito dos condutores aos vulneráveis no trânsito, para o risco de usar celular ao volante, dirigir alcoolizado e sobre a importância de usar o cinto de segurança.

Prazo para realização de exame toxicológico periódico é prorrogado

Câmara aprova isenção de multas para ambulâncias e veículos de socorro

O último dado de mortes no trânsito ocorridas no Brasil, disponibilizado pelo Ministério da Saúde, registrou em 2019, cerca de 30 mil vidas perdidas. A Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) definiu os anos de 2021 a 2030 como a Segunda Década de Ação pela Segurança no Trânsito, cuja meta é a redução de, pelo menos, 50% de lesões e mortes no trânsito no mundo inteiro.

Em razão da pandemia da Covid-19, a mobilização pela segurança no trânsito terá forte ação nas redes sociais e eventos em formato virtual, além do trabalho das instituições que estão constantemente atuando nas vias. As ações são coordenadas pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), em parceria com órgãos de trânsito nos estados e organizações da sociedade civil.

Copiar o texto
Brasil 61