São Paulo

01/12/2022 17:00h

Risco para novos transtornos aumenta com chuvas intensas principalmente nas regiões Sudeste e Sul

Baixar áudio

A previsão para os próximos dias é de muita chuva principalmente para as regiões Sudeste e Sul, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). A presença de áreas de instabilidade, com o ar quente e úmido no Brasil, e a circulação de baixa pressão contribuem para a formação de muitas nuvens carregadas sobre o país. Esses fenômenos acontecem principalmente no fim da primavera e durante o período do verão.

De acordo com o meteorologista do Inmet, Mamedes Melo Júnior, a circulação ciclônica nos níveis médios da atmosfera está causando as chuvas volumosas. “Esses fenômenos estão levando essas chuvas com grandes volumes nas áreas do Paraná, parte de São Paulo e até mesmo Santa Catarina. E devem perdurar pelo menos até nesta quinta-feira , talvez até o final de semana nessas áreas. Além dele, na região Sul ainda temos uma circulação forte dos ventos do oceano, levando bastante umidade, o que contribui para fortalecer a nebulosidade e essa chuva continua na região.”  

De acordo com o Inmet, há risco de alagamentos, deslizamentos de encostas e transbordamentos de rios nas áreas. A Defesa Civil alerta para os cuidados em relação às medidas de proteção. “Em caso de tempestade, caso o cidadão esteja ao ar livre, ele deverá sempre procurar um abrigo seguro, longe de árvores, de antenas. Evitar para quem está em casa, o uso do eletrodoméstico, do telefone e, sobretudo, em hipótese alguma, usar o aparelho celular plugado à tomada, pois  corre risco de choque elétrico. Também, caso esteja conduzindo um veículo, o cidadão deverá procurar um local elevado, evitando assim a enxurrada”, explica o secretário de Estado da Defesa Civil (Sedec) do Piauí, José Augusto Nunes. 

Em virtude das fortes chuvas, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) está acompanhando e monitorando as rodovias concedidas, com o propósito de garantir a segurança dos usuários e a fluidez do tráfego.

Segundo a ANTT, equipes de fiscalização estão em alerta e apoiando o trabalho das concessionárias e dos órgãos envolvidos. “Constantemente as concessionárias monitoram todo o trecho concedido por meio de câmeras de CFTV espalhadas ao longo do sistema. Essas câmeras são centralizadas em centros de controle operacional de cada uma das concessionárias e todos eles são interligados ao centro nacional de supervisão operacional da agência. Além disso, todas as concessionárias, mantêm equipes de inspeção nas rodovias”, esclarece o superintendente de Infraestrutura Rodoviária da ANTT, Roger da Silva Pegas. 

O superintendente acrescenta ainda que as orientações aos motoristas podem ser acompanhadas nos portais e perfis oficiais nas redes sociais das concessionárias e ANTT. “Os motoristas são orientados em relação a qualquer evento extraordinário, através de painéis de mensagem variável dispostos ao longo dos trechos de rodovia e principalmente nas praças de pedágio. Portanto, a qualquer momento em que for verificada alguma chuva forte, uma interrupção, ou algo que possa impactar na fluidez de tráfego, as mensagens são inseridas nos painéis existentes das concessionárias. Essas informações também podem ser encontradas dentro do portal da ANTT, onde é possível verificar as alterações existentes no trecho rodoviário e possíveis rotas alternativas. Uma alternativa também são as redes sociais das concessionárias.” 

Próximos 15 dias

Segundo o INMET, a previsão para as próximas duas semanas é de bastante umidade pelas áreas central e norte do país. A irregularidade nas chuvas é causada principalmente pelo fenômeno La Niña, que modifica toda a circulação geral da atmosfera. 

“Há uma previsão para o mês dezembro de que essa chuva continue com bons volumes, especialmente na região Norte e na parte central do Brasil. Vamos continuar tendo chuvas parecidas com as de novembro, em menos quantidade do que em novembro, mas que ainda indica boas chuvas neste período de dezembro tanto no Goiás quanto na parte da região sudeste", informa o meteorologista Mamedes Melo.

De acordo com o INMET, para a região Sul do Brasil, pode haver ausência de chuvas no Rio Grande do Sul, mas não está descartada a ocorrência de temporais ao longo do mês de dezembro, já no fim da primavera. “Esse tempo mais severo pode acontecer, ele pode vir ainda com aquele pacote fechado em algumas áreas do Brasil: com queda de granizo, rajadas de vento, descarga elétrica, isso não está descartado que possa vir a acontecer ao longo de todo o mês de dezembro, e por que não dizer, ao longo de todo o período do verão”, observa o meteorologista.

O que fazer em situações de alerta

Se a população identificar um risco potencial de deslizamento, a orientação é procurar a Defesa Civil pelo telefone 199 ou pelas comissões de Defesa Civil municipais. Para receber alertas pelo Whatsapp, é necessário se cadastrar pelo número (61) 2034-4611 e, em seguida, interagir com o chatbot (robô de atendimento). A Defesa Civil Nacional orienta também os moradores das regiões de risco a se inscreverem nos serviços de alerta, enviando um SMS com o CEP do local onde moram ou do local em questão, para o número 40199.

Copiar o texto
23/11/2022 21:05h

Decreto publicado pelo governo estadual não é válido para áreas essenciais, como saúde e segurança pública

Baixar áudio

Com o início da Copa do Mundo do Catar, os governos estaduais publicaram decretos que estabelecem o funcionamento dos serviços locais para os dias de jogo do Brasil. Em 11 de novembro, o Ministério da Economia já havia divulgado uma portaria definindo as regras para o expediente dos servidores federais. O Brasil estreia nesta quinta-feira (24), às 16h, contra a Sérvia. 

Em São Paulo, segundo a norma estabelecida pelo Executivo local para a primeira fase da competição, há dois horários definidos. Para os jogos que começam às 16h, estreia e o último jogo, dia 2 de dezembro, contra Camarões, o expediente encerrará às 14h. Para a segunda partida, dia 28 de novembro, às 13h, o trabalho será finalizado às 11h. 

“Quanto às horas não trabalhadas, a regra é que haja a compensação. Pode utilizar do banco de horas, que pode já ter, ou então compensa, literalmente prolongando a jornada. A prorrogação é de no máximo duas horas por dia”, explica Washington Barbosa, mestre em Direito das Relações Sociais e Trabalhistas. 

Barbosa destaca ainda que a compensação de horas é mais frequente na iniciativa privada. “A prática de banco de horas de compensação de jornada é comum tanto na administração privada quanto na pública. Na privada, ela é muito mais comum. De poucos anos para cá, a administração pública tem colocado controle de horário. Até a própria lei regula esse tipo de situação. Pode utilizar sim o banco de horas ou mesmo compensação de jornada”, enfatiza. 

Segundo o governo estadual, caso a seleção brasileira se classifique para jogar as etapas seguintes da Copa do Mundo, os secretários de Governo e de Orçamento e Gestão poderão fixar, mediante resolução conjunta, regras relativas ao funcionamento do expediente nos respectivos dias dos jogos. 

Serviços essenciais

Em São Paulo, de acordo com o governo local, durante os três jogos do Brasil nesta primeira etapa da Copa do Mundo, os hospitais estaduais mantêm o funcionamento normal para atendimento às urgências e emergências, tanto nos prontos-socorros quanto nos setores de internação e centros cirúrgicos.

O horário de pico no Metrô e na CPTM, no caso da capital e região metropolitana, será antecipado quando os jogos estiverem marcados para começar às 16h. Nos dias em que a partida começa às 12h ou 13h, a operação será monitorada pelas empresas para a entrada de mais trens, se houver necessidade. Já a Defesa Civil do estado ficará à disposição por meio do Centro de Gerenciamento de Emergências, pelo telefone 011 2193 8888. 

“Considera-se atividade especial aquelas que são essenciais ao desenvolvimento, à manutenção das pessoas. Podemos citar, por exemplo, postos de gasolina, serviços de segurança e saúde. Podemos falar da questão relacionada à manutenção de elevadores, caldeiras em indústrias. Neste caso, elas não podem, durante os jogos, serem afastadas do trabalho”, diz Barbosa. 

Copa do Mundo: servidores públicos federais vão ter expediente reduzido nos jogos do Brasil 

Bancos

Os bancos também seguirão expediente diferente em dias de jogo do Brasil no Catar, seguindo decisão comunicada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban).

No caso de jogos às 13h, o funcionamento das agências será das 8h30 às 11h30. Nos dias de jogos às 16h, o horário de funcionamento será das 9h às 14h. Em todos os casos, considera-se o horário de Brasília.

Caso o Brasil avance para as etapas seguintes e tenha algum jogo marcado para às 12h, o horário de atendimento ao público será das 9h às 11h e das 15h30 às 16h30. Segundo a Febraban, a decisão considera questões como a segurança das agências e de transporte de valores. 
 

Copiar o texto
30/10/2022 19:40h

Os paulistas foram às urnas também para decidir no segundo turno das Eleições 2022 entre Tarcísio (Republicanos) e Fernando Haddad (PT)

Baixar áudio

Tarcísio (Republicanos) é o novo governador de São Paulo. Com 55% dos votos válidos e 93% das urnas apuradas, o candidato foi considerado eleito. Tarcísio Gomes de Freitas tem 47 anos e é servidor público de carreira. Ele é graduado em engenharia no Instituto Militar de Engenharia e formado pela Academia Militar das Agulhas Negras.

Tarcísio também participou da missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) no Haiti. Além de ter atuado nas áreas de infraestrutura e investimento, foi presidente do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, e ministro da Infraestrutura. No primeiro turno, saiu na frente, com mais de 9,1 milhões de votos (42,32%) do total dos votos válidos. O vice na chapa é o administrador Felicio Ramuth.

Operação Eleições 2022 apreende mais de R$ 10 milhões que seriam usados na compra de votos, segundo o ministro da Justiça

Dos 156 milhões de eleitores brasileiros que foram às urnas neste domingo (30) para decidir a disputa presidencial, quase 35 milhões também escolheram o novo governador de São Paulo. A disputa ao governo estadual foi entre Tarcísio (Republicanos) x Fernando Haddad (PT).

Outros 11 estados também escolheram governadores no segundo turno: Alagoas, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Rondônia, Santa Catarina e Sergipe.
 

Copiar o texto
29/10/2022 16:48h

As eleições ocorrem neste domingo (30). Para votar, o cidadão precisa apresentar somente um documento de identificação oficial com foto

Baixar áudio

Além da escolha do novo presidente da República, que ocorrerá neste domingo (30), eleitores de 12 estados brasileiros também voltam às urnas para decidir, em segundo turno, quem será o novo governador ou governadora. 

Em Alagoas, a disputa será entre Paulo Dantas (MDB) e Rodrigo Cunha (União Brasil). Já na Bahia, o eleitorado deverá optar entre Jerônimo (PT) e ACM Neto (União Brasil). Na Paraíba, João Azevêdo (PSB) e Pedro Cunha Lima (PSDB) disputam a vaga. 

No estado de Pernambuco, uma única certeza, a vitória será de uma mulher. Os eleitores vão escolher Marília Arraes (Solidariedade) ou Raquel Lyra (PSDB). Sergipe, por sua vez, tem como candidatos Rogério Carvalho (PT) e Fábio (PSD).

Na região Norte, dois estados terão segundo turno. No Amazonas, a disputa será entre Wilson Lima (União Brasil) e Eduardo Braga (MDB). Já em Rondônia, o próximo governador será Coronel Marcos Rocha (União Brasil) ou Marcos Rogério (PL).

No Centro-Oeste do país, o único estado que terá disputa no segundo turno é Mato Grosso do Sul. Os eleitores devem optar por Capitão Contar (PRTB) ou por Eduardo Riedel (PSDB).

Operação Eleições 2022 apreende mais de R$ 10 milhões que seriam usados na compra de votos, segundo o ministro da Justiça

Eleições 2022: atendimentos na Ouvidoria do TSE aumentam 84% em setembro

O Sul do Brasil contará com eleições em segundo turno no Rio Grande do Sul, onde a disputa fica entre Onyx Lorenzoni (PL) e Eduardo Leite (PSDB), e em Santa Catarina, Jorginho Mello (PL) e Décio Lima (PT) concorrem à vaga. 

Na região Sudeste, haverá segundo turno no em São Paulo e no Espírito Santo. No estado paulista, o eleitorado terá que escolher entre Tarcísio (Republicanos) e Fernando Haddad (PT). Já os capixabas terão Renato Casagrande (PSB) ou Manato (PL) como próximo governador. 

O cientista político Newton Marques acredita que, em alguns estados, pode haver virada, alterando a ordem estabelecida no primeiro turno das eleições. “No Rio Grande do Sul, tem chance de haver virada. Em São Paulo está equilibrado. São os dois principais colégios eleitorais do Brasil. Pernambuco é um caso emblemático, porque imaginava-se que Marília Arraes poderia vencer, mas parece que agora a adversária tem muito mais chance. Eu não sei se o apoio de Lula à Marília Arraes pode conseguir virar esse jogo”, pontua. 

Na avaliação do analista de Risco Político e Estrategista Eleitoral, Márcio Olímpio, os próximos governadores, reeleitos ou não, terão pela frente desafios existentes desde 2018, relacionados, principalmente, ao saneamento das contas públicas estaduais. 

“Grande parte dos governos estaduais vão enfrentar um desafio clássico, que é como estabelecer recuperação fiscal, controle de contas públicas e, ao mesmo tempo, separar parte do orçamento para realizar investimentos públicos, principalmente nas áreas de educação e saúde, e em políticas de emprego e renda. Em linhas gerais, os governadores estaduais vão precisar fazer um bom jogo”, destaca. 

Quais os documentos necessários para votar?

Para votar, o cidadão precisa apresentar somente um documento de identificação oficial com foto. Vale destacar que a apresentação do título de eleitor não é obrigatória. 

O eleitor pode optar pela carteira de identidade, Carteira Nacional de Habilitação (CNH) física ou digital, passaporte, identidade social, carteira de trabalho, certificado de reservista ou outro documento de valor legal com foto. 

Também é permitido que o eleitor vote com a versão digital do título, adquirida no e-Título, aplicativo gratuito da Justiça Eleitoral, caso a sua foto já apareça esteja disponível.
 

Copiar o texto
27/10/2022 18:09h

Mulheres empreendedoras terão atendimento do banco e do Sebrae para formalização, capacitação e crédito

Baixar áudio

A CAIXA Pra Elas – Empreendedoras, parceria da CAIXA e do Sebrae, chegou, nesta quinta-feira, 27 de outubro, à Feira da Madrugada Circuito de Compras, na cidade de São Paulo. As empreendedoras que passarem pelo local, considerado o maior circuito de compras da América Latina, vão receber apoio na formalização dos negócios, na capacitação, por meio de cursos gratuitos, e na concessão de crédito, em especial para quem quer começar ou investir na sua empresa.

O estande da ação é voltado para empreendedores formais e informais, com a oferta de produtos e serviços especiais do banco. 

A vice-presidente de Habitação da CAIXA Henriete Alexandra Sartore Bernabe, participou da abertura do atendimento, nesta quinta-feira. Ela ressalta a importância da ação para as mulheres e para a economia brasileira.

"A CAIXA Pra Elas – Empreendedoras representa uma enorme oportunidade para o Brasil, porque, através do empreendedorismo, movimentamos a economia. E as mulheres empreendedoras - temos mais de 30 milhões de empreendedoras no Brasil -, a CAIXA vai fazer com que, através do empreendedorismo, a gente movimente a economia, e geração de empregos e um potencial de crescimento enorme para essas mulheres. "

Já o Sebrae vai auxiliar as empreendedoras quanto a formalização como MEI e na orientação sobre cursos de capacitação. A vice-presidente de Habitação da CAIXA explica mais:

"Esse braço da capacitação, do treinamento, da educação financeira, nós contamos com a parceira do Sebrae, que é uma referência no Brasil, de apoio ao microempreendedor. Tem a parte da formalização. Então, as mulheres que hoje têm uma atividade, uma geração de renda mais informal, o Sebrae tem toda orientação para que ela se transforme em uma microempreendedora formal e, através dessa formalidade, de um CNPJ, ela vai ter acesso a melhores condições de crédito, melhores oportunidades de negócios."

Para as empreendedoras informais, o estande CAIXA Pra Elas – Empreendedoras vai oferecer conta digital gratuita, cartão de crédito sem anuidade e seguro Apoio Família. Além disso, esse público também pode fazer empréstimos de até mil reais - com taxa de juros a partir de 1,95% e prazo de até 24 meses.

Para as microempreendedoras individuais são oferecidos serviços e produtos como conta corrente Pessoa Jurídica, acesso facilitado a empréstimos, Maquininha Azulzinha e microcrédito de até 3 mil reais, com taxa de juros a partir de 1,99% e prazo de até 24 meses. Todas as linhas de crédito passarão por análise de risco e aprovação.

A CAIXA manterá o atendimento na feira até o dia 16 de novembro, no período das oito da manhã às duas horas da tarde. A Feira da Madrugada Circuito de Compras fica na Rua Monsenhor de Andrade, 987, Avenida do Estado

Para mais informações sobre os produtos e serviços bancários voltados para o fomento do empreendedorismo feminino, acesse: www.caixa.gov.br/caixa-pra-elas.

Copiar o texto
08/10/2022 17:35h

Especialistas recomendam atenção ao trabalho dos parlamentares nos próximos anos. Conheça quem são e o que fazem os deputados estaduais, federais e os senadores eleitos no estado. Veja também nova configuração das bancadas do Congresso Nacional a partir de 2023

Baixar áudio

São Paulo elegeu o senador Astronauta Marcos Pontes (PL) e setenta deputados federais no dia 2 de outubro. O candidato mais votado para deputado federal foi Guilherme Boulos (PSOL), com 1.001.472 votos. 

Confira todos os deputados federais eleitos por São Paulo:

UF

Candidato(a)

Partido/Coligação

Situação

Votos Computados

SP

GUILHERME BOULOS

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

1.001.472

SP

CARLA ZAMBELLI

PL

Eleito por QP

946.244

SP

EDUARDO BOLSONARO

PL

Eleito por QP

741.701

SP

RICARDO SALLES

PL

Eleito por QP

640.918

SP

DELEGADO BRUNO LIMA

PP

Eleito por QP

461.217

SP

TABATA AMARAL

PSB

Eleito por QP

337.873

SP

CELSO RUSSOMANNO

REPUBLICANOS

Eleito por QP

305.520

SP

KIM KATAGUIRI

UNIÃO

Eleito por QP

295.460

SP

ERIKA HILTON

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

256.903

SP

DELEGADO PALUMBO

MDB

Eleito por QP

254.898

SP

CAPITÃO DERRITE

PL

Eleito por QP

239.772

SP

MARINA SILVA

REDE - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

237.526

SP

BALEIA ROSSI

MDB

Eleito por QP

236.463

SP

FABIO TERUEL

MDB

Eleito por QP

235.165

SP

MARCOS PEREIRA

REPUBLICANOS

Eleito por QP

231.626

SP

SÂMIA BOMFIM

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

226.187

SP

PASTOR MARCO FELICIANO

PL

Eleito por QP

220.595

SP

ROSÂNGELA MORO

UNIÃO

Eleito por QP

217.170

SP

ROSANA VALLE

PL

Eleito por QP

216.437

SP

ALEX MANENTE

CIDADANIA - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

196.866

SP

RUI FALCÃO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

193.990

SP

ALEXANDRE LEITE

UNIÃO

Eleito por QP

192.806

SP

MARCIO ALVINO

PL

Eleito por QP

187.314

SP

DELEGADO DA CUNHA

PP

Eleito por QP

181.568

SP

RENATA ABREU

PODE

Eleito por QP

180.247

SP

FELIPE BECARI

UNIÃO

Eleito por QP

178.777

SP

PAULO ALEXANDRE BARBOSA

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

170.378

SP

CAPITÃO AUGUSTO

PL

Eleito por QP

168.740

SP

KIKO CELEGUIM

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

167.438

SP

PAULO FREIRE DA COSTA

PL

Eleito por QP

161.675

SP

JILMAR TATTO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

157.843

SP

MARCO BERTAIOLLI

PSD

Eleito por QP

157.552

SP

SÔNIA GUAJAJARA

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

156.966

SP

LUIZ MARINHO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

156.202

SP

JEFFERSON CAMPOS

PL

Eleito por QP

155.336

SP

NILTO TATTO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

151.861

SP

CARLOS ZARATTINI

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

147.349

SP

ARLINDO CHINAGLIA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

144.108

SP

CEZINHA DE MADUREIRA

PSD

Eleito por QP

143.434

SP

BRUNO GANEM

PODE

Eleito por QP

141.595

SP

ALEXANDRE PADILHA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

140.037

SP

ALENCAR SANTANA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

139.223

SP

RICARDO SILVA

PSD

Eleito por QP

133.936

SP

MAURICIO NEVES

PP

Eleito por QP

129.731

SP

JULIANA CARDOSO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por média

125.517

SP

PAULO TEIXEIRA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por média

122.800

SP

MARIO FRIAS

PL

Eleito por QP

122.564

SP

ALBERTO MOURÃO

MDB

Eleito por QP

114.234

SP

LUIZA ERUNDINA

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

113.983

SP

ARNALDO JARDIM

CIDADANIA - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

113.462

SP

VINICIUS CARVALHO

REPUBLICANOS

Eleito por QP

113.009

SP

MARCELO LIMA

SOLIDARIEDADE

Eleito por QP

110.430

SP

ADRIANA VENTURA

NOVO

Eleito por QP

109.474

SP

RODRIGO GAMBALE

PODE

Eleito por média

108.209

SP

MIGUEL LOMBARDI

PL

Eleito por QP

107.869

SP

VITOR LIPPI

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

106.661

SP

MOTTA

PL

Eleito por QP

104.701

SP

MILTON VIEIRA

REPUBLICANOS

Eleito por QP

98.557

SP

CARLOS SAMPAIO

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por média

98.102

SP

SIMONE MARQUETTO

MDB

Eleito por média

97.730

SP

GILBERTO NASCIMENTO

PSC

Eleito por média

95.077

SP

MARIA ROSAS

REPUBLICANOS

Eleito por média

94.787

SP

DAVID SOARES

UNIÃO

Eleito por QP

93.831

SP

MARANGONI

UNIÃO

Eleito por média

89.390

SP

JONAS DONIZETTE

PSB

Eleito por QP

84.044

SP

LUIZ PHILIPPE DE O BRAGANÇA

PL

Eleito por QP

79.210

SP

ANTONIO CARLOS RODRIGUES

PL

Eleito por QP

73.054

SP

FAUSTO PINATO

PP

Eleito por média

72.169

SP

DELEGADO PAULO BILYNSKYJ

PL

Eleito por QP

72.156

SP

TIRIRICA

PL

Eleito por média

71.754

Já para a Assembleia Estadual, 94 deputados estaduais foram eleitos. O mais votado foi Eduardo Suplicy (PT) com 807.015 votos. 

Confira todos os deputados estaduais eleitos por São Paulo: 

UF

Candidato(a)

Partido/Coligação

Situação

Votos Computados

SP

EDUARDO SUPLICY

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

807.015

SP

CARLOS GIANNAZI

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

276.811

SP

PAULA DA BANCADA FEMINISTA

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

259.771

SP

BRUNO ZAMBELLI

PL

Eleito por QP

235.305

SP

MAJOR MECCA

PL

Eleito por QP

224.462

SP

TOMÉ ABDUCH

REPUBLICANOS

Eleito por QP

221.656

SP

ANDRÉ DO PRADO

PL

Eleito por QP

216.268

SP

TENENTE COIMBRA

PL

Eleito por QP

209.705

SP

DELEGADO OLIM

PP

Eleito por QP

201.348

SP

ANA CAROLINA SERRA

CIDADANIA - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

198.698

SP

MILTON LEITE FILHO

UNIÃO

Eleito por QP

198.429

SP

GIL DINIZ

PL

Eleito por QP

196.215

SP

BRUNA FURLAN

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

195.436

SP

CAPITÃO CONTE LOPES

PL

Eleito por QP

192.454

SP

ITAMAR BORGES

MDB

Eleito por QP

183.480

SP

MARCOS DAMASIO

PL

Eleito por QP

183.219

SP

CARLOS CEZAR

PL

Eleito por QP

180.690

SP

CARLA MORANDO

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

177.773

SP

JORGE WILSON XERIFE CONSUMIDOR

REPUBLICANOS

Eleito por QP

177.614

SP

EDIANE MARIA

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

175.617

SP

MARTA COSTA

PSD

Eleito por QP

170.541

SP

EMÍDIO DE SOUZA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

157.834

SP

PROFESSORA BEBEL

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

155.983

SP

GUTO ZACARIAS

UNIÃO

Eleito por QP

152.481

SP

GERSON PESSOA

PODE

Eleito por QP

143.704

SP

ENIO TATTO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

142.785

SP

LUIZ FERNANDO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

141.017

SP

ROGÉRIO NOGUEIRA

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

139.756

SP

OSEIAS DE MADUREIRA

PSD

Eleito por QP

137.205

SP

VALERIA BOLSONARO

PL

Eleito por QP

131.557

SP

LUCAS BOVE

PL

Eleito por QP

130.451

SP

EDMIR CHEDID

UNIÃO

Eleito por QP

129.097

SP

THIAGO AURICCHIO

PL

Eleito por QP

123.483

SP

VINICIUS CAMARINHA

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

123.316

SP

MAURICI

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

121.455

SP

RAFAEL SILVA

PSD

Eleito por QP

118.182

SP

PAULO FIORILO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

110.251

SP

REIS

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

108.726

SP

MARCIA LIA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

108.587

SP

BARBA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

108.071

SP

MONICA DO MOVIMENTO PRETAS

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

106.781

SP

CARLÃO PIGNATARI

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

105.245

SP

CAIO FRANÇA

PSB

Eleito por QP

105.173

SP

SEBASTIÃO SANTOS

REPUBLICANOS

Eleito por QP

104.374

SP

ALTAIR MORAES

REPUBLICANOS

Eleito por QP

98.515

SP

RAFAEL SARAIVA

UNIÃO

Eleito por QP

98.070

SP

GILMACI SANTOS

REPUBLICANOS

Eleito por QP

96.361

SP

AGENTE FEDERAL DANILO BALAS

PL

Eleito por QP

94.552

SP

RUI ALVES

REPUBLICANOS

Eleito por QP

91.717

SP

THAINARA FARIA

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

91.388

SP

LEO SIQUEIRA

NOVO

Eleito por QP

90.688

SP

RICARDO MADALENA

PL

Eleito por QP

90.630

SP

LECI BRANDÃO

PC do B - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

90.496

SP

FELIPE FRANCO

UNIÃO

Eleito por QP

90.440

SP

ANALICE FERNANDES

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

90.135

SP

ANDRÉA WERNER

PSB

Eleito por QP

88.820

SP

DONATO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

88.022

SP

BARROS MUNHOZ

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

86.372

SP

PAULO MANSUR

PL

Eleito por QP

86.201

SP

MARINA HELOU

REDE - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

85.517

SP

MARCIO NAKASHIMA

PDT

Eleito por QP

85.195

SP

CAPITÃO TELHADA

PP

Eleito por QP

83.438

SP

EDNA MACEDO

REPUBLICANOS

Eleito por QP

82.932

SP

CARUSO

MDB

Eleito por QP

82.209

SP

LEO OLIVEIRA

MDB

Eleito por QP

82.145

SP

DR. JORGE DO CARMO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

82.054

SP

SOLANGE FREITAS

UNIÃO

Eleito por QP

81.870

SP

DANIEL SOARES

UNIÃO

Eleito por média

81.753

SP

DANI ALONSO

PL

Eleito por QP

80.337

SP

ANA PERUGINI

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

79.061

SP

MAURO BRAGATO

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por QP

78.142

SP

HELINHO ZANATTA

PSC

Eleito por QP

77.550

SP

RAFA ZIMBALDI

CIDADANIA - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por média

76.910

SP

ROGÉRIO SANTOS

MDB

Eleito por média

76.602

SP

RODRIGO MORAES

PL

Eleito por QP

75.094

SP

RÔMULO FERNANDES

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por QP

75.033

SP

ALEX DE MADUREIRA

PL

Eleito por média

74.340

SP

LUIZ CLAUDIO MARCOLINO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por média

70.487

SP

DELEGADA GRACIELA

PL

Eleito por média

68.955

SP

LETÍCIA AGUIAR

PP

Eleito por QP

68.556

SP

MARIA LUCIA AMARY

PSDB - Federação PSDB Cidadania (PSDB/CIDADANIA)

Eleito por média

66.956

SP

FABIANA B.

PL

Eleito por média

65.497

SP

BETH SAHÃO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por média

65.407

SP

RICARDO FRANÇA

PODE

Eleito por QP

64.175

SP

PAULO CORRÊA JR

PSD

Eleito por média

62.239

SP

SIMÃO PEDRO

PT - Federação Brasil da Esperança - FE BRASIL (PT/PC do B/PV)

Eleito por média

59.785

SP

CLARICE GANEM

PODE

Eleito por QP

59.342

SP

EDSON GIRIBONI

UNIÃO

Eleito por média

59.087

SP

ATILA JACOMUSSI

SOLIDARIEDADE

Eleito por QP

58.707

SP

VITÃO DO CACHORRÃO

REPUBLICANOS

Eleito por média

56.729

SP

DR EDUARDO NÓBREGA

PODE

Eleito por QP

53.607

SP

DR VALDOMIRO LOPES

PSB

Eleito por QP

50.824

SP

DR. ELTON

PSC

Eleito por QP

46.042

SP

GUILHERME CORTEZ

PSOL - Federação PSOL REDE (PSOL/REDE)

Eleito por QP

45.094

O especialista em direito eleitoral Rafael Lage explica que o Artigo 24 da  Constituição Federal estabelece os temas que os estados podem legislar em concorrência com a União. Além disso, cada estado tem a própria constituição, com suas respectivas particularidades que refletem na atuação da Assembleia Legislativa. 

“Considerando que cada Assembleia Legislativa do estado tem um número de eleitos, geralmente eles estão espalhados por diversas regiões de cada estado. Então, geralmente em todas as regiões, presume-se que estão devidamente representadas. E aí esses eleitos vão basicamente levar as demandas das determinadas regiões dos seus respectivos estados para a casa legislativa e fazer essa aproximação com o próprio poder executivo estadual e tentar propor melhorias para suas respectivas regiões.”

A consultora legislativa e chefe da Unidade de Constituição e Justiça da Câmara Legislativa do Distrito Federal, Olávia Bonfim, comenta as funções do poder legislativo: “É um poder no qual conseguimos observar com bastante clareza a democracia acontecer. Isso porque os deputados eleitos representam os variados segmentos da sociedade, e eles atuam de modo a promover as principais funções do poder legislativo, que são principalmente legislar e fiscalizar, e na função de fiscalizar se faz um verdadeiro controle do poder Executivo”. 

O que fazem deputados federais e senadores

O deputado federal tem como principais responsabilidades legislar e fiscalizar. Ele pode propor novas leis, mas também sugerir mudanças ou o fim de normas que já existem, incluindo a própria Constituição Federal. 

Cabe a esses parlamentares analisar qualquer projeto de lei proposto pelo Executivo. Eles também discutem e votam as medidas provisórias (MPs) editadas pelo governo federal. Vale lembrar que nem todas as propostas são votadas no Plenário, ou seja, por todos os 513 parlamentares. Algumas pautas são decididas nas comissões temáticas da Câmara dos Deputados. 

Os deputados federais também devem controlar os atos do presidente da República e fiscalizar as ações do Executivo. Segundo a Constituição, a Câmara tem poder para autorizar a instauração de processo de impeachment contra o presidente e o vice-presidente, embora o julgamento seja papel do Senado. Eles também podem convocar ministros de Estado para prestar informações e julgar as concessões de emissoras de rádio e televisão, bem como a renovação desses contratos.

Pode-se dizer que os deputados estaduais têm as mesmas prerrogativas que os deputados federais. Ou seja, têm a missão de legislar e fiscalizar, mas enquanto um o faz isso no nível federal, na Câmara dos Deputados, o outro atua na Assembleia Legislativa, em nível estadual. 

Assim como os deputados federais, os senadores têm as atribuições de legislar e fiscalizar. Mas como o Senado é considerado a Câmara Alta do Poder Legislativo Federal, isso confere aos parlamentares da Casa alguns papéis exclusivos.

A primeira distinção se dá em relação ao tempo de mandato. Enquanto os deputados têm quatro anos no cargo, os senadores permanecem por oito anos. Além disso, o Senado representa o DF e os estados da federação, enquanto a Câmara representa o povo. É por isso que, diferentemente da Câmara, o Senado tem o mesmo número de parlamentares por estado, qualquer que seja o tamanho da população da unidade federativa. 

Quando o assunto é impeachment, cabe aos senadores julgar se o Presidente da República cometeu crime de responsabilidade. O mesmo vale para processos contra ministros de Estado. No caso de acusações envolvendo comandantes das Forças Armadas, ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e o procurador-geral da República (PGR), os processos são de responsabilidade exclusiva do Senado, desde o início. Os senadores também decidem se aprovam os nomes indicados pelo Executivo ao STF, à PGR e ao Banco Central. 

Quais são os deputados e senador eleitos pelo Rio de Janeiro

Quais são os deputados e senador eleitos pelo Piauí

Orçamento

Cabe aos deputados federais e aos senadores discutir e votar o orçamento da União. É a Comissão Mista de Orçamento (CMO), composta por parlamentares das duas casas legislativas, que analisa e vota a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e a Lei Orçamentária Anual (LOA). 

Cesar Lima, especialista em orçamento público, explica que todos os parlamentares podem apresentar emendas individuais. É por meio delas que eles podem alterar o orçamento, destinando recursos para a realização de obras específicas em seus estados e municípios. Isso é uma forma de atender os interesses e necessidades de seus eleitores.

Além das emendas individuais, existem as emendas de bancadas estaduais, explica Cesar. “As bancadas estaduais são formadas pelos parlamentares eleitos por cada estado, todos juntos. Eles podem apresentar cerca de R$ 260 milhões em emendas.  Só que ao contrário das emendas individuais, que podem ser para qualquer tipo de obra, as emendas de bancada têm que ter um caráter estruturante, ou seja, obras de maior porte, e só podem ser utilizadas dentro daquele estado que está indicando”, detalha. 

Os parlamentares também devem fiscalizar a aplicação dos recursos públicos. Para isso, contam com a parceria do Tribunal de Contas da União, o TCU. “A Comissão Mista de Orçamento pode realizar diligências com os seus membros para fazer esse tipo de fiscalização, mas geralmente se utiliza o TCU, que já tem toda uma estrutura voltada para essa fiscalização, não só da correta aplicação dos recursos dentro das normas mas também sobre a efetividade das políticas públicas”, afirma Cesar. 

Papel do eleitor

A atuação dos eleitores continua depois da escolha feita na cabine de votação. É preciso acompanhar o trabalho dos representantes escolhidos para aprovar as leis que regem o cotidiano da população brasileira. 

O especialista em direito eleitoral, Alberto Rollo, destaca que além de eleger, é fundamental fiscalizar os trabalhos dos candidatos eleitos. “Porque se aquela pessoa que foi eleita cumprir o seu papel, cumprir os seus compromissos, vai merecer novamente o voto do eleitor. Se a pessoa que foi eleita não cumpriu nada, não fez nada do que prometeu, então não vai merecer de novo o voto, e a gente vai dar espaço, lugar para outra pessoa”, observa. 

No Congresso Nacional, 23 homens e quatro mulheres vão assumir funções no Senado a partir de 1º de fevereiro de 2023, para um mandato de oito anos. Cada um dos 26 estados e o DF elegeram uma pessoa como representante. 

A Câmara dos Deputados, com 513 eleitos para os próximos quatro anos de legislatura, será composta por 422 homens e 91 mulheres. O número de representantes por estados e DF é proporcional à população de cada unidade federativa, a partir dos dados mais recentes do IBGE. 

Nova configuração do Congresso Nacional

Das 81 cadeiras do Senado, o PL terá a maior bancada. A legenda do Presidente da República, Jair Bolsonaro, vai ocupar 15 vagas. São seis vagas a mais que antes do primeiro turno das eleições. Os senadores Marcos Rogério e Jorginho Mello, que compõem a bancada do PL, disputam o segundo turno para o governo de seus estados, Rondônia e Santa Catarina, respectivamente. Se ambos forem eleitos governadores, o partido de Bolsonaro será representado por 13 senadores.

O PSD, partido do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, terá a segunda maior bancada, com 11 senadores. A legenda perdeu uma vaga em relação ao cenário pré-eleições. A terceira maior bancada, por enquanto, pertence ao União Brasil. O partido terá dez senadores, quatro a mais do que tinha. A sigla, criada após fusão do DEM com o PSL, pode perder Rodrigo Cunha, candidato ao governo de Alagoas. Se ele vencer, a legenda ficará com nove cadeiras. 

Antes dono da maior bancada no Senado, o MDB perdeu três vagas e deve começar a próxima legislatura com nove senadores. Mesmo número do PT, que viu a bancada aumentar de sete para nove parlamentares. O partido, no entanto, aguarda o resultado do segundo turno das eleições em Sergipe, pois se Rogério Carvalho se eleger governador, a legenda terá oito representantes na Casa. 

Podemos e PP dividem o posto de sexta maior bancada, cada uma com seis senadores. PSDB, com quatro, Republicanos e PDT, com três, completam a lista das siglas que terão mais de um senador em 2023. Já PROS, PSB, PSC, Cidadania e Rede serão representados por apenas um senador.  
Vale lembrar que PSB, PSDB, MDB e PSD também estão de olho no segundo turno das eleições para governador. Isso porque cada um desses partidos têm um suplente que vai assumir uma cadeira no Senado, caso os parlamentares envolvidos nas disputas pelos governos estaduais vençam os pleitos. 

Confira abaixo a evolução das bancadas no Senado

A maior bancada da Câmara dos Deputados é do Partido Liberal (PL), que passará de 76 a 99 deputados, um aumento de 23 vagas. Em segundo lugar, fica a federação PT-PCdoB-PV, com 80 deputados, 12 a mais que a legislatura atual. A terceira maior bancada é do União: 56 deputados eleitos, um crescimento de oito parlamentares na bancada. 

Copiar o texto
15/09/2022 19:50h

Recursos serão destinados a empreendimentos de abastecimento de água, esgotamento sanitário e manejo de águas pluviais

Baixar áudio

Quatro cidades do estado de São Paulo vão receber, juntas, mais de R$ 1,1 milhão para a continuidade de obras de saneamento básico. São empreendimentos de abastecimento de água, esgotamento sanitário e manejo de águas pluviais.

A capital, São Paulo, vai contar com mais de R$ 197 mil para a construção de reservatórios de controle de cheias na Bacia do rio Aricanduva.

Já Carapicuíba vai receber R$ 16,7 mil para a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) do município.

Também no interior paulista, o município de Botucatu vai contar com mais de R$ 676 mil para drenagem urbana sustentável nos Córregos Lavapés, Água Fria, Cascata, Antártica e Tenente.

Por fim, São Carlos receberá R$ 3,6 mil para a ampliação do SES da sede municipal e da 2ª etapa da 1ª fase da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Monjolinho.

No total, 26 cidades brasileiras vão receber, juntas, mais de R$ 11,6 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico. São empreendimentos de abastecimento de água, esgotamento sanitário, saneamento integrado e manejo de águas pluviais, além da elaboração de estudos e projetos.

Os recursos serão destinados a municípios dos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

Copiar o texto
14/09/2022 18:10h

Objetivo é ensinar aos profissionais das escolas ações de prevenção de desastres

Baixar áudio

O Banco de Boas Práticas em Ações de Proteção e Defesa Civil tem contribuído com estados e municípios brasileiros no desenvolvimento de políticas públicas de auxílio à população. Elas foram criadas para trazer soluções de fácil implementação em momentos nos quais a sociedade precisa de ajuda, como em casos de desastres naturais, capacitações, monitoramento e alertas.

“São ideias de baixo custo, que nós coletamos de estados e municípios no Brasil. É possível encontrar boas ideias para planos de contingência, defesa civil na escola, gestão sistêmica, entre outras práticas que permitem a proteção das pessoas nas cidades”, destaca o Secretário Nacional de Proteção e Defesa Civil, Coronel Alexandre Lucas.

Em São Paulo, foi criado o curso de Formação dos Professores da Rede Municipal de Ensino. Com atividades teóricas e práticas, a capacitação foi desenvolvida em parceria com as Secretarias Municipais de Educação, Saúde, Segurança Urbana, Verde e Meio Ambiente com o objetivo de ensinar aos profissionais das escolas as ações de prevenção de desastres decorrentes de chuvas intensas, como alagamentos, inundações e enxurradas.

O curso se torna uma ferramenta fundamental para alcançar, por meio das escolas e dos professores, um número de pessoas muito maior.

"Um dos focos foi, justamente, tentar aproximar as pessoas para essa realidade e tornar esse conhecimento mais palpável sobre o que aquela população pode fazer ali, no seu dia a dia, para se prevenir, para evitar que um desastre aconteça”, destaca Natália Leite, Diretora da Divisão de Prevenção da Coordenação Municipal da Defesa Civil de São Paulo.

A professora da rede municipal, Cássia Gonçalves, ressalta a importância do curso para aproximar a comunidade da realidade dos desastres e, mais do que isso, de conhecer cada um deles para saber lidar em casos de necessidade.

"A gente começou do básico. Quando você começa a destrinchar o que é enchente, o que é inundação, o que é um ponto de alagamento já cria a base de tudo. Muitas escolas estão localizadas em áreas de inundação, e as crianças não entendiam muito bem o que era aquilo e por que acontecia. Elas tinham a impressão de que era uma questão só de limpeza de bueiro. Não é uma questão só de limpeza de bueiro, é uma questão de estrutura mesmo, de terreno, de como esse terreno está compactado ou não", explica a professora.

Banco de Boas Práticas

São oito os temas que abordam as melhores práticas do Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sinpdec), por meio dos trabalhos que as Coordenadorias Estaduais e Municipais de Proteção e Defesa Civil vêm desenvolvendo. Elas apresentam resultados consistentes, satisfatórios, inovadores e replicáveis. As Boas Práticas estão divididas da seguinte maneira:

  • Capacitação em Proteção e Defesa Civil
  • Defesa Civil na Escola
  • Iniciativas para as Comunidades
  • Gestão sistêmica
  • Mapeamento de Áreas de Risco
  • Monitoramento e Alerta
  • Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil
  • Planos de Contingência

Nas próximas semanas, sempre às quartas-feiras, serão apresentadas outras cinco Boas Práticas de Proteção e Defesa Civil adotadas por alguns municípios pelo Brasil:

  • Formação e implementação dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil em Aracaju (SE)
  • Plano de Auxílio Mútuo dos Hospitais em Curitiba (PR)
  • Mapeamento de Áreas de Risco de Inundação e Alagamento em Belo Horizonte (MG)
  • Dignidade e Humanização em Abrigos em Rio Branco (AC)
  • Educação Ambiental e ERRD: Ações não Estruturais para Resiliência Comunitária em Jaboatão dos Guararapes (PE)

Veja neste link mais de 80 exemplos de boas práticas que podem ser aplicadas nas cidades pelo País.

Confira abaixo o vídeo sobre o curso de Boas Práticas em São Paulo:

Copiar o texto
14/09/2022 03:45h

A meta da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite é vacinar 95% das crianças de um a quatro anos no estado. Para a Multivacinação a meta é atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves. Pais e responsáveis da cidade de São Paulo, aproveitem a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves

Baixar áudio

As unidades de saúde do SUS de todo o País já aplicaram mais de 3,6 milhões de doses da vacina contra a paralisia infantil, desde o começo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação, iniciada no último dia 8 de agosto. 

Na cidade de São Paulo, são mais de 245 mil doses aplicadas. O dado preliminar é do painel montado pelo Ministério da Saúde, com base nas notificações feitas em tempo real por estados e municípios.

Segundo a prefeitura da capital, o público-alvo é de cerca de 615 mil bebês e crianças menores de cinco anos. Ainda de acordo com a secretaria municipal de saúde, somente no Dia D, ocorrido no último dia 20, foram aplicadas 35,6 mil doses contra a pólio. 

Morador da cidade, o Fábio sempre teve o cuidado de manter a caderneta de vacinação do filho em dia. Para ele, as vacinas são eficazes no combate às doenças imunopreveníveis.

“É importante vacinar os filhos sim para combater todo tipo de doença. O que posso dizer para os pais e responsáveis é que estudem, pesquisem, saibam realmente os efeitos das vacinas, veja se os estudos delas foram realmente realizados, concluídos, porque vacinar é o melhor a se fazer.”

O objetivo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é vacinar 95% da população menor de cinco anos de idade. Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha da Multivacinação.

Para esta faixa etária, mais de 38 mil pessoas tiveram as suas cadernetas de vacinação atualizadas e, ainda, 41 mil receberam a Declaração de Vacina Atualizada (DVA), somente no Dia D da campanha, na capital. 

A infectologista Joana D’arc alerta: o Brasil apresenta redução nas coberturas vacinais, o que pode ser um risco para a população.

“Essa campanha é importante porque a gente tem tido uma redução muito grande do número de pessoas vacinadas no Brasil e isso faz com que a gente tenha risco de reintrodução de doenças, podendo ter surtos e epidemias de doenças já controladas. Vacinar é um gesto de amor porque a gente tem a certeza de que nossos filhos vão estar protegidos.”

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada (VIP) e poliomielite oral (VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente. 
No site da Prefeitura de São Paulo você encontra todas as unidades de saúde que estão participando da mobilização. 

A atualização da caderneta vacinal aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Saiba mais:

Copiar o texto
13/09/2022 04:00h

Pais e responsáveis do estado de São Paulo podem aproveitar a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves

Baixar áudio

Os pais e responsáveis por bebês, crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade devem ficar atentos: a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação deste ano já começou. No estado de São Paulo, a mobilização envolve as mais de 4,4 mil unidades de saúde do SUS espalhadas pelos municípios paulistas. São 18 vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, do Programa Nacional de Imunizações, que previnem contra doenças como a Poliomielite, Sarampo, Rubéola, Caxumba, entre outras. 

A intenção é ampliar as coberturas vacinais das crianças e adolescentes. Em 2022, a cobertura vacinal da poliomielite, por exemplo, está em 47,6%, no estado. Já a cobertura da primeira dose da Tríplice Viral é de 48,8%. Dados parciais do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações.
A infectologista Ethel reforça: é fundamental ter altas coberturas vacinais para o controle das doenças imunopreveníveis. 

“O que significa atingirmos um percentual grande da população para faixa etária indicada para cada vacina. Em geral, a meta de vacinação está entre 90 e 95% do público-alvo a ser vacinado.”

O foco da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil , é de vacinar 95% da população menor de cinco anos de idade. Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos, não vacinadas, que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha de  Multivacinação.

MULTIVACINAÇÃO: Tem início a Campanha Nacional de Vacinação

SARAMPO: Ministério da Saúde cria sala para monitorar casos da doença

O Fábio mora na cidade de São Paulo e mantém a caderneta de vacinação da filha de 13 anos sempre atualizada. Para o administrador, é importante que os pais pesquisem sobre os imunizantes e vacinem seus filhos.

“É importante vacinar os filhos, sim! Para combater doenças Imunopreveníveis. O que eu posso dizer para os pais é que estudem, pesquisem, saibam realmente os efeitos das vacinas, vejam se os estudos delas foram realmente realizados, concluídos. Porque vacinar é o melhor a se fazer."

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas de saúde. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada(VIP) e poliomielite oral(VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente. 

A atualização da caderneta vacinal aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Saiba mais:

Copiar o texto
Brasil 61