Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Tocantins

Economia
18/02/2021 11:00h

Banco do Brasil costurou acordo com grupo Energisa, que atende cerca de 8 milhões de pessoas

Baixar áudio

Consumidores de 11 estados brasileiros vão poder pagar contas de energia pelo PIX, o sistema de pagamentos instantâneos criado pelo Banco Central (BC), em vigor desde novembro do ano passado. Ao todo, cerca de 8 milhões de clientes serão beneficiados com a medida. 
 
O código QR vai ser incluído nas faturas físicas. Assim, o consumidor que quiser vai abrir o aplicativo do banco, apontar a câmera do celular e fazer o pagamento. De início, a ferramenta só está disponível para clientes do Banco do Brasil, que costurou uma parceria com o grupo Energisa. 

Transferências por PIX já são maiores do que TED e DOC

Pix: novo sistema instantâneo de pagamento e transferência começa a valer a partir de 16 de novembro
 
A novidade vale para quem é atendido pelas distribuidoras dessa empresa, isto é, moradores dos estados do Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Copiar o texto
Brasil
10/02/2021 15:30h

Foram verificados 47 postos revendedores de combustíveis automotivos e dois de combustíveis de aviação em 12 municípios

Baixar áudio

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) promoveu uma operação para fiscalizar o mercado de combustíveis em localidades que são destinos turísticos em quatro estados: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Tocantins. Foram verificados 47 postos revendedores de combustíveis automotivos e dois de combustíveis de aviação em 12 municípios.

Nos postos de combustíveis de aviação, foram coletadas amostras de gasolina de aviação para análises laboratoriais. Nos demais postos, foram verificados 483 bicos abastecedores e analisadas em campo 214 amostras.

Preço do gás de cozinha sobe mais que o dobro da inflação e encerra 2020 com alta de 9,24%

Aumento no valor do gás domiciliar pesa no bolso do consumidor

No total, foram feitas três interdições por bombas abastecendo em quantidade inferior à registrada no visor: uma de etanol hidratado em Paraíso das Águas (MS); uma de gasolina comum em Chapadão do Sul (MS); e uma de gasolina comum em Caldas Novas (GO). Além disso, foram emitidos 13 autos de infração. 

Copiar o texto
Agronegócios
27/01/2021 09:00h

Medida atinge seis cidades do estado; Poder Executivo local afirma que ação segue protocolos do Ministério da Agricultura

Baixar áudio

A Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) proibiu qualquer tipo de aglomeração de animais da categoria de equídeos em cinco municípios da região norte do estado e em Taguatinga, que fica no sudeste tocantinense. Integram essa categoria cavalos, burros e zebras. 

Também está proibida a realização de cavalgadas sem a autorização do órgão em 12 municípios próximos às cidades listadas. A medida se dá por conta de casos registrados de mormo, uma doença infectocontagiosa causada por bactéria.

Serra da Mantiqueira: antecipação da colheita de azeitonas gera expectativa na produção de azeite

 A Adapec afirma que os protocolos sanitários são obrigatórios e seguem as determinações do Ministério da Agricultura. O órgão disponibilizou um telefone para que pessoas tirem dúvidas sobre o assunto, 0800 063 11 22, com atendimento de segunda a sexta-feira, das 8 às 14h. 

Copiar o texto
27/01/2021 00:00h

Agência Tocantinense de Saneamento quer identificar gargalos e pensar em estratégias de investimentos para o setor nos 46 municípios atendidos pela autarquia

Baixar áudio

Com o intuito de identificar as principais demandas e pensar em estratégias de investimentos para o setor de saneamento básico, uma comitiva da Agência Tocantinense de Saneamento (ATS) participa de uma agenda de reuniões com os prefeitos dos municípios atendidos pela autarquia, localizados na região centro-sul do estado.

O grupo de representantes da ATS é composto pelo diretor de produção, Marcos Antônio da Silva Junior; pelo gerente comercial, Bruno Queiroz; além do presidente da agência, Davi Goveia Júnior, que afirma que a ideia é estreitar o relacionamento com os municípios concessionários.

“Após concluirmos a visita aos 46 municípios atendidos pela agência, iremos analisar as demandas recebidas para planejarmos os investimentos pontuais que serão realizados durante 2021. Em 2020 a ATS passou por uma reestruturação e neste ano estão previstos investimentos em todos os municípios concessionários para melhorar a qualidade de vida da população tocantinense”, destaca.

Prefeitos terão novos desafios para conseguir universalização do saneamento básico

2021: Projeto de Integração do Rio São Francisco vai levar cerca de 240 bilhões de litros de água para Paraíba, Pernambuco e Ceará

Projeto coordenado pela Adasa representa Brasil em prêmio internacional

Goveia Júnior afirma que a iniciativa é uma determinação do governador de Tocantins, Mauro Carlesse. Além disso, ele pontua que a principal demanda apresentada foi em relação a ampliação dos Sistemas de Abastecimento de Água dos municípios, “como aumento de Extensão de Rede de Distribuição de Água e aumento da capacidade de produção”.

Dentro do contexto da relação entre os governos estaduais e os municípios, em entrevista exclusiva ao portal Brasil61.com, o presidente do Trata Brasil, Édison Carlos, avalia que os gestores locais precisam estar atentos às necessidades da sociedade, principalmente quanto às questões que envolvem saneamento básico. Segundo ele, essas atitudes vão garantir um melhor atendimento e, consequentemente, mais qualidade de vida à população.

“A primeira autoridade que tem que se preocupar com saneamento é o prefeito. Eu falo isso porque é muito comum o prefeito se esconder atrás da empresa de água e esgoto, como se ela fosse a responsável. Ela é a empresa que opera, que tem que levar o serviço. Mas, quem é responsável pelo planejamento sanitário da cidade, por cumprimento de prazos, de metas, por fiscalização, regulação é a prefeitura”, afirma.

O coordenador do Observatório Nacional dos Direitos à Água e ao Saneamento (Ondas), Marcos Montenegro, entende que saneamento básico tem ligação direta com a área da saúde e “deveria ser prioridade absoluta com foco na população mais pobre e que mora em situação precária”, já que se trata de pessoas mais vulneráveis, que ficam mais expostas aos riscos da atual pandemia.

“Os déficits no atendimento são concentrados nas periferias das grandes cidades, nas cidades de menor porte e na área rural, onde residem população de baixa renda. A maior dificuldade é estrutural e diz respeito à concentração de renda e a situação de precariedade em que vive boa parte da população brasileira”, considera.

Prefeitos

No último dia 18, o grupo visitou o prefeito eleito do município de Brejinho de Nazaré, Marquim Nobre. No dia seguinte, se encontrou com os gestores de Crixás do Tocantins, Pugmil e Fátima. Nas reuniões, ouviam as demandas, apresentaram o mapa de investimentos realizados dentro do Programa de Enfrentamento ao Período de Estiagem (Pepe) 2020 e anunciaram novos investimentos para 2021.

“Em 2021, nossa expectativa é de manter os investimentos e iniciar a execução das obras de melhoria dos Sistemas de Abastecimento de Água (SAA) e implantação de Sistemas de Esgotamento Sanitário (SES) em 14 dos 46 municípios concessionários. Já foram empenhados junto a Fundação Nacional de Saúde (Funasa), dois convênios na ordem de R$ 15,8 milhões para serem executados ainda em 2021”, destaca o presidente da ATS, Davi Goveia Júnior

Recentemente empossada, a prefeita de Crixás do Tocantins, Ana Flávia Alves, apresentou as demandas da população local e garantiu que vai trabalhar para fortalecer a parceria entre a autarquia e o município. “Vamos trabalhar em prol da população. Temos algumas demandas que foram repassadas para o presidente para melhorar cada vez mais a qualidade da água e consequentemente do atendimento prestado a nossa população”, disse.

Além das agendas com os gestores municipais, a comitiva analisa as instalações da ATS nos municípios para verificar a situação operacional de cada ente.
 

Copiar o texto
23/01/2021 00:00h

Parceria entre Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e Universidade Federal do Tocantins (UFT) beneficiará mulheres entre 22 e 55 anos, com 11 cursos

Baixar áudio

O Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) e a Universidade Federal do Tocantins (UFT) firmaram um acordo de investimentos por meio do projeto Qualifica Mulher. O objetivo do programa é promover a capacitação profissional de 1.200 mulheres em situação de vulnerabilidade social no Tocantins.

Serão beneficiadas mulheres entre 22 e 55 anos, com atenção especial às quilombolas, ribeirinhas e periféricas. O projeto promoverá 11 cursos, com atividades que incluem aprendizados como motivação e autoestima, leitura, saúde e direito da mulher, além das capacitações sobre as formas de prevenção de violências e empreendedorismo. 

As inscrições de cada curso serão divulgadas por meio do site oficial da UFT e em cada município, por meio das Secretarias de Desenvolvimento e dos Centros de Referência da Assistência Social (Cras). Os primeiros dois projetos vão de março a junho deste ano, destinados a 300 pessoas. O governo federal destinou mais de R$ 500 mil para as atividades. 

Copiar o texto
20/01/2021 15:15h

Procedimento foi aberto aos prefeitos de Gurupi, Cariri do Tocantins, Crixás do Tocantins, Aliança do Tocantins e Dueré

Baixar áudio

O Ministério Público de Tocantins instaurou procedimento a cinco prefeitos do estado para que eles encaminhem, em até três dias, os planos de vacinação contra a Covid-19. Foram oficiados os prefeitos de Gurupi, Cariri do Tocantins, Crixás do Tocantins, Aliança do Tocantins e Dueré.

Os políticos também terão que realizar um levantamento sobre todas as salas de vacinação existentes nessas cidades e informar o número e a aptidão das equipes das Unidades de Saúde para executar a vacinação.

Cuidados com a Covid-19 devem continuar após a vacinação

O promotor de Justiça Marcelo Lima Nunes reforça que é necessário reforçar o planejamento para que a vacina seja disponibilizada de forma isonômica, eficiente, célere e segura à população.

 

Copiar o texto
Educação
20/01/2021 00:00h

Projeto é uma iniciativa do Senai e visa promover a inserção de alunos egressos dos cursos no mercado de trabalho; Engenorte vai apadrinhar turma de Técnico em Eletrotécnica

Baixar áudio

Os alunos do curso Técnico em Eletrotécnica da unidade de Gurupi (TO) agora terão uma empresa madrinha para ajudar na inserção no mercado de trabalho. O projeto, do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), é uma iniciativa que conta com o apoio de empresas parceiras que, após adesão, observam o desempenho dos alunos no curso em questão. Os que mais se destacarem podem ser aproveitados no quadro pessoal da empresa, se atingirem o perfil desejado. 

Para a turma de Gurupi, que tem cerca de 30 alunos, a empresa madrinha será a Engenorte. As aulas começam no final de janeiro e a empresa acompanhará o curso pelos próximos dois anos. Após a formação, a Engenorte vai abrir seleção de talentos entre os estudantes egressos e, dependendo do desempenho, os alunos já podem conquistar a primeira oportunidade de trabalho. 

“O projeto empresa madrinha visa contribuir para o aumento da inserção dos alunos nas indústrias tocantinenses”, afirma Núbia Almeida, gerente do Senai em Gurupi. O principal objetivo, segundo ela, é mostrar para a indústria estadual o potencial dos alunos egressos do Senai. 

“Queremos proporcionar aos alunos a vivência de forma prática dentro da indústria, com situações semelhantes que eles poderão enfrentar na vida profissional deles dentro da empresa parceira. Com isso, automaticamente, quem ganha é a empresa pela promoção desse intercâmbio técnico-pedagógico”, garante a gerente. 

Em todo estado, 36 turmas já foram atendidas com o projeto, contemplando 1,3 mil alunos. Só o município de Gurupi já teve mais de 90 alunos beneficiados. “Elevamos o indicador de alunos egressos inseridos no mercado de trabalho e na indústria, uma vez que temos o caso concreto de uma empresa que contratou três dos nossos alunos logo após o encerramento do projeto”, revela. A empresa citada por Núbia é a Transportadora e Distribuidora de Bebidas CEMAR, que apadrinhou a turma de Técnico em Administração no ano passado. 

Copiar o texto
19/01/2021 10:00h

Última atualização havia sido feita em 2015

Baixar áudio

Representantes do governo de Tocantins atualizaram, nessa segunda-feira (18), o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do estado. No encontro, estavam presentes membros da Secretaria do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semarh), do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil. 

Cuidados com a Covid-19 devem continuar após a vacinação

O Plano precisa passar por atualizações a cada cinco anos. A última atualização havia sido feita em 2015. Agora, ele contém a inclusão de instrumentos normativos e econômicos para o controle do desmatamento ilegal. De acordo com membros do governo, essa linha deve fortalecer a gestão ambiental nos municípios que estão sob responsabilidade da Secretaria. 

Após a finalização, o documento vai tramitar no Conselho Estadual de Meio Ambiente (Coema), onde ainda pode sofrer alterações. A meta do governo local é manter um plano objetivo, compacto e de fácil monitoramento de suas metas e indicadores que abranjam, em linhas gerais, as atividades de todos os órgãos executores do Plano em Tocantins.

Copiar o texto
28/12/2020 18:00h

A temperatura mínima na região pode ser de 21ºC e a máxima de 33ºC

Baixar áudio

Nesta terça-feira (29), a região Norte do País segue com expectativa de chuva para boa parte dos estados, com maiores volumes no Amazonas e Roraima, inclusive nas capitais. Deve chover forte em Manaus desde o início da tarde, os acumulados previstos são elevados com potencial para alagamentos e inundações. 

Essa chuva vem acompanhada por temporais, especialmente no estado de Rondônia, e está associada a instabilidades tropicais. Por outro lado, não há previsão de chuva no leste do Tocantins. A temperatura pode variar entre 21 e 33 graus e a umidade relativa do ar segue acima dos 70% em quase toda a região.

As informações são do Somar Meteorologia.
 

Copiar o texto
18/12/2020 03:00h

Projeto de Lei aprovado no Senado garante 18% do montante arrecadado para universalizar internet nas escolas públicas até 2024

Baixar áudio

Quatro em cada cinco escolas de ensino fundamental no Tocantins têm acesso à internet. No entanto, cerca de 250 unidades ainda estão desconectadas da rede, de acordo com o Censo Escolar da Educação Básica de 2019. A solução para que todas as escolas do estado tenham acesso à internet pode estar na modernização do Fust, o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações.
 
Em novembro, o Senado aprovou o Projeto de Lei (PL) 172/2020, que passa a permitir o financiamento de políticas governamentais de telecomunicações por meio do Fust. Criado em 2000 (Lei nº 9.998), o Fundo tinha o objetivo de garantir serviços de telefonia fixa em locais que não oferecem lucro para o investimento privado, seja por causa da baixa densidade demográfica, baixa renda da população ou ausência de infraestrutura adequada, por exemplo.
  
O texto que os senadores aprovaram amplia a possibilidade de uso dos recursos do Fust que, a partir de agora, poderão ser gastos para expandir e melhorar a qualidade das redes e dos serviços de telecomunicações, reduzir as desigualdades regionais em telecomunicações e estimular o uso e desenvolvimento de novas tecnologias de conectividade para promoção do desenvolvimento econômico e social. Em tese, o PL tira o Brasil da era da telefonia fixa e o coloca na era digital.
 
A deputada federal Professora Dorinha Seabra Rezende (DEM-TO) destacou a importância de modernizar e redirecionar os recursos do Fust para a educação, sobretudo após a pandemia da Covid-19 revelar que muitos estudantes ainda não têm acesso à internet. “São R$ 36 bilhões que estão parados – nunca foram utilizados – para garantir a acessibilidade de alunos e professores, não só na escola, mas também para essas atividades, que na minha opinião vão continuar. Mesmo as escolas reabrindo, nós temos um passivo que precisa ser resolvido”, afirma.

Modernização do Fundo de Telecomunicações vai destinar recursos para banda larga em escolas e conectividade nas zonas rurais 

Educação

O texto aprovado tem, entre as prioridades, prover o acesso à internet às escolas de todo o País com recursos do Fundo. Dados do Censo Escolar 2018, divulgados pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), apontam que 30,4% das escolas de ensino fundamental não têm conexão com a internet, o que equivale a mais de 39 mil estabelecimentos. 
 
De acordo com o PL 172, no mínimo 18% dos recursos do Fust deverão ser aplicados, obrigatoriamente, para dotar todas as escolas públicas brasileiras, em especial as que ficam na zona rural, de acesso à internet em banda larga, até 2024. 
 
No Tocantins, a diferença de acesso à internet na comparação entre as escolas que ficam nas áreas urbanas e as situadas no campo é evidente. Nos anos iniciais do ensino fundamental, por exemplo, 98,6% das escolas urbanas da rede pública estão conectadas. Entre aquelas que estão no meio rural, o índice cai para 48,3%. Já nos anos finais do ensino fundamental e do ensino médio, em que a internet está quase que universalizada no perímetro urbano, na zona rural fica em torno de 65%, segundo o Censo Escolar. 
   
Para Amanda Caroline, especialista em Direito Civil, a lei que regulava o Fust era ultrapassada. Agora, com o novo formato do Fundo, ela acredita que será possível diminuir a desigualdade de acesso à internet, cuja pandemia da Covid-19 escancarou.
 
“Várias crianças que residem nas áreas rurais não puderam, sequer, acompanhar as aulas”, salienta. É inegável que cada vez mais a educação de forma online vai estar presente na vida das pessoas e essa população precisa ter esses recursos básicos de sinal e internet para que consigam acompanhar essa evolução”, completa.

Arte: Brasil 61
 
Zona Rural

Responsável por 21,4% do PIB brasileiro, com faturamento de R$ 1,55 trilhão em 2019, o agronegócio também deve se beneficiar com o projeto de lei. Isso porque o texto prevê que os recursos do Fust serão destinados a cobrir projetos para serviços de telecomunicações em zonas rurais ou urbanas com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). Além disso, o Fundo poderá financiar políticas para inovação tecnológica de serviços no meio rural, coordenadas pela Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater).
 
O desafio é considerável, já que mais de 70% das propriedades rurais não possuem conexão com a internet, de acordo com o último Censo Agropecuário, de 2017, do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Extremamente competitivo em escala global, o agronegócio brasileiro precisa de conectividade para o uso intensivo de sensores, drones e operação das próprias máquinas no campo, por exemplo.
 
Segundo Lucas Rocha, gerente de Inovação da Fundação Lemann, a eficiência do agronegócio brasileiro iria crescer consideravelmente com a ampliação do acesso à internet no campo. “O Brasil é uma potência no agronegócio e a tecnologia tem viabilizado coisas muito legais, desde o uso de drones para fazer a pulverização de combatentes agrícolas, a questão de você conseguir dosar certinho a ração no tratamento da pecuária, de acompanhar e conseguir combater pragas, coisas que a internet viabiliza”, avalia.

Conselho Gestor

De acordo com o texto aprovado, o Fust será administrado por um Conselho Gestor, vinculado ao Ministério das Comunicações. As pastas de Ciência, Tecnologia e Inovações; Economia; Agricultura, Pecuária e Abastecimento; Educação; e Saúde terão um representante cada no colegiado. A Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) também vai ter um representante. O Conselho contará, ainda, com três representantes da sociedade civil e dois das prestadoras de serviços de telecomunicações.

Copiar o texto