Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Comunicação

21/07/2021 10:57h

Qualquer líder vai precisar da comunicação para fortalecer a sua liderança.

Baixar áudio

O tema deste episódio é "Liderança". Tem tudo a ver com comunicação - as duas coisas andam juntas.

Qualquer líder vai precisar da comunicação para fortalecer a sua liderança.

A jornalista e especialista em Comunicação Não Violenta Érica Ferraz vai explica mais!

Vamos lá?

Copiar o texto
15/07/2021 13:30h

Senado aprovou projeto de lei que libera os partidos para comprar espaços de divulgação nas grades das emissoras

Baixar áudio

Emissoras de rádio e TV podem ser remuneradas por exibição de propagandas políticas partidárias na programação. As propagandas políticas gratuitas e pagas foram suspensas em 2018 e os partidos ficaram sem espaços nas mídias para publicação de informações. Nesta quarta-feira (14), o Senado aprovou projeto de lei que libera os partidos para comprar espaços de divulgação nas grades das emissoras de rádio e TV.

Covid-19: Queiroga estima que metade da população brasileira vai receber as duas doses da vacina até setembro

Os custos serão pagos pelo Fundo Partidário e os preços serão limitados aos praticados pelas emissoras nos seis meses anteriores à veiculação partidária. O PL prevê limite de 10 inserções, de 30 segundos, por dia de veiculação. As inserções deverão ser divididas proporcionalmente em 3 horas diárias de veiculação. As cadeias nacionais e estaduais continuam gratuitas.

Projeto de Lei busca aperfeiçoar benefícios tributários para melhores impactos econômico-sociais

As mensagens veiculadas na propaganda paga devem ser voltadas para informar o eleitor sobre as atividades do partido político, posições políticas em questões relevantes para a comunidade local e de mobilização da população para o engajamento político.

Antes de passar a valer, o PL precisa ser aprovado na Câmara dos Deputados.

Copiar o texto
Comunicação Positiva
14/07/2021 16:00h

Cuidar do seu estado mental é o primeiro passo para você ter uma comunicação positiva

Baixar áudio

Olá pessoal, espero que todos vocês estejam bem de saúde. 

Hoje vamos falar de um tema muito poderoso para a comunicação: seu estado mental. 

Já pensou que se seu estado mental não está legal sua comunicação será a primeira a refletir isso? 

Cuidar do seu estado mental é o primeiro passo para você ter uma comunicação positiva. Se você tem dor, cansaço, tristeza, sua comunicação será um espelho desses estados. 

A programação neurolinguística depois de inúmeras pesquisas com líderes que conseguiam mudar seu estado mental para melhor verificaram o poder desta pirâmide: 

Tony Robbins, um dos papas da PNL afirma que se você conseguir mudar pelo menos dois lados deste triângulo, você consegue mudar seu estado mental e dos outros. 

Maravilha não é mesmo?! 

Fisiologia: postura, sorriso, alimentação, música, cor. Antes de falar em público ou de uma reunião importante, ouça uma música que te anime, vista algo que você se sinta bem e passe uma informação de acordo com o lugar, cuide da sua alimentação e faça um esporte para mexer com os seus hormônios da felicidade (endorfina, dopamina, serotonina e ocitocina). Pergunte sempre: Eu gostaria de conviver com alguém com o meu grau de energia? Se você responder não. Comece a mudar agora ;)

Foco:  você foca no mais ou no menos? Foco é poder. Onde está seu foco é onde a energia está fluindo. Quando estiver fazendo algo, foque nisso, esteja presente e veja a diferença. Lembra do copo meio cheio ou meio vazio? Você tem a escolha de ressignificar qualquer coisa. 

Palavras: você tem escolhas. Palavras acolhem e palavras ferem. O que sai de mim é criativo, positivo ou agregador? Se não for? Não fale. 

Comunicação também é mudança de mentalidade. E você pode mudar. 

Espero que curtam o podcast! Sua opinião é muito importante para nós. Deem sugestões! O mundo precisa de mais comunicação positiva. 

Na semana que vem vamos falar de liderança e comunicação. Não percam!

Beijos no coração! 

Copiar o texto
12/07/2021 04:30h

Principais desafios para implementar o 5G envolvem licenciamentos de infraestrutura

Baixar áudio

A Lei Geral das Antenas deve sofrer alterações importantes, se o PL 8.518/2017 for aprovado pela Câmara dos Deputados. O texto permite melhorias na infraestrutura dos municípios, facilitando, por exemplo, o acesso à tecnologia 5G. 

Apesar do avanço em algumas tratativas da norma, o secretário executivo do Ministério das Comunicações, Vitor Menezes, ressalta que ainda faltam leis locais para que a infraestrutura adequada para receber o 5G possa sair do papel.

“Existem competências que são exclusivas dos municípios e dependem de legislação municipal. É necessário que as câmaras de vereadores acelerem o processo de aprovação dessas normas, para que, quando o 5G vier a ser instalado, já tenhamos isso funcionando de maneira bastante fluida”, orienta.

5G: alterações na Lei das Antenas podem facilitar a implantação da tecnologia no Brasil, afirma secretário do MCom, Vitor Menezes

Alteração em lei das antenas pode facilitar chegada de 5G em municípios

5G: Automação trazida pela tecnologia deve influenciar bem-estar social

O superintendente de planejamento e regulamentação da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), Nilo Pasquali, afirma que apesar da Lei Geral das Antenas (Lei nº 13.116/2015) ter trazido diversas diretrizes, que simplificam e reduzem os prazos de licenciamento da infraestrutura de suporte, na prática, é necessário atualizar a legislação municipal em função dessas diretrizes. 

“O desafio é sensibilizar os poderes municipais dos benefícios para a população decorrentes de mais infraestrutura de telecomunicação instalada, sendo, portanto, mais atrativo vencer essa inércia legislativa”, aponta Nilo Pasquali. O superintendente explica que para formular a lei municipal das Antenas é necessário ter conhecimento da Lei Geral das Antenas, além das necessidades particulares de cada municípios, que ele resume em três pilares:

  1. Licenciamento da estação de telecomunicações, que busca verificar requisitos técnicos como radiofrequências utilizadas, níveis de potência, campos eletromagnéticos. É de competência exclusiva da Anatel, portanto, os projetos de lei não devem abordar esse tipo de aspecto.
  2. Licenciamento urbano da emissora de suporte, que busca verificar o atendimento a requisitos planísticos de ocupação de solo e de normas de engenharia aplicáveis. É de competência exclusiva do município, portanto envolve leis municipais.
  3. Licenciamento ambiental, que busca verificar o atendimento aos requisitos da regulamentação ambiental. Segundo a Lei Geral das Antenas, esse licenciamento tem que ocorrer de forma integrada ao licenciamento urbano, de forma a simplificar o processo de licenciamento por parte do município.

Segundo Nilo Pasquali, a Anatel se disponibiliza a prestar o apoio necessário às autoridades municipais interessadas em atualizar a sua legislação.

Desafios

O secretário do MCom, Vitor Menezes, comenta os desafios para implantação da tecnologia 5G no Brasil, que poderão ser mitigados com a Lei das Antenas.

“A tecnologia 5G demanda por uma infraestrutura maior. Podemos aproveitar as estruturas que já existem aqui, mas novas estruturas precisarão ser acomodadas. E é importantíssimo que haja uma união, tanto por parte dos estados, da União e dos municípios, no sentido de facilitar esse crescimento”, acrescenta.

O superintendente da Anatel também ressalta que a atual infraestrutura instalada nos municípios não será suficiente para prover todos os benefícios do 5G.

“Além de poder usar as faixas de radiofrequência tradicionais, o 5G pode utilizar faixas de radiofrequência altas, como de 3,5 gigahertz e de 26 gigahertz. A utilização de radiofrequências mais altas, se por um lado permite maior capacidade de transmissão de dados, reduz o raio de cobertura das estações, motivo pelo qual será necessário um maior adensamento de antenas de celulares para que se usufrua do completo potencial da tecnologia”, explica.

Muitas pessoas se preocupam com os supostos efeitos nocivos provocados pela instalação de antenas de telecomunicações. Sobre o assunto, o presidente da Anatel, Leonardo de Morais, lançou uma carta aberta às autoridades municipais, na qual contém o link do mapa de monitoramento dos campos eletromagnéticos, mostrando que os níveis estão dentro dos limites estabelecidos pela agência e de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Com a ferramenta, é possível verificar que os níveis estão muito abaixo dos limites regulamentados, mesmo em locais mais densos como no Centro de São Paulo, por exemplo. Na carta, o presidente Leonardo de Morais também faz um convite aos municípios para atualizarem suas legislações; medida basilar para inclusão digital”, acrescenta Nilo Pasquali.

Nossa equipe entrou em contato com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM) e com a Associação Brasileira de Municípios (ABM) para comentar os desafios das cidades em regulamentar a Lei das Antenas no âmbito local, mas, até o fechamento da reportagem, ambas não responderam.

Operadoras

O superintendente da Anatel, Nilo Pasquali, afirma que a principal dificuldade para as operadoras implementarem o 5G no Brasil é a obtenção de licenciamento de infraestrutura.

“Além do licenciamento das estações emissoras de radiofrequências, que é conferido pela Anatel, a prestadora precisa licenciar a infraestrutura que dá suporte para ela: o poste, a torre, o mastro, etc. Isso varia de acordo com a legislação de cada município, que é o ente que possui competência expressa na Constituição para disciplinar sobre questões urbanísticas e ocupação do solo”. 

O Projeto de Lei que altera a Lei Geral das Antenas ainda aguarda votação no Plenário da Câmara dos Deputados.

Copiar o texto
Comunicação Positiva
05/07/2021 14:00h

Uma comunicação mais positiva só existe se houver empatia. E a empatia só funciona se houver escuta ativa.

Baixar áudio

Olá pessoal, espero que todos vocês estejam bem de saúde. 

Neste momento de coronavírus,  uma das palavras mais usadas foi a empatia. “Como todos precisam ser mais empáticos uns com os outros”. Será que conseguimos? 

Uma comunicação mais positiva só existe se houver empatia. E a empatia só funciona se houver escuta ativa. A empatia é a escuta pura sem julgamentos. É você deixar que o outro se esvazie de sua dor e sofrimento. Você só interrompe o outro para perguntar se entendeu seus sentimentos e necessidades e reforçar a conexão. 

Uma dica para praticar a empatia é sempre fazer perguntas para entender o que a outra pessoa está sentindo. Fique lá, ouvindo e verificando com perguntas até que você sinta no semblante o alívio ou a pessoa se silencie. É preciso ter paciência. É preciso ter presença.

E o que não é empatia?

  • aconselhar
  • consolar
  • compartilhar experiências
  • educar
  • cortar a pessoa para ela parar de falar... “Isso vai passar
  • justificar
  • interrogar
  • corrigir
  • solucionar
  • sobrepor-se.  “Isso não é nada... comigo foi pior...“

Isto tudo pode ser útil depois que você for empático com o outro. Primeiro escute.

Para entender melhor, escute o 5° episódio do Comunicação Positiva

Espero que curtam o podcast! Na semana que vem vamos falar de liderança e comunicação.

Não percam! 
 

Copiar o texto
01/07/2021 17:45h

Atualmente, 60% dos municípios brasileiros possuem sinal digital de televisão

Baixar áudio

O Programa Digitaliza Brasil do Ministério das Comunicações (MCom) pretende levar o sinal digital de televisão a todos os municípios brasileiros até o final de 2022 e encerrar as transmissões analógicas até 2023. Segundo a pasta, 4.191 municípios ainda não concluíram a migração total para o sinal digital. Dentre eles, 1.638 possuem apenas o sinal analógico.

Em entrevista exclusiva ao portal Brasil61.com, o secretário executivo do Ministério das Comunicações, Vitor Menezes, explica que o objetivo do programa é concluir o processo de digitalização dos sinais da televisão analógica. 

“Nos últimos anos, nós já fizemos isso em mais de 60% dos municípios brasileiros. Agora, com o programa Digitaliza Brasil, nós vamos concluir esses municípios que ainda têm sinal analógico. Então, nós vamos fornecer antenas, transmissores, todos os equipamentos necessários para que aquela população tenha o sinal digital.”

5G: alterações na Lei das Antenas podem facilitar a implantação da tecnologia no Brasil, afirma secretário do MCom, Vitor Menezes

Por que digitalizar?

A TV Digital teve sua primeira transmissão no Brasil em dezembro de 2007, na cidade de São Paulo, e em 2012, todas as capitais do país já recebiam o sinal digital. Desde 2016, o sinal analógico passou a ser desligado em algumas cidades, como Brasília. Naquele ano, era previsto o desligamento total da transmissão analógica no país, o que foi postergado para 2018 e, agora, para 2023. 

O professor Eduardo Peixoto, do Departamento de Energia Elétrica da Universidade de Brasília (UnB), explica as vantagens do sinal digital da televisão.

“As principais vantagens diretas são a melhoria na qualidade da imagem, o acesso a um sinal mais estável, com menos interferências, e o acesso a um maior número de canais. Vantagens indiretas aparecem como serviços que podem ser prestados quando se desliga o sinal analógico. No Brasil, em muitas cidades, o sinal de telefonia móvel 4G usa canais de frequência que foram disponibilizadas após o desligamento do sinal analógico”, esclarece.

Segundo o professor Eduardo Peixoto, a tecnologia 5G - que deve chegar em breve no Brasil - também poderá usufruir do espaço vago pela frequência analógica.

“Da mesma forma que o sinal 4G foi alocado em canais vagos, após o desligamento do sinal de televisão analógica, o sinal 5G também poderá utilizar esse espectro vago. Em algumas partes do mundo, isso foi feito dessa forma.”

5G: Automação trazida pela tecnologia deve influenciar bem-estar social

Setor de infraestrutura foi um dos que mais rendeu investimentos no último ano

O principal problema de não digitalizar o sinal de televisão do município é que, caso a transmissão analógica do Brasil seja de fato desligada em 2023, as localidades que não foram digitalizadas poderão ficar sem sinal de televisão. 

Confira a seguir os 1.638 municípios elegíveis para o Programa Digitaliza Brasil.

Televisores

Com a digitalização do sinal, pode ser necessário que o cidadão faça algumas alterações em sua televisão. Os aparelhos mais modernos vendidos no Brasil já possuem recepção digital embutida. Basta que o consumidor instale uma nova antena, que custa a partir de R$ 25. 

Já para os televisores mais antigos, além da antena, é necessário um aparelho conversor de sinal, que pode custar a partir de R$ 100. O programa Digitaliza Brasil prevê a distribuição de alguns kits de conversão para famílias de baixa renda.

“Os conversores utilizam uma saída HDMI, preferencialmente, ou uma saída RCA. O cabo de vídeo RCA é utilizado desde o tempo dos videocassetes, então praticamente qualquer televisor dos últimos 25 ou 30 anos tem uma entrada RCA que pode ser utilizada”, explica o professor Eduardo Peixoto.

Como aderir ao Digitaliza Brasil

De acordo com a Portaria nº 2.524/2021, os municípios elegíveis deverão manifestar interesse em aderir ao programa, por meio de um sistema eletrônico disponibilizado no site do Ministério das Comunicações. Caso sejam qualificados, serão instalados equipamentos de transmissão para digitalização das estações analógicas em operação nos municípios.

As emissoras que não estão localizadas nos municípios elegíveis também poderão manifestar interesse em dar continuidade na transmissão em tecnologia digital, para que recebam autorização do MCom para execução do serviço.

Copiar o texto
Comunicação Positiva
28/06/2021 02:00h

Depois de aprendermos a base da comunicação positiva na semana passada, chegou a vez de falarmos sobre os 4 componentes da comunicação não violenta

Baixar áudio

Olá pessoal, espero que todos vocês estejam bem de saúde. 

Depois de aprendermos a base da comunicação positiva na semana passada (expressão honesta e escuta empática) chegou a vez de falarmos sobre os 4 componentes da comunicação não violenta. 

Lembrando que tudo começa com a intenção de um diálogo positivo onde todos os lados saiam ganhando. 

Vem comigo que eu te conto no EP. 04 do podcast Comunicação Positiva

Copiar o texto
Comunicação Positiva
21/06/2021 04:00h

Com tanta coisa acontecendo no mundo, o que mais vemos são crises por causa da falta de comunicação ou devido a uma comunicação violenta. Mas pode ser diferente

Baixar áudio

Olá pessoal, espero que todos vocês estejam bem de saúde.
 
Com tanta coisa acontecendo no mundo, o que mais vemos são crises por causa da falta de comunicação ou devido a uma comunicação violenta. Mas pode ser diferente.
 
Dr. Marshall Rosenberg é o criador da Comunicação Não Violenta como técnica, linguagem ou melhor, como uma filosofia de vida. Ele cresceu em um bairro violento de Detroit e se interessou por novas formas de comunicação para criar alternativas de diálogo. A Comunicação não violenta surgiu depois que ele se especializou em psicologia social e estudos de religião. Em 1984, foi criado na Califórnia o Centro de Comunicação Não Violenta, uma instituição sem fins lucrativos que treina pessoas em mais de trinta países para resolverem todos os tipos de conflitos: sociais, empresariais, de guerra, das áreas educacionais, de saúde e todos os tipos de conflito que vocês imaginarem.

Nós preferimos chamar a Comunicação Não Violenta de Comunicação Positiva. Para não deixar nosso cérebro confuso. Outro dia falei sobre o efeito da palavra não na nossa comunicação.

Dr. Marshall ressalta que os pilares da comunicação positiva são: a expressão honesta e a escuta empática. 

Vem entender tudo no 3° episódio do podcast Comunicação Positiva! 

A escuta empática é saber receber do outro. É saber ouvir. Estar presente. Olhar no olho do outro. Você consegue?
 
Lembrando que temos dois ouvidos e uma boca. Ou seja, devemos ouvir mais e falar menos para nos comunicar melhor.
 
Espero que curtam o podcast!
 
Na semana que vem vamos falar dos 4 componentes para uma comunicação positiva. Não percam! 

Copiar o texto
16/06/2021 18:15h

Medida também propõe condições à distribuição de conteúdo pela Amazônia Legal

Baixar áudio

Na terça-feira (15) o governo federal sancionou a Medida Provisória (MP) 1.018, que reduz custos da banda larga satelital, operacionaliza o Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (Fust) e impulsiona a produção de conteúdo local na transmissão de sinal de TV e rádio em áreas remotas do país.

Segundo o ministro das Comunicações, Fábio Faria, a MP pode gerar a possibilidade de mais conteúdo nas fronteiras e maior flexibilidade na gestão local das emissoras. Além disso, ela é importante para levar banda larga para as regiões rurais, carentes e periféricas e reduz os encargos sobre estações de pequeno porte.

Ministro das Comunicações alerta operadoras sobre uso de falso sinal de 5G

Lei que garante R$ 3,5 bi para internet de aluno e professor é publicada

A medida também propõe condições à distribuição do conteúdo local pelas retransmissoras de radiodifusão de TV e rádio na região da Amazônia Legal. A orientação para inserção de conteúdo jornalístico e com finalidades educativa, artística, cultural e informativa visa melhorar o desenvolvimento regional das comunidades.

Copiar o texto
16/06/2021 11:20h

Fábio Faria diz que enviou ofício para empresas e Anatel

Baixar áudio

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, postou um vídeo em suas redes sociais nesta terça-feira (15) em que alerta sobre o aparecimento de um sinal de 5G nos aparelhos celulares que não corresponde à nova tecnologia de telefonia móvel, que ainda não foi implantada no país. Ele pediu às operadoras de telecomunicações para não colocarem essas informações nos telefones dos usuários. 

Segundo o ministro, ele enviou uma carta para a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e para as empresas de telecomunicações para que não coloquem o 5G nos telefones celulares, pois o Brasil ainda não possui a tecnologia.

5G: Automação trazida pela tecnologia deve influenciar bem-estar social

Tecnologia 5G trará mais eficiência para o setor produtivo e acesso mais barato para o consumidor

O leilão das frequências de 5G deve ser realizado no segundo semestre. A nova tecnologia promete velocidades de internet até 100 vezes superiores às do 4G, que poderão viabilizar, por exemplo, a utilização em larga escalada da internet das coisas por empresas. A previsão é que a tecnologia esteja em funcionamento em todas as 27 capitais do país até o final do ano que vem. 

Copiar o texto
Brasil 61