Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Acre

21/01/2021 00:00h

Informação foi dada pela Fieac; Senai e Sebrae do estado promovem cursos de capacitação para profissionais da área

Baixar áudio

Apesar da crise econômica ocasionada pela pandemia do novo coronavírus, a venda das indústrias de cerâmica do estado do Acre cresceram no ano passado. A constatação foi feita pela Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac). Um balanço do segmento ainda precisa ser fechado. 

Por meio do “Reage, Indústria”, o Senai do Acre, em parceria com o Sebrae, está promovendo uma capacitação com empresas do setor cerâmico nos municípios de Rio Branco, Brasiléia, Cruzeiro do Sul e Acrelândia.

Márcio Agiolfi, presidente do Sindicato das Indústrias Cerâmicas do Estado do Acre (Sindicer/AC), afirma que, para este ano, o segmento possui boas perspectivas. “O setor de cerâmica tem se preparado. Entre agosto e dezembro, houve uma aquecida no mercado e isso trouxe bastante confiança no empresário e apostamos que 2021 seja um ano muito bom”, relatou.

De acordo com a Fieac, as indústrias do segmento no estado possuem diversos entraves, como por exemplo o alto custo da energia e o fato da lenha utilizada para a queima da cerâmica ter de ser comprada de Rondônia. Tais fatores contribuem no aumento do produto que é vendido no mercado local. 

Somado a isso, devido a um longo período chuvoso no estado, Agiolfi explica que a construção civil no Acre apresenta bons resultados durante seis meses do ano. “Aqui há uma sazonalidade, em que o setor da construção civil funciona mesmo de julho até dezembro. No resto do ano, o segmento apresenta uma redução de até 40%”, diz. 

Fiesc abre inscrições para voluntários que queiram elaborar projetos para o terceiro setor

Inflação

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), indicador do IBGE que mede a inflação no setor, fechou 2020 com alta de 10,16%.  Em 2019, o índice havia aumentado 6,13%. O custo nacional por metro quadrado fechou 2020 com o valor de R$ 1.276,40, sendo R$ 710,33 relativos aos materiais e R$ 566,07 à mão de obra.

Copiar o texto
14/01/2021 12:30h

Com essa medida, o governo pretende oferecer capacitação em legislação ambiental junto a produtores rurais, bem como informar à população sobre a destinação correta do lixo

Baixar áudio

Mais de R$ 1,7 milhão de reais foram liberados pelo Ministério do Meio Ambiente para projetos de educação ambiental no estado do Acre e no município de Santos, em São Paulo. Com essa medida, o governo pretende oferecer capacitação em legislação ambiental junto a produtores rurais, bem como informar à população sobre a destinação correta do lixo.

Hortas comunitárias podem auxiliar no consumo de alimentos mais saudáveis

Ministério do Meio Ambiente abre consulta pública para reciclagem de vidro em todo o País

No Acre, técnicos e gestores municipais receberão treinamento para fortalecer o cumprimento das normas ambientais básicas e melhorar o atendimento e orientação aos produtores rurais. No município de Santos, o projeto contempla oficinas e material pedagógico com o objetivo de sensibilizar as comunidades locais para o reaproveitamento de resíduos recicláveis.

Fazer o descarte de resíduos de forma errada e desperdiçar matéria-prima são práticas que atingem diretamente a população, em especial comunidades de baixa renda. Em cidades costeiras, a destinação ambientalmente adequada do lixo merece cuidado especial, tendo em vista o problema do lixo no mar. Por isso, essas ações buscam proteger o meio ambiente e a saúde das pessoas, e ainda contribuir para gerar emprego e renda de maneira sustentável nas regiões. Somadas, as populações beneficiadas direta e indiretamente ultrapassam 1,2 milhão de brasileiros.

 

Copiar o texto
14/01/2021 00:00h

Secretaria de Estado de Saúde receberá do Ministério da Saúde cerca de 500 mil doses para imunização dos grupos prioritários e o governo do Estado anunciou a aquisição de mais 700 mil doses.

Baixar áudio

Com previsão de início da distribuição entre o dia 25 de janeiro e 10 de fevereiro, a depender da liberação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a campanha de vacinação contra a Covid-19 já começou a ser planejada pelo governo do Acre. A Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre) receberá do Ministério da Saúde (MS) cerca de 500 mil doses para imunização dos grupos prioritários e o governo do Estado anunciou a aquisição de mais 700 mil doses.

As 500 mil doses enviadas pelo Ministério da Saúde são da vacina produzida pela Fiocruz, que serão para imunizar os grupos prioritários que são: trabalhadores da saúde, educação, forças de segurança e salvamento, pessoas acima de 60 anos (divididas por fase e faixa etária), indígenas, pessoas com comorbidades, com deficiências permanentes severas, povos e comunidades tradicionais ribeirinhas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte coletivo, transporte aéreo e portuários; e, ainda, população privada de liberdade e funcionários desse sistema.

As 700 mil doses adquiridas pelo estado são as produzidas pelo Instituto Butantan, destinadas para a vacinação do público da faixa etária de 20 a 59 anos que não estejam incluídos nos públicos prioritários estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Ambas serão aplicadas em duas doses, com intervalo de 30 dias entre uma e outra.

Para que a vacinação ocorra de forma segura e organizada, os profissionais da saúde de todos os municípios acreanos passarão, desde agora, por capacitação e treinamento, além da criação de estratégias específicas de vacinação em cada cidade.

Segundo a chefe de Imunização e Rede de Frios da Secretaria de Saúde do Estado do Acre (SESACRE), Renata Quiles, a capacitação dos profissionais de saúde já foi iniciada nos municípios do baixo Acre e deve acontecer simultaneamente na próxima semana em Juruá e na regional do alto Acre.

“Essa capacitação tem previsão para acontecer de forma presencial, com um público mais restrito e em um outro momento, após encerrarmos com a forma presencial, estaremos realizando a capacitação à distância em forma de webconferência para alcançar o máximo de profissionais possíveis no estado”, disse. 

Por se tratar de uma vacina nova, onde a população pode ficar receosa quanto aos efeitos colaterais, a coordenadora de imunização enfatizou que as equipes estarão preparadas para lidar com possíveis reações adversas.

A secretária municipal de Saúde de Mâncio Lima e membro da Diretoria Executiva do Consellho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Acre (COSEMS/AC), Joice Mota, destacou que os municípios ainda aguardam informações técnicas sobre a vacina para que as equipes possam começar a trabalhar de forma operacional.

“O estado planeja de forma estratégica a chegada da vacina e alguns insumos necessários aos municípios, para que estes possam fazer chegar a vacinação nas pessoas, inclusive nas zonas ribeirinhas e zonas rurais. Claro que cada município adotará estratégias específicas de acordo com a realidade local”, ressaltou. 

Anvisa inicia análise para autorização de uso emergencial de vacinas contra a Covid-19

Casos da Covid-19 dobram em um mês no estado de Alagoas

A entrega de vacinas deve acontecer de forma ampliada, como destacou a chefe de Imunização e Rede de Frios da Secretaria de Saúde do Estado. “Municípios isolados, comunidades ribeirinhas, o governo do estado está disponibilizando aeronaves para ter maior agilidade nessa distribuição. A ideia é que os 22 municípios do estado sejam abastecidos simultaneamente”, afirmou Quiles.

Rede de Frio estruturada

Com a preparação para a chegada da vacina para a Covid-19, o estado ampliou sua capacidade de armazenagem da Rede de Frio, que era de 600 mil imunizantes. Segundo a Chefe de Imunização e Rede, ao final dos processos de estruturação o estado terá capacidade final de armazenamento de 1,6 milhão de doses, que também ampliarão o recebimento das vacinas de rotina.

Desde 2019, o governo já vinha investindo na organização da distribuição de vacinas e, em 2020, na ampliação da Rede de Frio com a aquisição de refrigeradores modernos.

O infectologista e vice-presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre (CRM-AC), Alan Areal, destacou a importância do alinhamento entre os governos para a vacinação. “A gente torce como profissional que está na linha de frente da pandemia que os prefeitos, governadores e todos os líderes do nosso País possam estar coesos, unidos, independentes de questões partidárias, para que essa vacina possa chegar mais rápido e de forma mais acessível à nossa população”, afirmou. 

O Plano Estadual de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 é organizado baseando-se em 8 diretrizes: avaliação da situação epidemiológica e definição da população-alvo para vacinação, capacitação e treinamento de profissionais, estrutura, cadeia de frio e recursos disponíveis, vacinas Covid-19, farmacovigilância, sistema de informações, operacionalização para vacinação e monitoramento, supervisão e avaliação.

Copiar o texto
28/12/2020 18:00h

A temperatura mínima na região pode ser de 21ºC e a máxima de 33ºC

Baixar áudio

Nesta terça-feira (29), a região Norte do País segue com expectativa de chuva para boa parte dos estados, com maiores volumes no Amazonas e Roraima, inclusive nas capitais. Deve chover forte em Manaus desde o início da tarde, os acumulados previstos são elevados com potencial para alagamentos e inundações. 

Essa chuva vem acompanhada por temporais, especialmente no estado de Rondônia, e está associada a instabilidades tropicais. Por outro lado, não há previsão de chuva no leste do Tocantins. A temperatura pode variar entre 21 e 33 graus e a umidade relativa do ar segue acima dos 70% em quase toda a região.

As informações são do Somar Meteorologia.
 

Copiar o texto
Brasil
24/12/2020 10:45h

Ocupação de bares e casas noturnas será limitada a 30%

Baixar áudio

Devido ao aumento no número de registros da Covid-19, o governo do Acre decidiu limitar a 30% a capacidade de ocupação de bares, restaurantes, lanchonetes, casas noturnas, boates, além de confraternizações de qualquer natureza em clubes, condomínios, espaços públicos e hotéis. Esses locais terão ocupação máxima de 100 pessoas. 

O Poder Executivo do Acre também determinou que todas essas atividades deverão ser vedadas a partir das 18 horas do dia 24 de dezembro até às 11 horas do dia 25 de dezembro, assim como de 18 horas do dia 31 de dezembro até às 11 horas do dia 1 de janeiro de 2021. Nesse período, estarão permitidas apenas a entrega de alimentos e a retirada de produtos nos estabelecimentos. 

Verão 2021: entenda as relações do calor com os casos de Covid-19

Segundo a Secretaria de Saúde do Acre (Sesacre), até a última terça-feira (22), o estado contabilizava 40.314 casos e 769 óbitos em decorrência do novo coronavírus.

Copiar o texto
30/11/2020 00:16h

Região Norte do país encerra segundo turno das eleições de forma tranquila

Baixar áudio

Na região norte do país, o segundo turno das eleições ocorreu de forma tranquila.

Pará

Edmilson Rodrigues (PSOL) foi eleito prefeito de Belém após o segundo turno das eleições na capital do Pará. Ao atingir 384.908 votos (51,76%), com 98,56% das seções totalizadas neste domingo (29), Edmilson garantiu a vaga de prefeito em cima da disputa com o candidato delegado federal Eguchi (Patriota). De acordo com o novo prefeito, durante a primeira entrevista após a vitória, agora será o momento de juntar forças para melhorar a vida da população na cidade.   

“Esse trabalho, com a minha experiência, vai ser mais fácil de resolver unindo todo mundo. Eu quero fazer um governo que represente essas forças vitoriosas e até com gente que porventura não tenha apoiado a gente e possa contribuir. Eu não vou fazer um raio-x ideológico em ninguém, tem muita gente boa querendo ajudar Belém e nós vamos atrás porque é necessário ter os melhores para ajudar a superar os problemas tão graves que Belém tem”, afirmou.

O recém-eleito prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, é natural da cidade e tem formação como professor e arquiteto, com doutorado em Geografia Humana pela Universidade de São Paulo (USP). Já foi prefeito da capital anteriormente, entre 1997 e 2000, e reeleito para o cargo em 2001 quando ficou até 2004. A carreira política de Edmilson Rodrigues ainda conta com três mandatos como deputado estadual e dois como deputado federal. Neste ano, concorreu pela coligação Belém de Novas Ideias (PT/Rede/UP/PCdoB/PSOL/PDT) com Edilson Moura (PT) como vice.

Na cidade de Santarém, uma das maiores do estado, o prefeito Nélio Aguiar (DEM) foi reeleito com 59,22% dos votos totais do município, derrotando a candidata Maria (PT), que é ex-prefeita e conquistou 40,78% do eleitorado.

Amazonas

Em Manaus, a capital do Amazonas, o candidato do partido Avante, David Almeida, foi eleito para a prefeitura da cidade. De acordo com o TSE, o candidato recebeu 466.970 votos válidos, o que significa 51,27% do total. Esse número bastou para derrotar o outro candidato, Amazonino Mendes (Pode). A totalização de votos registrou o comparecimento de 77% dos eleitores às urnas e um total de 4% de votos em branco e 7% de votos nulos.

Um fato marcante para o recém-eleito prefeito de Manaus, foi que no sábado (28), sua mãe, conhecida como dona Rosa, faleceu aos 84 anos, vítima da Covid-19. A senhora estava internada há mais de uma semana no Hospital Adventista de Manaus devido a doença. Por conta disso, o candidato não quis comemorar a vitória nas urnas, mas falou com seus eleitores por meio das redes sociais.

“A partir de janeiro eu quero ser o prefeito de todos, pois será uma administração inclusiva e não uma administração exclusiva. Vou servir Manaus com carinho, com êxito, eficiência e gestão. Quero ser um prefeito amigo, atuante e presente. Isso é muita responsabilidade para uma pessoa, mas quando Deus chama ele capacita. Eu pedi um emprego para Deus para ser motorista e ele já me deu três mandatos e deputado estadual, presidente da Assembleia, governador interino e agora me entrega a cidade de Manaus para que eu possa administrar”, disse o novo prefeito.

David Antônio de Almeida tem 51 anos e é natural de Manaus. Formando em Direito, iniciou a carreira política aos 27 anos. Foi deputado estadual por três mandatos consecutivos, sendo eleito pela primeira vez em 2006. O segundo mandato foi em 2010, e o terceiro, em 2014. David Almeida foi eleito presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas para o biênio 2017/2018. Em 2017, foi governador interino do Amazonas após a cassação de José Melo de Oliveira e de seu vice pelo Tribunal Superior Eleitoral. Nas Eleições 2020, concorreu pela coligação Avante Manaus (Avante/PMB/PTC/PRTB/PV/DEM/Pros). Marcos Rotta (Avante) é o vice prefeito eleito.

Pandemia, eleições municipais e o impacto do pleito nas cidades brasileiras

Presidente do TSE diz que combater a Covid-19 e as Fake News foram prioridade durante as eleições

Rondônia

Na capital de Rondônia, os eleitores de Porto Velho decidiram por Hildon Chaves (PSDB) para ser o novo prefeito da cidade. A escolha foi confirmada pelo TSE, pelo candidato ter conseguido 109.992 votos válidos, o que significa 54,45% do total. Assim, Hildon vence a disputa frente a Cristiane Lopes (PP) que ficou fora da vaga. Em Porto Velho a taxa de comparecimento às urnas foi de 65%, com total de votos em branco sendo 2,67% e os votos nulos contabilizando 5,18%.

Hildon de Lima Chaves tem 52 anos, é natural do Recife. Formado em Direito no estado do Paraná, foi aprovado no concurso de promotor do Ministério Público de Rondônia (MP-RO). Em 2013, deixou a carreira no MP para se dedicar às empresas do ramo educacional da família. Em 2016, foi candidato a prefeito de Porto Velho e venceu no segundo turno. Nas eleições deste ano, concorreu pela coligação O Trabalho Continua (PSD/PL/PSDB/DEM). Maurício Carvalho (PSDB) é o candidato eleito para vice prefeito da cidade.  

Roraima

Arthur Henrique (MDB) é o atual prefeito de Boa Vista e foi reeleito neste domingo (29) para o cargo, com 116.792 votos válidos, o que representa 85,36% do total, derrotando Ottaci (Solidariedade). Na capital de Roraima foi registrado o comparecimento de 68,62% dos eleitores às urnas. O total de votos em branco ficou em 3,06% e os votos nulos contabilizaram 5,25%.

Arthur Henrique tem 39 anos e atuou como titular da Secretaria Extraordinária de Inclusão Digital de Boa Vista, de 2013 a 2016. Sem formação superior, o candidato construiu a carreira em duas multinacionais do setor de Tecnologia. Nas Eleições 2020, concorreu pela coligação O Trabalho Continua (MDB/PMB/Avante). Cássio Gomes (MDB) foi o vice prefeito eleito.  

Acre

Na capital do Acre, os eleitores de Rio Branco escolheram Tião Bocalom (PP) para ser o novo prefeito do município. Com 104.746 votos, o que significa 62,93%, Tião superou a atual prefeita da cidade, Socorro Neri (PSB), que recebeu 37,07% do total de votos da população. O TSE registrou o comparecimento de 67,89% do eleitorado do município, com total de votos em branco sendo o de 1,91% e os votos nulos contabilizando 2,57%.

Sebastião Bocalom Rodrigues tem 67 anos e nasceu em Bela Vista do Paraíso (PR). Começou a carreira política na década de 1980, como vereador em Nova Olímpia (PR), depois, em 1988, foi ao Acre onde atua como servidor público. Foi prefeito do município de Acrelândia, vizinho a Rio Branco, por três mandatos. É professor formado em Matemática, pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Mandaguari (Fafiman), e em Ciências Físicas e Biológicas, pela Faculdade de Ciências Físicas e Biológicas de Umuarama (PR). Nas Eleições 2020, concorreu pela coligação Produzir para Empregar (PSD/PP). A vice prefeita é Marfisa de Lima Galvão (PSD).

Amapá

Vale destacar ainda que Macapá, capital do Amapá, ainda vai precisar escolher o prefeito. Por conta do apagão que atingiu o estado por 22 dias, os mais de 292 mil eleitores ficaram prejudicados. Desta forma o Tribunal Superior Eleitoral definiu que a cidade vai realizar seu primeiro turno das eleições no dia 6 de dezembro, enquanto a segunda etapa ocorrerá no dia 20.

Copiar o texto
15/11/2020 19:00h

TSE divulgou um relatório com ocorrências envolvendo candidatos e eleitores que foram detidos ou presos

Baixar áudio

Os dados do Superior Tribunal Eleitoral (TSE), divulgados até às 17h, apontam que a Região Norte do País teve uma votação tranquila, com baixo número de incidentes e trocas de urnas eletrônicas. Por enquanto, foram contabilizados 161 aparelhos que apresentaram algum problema e precisaram ser trocados. No Acre foram 11 urnas, no Amapá 7 urnas trocadas, no Amazonas o número foi de 22 urnas, no Pará esse valor chegou a 54 urnas, em Rondônia 26 trocas, em Roraima 24 urnas precisaram ser substituídas e em Tocantins esse número foi de 17.

ELEIÇÕES 2020: Pelo menos 113 municípios terão um só candidato a prefeito

Força Federal irá reforçar segurança em 11 estados durante as eleições

O TSE divulgou um relatório com ocorrências envolvendo candidatos e eleitores que, por algum motivo durante a votação, foram detidos ou presos. Sobre esses dados, Rondônia teve uma pessoa presa pelo crime de boca de urna. O Pará foi o estado da região que mais apresentou ocorrências, com um candidato envolvido em de boca de urna, mas que não chegou a ser preso, enquanto dois eleitores foram presos por esse tipo de crime. Além disso, dez pessoas foram detidas pela polícia, mas sem especificação do crime até o momento. Nos demais estados ainda não há ocorrências.

Em número gerais, a região Norte possui 53.736 candidatos concorrendo a um dos cargos em disputa, com 1.842 para prefeito, 1.900 como vice-prefeito e 52.358 em busca de uma vaga como vereador. Deste total, 2.218 tentam a reeleição em um dos cargos. Com um olhar mais apurado, podemos destacar que a maior parte destes candidatos são homens, declarados de cor parda, com o ensino médio completo e trabalhadores da agricultura.

Copiar o texto
31/10/2020 00:00h

Governo do estado anunciou datas para o começo do processo sem realizar consultas prévias aos indígenas, PRDC pede abertura de inquérito civil

Baixar áudio

A Procuradoria Regional dos Direitos do Cidadão do Acre encaminhou ao Ministério Público Federal uma representação para acompanhar irregularidades cometidas na construção de uma rodovia ligando o Brasil ao Peru. O pedido é de abertura de um inquérito civil que avalie as irregularidades da estrada que cortará terras indígenas e o Parque Nacional da Serra do Divisor, na região do Vale do Juruá (AC). 

De acordo com informações do governo estadual, a rodovia que ligará os municípios de Cruzeiro do Sul, no Acre, e Pucallpa, no Peru, já teve os estudos preliminares realizados pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Segundo o governo, o projeto fechado da estrada deve ser apresentado no final deste ano. O governo federal disponibilizou R$ 45 milhões para as rodovias estaduais e a estrada para Pucallpa, que tem previsão de início das obras para meados de dezembro. 

Mas de acordo com a Procuradoria Regional, não houve consulta prévia em relação ao assunto com povos indígenas e comunidades tradicionais interessadas, conforme determina uma convenção da Organização Internacional do Trabalho (OIT). 

TCU determina que ANTT cobre atrasos em obras de concessões rodoviárias no país

O que foi divulgado até o momento é que a estrada em questão terá seu traçado por dentro do Parque Nacional da Serra do Divisor, unidade de conservação de proteção integral, considerado um dos locais de maior biodiversidade do planeta, onde estão localizadas duas terras indígenas (Nukini e Nawa). Há indícios, ainda, da existência de grupos indígenas isolados, que circulam entre o Brasil e o Peru.

O procurador regional Lucas Dias reforça a obrigatoriedade da consulta aos povos indígenas e comunidades tradicionais interessadas antes de iniciar o processo decisório. Segundo ele, com a consulta, existe a possibilidade de revisão do projeto inicial ou sua não realização, por afetar diretamente os povos indígenas e tradicionais.

A Procuradoria afirma que a construção desta rodovia pode ser o maior impacto ambiental que o Acre já sofreu nas últimas décadas. O asfaltamento poderá causar diversos impactos sociais às comunidades tradicionais que vivem na região, como violência, prostituição, alcoolismo, surgimento de novas endemias, entre outros, o que poderá levar à desestruturação de sua organização social, econômica, cultural e política.

Copiar o texto
20/10/2020 14:00h

Ao todo serão liberados R$ 2,7 milhões para os dois estados, com o objetivo de promover o acesso à alimentação e incentivar a produção dos pequenos agricultores rurais

Baixar áudio

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, esteve em Rondônia e no Acre para mais duas escalas para a assinatura do Termo de Adesão ao repasse de recursos federais para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Ao todo serão liberados R$ 2,7 milhões para os dois estados, com o objetivo de promover o acesso à alimentação e incentivar a produção dos pequenos agricultores rurais. 

Com a ação, mais de 1,3 mil agricultores familiares locais serão beneficiados, e mais de 145 mil pessoas em situação de vulnerabilidade social devem ser atendidas com as doações de 2,1 mil toneladas de alimentos. Dos 52 municípios do estado de Rondônia, 25 o PAA e dos 22 municípios do estado do Acre, 11 executam. 

Rio Grande do Norte e Ceará receberam mais de mais de R$ 6,5 milhões para execução do Programa de Aquisição de Alimentos

AM: Programa de Aquisição de Alimentos investirá R$ 45 milhões no estado

Nos últimos dias, o ministro passou por diversos estados para assinar a destinação dos recursos: Rio Grande do Norte, Ceará, Paraná, Santa Catarina, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Sul, Tocantins, Goiás, Pará, Amazonas, Mato Grosso e Minas Gerais. Já foram destinados  R$ 72,9 milhões para a execução do programa nos 26 estados e no Distrito Federal, auxiliando pequenos agricultores no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

O ministro definiu o programa como  ponte do bem, da solidariedade entre aquele que produz e aquele que precisa do alimento. 


O PAA é uma das ações federais para a Inclusão Produtiva Rural das famílias mais pobres, e tem como finalidades a promoção do acesso à alimentação e o incentivo à agricultura familiar. Para o alcance dessas metas, o programa compra alimentos produzidos pela agricultura familiar, com dispensa de licitação, e os destina às pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional.

Copiar o texto
29/09/2020 15:00h

Segundo o governo federal, aporte visa estimular desenvolvimento no Acre

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) vai investir R$ 45 milhões para estimular o desenvolvimento regional no Acre. O anúncio foi feito pelo ministro Rogério Marinho durante visita à capital do estado (Rio Branco) na última sexta-feira (25). 

Segundo o ministro, as obras vão trazer também mais segurança para quem trafega pelas rodovias. O montante será destinado a intervenções em duas rodovias acreanas. Cerca de R$ 30 milhões serão voltados para a recuperação de um trecho de 30 quilômetros da estrada que liga Rio Branco a Porto Acre (AC). O restante será destinado à duplicação de cerca de 15 quilômetros da AC-405, na cidade de Cruzeiro do Sul.

Ministério da Infraestrutura inicia estudo para concessão de 5 mil km de rodovias federais

Durante a visita, Rogério Marinho anunciou também um convênio de R$ 3 milhões com o governo do Acre para a elaboração de estudos com foco no desenvolvimento do estado. 

Entre as ações previstas, estão um mapeamento de potencialidades para financiamentos e uma seleção de propostas estratégicas, em especial para os setores de infraestrutura logística, energia, assistência técnica à produção e criação de alternativas produtivas em terras indígenas e reservas extrativistas. 

Copiar o texto