Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Banco do Brasil

25/08/2021 11:00h

São Paulo, Minas Gerais e Paraná tiveram, no mês de julho, a pior geada em 19 anos

Baixar áudio

O Banco do Brasil (BB) vai financiar os agricultores afetados pelas fortes geadas ocorridas no mês de julho em regiões produtoras de café e cana-de-açúcar. No total, pouco mais de R$ 2 bilhões foram reservados para essa ação. O anúncio foi feito durante cerimônia no Palácio do Planalto, com a participação do presidente Jair Bolsonaro, ministros e autoridades nesta terça (24).

Um levantamento preliminar do governo federal indica que mais de 200 mil hectares de cafezais foram atingidos em Minas Gerais, São Paulo e Paraná, na pior geada em 19 anos.

INDICADORES: Preços do café e açúcar em alta. Milho em queda, nesta terça-feira (24)

Agronegócio fatura U$ 11 bi no exterior e registra recorde nas exportações, em julho

Parte do recurso para a recuperação dessas lavouras, cerca de R$1,3 bilhão, foi remanejado pelo Fundo de Defesa da Economia Cafeeira (Funcafé), em decisão tomada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) na semana passada. A outra parte de R$ 1 bilhão será um aporte da carteira de crédito rural do próprio Banco do Brasil, e será viabilizada para a recuperação de lavouras de cana-de-açúcar, que também tiveram áreas atingidas pela geada em São Paulo e no Mato Grosso do Sul. 

Copiar o texto
23/08/2021 10:25h

Ferramenta vai beneficiar a todos os clientes do banco, principalmente os pequenos empreendedores

Baixar áudio

Os clientes do Banco do Brasil já podem emitir, consultar e alterar boletos bancários pelo aplicativo WhatsApp. O sistema de cobrança bancária por chat vai beneficiar, sobretudo, a vida dos pequenos empreendedores, de acordo com a instituição financeira. 

O cliente que deseja usar a ferramenta deve acessar o WhatsApp do BB e começar uma conversa com o especialista PJ, o assistente virtual do banco no aplicativo, digitando a expressão ‘#PJ’. Depois, deve escrever “Preciso registrar um boleto”. A ferramenta, então, vai mostrar algumas instruções na tela de conversas. 

Ministério da Justiça lança campanha de proteção de dados na internet

Órgãos da administração pública também precisam se preocupar com a LGPD, diz especialista

Leilão do 5G deve acontecer até a primeira quinzena de outubro

O recurso vai pedir informações do usuário, como CPF, nome, endereço e sobre o pagamento, como valor e data de vencimento. Após digitá-las, a ferramenta gera um boleto com as informações que o cliente forneceu. A pessoa pode encaminhar o boleto a um destinatário. 

Segundo o Banco do Brasil, a ferramenta permite consultas ou alterações aos documentos a partir do comando “Preciso consultar um boleto” ou “Preciso alterar um boleto”. Em ambas as opções é possível gerar e compartilhar um PDF.
 

Copiar o texto
Brasil
21/07/2021 11:00h

O valor da taxa de serviço deve ser quitado até 17 de agosto, sem cobrança de juros e correção, exclusivamente na rede de atendimento do Banco do Brasil

Baixar áudio

A consulta e a emissão do Certificado de Cadastro de Imóvel Rural (CCIR) referente a 2021 já pode ser feita pelos proprietários de imóveis rurais. O documento pode ser acessado no site do Incra ou diretamente no Sistema Nacional de Cadastro Rural (SNCR).

A consulta também pode ser feita pelo aplicativo “SNCR Mobile”, disponibilizado no Google Play e na App Store.  

Programa de Estímulo ao Crédito contribui para retomada econômica de MPE’s e produtores rurais

MDR autoriza retomada de obras de 127 habitações em áreas rurais de municípios de SC e MA

A validade do CCIR 2021 está condicionada ao pagamento da taxa de serviço cadastral a ser impressa juntamente com o certificado. O valor depende do tamanho da área e deve ser quitado até 17 de agosto, sem cobrança de juros e correção, exclusivamente na rede de atendimento do Banco do Brasil. 

No total, 6.799.659 imóveis rurais devem emitir o CCIR e pagar a taxa de serviço, cujo valor mínimo é de R$ 4,40 (para áreas com até 25 hectares). Débitos da taxa de anos anteriores serão cobrados no atual certificado. 

Copiar o texto
14/07/2021 19:25h

Apesar da determinação do Ministério da Saúde, somente algumas cidades e municípios já se adequaram para vacinar os novos grupos prioritários no calendário de vacinação

Baixar áudio

Trabalhadores dos Correios e bancários foram incluídos nos grupos prioritários da vacinação contra a Covid-19. A notícia foi anunciada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, no dia 6 de julho. Cerca de 600 mil profissionais das duas categorias poderão ser imunizados.

Para que as doses possam ser enviadas aos estados, municípios e Distrito Federal, o Ministério da Saúde precisa divulgar nota técnica com as instruções. Segundo informou a pasta à reportagem, a nota ainda está sendo elaborada. 

De acordo com o presidente dos Correios, Floriano Peixoto, a vacinação para os funcionários da instituição é de grande valia. “Em nenhum momento as nossas agências ficaram bloqueadas, deixando de atender a comunidade, a sociedade e isso manifesta, portanto, um grande comprometimento também com aquilo que ela representa para a sociedade.”

Covid-19: nove vacinas estão em fase de testes no Brasil

Covid-19: mais municípios adotam política do “fim de fila” para pessoas que querem escolher vacina

Covid-19: Novo teste criado pela Fiocruz pode apresentar resultado em até 45 minutos

Apesar da categoria bancária ter sido incluída como prioritária, nem todas as cidades do país aderiram à regra. No Distrito Federal a vacinação foi suspensa e segue o cronograma de imunização apenas por idade. 

Em reunião extraordinária convocada pelo Sindicato dos Bancários de Brasília na semana passada, a categoria autorizou paralisações setoriais na capital federal. Durante a reunião, os trabalhadores votaram em duas propostas: paralisação setorial e greve geral. No total, 41% dos bancários votaram pelas paralisações setoriais e 32% pela greve geral, enquanto o restante se absteve.

Funcionário do Banco do Brasil, em Brasília, Arthur Antonoff dos Santos disse que ficou animado ao saber que poderia ser vacinado, mas que a não inclusão da categoria pelo governo do Distrito Federal é lamentável. “Foi um banho de água fria para falar a verdade. A sensação é que a capital do Brasil está sempre dando um passo para trás ao invés de dar para frente. A gente vê outros estados que estão muito mais à frente que Brasília.”

Atualmente, o Plano Nacional de Operacionalização (PNO) possui 29 grupos na fila de prioridade da vacinação contra a Covid-19. 

Apesar da determinação do Ministério da Saúde, somente algumas cidades e estados brasileiros já se adequaram para incluir os carteiros no calendário de vacinação contra a Covid-19. Belém do Pará e Teresina (PI) já começaram a imunizar a categoria.

Campos dos Goytacazes (RJ), Macapá (AP), Uberaba (MG), Teresina (PI), Barueri (SP), Embu Guaçu (SP), Cotia (SP), Itapevi (SP), Taboão da Serra (SP) e Juquitiba (SP) são algumas das cidades que iniciaram a vacinação em bancários. Os prefeitos dos municípios de Osasco e Embu das Artes, em São Paulo, participaram de reuniões para garantir a imunização contra o coronavírus aos trabalhadores da categoria, mas ainda não anunciaram o início da vacinação.

A secretária geral do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e região, Neiva Ribeiro, destacou que muitos bancários foram a óbito por decorrência da Covid-19. “No primeiro trimestre do ano passado [2020] para o primeiro trimestre deste ano, foram 177% a mais de óbitos dos bancários que estavam na linha de frente nas agências, porque estavam mais expostos ao vírus. E quando o bancário está exposto ao vírus, ele vai proliferar isso na agência, no atendimento aos clientes, e vai levar para a casa dele.”

Neiva Ribeiro pontuou ainda que a inclusão dos trabalhadores bancários no PNO é uma conquista não apenas da categoria. “Aqui em São Paulo nós temos procurado todas as prefeituras que estão na nossa base de representação e estamos em conversa com vários municípios porque tem uma divergência entre a orientação do governo federal e a orientação do governo estadual. Mas o sindicato tem dialogado com essas prefeituras, têm se colocado à disposição para intermediar as questões, porque nossa prioridade é que os bancários sejam vacinados para que eles possam estar protegidos para atender bem a população que precisa”, conclui.

O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) informou à reportagem que não está falando sobre a vacinação de bancários e funcionários dos Correios com a imprensa. 
 

Copiar o texto
26/06/2021 04:00h

A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais

Baixar áudio

Os brasileiros de todo o país interessados têm mais uma chance de conseguir estabilidade no emprego. Isso porque o Banco do Brasil e a Fundação Cesgranrio divulgaram nesta quinta-feira (24) o Edital de Abertura da Seleção Externa 2021/001. O ato consta no Diário Oficial da União. Serão ofertadas vagas em dependências situadas em todos os estados e no Distrito Federal.

Ao todo, serão duas mil vagas para Escriturário – Agente Comercial, e mais duas mil de cadastro reserva, para atuação nas unidades de negócios. Além disso, foram disponibilizadas outras 240 vagas de Escriturário - Agente de Tecnologia, e outras 240 de cadastro de reserva, com foco em Conhecimentos de TI.

As inscrições podem ser feitas no período entre 24 de junho e 28 de julho de 2021. O valor é R$ 38,00. Inicialmente, as provas devem ser aplicadas no dia 26 de setembro deste ano.

Câmara aprova admissibilidade de candidatura de gestor com contas rejeitadas, punido apenas com multa

Guedes entrega a Lira proposta de redução do Imposto de Renda

A remuneração inicial é de R$ 3.022,37, para jornada de 30 horas semanais, ajuda alimentação/refeição de R$ 831,16 por mês, além da concessão de cesta alimentação, no valor mensal de R$ 654,87, na forma do Acordo Coletivo de Trabalho - ACT.

Para participar da seleção, é preciso ter certificado de conclusão ou diploma de curso de nível médio, expedido por instituição de ensino reconhecida pelo Ministério da Educação, Secretarias ou Conselhos Estaduais de Educação e idade mínima de 18 anos completos, até a data da contratação.

 

Copiar o texto
02/06/2021 18:30h

Medida vale mesmo nas cidades que anteciparam o feriado

Baixar áudio

Bancos não abrirão nesta quinta-feira (3), feriado de Corpus Christi. Segundo a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), por se tratar de um feriado nacional, não haverá expediente nas agências mesmo nas localidades em que o dia da celebração foi antecipado para outra data.

Projeto de educação financeira do Banco Central é expandido para escolas públicas de todo o País

Benefício Emergencial (BEm) começa a ser pago aos trabalhadores hoje (28)

Nos dias em que não houver expediente nas agências, as áreas de autoatendimento ficarão disponíveis para os clientes, bem como os canais digitais e remotos de atendimento, como internet e mobile banking. A federação explicou que o atendimento pelo celular, pelo computador e telefônico oferecem praticamente todas as transações financeiras do sistema bancário, além de serem mais cômodas e convenientes aos seus clientes.

As contas de consumo, como água, energia, telefone, e carnês com vencimento em 3 de junho poderão ser pagas, sem acréscimo, na sexta-feira (4), quando o expediente volta ao normal.

Copiar o texto
28/05/2021 12:20h

Programa oferece uma parcela do seguro-desemprego em troca da redução ou da suspensão do salário

Baixar áudio

O Benefício Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda (BEm), começa a pagar, nesta sexta-feira (28), os trabalhadores que tiveram contrato suspenso ou jornada reduzida por causa da nova onda da pandemia de Covid-19.

O programa oferece uma parcela do seguro-desemprego em troca da redução ou da suspensão do salário, e equivale a 25%, 50% ou 70% do seguro-desemprego a que o empregado teria direito se fosse demitido, nos casos de redução do salário. No caso de suspensão de contrato, o benefício corresponde a 100%.

Saiba quais são as condições e como fazer a inscrição no INSS

Carteira de Trabalho Digital ultrapassa 344 milhões de acessos

O acordo pode ser feito de forma individual ou coletiva, dependendo da remuneração do profissional, e pode ter até quatro meses de duração, dentro da data de vigência do programa de 120 dias.

Pagamentos

A Caixa Econômica Federal pagará o BEm aos trabalhadores com conta no banco e a quem não indicar conta bancária para receber o benefício. Nesse último caso, serão abertas contas poupança sociais digitais, semelhantes às usadas para pagar o auxílio emergencial, de forma automática e gratuita.

Já o Banco do Brasil se encarregará do pagamento aos trabalhadores que indicarem conta corrente ou poupança, tanto do banco quanto de qualquer outra instituição financeira. O crédito será feito sem o abatimento de dívidas ou cobrança de tarifas.

Informações

No Portal de Serviços do Governo Federal, no aplicativo Carteira de Trabalho Digital e na página do Ministério da Economia dedicada ao programa, além da Central Telefônica 158, patrões e empregados podem encontrar orientações sobre os acordos trabalhistas, o preenchimento de formulário e consultar a situação do pedido de benefício.

A Caixa oferece dois canais para informações sobre os pagamentos: no site do banco e no telefone 0800-726-0207. No Banco do Brasil, as dúvidas podem ser tiradas nos telefones 4003-5285 (capitais) e 0800-729-5285 (demais localidades) e pelo Whatsapp, no contato (61) 4004-0001.

Copiar o texto
06/05/2021 04:45h

Programa pretende atender, principalmente, a região Norte do país

Baixar áudio

No Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (5), o Banco do Brasil, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Ministério das Comunicações assinaram um protocolo de intenções para levar internet móvel para mil cidades que ainda não possuem infraestrutura adequada de sinal.

A iniciativa, chamada de Wi-Fi Brasil, é coordenada pelo Ministério das Comunicações em conjunto com a Telebras e pretende atender, principalmente, a região Norte do país. Inicialmente, mil cidades receberão cerca de 14 mil novos pontos de conexão sem fio, de acordo com o ministério.
Segundo o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, o programa é um “verdadeiro trabalho de cidadania” que pretende levar acesso adequado à internet para todos os brasileiros.

Digital Day

O evento aconteceu hoje no Palácio do Planalto, no mesmo dia em que o Ministério das Comunicações abriu a exposição Digital Day. A data foi criada para mostrar as aplicações do 5G, como na telemedicina, na realidade virtual, na automação mecânica e na inteligência artificial.

A exposição do Digital Day é aberta ao público e vai de hoje (5) até sexta-feira (7), no Congresso Nacional.

Copiar o texto
26/04/2021 14:30h

Parceria entre Ministério das Comunicações e Banco do Brasil irá atender cidades com pouca ou nenhuma conexão de internet

Baixar áudio

Em janeiro deste ano o Ministério das Comunicações fechou uma parceria com o Banco do Brasil para expandir o Programa Wi-Fi Brasil. Neste domingo (25), a instituição financeira anunciou que até 500 municípios do interior do Brasil serão beneficiados com a expansão.

O objetivo é instalar pontos de internet em locais sem acesso a fibra ótica para que mais brasileiros tenham acesso à internet. Além disso, a parceria prevê a capacitação de clientes para o mundo digital, consultoria em educação financeira e uso dos serviços bancários por produtores rurais. A rede também será usada para promover cursos voltados ao empreendedorismo promovidos pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

De acordo com o Banco do Brasil, serão atendidas cidades com pouca ou nenhuma conexão de internet, e o programa deverá atender escolas, postos de saúde, unidades de segurança pública, aldeias indígenas, quilombos e assentamentos rurais.

Programa Wi-Fi Brasil

O Wi-Fi Brasil leva internet de alta velocidade ilimitada a locais remotos aonde esse recurso não chega por fibra óptica, nem por sinal de rede móvel de dados. 

Ao longo de 2020, foram instalados 12.715 pontos de internet ilimitada. Mais de 80% deles atenderam às regiões Norte e Nordeste. Chegou a mais de 9,5 mil escolas, alcançando 2,6 milhões de estudantes.

Até meados de março deste ano, 13.213 pontos de internet haviam sido instalados, beneficiando cerca de 8,5 milhões de habitantes. O programa está presente em quase 3 mil municípios, a maioria ainda nas regiões Norte e Nordeste.

Copiar o texto
Economia
23/04/2021 18:30h

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), que esteve no encontro, afirmou que vai formalizar documento da bancada acolhendo as reivindicações da Associação Mineira de Municípios

Baixar áudioBaixar áudio

Com o objetivo de reforçar as demandas relacionadas ao combate à pandemia da Covid-19, assim como tratar de assuntos que auxiliam os municípios no contexto da atual crise, cerca de 300 prefeitos de todas as regiões de Minas Gerais participaram de reunião online promovida pela Associação Mineira de Municípios (AMM).

Das principais reivindicações discutidas na ocasião, um dos destaques foi a aprovação de 1% do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), em setembro, para auxiliar os entes no período de pouca arrecadação. O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM), que participou do encontro, afirmou que vai formalizar o documento da bancada acolhendo as reivindicações da AMM.

O parlamentar também se comprometeu a convidar para uma reunião o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga com o presidente da Associação. “Todas essas questões trazidas são problemas do municipalismo brasileiro”, disse.

“Gostaria de sugerir o aprofundamento desses pontos ao longo da próxima semana, para formalizarmos todos esses ofícios e convidarmos essas autoridades à residência oficial do Senador, para podermos entregar formalmente essa reivindicação e vermos se tem um desdobramento com a solução de cada um desses problemas”, completou o parlamentar.

Fechamento das agências do Banco do Brasil

A reunião contou, ainda, com a participação dos senadores mineiros Carlos Viana (PDS) e Antonio Anastasia (PDS). O encontro foi comandado pelo presidente da Associação Mineira de Municípios, Julvan Lacerda. Na ocasião, ele apontou outra questão que preocupa a entidade: os fechamentos de agências do Banco do Brasil nos municípios brasileiros.

“Nós, que vivemos no interior, sabemos da importância das agências do Banco do Brasil. Porque a vinculação dessa agência abre muitas possibilidades e ela tem uma função social. Não se trata de um banco privado que pode se ater exclusivamente ao lucro. E, o Banco do Brasil resolveu fechar um monte de agências Brasil afora”, disse.

Rede Monitoramento Covid Esgotos: seis capitais passam a ser fiscalizadas

Auxílio emergencial é pago a beneficiários do Bolsa Família com NIS final 5

Comissão da Covid-19 no Senado vai debater impactos da pandemia na educação

Lacerda também destacou a relevância da luta municipalista em prol de todos, com o intuito de resolver problemas comuns dos municípios de Minas Gerais.  “Não se envolver nas bandeiras político partidárias: é assim que deve ser a nossa pauta municipalista. Nos unirmos em busca de um propósito só, e a AMM tem que ser isso: todos com a sua visão, mas com um objetivo único”, pontuou.

Outras demandas

Além dos pontos mencionados, também foram questionados pelos prefeitos as medidas de combate à Covid-19, o uso dos recursos do Fundeb, a aplicação dos recursos na Educação e indagações sobre a nova lei de licitações, entre outros. Os participantes também solicitaram um novo auxílio emergencial.

Na próxima terça-feira (27), os prefeitos dos municípios de Minas Gerais terão a oportunidade de apresentar suas demandas à bancada mineira de deputados federais. Os gestores também vão poder tratar dos assuntos estaduais, na quinta-feira (29), com o governador Romeu Zema e o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), Agostinho Patrus.
 

Copiar o texto
Brasil 61