;

Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Sebrae

06/05/2021 04:45h

Programa pretende atender, principalmente, a região Norte do país

Baixar áudio

No Palácio do Planalto, nesta quarta-feira (5), o Banco do Brasil, o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e o Ministério das Comunicações assinaram um protocolo de intenções para levar internet móvel para mil cidades que ainda não possuem infraestrutura adequada de sinal.

A iniciativa, chamada de Wi-Fi Brasil, é coordenada pelo Ministério das Comunicações em conjunto com a Telebras e pretende atender, principalmente, a região Norte do país. Inicialmente, mil cidades receberão cerca de 14 mil novos pontos de conexão sem fio, de acordo com o ministério.
Segundo o presidente do Banco do Brasil, Fausto Ribeiro, o programa é um “verdadeiro trabalho de cidadania” que pretende levar acesso adequado à internet para todos os brasileiros.

Digital Day

O evento aconteceu hoje no Palácio do Planalto, no mesmo dia em que o Ministério das Comunicações abriu a exposição Digital Day. A data foi criada para mostrar as aplicações do 5G, como na telemedicina, na realidade virtual, na automação mecânica e na inteligência artificial.

A exposição do Digital Day é aberta ao público e vai de hoje (5) até sexta-feira (7), no Congresso Nacional.

Copiar o texto
24/04/2021 09:00h

Empresa selecionada terá que desenvolver serviço digital de interpretação e resposta. Inscrições vão de 28 de abril a 28 de maio

Baixar áudio

O Sebrae lançará na próxima semana a Chamada Pública de Subvenção Econômica para selecionar uma empresa inovadora que possa desenvolver um serviço digital de automatização do processo de interpretação e resposta a dúvidas técnicas ou empresariais dos pequenos negócios.

O desafio é interpretar as perguntas por meio de uma solução inovadora e responder aos questionamentos de forma natural, assertiva e integrada, com base nas informações contidas em um banco de dados. Para participar do edital, a microempresa ou empresa de pequeno porte deve ter receita bruta anual igual ou inferior a R$ 4,8 milhões.

Toda a seleção ocorrerá de forma online. Serão pré-selecionados cinco finalistas que receberão uma parcela de recursos não-reembolsáveis para o desenvolvimento de um Mínimo Produto Viável (MVP), que será objeto de avaliação para a escolha da finalista.

As inscrições começam no dia 28 de abril e vão até 28 de maio, através do site do Sebrae.

Copiar o texto
02/04/2021 00:00h

Para que o setor tenha uma retomada mais rápida das atividades o Sebrae elaborou um conjunto de dicas para empresários do segmento

Baixar áudio

O número de pessoas contaminadas pela Covid-19 aumentou por todo o Brasil e muitas cidades e estados estão voltando a adotar medidas restritivas de circulação, principalmente, no comércio local. Com diversos setores da economia brasileira fechados ou com restrições para funcionamento, os impactos negativos são grandes, como as quedas no faturamento e demissões de funcionários.
 
De acordo com um estudo do Sebrae, divulgado em novembro de 2020, o setor de moda foi um dos mais afetados e, pelo menos, 70% das empresas tiveram de se readequar às normas de funcionamento. É o caso da loja de roupas da Maria Rejane Soares, em Independência, interior do Ceará.

“Nós disponibilizamos álcool em gel 70% e o álcool líquido 70% em diversos locais do ambiente. O uso de máscara é obrigatório, o distanciamento social também. Além disso, oferecemos água e sabão para que os nossos clientes higienizem as mãos, caso não se sintam seguros apenas com o álcool”, afirmou a empresária. 

Vacinas contra o coronavírus poderão ser produzidas por laboratórios veterinários

Punir ou conscientizar? O que a sociedade deve obedecer durante o isolamento

Apesar de seguir todos os cuidados sanitários para segurança dos clientes e funcionários, existem outras formas. É isso que revela o Sebrae, que elaborou uma cartilha de cuidados para que os empresários possam retomar as atividades de forma mais segura e rápida, além de ajudar a combater o vírus da Covid-19.

De acordo com a Anny Santos, que é coordenadora Nacional de Negócio da Moda do Sebrae, ainda não existem protocolos oficiais no Brasil a respeito de regulamentações para o uso ou interdição dos provadores de roupas. Por isso, ela dá uma dica que pode ajudar nesse assunto.  

“É consenso geral de que os provadores devem ser evitados, devem ser interditados e não utilizados nesse primeiro momento de retomada das atividades. Orienta-se que você possa dar, em contrapartida ao seu cliente, período de trocas estendidas, a possibilidade de provar com tranquilidade em casa e retornar até a loja para trocar a peça. E caso não seja viável deixar todos os trocadores fechados, também é possível que você opte pelo uso de uma única cabine e ela deve ser limpa e desinfetada após o uso daquele cliente”, explicou a coordenadora de Moda.   

Outras informações importantes para quem trabalha no setor de moda, é solicitar aos clientes que não manuseiem as roupas em exposição, mas que se tiver necessidade, essa peça deve ser retirada do mostruário e higienizada com borrifador de álcool ou vaporizador. Desta forma, assim que a roupa estiver seca, ela pode ser reposta na vitrine ou manequim. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse www.sebrae.com.br/cuidados.

#ContinueCuidando

Copiar o texto
30/03/2021 00:00h

Entidade preparou orientações para este segmento, com objetivo de ajudar os empresários do setor Automotivo em uma retomada mais rápida das atividades

Baixar áudio

Desde que a pandemia causada pela Covid-19 chegou ao país, todos os setores da economia brasileira foram impactados negativamente com o fechamento do comércio e quedas no faturamento mensal. No setor de oficinas e peças de automóveis, a situação não foi diferente.

De acordo com pesquisa do Sebrae, divulgada no final do ano passado, 71% das empresas desse segmento tiveram queda na fatura do mês, enquanto pelo menos 63% dos estabelecimentos desse tipo precisaram se adequar às normas de segurança sanitária. É o que revela o empresário Alex Vicente Nalin, proprietário de uma loja de acessórios automotivos.

“O movimento da loja diminuiu bastante porque a maioria das pessoas está ficando em casa. A situação está ficando cada vez mais difícil. Apesar disso, estamos tomando todos os cuidados com as normas de segurança, de distanciamento social, álcool em gel, faixa de um metro por pessoa e o uso obrigatório de máscaras", afirmou. 

Sebrae promove orientações para reabertura segura das academias

Brasil apresenta baixa testagem de Covid-19, desde o início da pandemia

Como o setor automotivo é considerado um dos serviços essenciais para a mínima organização social no Brasil, é preciso que todas as lojas e empresas do setor se adequem às normas de segurança para evitar à Covid-19 e ajudar na reabertura mais rápida do comércio. Por isso, o Sebrae preparou orientações para este segmento, com objetivo de ajudar os empresários do setor Automotivo em uma retomada mais rápida das atividades do negócio onde estiverem fechados e a manutenção segura onde há possibilidades de funcionamento.  
 
O coordenador Nacional do Segmento Automotivo do Sebrae, João Augusto Pérsico, destaca que além das medidas de segurança como uso de máscara, limpeza constante e a disponibilização de álcool em gel, é preciso que os empresários procurem atrair os clientes por meio das redes sociais.

“Outro ponto é que o empresário não pode ficar aguardando o cliente, é necessário utilizar as redes sociais e outros mecanismos para buscar e ampliar o faturamento. E o Sebrae pode ajudar nisso e em muito mais”, destacou.   

Desta forma, é possível mostrar seu trabalho para mais pessoas mesmo sem o contato físico. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

#ContinueCuidando

Copiar o texto
29/03/2021 00:10h

O analista de Competitividade do Sebrae, Victor Ferreira, explica que a intenção é beneficiar companhias de serviços de delivery e de transporte por aplicativo, por exemplo. Entre as recomendações estão uso correto da máscara de proteção

Baixar áudio

Com o intuito de despertar o alerta de empreendedores e clientes sobre a importância de manter os cuidados com segurança e higiene para prevenção contra a Covid-19, o Sebrae lançou a campanha #ContinueCuidando. A iniciativa, que dá dicas e orientações para manter as atividades em funcionamento, também atende empresas do setor de transporte de forma direcionada.

O analista de Competitividade do Sebrae, Victor Ferreira, explica que a intenção é beneficiar companhias de serviços de delivery e de transporte por aplicativo, escolar, de cargas fracionadas e rodoviárias. Entre as recomendações apontadas por ele estão uso correto da máscara de proteção, distanciamento adequado para evitar aglomerações, além do uso de álcool em gel, por exemplo.

“Segmentos da área de logística e transporte perderam seu faturamento, como o transporte escolar, por exemplo. Porém, existem outros segmentos, como entrega de mercadorias fracionadas e delivery que aumentaram muito e trouxeram um pouco de oportunidade para os trabalhadores que fazem essas entregas”, destaca.

Sebrae elabora orientações para retomada rápida e segura das atividades de pequenos negócios

Sebrae lança nova campanha para incentivar retomada segura da economia

Micro e pequenas empresas geraram 7,2 mil postos de trabalho no Rio de Janeiro em dezembro, diz Sebrae-RJ

Kely Bonvenuto mora na cidade paulista de Mogi das Cruzes e é proprietária de uma empresa especializada em entregas por motoboy. Ela conta que o empreendimento sofreu com os impactos da atual crise, mas manteve as atividades observando os cuidados necessários para evitar a doença causada pelo novo coronavírus.  

“Para os nossos colaboradores, fizemos reuniões para mostrar os perigos da pandemia e como se proteger. Fizemos um trabalho de conscientização nas nossas redes sociais. A empresa também disponibilizou máscaras para os funcionários e todos carregam álcool em gel”, afirma.

As dicas e orientações apresentadas pelo Sebrae são disponibilizadas por meio de e-books, vídeos, infográficos, placas de sinalização, sempre com o suporte de especialistas. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

Copiar o texto
26/03/2021 00:00h

Entre as orientações estão o distanciamento social, uso de máscaras, higienização constante e observância quanto ao decreto vigente em cada região a respeito dos regulamentos e o funcionamento do comércio

Baixar áudio

Pesquisa realizada pelo Sebrae aponta que 68% dos empresários do setor de comércio varejista precisaram adaptar o funcionamento do estabelecimento para continuar funcionando durante a pandemia causada pela Covid-19. Além disso, cerca de 10% precisaram encerrar as atividades por não ter como se adequar a essas necessidades. E com o crescente número de pessoas doentes por todo o País, o comércio passa por uma nova onda de restrições, como explica Flávio Petry, especialista de Varejo do Sebrae Nacional.   

“Houve uma queda de 33% no faturamento do comércio varejista como um todo, quando a gente compara o faturamento desse segmento em relação ao faturamento pré-pandemia. Cabe uma ressalva aqui, essa pesquisa foi feita em novembro e com o aumento constante nos números de casos têm feito com que diversos municípios e estados passassem a decretar novas medidas restritivas. Isso certamente deverá impactar na operação dos negócios”, argumentou o especialista. 

Sebrae lança nova campanha para incentivar retomada segura da economia

Sebrae orienta academias e clínicas de saúde na retomada das atividades durante a pandemia

Sebrae elabora dicas para ajudar gestores municipais na reabertura segura do comércio

Neste momento em que a crise afeta a economia dos donos de pequenos negócios, é preciso seguir diversas normas de segurança sanitária para que o comércio varejista possa permanecer aberto. Por isso o Sebrae elaborou diversos materiais com dicas e orientações para ajudar os empresários a manter o comércio aberto ou reabrir de forma mais rápida e segura nesse momento de pandemia. Algumas recomendações são simples e fáceis de seguir, como está fazendo o empresário e lojista, Luis Fernando Pontes.

“Nós adotamos os protocolos de praxe, os protocolos sanitários, que são o uso de máscaras pelos clientes e pelos funcionários, espalhamos álcool em gel pela loja, reforçamos a questão da higienização da loja no que diz respeito à limpeza, das peças que vendemos, e de uma em uma hora nós passamos álcool nos vidros da loja e nas peças”, detalhou o empresário.   

Outras medidas presentes no documento elaborado pelo Sebrae são a instalação de cartazes sinalizadores em locais relevantes de maior fluxo de pessoas, o distanciamento social, e manter o estabelecimento adequado às medidas do poder público e o decreto vigente em cada região a respeito dos regulamentos e o funcionamento do comércio. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

#ContinueCuidando

Copiar o texto
25/03/2021 00:00h

Cuidados em relação à higiene e à segurança sanitária precisam continuar em todos os espaços, especialmente em banheiros e vestiários

Baixar áudio

A vacinação contra a Covid-19 está sendo realizada por todo o País, mas os cuidados em relação à higiene e à segurança sanitária precisam continuar em todos os espaços, especialmente em banheiros e vestiários. Essa medida deve ser realizada principalmente no segmento das academias, que são um dos setores que mais sofrem os impactos da crise econômica causada pela pandemia. É isso o que afirma Renata Blattner, responsável técnica de academia de natação.  

"Academia é lugar de saúde e nós fazemos parte da solução, e não do problema. Infelizmente, com o aumento dos casos da doença nós vamos precisar fechar de novo. E nós já estamos sentindo o impacto, porque aqueles que iriam pagar a mensalidade ou renovar o plano, já não estão fazendo isso”, explicou Blattner. 

Imunização lenta leva mais de 2.400 cidades à busca por vacina

Sebrae destaca cuidados que podem ajudar na retomada das atividades do turismo

E para colaborar com os micro e pequenos empresários, o Sebrae preparou um conjunto de recomendações para a retomada segura das atividades do setor neste novo contexto de relações sociais e econômicas. São orientações aos pequenos empresários no sentido dos cuidados sanitários e possíveis adequações ao negócio. Tudo com base em orientações de órgãos oficiais e cuidados que estão dando certo em outros países para cada tipo de segmento, como explica Carlos Eduardo Santiago, gerente adjunto de Competitividade do Sebrae.

“Os cuidados devem ser desde o relacionamento com seus fornecedores, na relação com seus funcionários e com o cliente. É preciso orientar a utilização de máscaras, disponibilizar material para higiene como o álcool em gel. São múltiplas frentes no sentido de orientar o empresário, e varia muito de acordo com o segmento”, afirmou o gerente adjunto.

Além disso, o Sebrae destaca que é importante levar em consideração as medidas do poder público e o decreto vigente em cada região, no que rege os regulamentos e o funcionamento do comércio. Mais dicas para o setor de academias, além dos cuidados com banheiros e vestiários podem ser conferidos no documento elaborado pelo Sebrae, como a divulgação dos protocolos de segurança, a fiscalização dos procedimentos realizados pelo comércio, entre outras. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

#ContinueCuidando

Copiar o texto
24/03/2021 00:00h

O objetivo da iniciativa é manter a economia desta área em circulação ao passo que a saúde da população também é preservada contra os efeitos da doença causada pelo novo coronavírus

Baixar áudio

A pandemia da Covid-19 exigiu um novo contexto de consumo nos mais variados setores da economia. E, para ajudar esses empreendimentos no processo de retomada das atividades, o Sebrae lançou a campanha #ContinueCuidando.

Um dos nichos da campanha é voltado para a indústria de base tecnológica e energia, com interfaces em quase todos os setores e segmentos, desde maquinário e equipamentos até eletroeletrônicos e automação.

Segundo a analista da Unidade de Competitividade do Sebrae, Juliana Borges, o objetivo da iniciativa é manter a economia desta área em circulação ao passo que a saúde da população também é preservada contra os efeitos da doença causada pelo novo coronavírus.

“Dentro da empresa é possível estabelecer sinalização, portas diferentes de entrada e saída, rotinas para que as pessoas sejam avisadas de quem adoeceu. É possível estabelecer distâncias com módulos quase independentes de atuação para poder ter um isolamento”, explica.

A campanha consiste na disponibilização de dicas e orientações para empreendedores, colaboradores, fornecedores e clientes, no sentido de evitar o contágio da Covid-19. Entre as recomendações estão o uso correto da máscara de proteção, o distanciamento adequado para impedir aglomerações e a utilização de álcool em gel como forma de prevenção.

Sebrae elabora orientações para retomada rápida e segura das atividades de pequenos negócios

Sebrae lança nova campanha para incentivar retomada segura da economia

Micro e pequenas empresas geraram 7,2 mil postos de trabalho no Rio de Janeiro em dezembro, diz Sebrae-RJ

Miro Michels é sócio e administrador de uma padaria e confeitaria no município catarinense de Jaraguá do Sul. Ele afirma que a iniciativa do Sebrae é positiva, e destaca que o envolvimento das empresas neste momento de crise é fundamental.

“Em uma pandemia ou qualquer outra dificuldade de uma crise, o empresário deve pensar em melhorar processos e investir. É importante que ele tenha uma visão do que pode melhorar, olhar para dentro da empresa, nesse momento, porque fora é complicado e você não tem uma visão ampla. Mas, se você olhar para o teu negócio e melhorar o que está de dentro para fora, com certeza vai atrair um resultado muito bom”, pontua

O material apresentado pelo Sebrae conta com o envolvimento de especialistas e é composto por vídeos, e-books e sinalizações, por exemplo. Além disso, a entidade recomenda o segmento das orientações disponíveis nos decretos das três esferas de governo. Para mais informações sobre esse e outros setores, acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.
 

Copiar o texto
23/03/2021 00:00h

Independentemente do segmento, a campanha #ContinueCuidando orienta que proprietários, colaboradores, fornecedores e clientes sigam as recomendações das autoridades sanitárias

Baixar áudio

Por conta dos riscos proporcionados pela Covid-19, é fundamental que estabelecimentos comerciais redobrem os cuidados com a segurança e higiene do local para evitar a propagação da doença. Por conta disso, o Sebrae lançou a campanha #ContinueCuidando, que tem o intuito de auxiliar esses empreendimentos no combate à pandemia do novo coronavírus.

Independentemente do segmento da empresa, a iniciativa orienta que proprietários, colaboradores, fornecedores e clientes sigam as recomendações das autoridades sanitárias para não haver comprometimento da saúde da população e a economia se manter em atividade. É o que explica o gerente de Relacionamento com o Cliente do Sebrae, Enio Pinto.

“Os negócios precisam rever seus modelos em função dos legados de necessidade de higiene pessoal e de ambiente, de manipulação de produtos, da não aglomeração, da pluralização de canais de contato com o cliente por meio da transformação digital”, pontua.

Sebrae elabora orientações para retomada rápida e segura das atividades de pequenos negócios

Sebrae lança nova campanha para incentivar retomada segura da economia

Micro e pequenas empresas geraram 7,2 mil postos de trabalho no Rio de Janeiro em dezembro, diz Sebrae-RJ

Luciano Carneiro é proprietário de uma oficina mecânica para motocicletas, localizada no município cearense de Crateús. Ele afirma que dicas como essas são fundamentais e ressalta que adota diversos meios preventivos no estabelecimento para evitar mais contágios por Covid-19 na cidade.

“Todos os meus funcionários se cuidam o máximo possível para não haver contágio, usando máscara, álcool em gel e mantendo distanciamento. Os clientes que chegam também entram um de cada vez, para não aglomerar”, afirma.

O material disponibilizado pelo Sebrae pretende garantir uma retomada segura da economia. O conteúdo é composto por vídeos, sinalizações, e-books e infográficos, por exemplo. Para mais informações sobre esses e outros setores, acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

Copiar o texto
22/03/2021 00:00h

Uma dica é que os artesãos passem a utilizar as redes sociais e outros métodos digitais para exposição de suas peças

Baixar áudio

Artesãos de todo o Brasil sentiram os impactos nas vendas devido as portas fechadas dos comércios por conta da pandemia. Segundo pesquisa do Sebrae, o artesanato foi um dos segmentos que teve perda brusca no faturamento mensal, aproximadamente 68% na queda do lucro dos pequenos empresários. Cristina Lauterman é artesã e microempreendedora na cidade de Anchieta, no interior do Espírito Santo. Ela conta que mesmo tomando os cuidados necessários, a procura por artesanato caiu e só agora começaram a aparecer clientes.

“Durante esse período da pandemia nós estamos recebendo poucas pessoas. Nossa cidade sobrevive do turismo. No final do ano, optei por não abrir o ateliê. Agora que estou voltando a trabalhar”, explicou Lauterman.

75 mil lojas fecharam ano passado devido a pandemia da Covid-19

Sebrae destaca cuidados que podem ajudar na retomada das atividades do turismo

Com o objetivo de ajudar os donos de pequenos negócios a conseguir uma rápida e segura reabertura das atividades de artesanato, o Sebrae preparou materiais com dicas e orientações sobre quais as melhores formas de cuidado a adotar. São medidas simples, elaboradas de acordo com materiais oficiais de segurança sanitária como explica Durcelice Mascêne, analista e coordenadora de Projetos Artesanato do Sebrae Nacional.

“Que os artesãos se atentem sempre a usar as máscaras, lavar as mãos e fazer uso do álcool em gel. Quanto ao manuseio das peças, que elas sejam desinfetadas com álcool. Também é importante fazer toda a higienização no momento da embalagem do produto”, disse a analista do Sebrae.  

Além disso, o Sebrae orienta para os pequenos produtores e artesãos que passem a utilizar as redes sociais e outros métodos digitais de exposição de suas peças. Desta forma, é possível mostrar seu trabalho para mais pessoas mesmo sem o contato físico presencial. Para mais informações sobre esses e outros setores acesse: www.sebrae.com.br/cuidados.

#ContinueCuidando

Copiar o texto