Empreendedorismo

16/09/2021 19:30h

A 1ª Conferência Nacional da Rota do Mel teve objetivo de aproximar os diferentes polos de produção apícola e gerar resultados melhores ao setor

Baixar áudio

Apicultores e produtores de mel tiveram dois dias para trocar experiências e debater perspectivas para o futuro durante a 1ª Conferência Nacional da Rota do Mel. O evento foi realizado pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), na terça (14) e quarta-feira (15), com objetivo de aproximar os diferentes polos de produção apícola e gerar resultados melhores ao setor.    

Segundo o coordenador do Polo do Mel do Pampa Gaúcho, Aldo Machado, o início das ações da Rota marcou um novo momento para os apicultores de todo o País. “A Rota do Mel veio para mudar a cara da nossa apicultura brasileira, porque é um programa que está sendo muito bem-visto não só pelos apicultores, mas por todos que estão envolvidos. Com certeza, vai haver o antes e o depois da Rota do Mel”, avaliou.

Hoje existem nove polos da Rota do Mel instalados pelo Brasil: Polo Apícola do Norte de Minas (Minas Gerais); Polo do Mel de Jandaíra (Rio Grande do Norte); Polo do Mel do Caparaó e Sul Capixaba (Espírito Santo); Polo do Mel do Crateús-Inhamuns (Ceará); Polo do Mel do Pampa Gaúcho (Rio Grande do Sul); Polo do Mel do Semiárido Baiano (Bahia); Polo do Mel do Semiárido Piauiense (Piauí); Polo do Mel do Sudeste do Pará (Pará); e Polo do Mel dos Campos de Cima da Serra (Rio Grande do Sul).

Para Francisco Soares, diretor de Desenvolvimento Regional do MDR, a Rota do Mel é um exemplo de sucesso e, entre os resultados alcançados, é possível destacar o potencial de exportação dos produtos.

“Para nós, do MDR, é um marco deixarmos registrada a importância deste trabalho que está sendo desenvolvido nas Rotas de Integração Nacional. A Rota do Mel é o melhor exemplo de sucesso, porque, apesar de ser uma das mais recentes, é a que tem melhores resultados alcançados, já com exportação com qualidade excelente dos produtos que são elaborados pelos produtores”, explicou.

Programa Casa Verde e Amarela anuncia avanços para facilitar acesso ao financiamento habitacional

Complicações por doenças cardíacas podem matar 400 mil em 2021

Rotas

As Rotas de Integração Nacional são redes de arranjos produtivos locais associadas a cadeias produtivas, Cadeias essas capazes de promover a inclusão e o desenvolvimento sustentável das regiões brasileiras priorizadas pela Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR).

As rotas promovem a coordenação de ações públicas e privadas em polos selecionados, mediante o compartilhamento de informações e o aproveitamento de sinergias coletivas, a fim de propiciar a inovação, a diferenciação, a competitividade e a sustentabilidade dos empreendimentos associados, contribuindo, assim, para a inclusão produtiva e o desenvolvimento regional.

A partir da identificação das potencialidades locais, o Ministério do Desenvolvimento Regional, em conjunto com órgãos parceiros, associações e entidades locais, realiza um diagnóstico considerando questões como capacidade hídrica, energética, de escoamento da produção (rodovias, aeroportos, ferrovias e portos), capacidade de beneficiamento e produção.

Além disso, é oferecido apoio técnico e de planejamento estratégico para estruturar e profissionalizar o trabalho dos agricultores, especialmente os pequenos produtores e familiares.

No momento, o MDR apoia as rotas do Açaí, da Biodiversidade, do Cacau, do Cordeiro, da Economia Circular, da Fruticultura, do Leite, do Mel, do Peixe e da Tecnologia da Informação e Comunicação.
 

Copiar o texto
31/08/2021 10:35h

Caso não quitem os tributos e as obrigações em atraso, de 2016 para trás, os MEI serão incluídos na Dívida Ativa da União

Baixar áudio

A Receita Federal prorrogou para o dia 30 de setembro, o período para regularização de microempreendedores individuais (MEI) com tributos e obrigações em atraso referentes a 2016 e a anos anteriores. Atualmente cerca de 1,8 milhão de pessoas estão com situação pendente no sistema da Receita e caso não quitem os tributos e as obrigações em atraso, de 2016 para trás, os MEI serão incluídos na Dívida Ativa da União. 

Com novas estimativas populacionais, FPM terá mudanças

Dispensa de licitação vai beneficiar municípios na luta contra avanço da pandemia

Por causa das dificuldades relativas à pandemia, a cobrança não abrangerá os MEI com dívidas recentes. Somente os débitos de cinco anos para trás serão inscritos em dívida ativa. Os débitos sob cobrança podem ser consultados no Programa Gerador do DAS para o MEI e o documento de arrecadação pode ser gerado tanto pelo site quanto por meio do Aplicativo MEI, disponível para celulares Android ou iOS.


Segundo a Receita Federal, existem 4,3 milhões de microempreendedores inadimplentes, que juntos devem R$ 5,5 bilhões ao governo. Isso equivale a quase um terço dos 12,4 milhões de MEI registrados no país. Quem passar para a dívida ativa pode ter prejuízos como ser excluído do regime de tributação do Simples Nacional, com alíquotas mais baixas de imposto e pode enfrentar dificuldades para conseguir financiamentos e empréstimos. A inclusão no cadastro de dívida ativa também aumenta o valor do débito. 

Copiar o texto
23/08/2021 10:25h

Ferramenta vai beneficiar a todos os clientes do banco, principalmente os pequenos empreendedores

Baixar áudio

Os clientes do Banco do Brasil já podem emitir, consultar e alterar boletos bancários pelo aplicativo WhatsApp. O sistema de cobrança bancária por chat vai beneficiar, sobretudo, a vida dos pequenos empreendedores, de acordo com a instituição financeira. 

O cliente que deseja usar a ferramenta deve acessar o WhatsApp do BB e começar uma conversa com o especialista PJ, o assistente virtual do banco no aplicativo, digitando a expressão ‘#PJ’. Depois, deve escrever “Preciso registrar um boleto”. A ferramenta, então, vai mostrar algumas instruções na tela de conversas. 

Ministério da Justiça lança campanha de proteção de dados na internet

Órgãos da administração pública também precisam se preocupar com a LGPD, diz especialista

Leilão do 5G deve acontecer até a primeira quinzena de outubro

O recurso vai pedir informações do usuário, como CPF, nome, endereço e sobre o pagamento, como valor e data de vencimento. Após digitá-las, a ferramenta gera um boleto com as informações que o cliente forneceu. A pessoa pode encaminhar o boleto a um destinatário. 

Segundo o Banco do Brasil, a ferramenta permite consultas ou alterações aos documentos a partir do comando “Preciso consultar um boleto” ou “Preciso alterar um boleto”. Em ambas as opções é possível gerar e compartilhar um PDF.
 

Copiar o texto
25/07/2021 19:00h

A Fomento Paraná tem linhas de microcréditos abertas para pequenos negócios, MEIs e microempresas e é responsável pelo Banco da Mulher Paranaense

Baixar áudio

Prefeitos dos municípios paranaenses das regiões sul, sudeste e de Campos Gerais, conheceram esta semana diferentes linhas de créditos da Fomento Paraná apresentadas pelos diretores da instituição financeira do governo do estado.

A Fomento Paraná tem linhas de microcréditos abertas para pequenos negócios, MEIs e microempresas e é responsável pelo Banco da Mulher Paranaense, um programa para estimular o empreendedorismo feminino por meio de linhas de financiamento com taxas de juros reduzidas para apoiar micro e pequenos negócios de mulheres empreendedoras. Além disso, a Fomento Paraná apresentou aos municípios linhas de crédito para promoção de energias renováveis e inovação nas cidades.

Novo programa da Receita Federal deve ajudar empresas a cumprirem obrigações tributárias

As visitas aos municípios atendem a diretriz do governador Carlos Massa Ratinho Junior de os órgãos do Governo estarem presentes no dia a dia dos municípios. No caso da Fomento Paraná as reuniões com os prefeitos e gestores servem para reforçar e ampliar parcerias com as prefeituras para expandir o acesso ao crédito para empreendedores”, afirma o diretor-presidente Heraldo Neves.

Cidades visitadas pela Fomento Paraná na última semana:

  • Palmeira
  • São João do Triunfo
  • São Mateus do Sul
  • Paulo Frontin
  • Antônio Olinto
  • Lapa
Copiar o texto
19/07/2021 12:20h

Trata-se de uma iniciativa do governo estadual com objetivo de estimular o empreendedorismo, a inovação e a criatividade nas cidades gaúchas

Baixar áudio

Até o dia 22 de julho, os entes municipais podem inscrever arquiteturas consideradas simbólicas nas quais possam criar projetos para estimular a inovação e a economia baseadas no capital intelectual. A ideia é promover a retomada e a revitalização de espaços arquitetônicos simbólicos para estabelecimento desses novos negócios.

As candidaturas vão ser avaliadas por uma comissão técnica. O grupo de análise poderá contar com representantes de organizações da sociedade e entidades. Cada município terá oportunidade de inscrever quantos espaços quiser, por meio do formulário disponível no site iconicidades.rs.gov.br.

Santa Catarina fortalece indústria e alcança menor índice de desemprego do País

Setor de eventos pode aderir programa de retomada das atividades

Os melhores projetos vão ganhar prêmios com valores entre R$ 10 mil e R$ 20 mil, além de contrato para desenvolvimento do projeto executivo para o primeiro colocado. Os municípios, por sua vez, assumem o compromisso de executar as intervenções previstas e coordenar localmente a iniciativa.

 

Copiar o texto
18/07/2021 17:00h

Programa do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos busca estimular a autonomia econômica feminina

Baixar áudio

Programa Qualifica Mulher vai oferecer capacitação profissional para cerca de 270 mil brasileiras em situação de vulnerabilidade social nos próximos dois anos. A iniciativa é do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos que assinou um acordo técnico com a Associação Aliança Empreendedora. O objetivo é promover a autonomia econômica feminina.

Ao todo, serão oferecidas 10 mil vagas para cada uma das 27 unidades da Federação, em cursos como: Educação financeira para mulheres empreendedoras; Inovar em tempos de crise e Empreendedoras da beleza. A preferência é para mulheres com renda mensal de até um salário mínimo e meio, que estejam cursando ou tenham concluído o ensino fundamental ou médio, ou sem nenhuma escolaridade.

Faturamento de pequenos negócios continua baixo na pandemia

Auxílio Emergencial: Caixa paga quarta parcela aos nascidos em fevereiro, neste domingo (18)

Os cursos são realizados por meio de institutos federais, municípios e organizações da sociedade civil. Em 2020, o Qualifica Mulher investiu cerca de R$ 19 milhões em ações de capacitação e empreendedorismo, atendendo mulheres de 13 estados e do Distrito Federal. Para este ano, a previsão do ministério é investir cerca de R$ 17 milhões.

Saiba mais sobre o Qualifica Mulher no link.

Copiar o texto
14/07/2021 15:00h

Iniciativa do governo do Tocantins busca fomentar a economia do estado

Baixar áudio

O Governo do Tocantins lança a linha de Crédito Rápido On-line. Por meio da Agência de Fomento, empreendedores podem pegar empréstimos de até R$ 20 mil com rapidez e agilidade, pela internet. As operações de crédito possuem taxas a partir de 1,39% ao mês.

Interessados devem acessar o site da Agência, preencher as informações cadastrais e encaminhar os documentos solicitados; tudo de forma virtual. Em seguida, o sistema vai gerar um número de protocolo para que o empreendedor possa acompanhar o andamento do processo pela plataforma online. Todos os documentos necessários estão listados no site.

Pronampe reabre contratações para apoiar o fortalecimento dos microempreendedores

Controle da pandemia pode alavancar Índice de Confiança Industrial

De acordo com a presidente da Agência Fomento, Denise Rocha, a iniciativa busca fomentar a economia do estado, já que o empreendedor pode solicitar o crédito de qualquer lugar, com agilidade.

Para mais informações, ligue nos telefones (63) 3220-9800 e (63) 99993-7016 / 99277-5147.

Copiar o texto
14/07/2021 11:45h

Em contrapartida, 66% dos pequenos empresários acima de 65 anos, tem mais facilidade para conseguir crédito nos bancos

Baixar áudio

Os pequenos negócios no país ainda estão registrando perdas no faturamento devido a Covid-19, com 43% de queda nas receitas em comparação ao período anterior a pandemia. O dado está em pesquisa realizada pelo Sebrae e FGV.

Em contrapartida o levantamento mostra que 66% dos pequenos empresários acima de 65 anos tem mais facilidade para conseguir crédito nos bancos. A média geral é de 52%.

Pronampe reabre contratações para apoiar o fortalecimento dos microempreendedores

A análise dos dados revela que os pedidos de crédito são mais aceitos pelas instituições quando a idade do empreendedor é elevada. Entre os empresários de 36 a 45 anos a liberação de empréstimo é verificada em 51% dos pedidos. A liberação de recurso aumenta para 53% entre as pessoas de 46 e 55 anos, e chega a 57% entre os empreendedores de 56 a 65 anos.

Controle da pandemia pode alavancar Índice de Confiança Industrial

A pesquisa do Sebrae também mostra que as mulheres empreendedoras têm conseguido mais acesso ao crédito, com aprovação de pedidos superiores a 54%, enquanto as solicitações feitas por empresários homens são aprovadas em pouco mais de 27% dos pedidos.

Ao todo, entre os empreendedores que buscam crédito nas instituições bancárias cerca de 45% conseguiram durante a pandemia da Covid-19.  

Copiar o texto
Economia
30/06/2021 04:00h

O ShopBlack surge como uma alternativa no atual contexto da pandemia, com a crise econômica, alta do desemprego e redução do auxílio emergencial

Baixar áudioBaixar áudio

Com o objetivo de criar um espaço online para comercialização de produtos e serviços entre pequenos empreendedores negros, a Universidade Zumbi dos Palmares lançou o e-commerce ShopBlack. A ferramenta surge como uma alternativa no atual contexto da pandemia, com a crise econômica, alta do desemprego e redução do auxílio emergencial.
 
Segundo o reitor da universidade e idealizador do projeto, José Vicente, a iniciativa é resultado do desenvolvimento do projeto de aceleração de startups. O objetivo é o empoderamento e fortalecimento do empreendedorismo para os alunos da universidade, seus familiares e a comunidade negra em geral. “É um ambiente que pretende permitir e estimular e o empreendedor mesmo possa gerar emprego e renda, mas sobretudo vender e comercializar o seu produto no ambiente eletrônico”, afirmou. 

Funafro realiza congresso sobre empreendedorismo para jovens negros

Projeto modelo em Campinas capacita gratuitamente jovens para o mercado de trabalho

A universidade começou a estruturar o projeto pensando em construir uma saída para a falta de emprego durante a pandemia e de dificuldade dos negros de acessar cargos mais altos no mercado de trabalho. 
 
A professora aposentada de cultura negra brasileira, Maria do Carmo Moura, de 76 anos, que participou da iniciativa, acredita que os negros, sobretudo da terceira idade, precisam de oportunidade e um lugar em que o produto tenha visibilidade. “Eu acho que o caminho para nós negros é esse. Nós nos juntamos, porque o ShopBlack é uma reunião de quase todos os negos que fazem algumas coisas e sempre estão produzindo. Nós vamos ter um ponto tanto para a gente comprar ou vender”, disse.
 
Segundo a Universidade, a iniciativa visa contrapor a situação da pandemia, mas a ideia é que a plataforma continue em funcionamento mesmo depois. A iniciativa antecede o momento de crise e já era um projeto estruturado para fortalecer e ampliar o empoderamento dos jovens negros por meio do empreendedorismo, que veio para ficar e pretende se ampliar.

Diferença salarial

Uma pesquisa feita pela Associação Brasileira de ONGs (Abong) apontou as discrepâncias entre a remuneração e cargos ocupados por negros e brancos. Segundo o levantamento, em 2019 as pessoas negras ganharam em média 27% menos que as brancas nas ONGs. Os dados são baseados em informações da Relação Anual de Informações Sociais (Rais), do Ministério da Economia, no período de 2015 a 2019, apurados nas 27 capitais brasileiras.
 
A faixa de remuneração média nas ONGs é a de meio a três salários mínimos. De acordo com o estudo, enquanto os homens brancos têm a maior participação na faixa dos salários mais altos (mais de 20 salários mínimos), os negros são a maioria nas faixas que representam os menores salários. 

Aumento da desigualdade na pandemia

No segundo trimestre de 2020 a desigualdade de renda bateu recorde no Brasil, segundo o estudo “Efeitos da pandemia sobre o mercado de trabalho brasileiro”, divulgado pelo FGV Social (Centro de Políticas Sociais da Fundação Getúlio Vargas). O indicador estudado na pesquisa foi o índice de Gini, que monitora a desigualdade de renda em uma escala de 0 a 1, sendo que, quanto mais próximo de 1, maior é a desigualdade. O do Brasil ficou em 0,6257 em março.
 
Os números confirmaram que houve sim uma queda significativa na renda do trabalho da população, que teve redução de 20,1% no segundo trimestre de 2020, na comparação com os três primeiros meses do ano. Com isso, a queda de renda da população alcançou diferentes níveis. Os 10% mais ricos também tiveram perdas nos rendimentos, mas não tão substanciais como a população de menor renda que foi duramente atingida.

Copiar o texto
21/06/2021 10:45h

O evento, destinado a afrodescendentes de 16 a 29 anos, será totalmente gratuito digital, com transmissão ao vivo pelo YouTube e pelo Facebook da instituição

Baixar áudio

A Fundação Instituto de Negócios e Afroempreendedorismo (Funafro) e o Núcleo de Aprendizagem Profissional e Assistência Social (Nurap) realizam entre os dias 13 e 15 de julho o 1° Congresso Nacional de Empreendedorismo e Empregabilidade da Juventude Negra. O evento, destinado a afrodescendentes de 16 a 29 anos, será totalmente gratuito digital, com transmissão ao vivo pelo YouTube e pelo Facebook da instituição (Funafro).

A programação contará com a participação de referências do cenário jovem brasileiro e internacional, o objetivo do congresso é levar informações que ajudem a juventude negra do país a construir um futuro mais próspero. 

PL que institui o Marco Legal das Startups e do Empreendedorismo Inovador entra em vigor

Entrada do Brasil na OCDE deverá aumentar a competitividade dos negócios

Serão cinco painéis: primeiro emprego; empreendedorismo na juventude; a importância da formação educacional; tecnologias e inovação; oportunidades de carreiras e debate.

No último dia do evento serão anunciados os vencedores dos prêmios "Jovem Empreendedor", "Jovem Liderança" e para a "Empresa Top Contratação", todos de 2021. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo pela plataforma Sympla, onde também é possível conferir a programação completa.

Copiar o texto
Brasil 61