Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Região Centro-oeste

24/11/2020 10:45h

Dos 19 estados participantes, sete tiveram piora na condição de seca relativa

Baixar áudio

Os dados do mapa Monitor de Secas de outubro, da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA), apontam melhora no cenário da seca nas regiões Centro-Oeste e Sudeste do país. O Distrito Federal, por exemplo, apresentou chuvas acima da média climatológica, suficiente para que os indicadores de seca apresentassem uma melhora. 

Por outro lado, nos estados do Nordeste o cenário foi de expansão territorial da seca relativa: a Paraíba teve aumento de 38%, Alagoas de 23%, Ceará de 17%, Sergipe de 14%, além do Rio Grande do Norte, que subiu de 50% para 83%.

Municípios podem melhorar gestão com uso de dados e indicadores sociais

Brasil pode ter serviços públicos paralisados sem aprovação do Orçamento 2021

Já a região Sul apresenta os maiores aumentos no país na categoria de seca grave, sendo 34% em Santa Catarina e 12% no Paraná. No Rio Grande do Sul, que em outubro passa a ter 100% do seu território coberto por seca, também houve intensificação da condição.

Copiar o texto
23/11/2020 23:00h

Ranking de Competitividade dos Municípios mostra que cidades do Sul e Sudeste estão melhor posicionadas do que Norte e Nordeste

Baixar áudio

Fazer uma gestão cada dia mais eficiente na oferta de benefícios para todas as pessoas de uma determinada cidade, proporcionando assistência a todas as necessidades daquele povo e ainda gerar oportunidades e renda aos cidadãos. Esse é um modelo de gestão perfeito a ser alcançado pelas administrações públicas em relação à população.

E uma ferramenta que pode ser importante para alcançar esse resultado é a observação de dados sobre diversas áreas aos cuidados de uma gestão. Baseado nisso, foi compilado uma série de informações deste tipo, mais indicadores de programas e políticas públicas para realizar a primeira edição do Ranking de Competitividade dos Municípios.

Esse balanço feito pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a plataforma de inteligência para gestão municipal (Gove) e o Sebrae, com objetivo de que esses dados sejam ferramentas para ajudar na tomada de decisões sobre investimentos produtivos nos municípios.

Como resultado, o Ranking de Competitividade dos Municípios é composto por 55 indicadores, organizados em 12 pilares: sustentabilidade fiscal, funcionamento da máquina pública, acesso à saúde, qualidade da saúde, acesso à educação, qualidade da educação, segurança, saneamento e meio ambiente; inserção econômica, inovação e dinamismo econômico, capital humano e telecomunicações.



De acordo com o coordenador de Competitividade da CLP, Lucas Cepeda, para que se possa compreender melhor a dimensão desses resultados, primeiro é necessário entender o significado de competitividade.

“É importante definirmos o que é competitividade para o CLP. Se pegarmos o conceito na esfera privada como sendo uma empresa mais competitiva aquela que ao longo dos anos consegue entregar melhores resultados, aqui no setor público não é diferente! A entrega do governo se traduz justamente na criação de bem-estar social naquela localidade. O município mais produtivo é aquele que, ao longo dos anos, consegue entregar melhores serviços públicos para a população, ou seja, promover a melhor constante do bem-estar social naquela localidade”, explicou.

Nesse contexto, os dados contidos no documento apresentam um ranking com 405 cidades analisadas, com evidentes disparidades regionais ao verificar municípios melhor ranqueados, principalmente, entre Sul e Sudeste em relação ao Norte e Nordeste. Um exemplo é o de que dos 38 municípios da Região Norte analisados, nenhum está entre os 60 primeiros colocados.

Municípios do Norte e Nordeste sofrem com escassez de recursos para área de saneamento básico, aponta Ipea

Especialistas avaliam positivamente a concessão da Rodovia Presidente Dutra

Esse tipo de análise é realizada há quase 10 anos pela CLP, e os resultados têm sido compartilhados com governos municipais de todo o País no intuito de gerar maior competitividade, ampliando recursos enquanto torna a gestão mais efetiva. É o que explica Luiz Felipe D’Avila, presidente da CLP.

“O ranking de competitividade dos estados brasileiros se tornou uma ferramenta fundamental para os governadores. Hoje 22 dos 26 estados e o Distrito Federal utilizam o ranking de competitividade para decisão do seu planejamento estratégico, para tomada de políticas públicas. Por tanto, uma ferramenta fundamental porque todo governante sério precisa basear as suas decisões em fatos e dados. Não podemos contestar dados e fatos, pelo contrário, eles devem ajudar a balizar políticas públicas”, destacou D’Avila.  

Copiar o texto
16/11/2020 10:00h

Em Goiânia, segundo turno será disputado entre Maguito Vilela e Vanderlan Cardoso; Já em Cuiabá, novo gestor sairá do embate entre Abilio (PODE) e Emanuel Pinheiro (MDB)

Baixar áudio

A capital de Mato Grosso do Sul já conhece bem o seu novo gestor. O atual prefeito da cidade, Marquinhos Trad (PSD), foi reeleito após obter 52,5% dos votos, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na região Centro-Oeste, Goiânia e Cuiabá vão conhecer seus prefeitos apenas no segundo turno. Houve lentidão na soma dos votos em boa parte do Brasil, provocando atraso nos resultados. Por não ter municípios, o Distrito Federal não participa das eleições municipais.
 
Atual prefeito de Campo Grande, Trad o cargo que também já foi do irmão, Nelson Trad Filho. Na última pesquisa Ibope, realizada entre 9 e 11 de novembro, o prefeito já despontava na frente. O então candidato foi avaliado como ótimo ou bom por 53% dos entrevistados. A margem de erro é de 4 pontos percentuais para mais ou para menos.
 
Segundo dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o primeiro turno no estado registrou quatro candidatos e três eleitores presos por boca de urna. Em relação às urnas, das mais de seis mil, houve troca ou ajuste em apenas 42 unidades.

TSE descarta ataque hacker e admite atraso na contagem de votos

Não votou? Saiba como justificar a ausência nas urnas nas Eleições 2020

Minas Gerais lidera número de candidatos presos nas Eleições de 2020

Goiás

Em Goiânia (GO), o segundo turno vai ser disputado entre Maguito Vilela (MDB) e Vanderlan Cardoso (PSD). O candidato emedebista, de 71 anos, está internado no hospital com Covid-19 e foi entubado nesse domingo (15) no hospital Albert Einstein, em São Paulo, de onde acompanhou o resultado do primeiro turno.
 
Vilela foi diagnosticado com a doença em 20 de outubro e foi internado em um hospital da cidade. Sete dias depois, ele recebeu o diagnóstico de 75% de inflamação nos pulmões, chegando a um nível crítico de saturação de oxigênio no sangue. Maguito já foi governador, deputado federal constituinte e prefeito em Jataí (GO).Ele obteve 36% dos votos. 
 
Já Vanderlan Cardoso, que conquistou 24,6% do eleitorado, é empresário e foi eleito em 2018 como senador. Ele concorre agora à cadeira na prefeitura.

Arte: Brasil 61

O último boletim do Tribunal mostrou que três candidatos foram presos por boca de urna em Goiás. Oito eleitores também foram presos pelo mesmo motivo e outros três foram presos por outros motivos, como corrupção eleitoral e divulgação de propaganda. Em relação às urnas, as seções contaram com 12,8 mil máquinas, sendo que 60 tiveram que ser substituídas durante a votação.

Votação para senador em Mato Grosso

Já em Mato Grosso, os mais de 2,3 mil eleitores aptos escolheram também um senador. A nova votação foi anunciada após cassação do mandato da senadora Selma Arruda (Podemos), após condenação por caixa dois e abuso de poder econômico na campanha eleitoral. O vencedor vai permanecer no cargo por seis anos, e não oito como os eleitos em 2018.
 
Para a prefeitura, a capital Cuiabá vai ter segundo turno. A disputa fica restrita entre os candidatos Abilio (PODE) e Emanuel Pinheiro (MDB), que tenta a reeleição.  
Pelo menos 20 pessoas foram detidas pela Polícia Federal nesse domingo. De acordo com a PF, a prisão ocorreu em Cuiabá por compra de votos. Conforme o boletim, um grupo de candidatos estaria pagando o combustível em troca de votos num posto de combustível do Bairro Parque Atalaia.
 
Das 6.633 urnas presentes nas seções eleitorais, 38 tiveram que ser substituídas durante o pleito deste domingo.

Copiar o texto
15/11/2020 17:20h

Distrito Federal não tem municípios e não elege prefeito (a) e vereador (a)

Baixar áudio

Após fim das votações para prefeitos e vereadores em todo o Brasil, a região Centro-Oeste registra o início das apurações das urnas entre as capitais apenas em Goiânia (GO). Até 17h, Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS) ainda não tinham dado início à contagem dos votos.
 
No total, quase nove milhões de eleitores e eleitoras dos três estados da região foram às urnas hoje para escolherem os futuros gestores, segundo último boletim do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), divulgado às 15h.
 
Goiás foi o único estado da região a registrar prisão nesse domingo (15). Duas pessoas foram presas por fazerem boca de urna, o que é proibido no dia de votação.

Copiar o texto
15/11/2020 16:25h

Uma pessoa que não é postulante também foi detida no estado pelo mesmo crime

Baixar áudio

O relatório de ocorrências do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) envolvendo candidatos teve 43 registros em todo o país, segundo boletim divulgado às 14h deste domingo (15). O documento mostrou que três pessoas em Goiás, sendo duas delas candidatos, foram presas por fazerem boca de urna. No mesmo estado, segundo a Justiça Eleitoral, também foram constatadas outras três ocorrências envolvendo postulantes pela mesma irregularidade, porém, sem prisões. 

Entre os não candidatos, o estado também registrou uma prisão por boca de urna e outra detenção que não teve o motivo divulgado. Outra pessoa em Goiás também foi autuada por divulgação de propaganda e outras duas cometeram irregularidades não divulgadas. Mato Grosso do Sul teve prisão de um não candidato por boca de urna e duas autuações por motivos que não foram divulgados. Em Mato Grosso, uma pessoa foi vista fazendo divulgação de propaganda, porém, a mesma não foi detida. 

Em números gerais do País, o Ministério da Justiça registrou 1.062 crimes eleitorais, sendo a boca de urna o mais frequente, seguido por compra de votos e desobediência à Justiça Eleitoral.  

Força Federal irá reforçar segurança em 11 estados durante as eleições

Segundo o TSE, do total de 1.700 urnas eletrônicas trocadas em todo o país, 40 substituições ocorreram em Goiás; 20, em Mato Grosso do Sul; e 14, em Mato Grosso. 

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral, quase 180 milhões de eleitores estão aptos a participar das eleições municipais deste ano. No Centro-Oeste, Goiás lidera esse ranking, com cerca de 4,6 milhões de eleitores, seguido por Mato Grosso, com aproximadamente 2,3 milhões e Mato Grosso do Sul, com cerca de 1,9 milhões.

Neste domingo, não haverá votação no Distrito Federal e em Fernando de Noronha (PE). Os eleitores de Macapá (AP) também não irão às urnas, mas a cidade deverá realizar a eleição ainda em 2020.  
 

Copiar o texto
06/11/2020 02:00h

Estado melhora avaliação em infraestrutura, potencial de mercado e inovação e agora ocupa a 12ª colocação

Baixar áudio

O estado de Goiás voltou a ganhar posições no Ranking da Competitividade dos Estados, elaborado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). A média geral da unidade da Federação ficou em 47,2 pontos, pouco abaixo do índice geral do país, que ficou em 47,5. O ente federado agora ocupa a 12ª posição no ranking, uma a mais do que em 2019. Entre 2018 e o ano passado, o estado caiu três posições.

O CLP avalia 10 pilares ao todo, com 69 indicadores. Goiás apresentou evolução em infraestrutura e potencial de mercado, mas caiu no quesito eficiência da máquina pública, sustentabilidade social, segurança pública e sustentabilidade ambiental. Não houve alteração nas avaliações de educação, solidez fiscal e capital humano. 

No quesito específico da inovação, Goiás está bem abaixo da média nacional. O estado tem nota geral de 24,6 pontos e ocupa a 20ª posição entre as unidades da Federação. A média do Brasil é de 42,8 e os entes federados melhores colocados nesse pilar são São Paulo (100), Rio Grande do Sul (92,3) e Santa Catarina (85,4). 

“Todo esse fluxo de análise, um depende do outro. Em busca de cenários promissores que a gente tem, cada vez mais, defendido das boas práticas e bem como ações estratégicas em prol da ciência, tecnologia e inovação. Sabemos dos gargalos que precisam ser superados", avaliou Alessandra Brito, assessora executiva do Conselho Temático de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (CDTI) da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), durante um webinar com o setor empresarial goiano. 

Segundo a Fieg, com base em pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), para 29% das empresas, a importância de adotar práticas inovadoras ainda é apenas média e para outras, baixa ou muito baixa. A entidade avalia que há gargalos no segmento da inovação em território nacional, como falta de pessoal qualificado para inovar, falta de recursos financeiros, falta de acesso a crédito e desmotivação do ramo empresarial. 

“O Brasil tem um ambiente propício para inovação, mas precisamos fazer acontecer as práticas de políticas públicas coordenadas. Isso é um certo bloqueio para que a ciência, tecnologia e inovação tenha condição de maximizar o cenário diante o empresário”, diz Alessandra Brito. 

Governo mineiro lança programa de capacitação para retomada econômica em municípios

Confiança do empresário da indústria do DF cresce pelo quarto mês consecutivo

Índice de confiança do empresário

A Fieg publicou em outubro os resultados da pesquisa sobre a confiança empresarial em Goiás. O Índice de Confiança do Empresarial Industrial Goiano ficou em 61,5 pontos, tendo 0,4 ponto de queda em comparação com outubro de 2019 e 1,1 ponto de redução frente a setembro deste ano. 

A metodologia do levantamento avalia o índice de 0 a 100 pontos, sendo que resultados acima de 50 indicam aumento da confiança.

Segundo a Fieg, todos os portes de empresas pesquisados têm apresentado comportamento otimista. Os negócios de pequeno porte encerraram setembro com índice em 62,1 pontos, resultado abaixo do observado no mês anterior, mas estável frente a outubro de 2019. As empresas de médio porte também apresentaram confiança menos intensa do que em setembro, porém frente a outubro do ano passado, aumentaram 2,2 pontos. Já as empresas de grande porte seguem com a confiança em alta, aumento de 1,4 pontos frente ao mês anterior.

Copiar o texto
03/11/2020 17:00h

A temperatura na região pode variar entre 15 e 36 graus

Baixar áudio

A quarta-feira (4), no Centro-Oeste brasileiro, será de tempo firme entre o Mato Grosso do Sul, sudoeste de Mato Grosso e sul de Goiás. Nas demais áreas, a chuva deve ocorrer de forma isolada, mas com acumulados menos expressivos, se comparados aos da última semana. Mesmo assim, segue a atenção para a ocorrência de temporais nestas áreas.

A temperatura na região pode variar entre 15 e 36 graus. Os índices de umidade relativa do ar voltam a cair. Na maior parte do Centro-Oeste os índices ficam em torno de 30%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

 

Copiar o texto
Brasil
03/11/2020 08:00h

Prazo para inscrições vai até 8 de novembro

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) e a Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) lançaram edital para contratar profissionais para elaboração de estudos com foco no desenvolvimento das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste. 

A ideia é que os profissionais deem diagnósticos e propostas para estruturação de municípios intermediadores, que funcionariam como polos de desenvolvimento regional. Os especialistas devem identificar requisitos para a estruturação dessas cidades, mapear a situação atual dos municípios cadastrados pelo MDR e mostrar as fragilidades econômicas e sociais desses locais. De acordo com levantamento do órgão, há 140 cidades intermediadoras nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste

Ministério do Desenvolvimento Regional abre consulta para elaboração Carta Brasileira sobre Cidades Inteligentes

Ao fim, devem elaborar um plano de ação governamental para incentivar os investimentos, sejam públicos ou privados, nestes polos de desenvolvimento. Podem se candidatar os doutores em Humanidade ou Ciências Sociais, com experiência mínima de cinco anos, após obtenção do grau de doutor,  na preparação de estudos na área do desenvolvimento regional e/ou urbano, e que tenham conhecimento avançado em língua inglesa.
 
O prazo para inscrição vai até 8 de novembro, por meio da página de cada região: Norte (Amazônia Legal), Nordeste e Centro-Oeste

Copiar o texto
02/11/2020 17:00h

A temperatura na região pode variar entre 15 e 36 graus

Baixar áudio

Nesta terça-feira (3), no Centro-Oeste do país, as chuvas se tornam mais abrangentes, com destaques para os volumes de chuva razoáveis nos estados de Mato Grosso e Goiás.

A temperatura na região pode variar entre 15 e 36 graus. Apesar das chuvas, em alguns pontos os índices de umidade relativa do ar apresentam uma redução em relação aos últimos dias. Em boa parte do Centro-Oeste os índices ficam em torno de 30%. 

As informações são do Somar Meteorologia.


 

Copiar o texto
01/11/2020 17:00h

A temperatura na região pode variar entre 15 e 33 graus

Baixar áudio

Nesta segunda-feira (2), a chuva fica restrita ao norte do Mato Grosso e Goiás, com tempo firme voltando a predominar nas demais áreas do Centro-Oeste brasileiro. No Mato Grosso do Sul e demais áreas mato-grossenses, incluindo a região metropolitana da capital, o tempo firme segue predominando. 

A temperatura na região pode variar entre 15 e 33 graus. Os índices de umidade relativa do ar começam a subir. Em boa parte do Centro-Oeste os índices ficam em torno de 60%. 

As informações são do Somar Meteorologia.

 

Copiar o texto

Use dados tenha mais votos nas eleições 2020