;

Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Aulas

Educação
15/03/2021 15:30h

Os alunos que fizeram a matrícula têm até 5 de abril para entregar a documentação na própria unidade de ensino em que vão estudar

Baixar áudio

A Secretaria de Estado da Educação, do Esporte e da Cultura de Sergipe estendeu o prazo de entrega da documentação necessária para a efetivação da matrícula online. Os alunos que fizeram a matrícula têm até 5 de abril para entregar a documentação na própria unidade de ensino em que vão estudar.

A diretora da Coordenadoria de Estudos e Avaliação Educacional da Seduc, Jonniely Cruz, a prorrogação do período se dá por conta das novas diretrizes de restrições do comitê científico do Governo de Sergipe, já que ocasiona uma redução de horário e de pessoal nas escolas.

A efetivação da matrícula depende da entrega de documentos como comprovante de matrícula online, original ou fotocópia de Certidão de Nascimento, do RG ou CPF, Número de Inscrição Social (NIS), caso tenha; Guia de Transferência ou Declaração; comprovante de residência com o CEP, quando houver; duas fotografias 3x4, entre outros.

Nova campanha do Sebrae dá dicas para empresas de eventos culturais na retomada econômica

Imposto de Renda 2021: tire suas dúvidas para acertar as contas com o Leão

A matrícula online começou no dia 1º de março para os alunos estudantes da rede estadual e seguiu com mais duas fases: de 5 a 10 para os alunos que desejaram mudar de escola na própria rede e de 11 a 15 para os alunos que desejam ingressar na rede estadual.

O início das aulas remotas do ano letivo 2021 está previsto para o dia 22 de março. Já a previsão de início das aulas presenciais foi alterada para o dia 5 de abril.

 

Copiar o texto
15/03/2021 15:00h

A suspensão das aulas na forma presencial abrange tanto as instituições das redes pública quanto privada, da educação básica ao ensino superior

Baixar áudio

Após reunião com o Comitê de Crise, o Governo do Tocantins resolveu suspender as aulas presenciais em todo o Estado a partir da próxima quarta-feira (17). A determinação faz parte de um novo pacote de medidas que serão implementadas a fim conter o  avanço da Covid-19.

A suspensão das aulas na forma presencial abrange tanto as instituições das redes pública quanto privada, da educação básica ao ensino superior. As medidas levam em consideração as altas taxas de ocupação hospitalar em todo o Estado, tanto em leitos clínicos como em UTIs, e o aumento no registro de casos.

Alta ocupação de leitos evidencia colapso na saúde após um ano de pandemia

Anvisa aprova registros definitivos de medicamento contra Covid-19 e vacina da AstraZeneca

Dos 139 municípios, apenas 92 haviam retornado com as aulas presenciais. A secretária de Estado da Educação reforçou que ninguém está sendo prejudicado, pois há a garantia da oferta de aulas na forma não presencial a todos os estudantes da rede estadual.

Copiar o texto
15/03/2021 13:00h

O decreto também estabelece a volta às aulas na rede estadual de ensino, exclusivamente de forma remota

Baixar áudio

O governo da Bahia atualizou o decreto que suspende os eventos e atividades, independentemente do número de pessoas, em todo o estado. A publicação, que venceria neste domingo (14), passa a valer até 1º de abril de 2021. 

Com a medida, as atividades consideradas não essenciais vão continuar suspensas em conjunto com o toque de recolher das 20h às 5h, determinado pelo governo estadual até o dia 1º de abril.

Alta ocupação de leitos evidencia colapso na saúde após um ano de pandemia

Anvisa aprova registros definitivos de medicamento contra Covid-19 e vacina da AstraZeneca

Segue proibida a realização de atividades que envolvam aglomeração de pessoas, como cerimônias de casamento, solenidades de formatura, feiras, circos, passeatas, eventos desportivos, científicos e religiosos, bem como aulas em academias de dança e ginástica.

O decreto também estabelece a volta às aulas na rede estadual de ensino, exclusivamente de forma remota, a partir desta segunda-feira (15).

Copiar o texto
Educação
12/03/2021 12:00h

A medida ocorre por conta das novas restrições apresentadas na fase emergencial do Plano São Paulo contra a Covid-19

Baixar áudio

A partir da próxima segunda-feira (15) os 3,3 milhões de alunos da rede estadual de São Paulo iniciam, antecipadamente, o período de recesso. Conforme o calendário escolar este período estava programado para acontecer no mês de abril e outubro. O recesso será de duas semanas e vai até o dia 28 de março.
 
A medida ocorre por conta das novas restrições apresentadas na fase emergencial do Plano São Paulo contra a Covid-19. A recomendação é para que todas as atividades nas escolas sejam reduzidas ao mínimo necessário para diminuir a circulação de pessoas.

Levantamento sobre educação na pandemia aponta desigualdade entre as redes municipais de ensino

MT: Secretaria de Educação transfere mais de R$ 9,2 mi a escolas do estado
 
Neste período as unidades estarão abertas para oferecer merenda escolar aos alunos que mais precisam. Também estarão disponíveis para a distribuição de material didático impresso e chips de internet aos alunos que fizeram adesão ao programa. Todos os atendimentos serão feitos com horário marcado.

As escolas das redes municipal e particular terão autonomia para decidir se vão ou não acompanhar o calendário da rede estadual, antecipando o recesso. 
 

Copiar o texto
09/03/2021 14:00h

O Plano é uma alternativa de direcionamento para os gestores, com relação à volta às aulas nas redes municipais

Baixar áudio

A Secretaria de Estado da Educação de Alagoas apresentou o plano de retomada das aulas para os prefeitos e secretários municipais de educação do estado. O encontro aconteceu na sede da Associação Alagoana dos Municípios (AMA) e foi transmitido virtualmente.

O Plano é uma alternativa de direcionamento para os gestores, com relação à volta às aulas nas redes municipais. O documento foi disponibilizado para os municípios, para servir como base pedagógica para ajudar as secretarias na construção dos planos municipais.

MEC disponibiliza novo ciclo do Plano de Ações Articuladas para estados, municípios e DF

MINUTO UNICEF: como manter a escola aberta, em segurança?

O novo decreto que aumentou as medidas restritivas para tentar conter o avanço da covid-19, anunciado no último domingo (7), não alterou o cronograma da volta às aulas no estado. 

Na rede pública estadual o retorno deve acontecer nesta quarta-feira (10), conforme calendário já definido e divulgado anteriormente. Na rede privada as aulas vão continuar na modalidade híbrida e nas redes municipais depende do posicionamento dos prefeitos para retornarem.

Copiar o texto
05/03/2021 18:00h

Aulas são gratuitas e participantes receberão certificado emitido pela instituição

Baixar áudio

A Universidade de Brasília (UnB) oferece a professores da rede pública de ensino um curso online gratuito sobre combate à dengue, zika e chikungunya. O material didático, organizado em 11 módulos, foi desenvolvido por professores da UnB e de outras instituições. 

O curso “Arbocontrol nas escolas” tem como público-alvo professores de escolas da rede básica de ensino na modalidade EaD, sem tutoria. Os participantes receberão um certificado de extensão emitido pela UnB ao concluírem as aulas.

MINUTO UNICEF: Por que é importante reabrir as escolas em segurança?

Para se inscrever, acesse ecos.unb.br. Demais informações podem ser obtidas no e-mail ecos@unb.br ou pelo telefone (61) 99277 8143.
 

Copiar o texto
Educação
05/03/2021 08:00h

Serão investidos R$ 500 milhões para apoiar as prefeituras

Baixar áudio

Buscando fortalecer o regime de cooperação entre estado e municípios mineiros no atendimento educacional, o governo de Minas lançou o projeto “Mãos Dadas”, da Secretaria de Estado de Educação (SEE). A iniciativa terá apoio e incentivo para que as cidades ampliem a oferta dos anos iniciais do ensino fundamental.

Serão investidos R$ 500 milhões para apoiar as prefeituras. O recurso poderá ser utilizado para a construção de escolas, aquisição de mobiliários, execução de obras e reformas, entre outras ações.

MINUTO UNICEF: Por que é importante reabrir as escolas em segurança?

Escolas recebem R$ 62 milhões para garantir água e saneamento básico

O projeto possibilitará a aproximação das decisões pedagógicas e administrativas do município focadas nas necessidades dos alunos de anos iniciais, criando uma unidade pedagógica no ciclo da infância.

Segundo a Secretaria de Estado de Educação, o foco do Estado no ensino médio é garantir melhores resultados no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) em Minas.

Copiar o texto
12/02/2021 00:00h

Evento on-line reuniu prefeitos, dirigentes e equipes técnicas das secretarias de educação de municípios de todo o Brasil, trazendo uma análise da situação das redes de ensino no contexto pandêmico

Baixar áudio

A educação brasileira pública suspendeu as aulas em meados de março do ano passado em função da pandemia e a grande maioria das escolas permanecem fechadas até o momento, o que obviamente implica em uma série de desafios para os novos gestores, que acabaram de assumir seus mandatos. Diante deste cenário, o Itaú Social promoveu o seminário virtual “Caminhos e soluções para a melhoria da educação: desafios e oportunidades das novas gestões municipais”.
 
O evento on-line reuniu prefeitos, dirigentes e equipes técnicas das secretarias de educação de municípios de todo o Brasil, trazendo uma análise da situação das redes de ensino no contexto pandêmico e o planejamento para o início do ano letivo, assim como as possibilidades de desenvolvimento das equipes de gestores educacionais.
 
A iniciativa contou com o apoio da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), do Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) e da Rede de Colaboração Intermunicipal em Educação.

Inep aponta disparidades no acesso à internet em escolas brasileiras

Mais da metade das famílias com crianças e adolescentes que estudam em escola pública não recebeu alimentação escolar durante fechamento na pandemia
 
O coordenador da área da educação do Centro de Estudos de Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Fernando Abrucio, avaliou como estão os primeiros dias dos novos gestores, os desafios deste ano e o agravamento da desigualdade decorrente da pandemia. Para ele, os prejuízos na educação em 2020 não vão se esgotar em 2021 e é preciso pensar a longo prazo.
 
Abrucio defende a criação de um Sistema Nacional de Educação, com um planejamento integrado entre Municípios, Estado e União. “A palavra chave para resolver o problema da educação nos próximos quatro anos com grandes desafios educacionais, desafios da pandemia, desafios gerenciais, é colaboração. Colaboração dentro das escolas, colaboração entre escolas, colaboração com a sociedade, colaboração com os municípios e colaboração federativa”, disse.
 
Ele lembrou que os municípios estão em uma situação fiscal complicada, vinculada à redução da atividade econômica da própria pandemia, o que dificulta o trabalho dos gestores. O especialista destacou ainda a importância do processo de acolhimento e de criar condições de infraestrutura para a volta às aulas.
 
Durante o seminário, também foram apontadas estratégias para enfrentamento deste cenário, como iniciativa da Busca Ativa Escolar. A plataforma gratuita ajuda os municípios a combater a exclusão escolar. A intenção é apoiar os governos na identificação, registro, controle e acompanhamento de crianças e adolescentes que estão fora da escola ou em risco de evasão.
 
Para o chefe de educação da Unicef no Brasil, Ítalo Dutra, o maior prejuízo é justamente para crianças e adolescentes em situação de maior vulnerabilidade, que já sofriam antes pelas mazelas do atraso escolar. “São dados realmente alarmantes, que nos projetam cerca de 5,5 milhões de crianças e adolescentes que simplesmente não estavam com vínculo na escola. Ou se consideravam matriculados mas não conseguiram ter acesso a atividades escolares ou nem estavam matriculados no início de 2020”, ressaltou.
 
Após o painel foi lançado o programa Melhoria da Educação: Ciclo 2021-2024, que tem como propósito fortalecer as secretarias municipais de educação em sua capacidade para garantir acesso, permanência e aprendizado com equidade. O edital do programa já está aberto. Foram selecionadas redes de ensino para participar de processos formativos e implementação de tecnologias educacionais.
 

Copiar o texto
02/02/2021 13:30h

No dia 10 de fevereiro, o Itaú Social também realizará o seminário "Caminhos e soluções para a melhoria da educação: desafios e oportunidades das novas gestões municipais"

Baixar áudio

A União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) lançou uma pesquisa para compreender como está sendo o planejamento das redes municipais de ensino quanto aos calendários letivos de 2020 e 2021. Dirigentes de educação, adjuntos ou representantes das secretarias municipais de Educação têm até o dia 12 de fevereiro para responder o questionário online.

O objetivo é entender o cenário da educação pública nos municípios e as principais dificuldades para, a partir daí, criar estratégias, discutir e pautar o tema como forma de apoiar os municípios. 

Capacitação de educadores visa retorno às aulas presenciais no Brasil

Escolas públicas de todo País têm até 1º de março para informar número de alunos matriculados em 2021

No dia 10 de fevereiro, o Itaú Social também realizará o seminário "Caminhos e soluções para a melhoria da educação: desafios e oportunidades das novas gestões municipais". O evento transmitido pelo Youtube deve analisar a situação das redes municipais de ensino e o planejamento para o início do ano letivo, assim como as possibilidades de desenvolvimento das equipes de gestores educacionais que assumem as secretarias em 2021.

O evento é voltado a prefeitos, dirigentes municipais de educação e equipes técnicas de secretarias municipais e estaduais de educação, além de demais interessados.

Copiar o texto
29/01/2021 13:00h

Volta do ensino presencial deve ocorrer em 24 de fevereiro

Baixar áudio

As aulas da rede municipal de ensino do Rio de Janeiro estão marcadas para voltar em 8 de fevereiro, inicialmente de forma remota. Os alunos receberão materiais didáticos impressos e atividades para serem desenvolvidas em seus domicílios. 

Estudantes e alunos vão receber um pacote de dados de internet com 1 giga para acompanharem as aulas. O ensino remoto será veiculado pela plataforma Rio Educa, criada pela Prefeitura do Rio e os conteúdos poderão ser vistos também no canal municipal de TV MultiRio. 

Déficit tecnológico é impasse na volta às aulas do ensino remoto

A Secretaria Municipal de Educação afirma que afirma que todas as atividades virtuais estarão disponíveis duas semanas após o retorno das aulas. A volta das aulas presenciais está estimada para 24 de fevereiro. 

Copiar o texto