Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Covid-19

24/09/2020 15:30h

Torneio teve quase dois mil estudantes inscritos de escolas públicas e privadas que usaram a criatividade para combater o coronavírus

Baixar áudio

O Serviço Social da Indústria (SESI) anuncia, nesta quinta-feira (24), os vencedores do Desafio Covid-19 de Robótica. Lançado em junho, o torneio teve 400 equipes e quase dois mil estudantes inscritos de escolas públicas e privadas de todo o país. Na fase final, 39 equipes formadas por jovens com idade entre 9 e 18 anos disputam as primeiras colocações. 

“A gente conseguiu juntar toda a criatividade desses competidores com o momento que estão vivenciando de distanciamento social. Conseguimos perceber uma gama muito grande de inovação, de ideias criativas, que eles trouxeram para tentar combater a Covid-19 na nossa sociedade. Acredito que a gente tenha contribuído para solucionar esse grande problema que temos vivenciado”, destaca Katia Marangon, gerente de Educação Tecnológica do SESI nacional.

Os projetos finalistas reúnem ideias para o combate ao coronavírus. Uma das equipes, com base em respostas de um questionário on-line em que as pessoas relataram que o maior medo durante a pandemia era ir ao supermercado, desenvolveu uma cabine de desinfecção das compras, instalada no caixa. Com capacidade de até 22 quilos, a cabine leva cerca de 30 segundos para desinfetar os produtos. Tudo de forma automática.

Finep/MCTI lança edital para apoiar projetos inovadores com tecnologia 4.0

SENAI oferece cursos de capacitação a custo mais baixo para empresas que adotaram “lay-off”
 
Outra equipe finalista, a Turma do Bob, da unidade do SESI de Governador Valadares (MG), desenvolveu um interruptor que funciona por meio de um sensor ultrassônico, que pode ser acionado sem a necessidade do toque, a uma distância de 4 centímetros, o chamado Switch TdB. Os autores também incluíram no protótipo uma pequena lâmpada de LED que informa ao usuário se a mão está sendo detectada.

Uma das participantes do projeto, Bárbara Vieira, de 14 anos, destaca que a experiência vivida ao longo do torneio será levada para a vida toda. “Estar participando de uma competição de robótica pela primeira vez é muito bom. É uma experiência incrível. Participar com a Turma do Bob é incrível, pois ao mesmo tempo que me divirto, eu aprendo muito”, diz. 

Switch TdB - Foto: Equipe Turma do Bob

O professor técnico da Turma do Bob, Thulyo Menezes, explica que o trabalho no grupo foi focado na prevenção de uma das formas mais comuns de infecção pela coronavírus, o toque em locais onde o vírus ainda está vivo. “A gente focou muito no combate e prevenção à Covid-19 por inibição de toque. Pela pesquisa que os meninos (grupo) fizeram, eles perceberam que o vírus tem uma sobrevida de 72 horas ou mais dependendo do material onde está sobreposto. Eles perceberam que com o vírus alojado nesse local e ainda ativo, a pessoa no próximo contato pode, sim, ser contaminada. Por isso a ideia de tentar evitar o toque em locais que tenham maior fluxo de pessoas. Por exemplo, em clínicas, em laboratórios, em escolas, banheiros, entre outros”, explica.

Doce prevenção  

Em outro time que concorrerá ao prêmio, o projeto foi voltado para o fortalecimento da imunidade como forma de prevenção ao coronavírus. Os estudantes criaram um chocolate 70% cacau, no qual acrescentaram vitaminas indispensáveis para manter a imunidade em alta como Vitamina C, D, E, Complexo B, Zinco e Selênio.
Como existem diferentes requerimentos nutricionais para essas substâncias a depender da idade da pessoa, os alunos optaram por criar três variações do chocolate: um pode ser ingerido por crianças de 2 a 3 anos; outro dos 4 aos 12; e a terceira opção é voltada para pessoas com idade acima de 12 anos.

Premiação

Sete equipes serão premiadas: primeiro, segundo e terceiro lugares no geral, e haverá ainda, prêmios para o Melhor Projeto de Pesquisa; Melhor Projeto em Criatividade e Inovação; Melhor Proposta de Empreendedorismo e, também, de Impacto Social.

Cada equipe selecionada só poderá ser premiada em uma categoria. Todas as sete vencedoras vão receber medalhas individuais por competidor e um troféu por equipe, da respectiva categoria conquistada. Além disso, as três primeiras colocadas serão convidadas a expor seus projetos em um stand exclusivo, durante o próximo Festival SESI de Robótica, previsto para ocorrer em maio de 2021.
 

Copiar o texto
24/09/2020 13:30h

Atualmente, em MG, estão cadastrados no SUS fácil 20.922 leitos de enfermaria e 3.902 leitos de UTI

Baixar áudio

O governo de Minas Gerais avalia como será a utilização de leitos abertos durante a pandemia no estado. Segundo o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, houve uma expansão muito grande no número de leitos para pacientes diagnosticados com Covid-19, acima do que seriam as demandas em situações normais no estado. De acordo com o titular da pasta da Saúde, o governo vai avaliar e definir onde será preciso manter esses novos leitos, bem como quais seriam as características de cada um.

Congresso Nacional estabelece R$15 bilhões extras para combate à pandemia

Municípios mantêm alta em relação a contratações de profissionais de saúde, aponta IESS

Atualmente, em Minas Gerais, estão cadastrados no SUS quase 21 mil leitos de enfermaria e 3.902 leitos de UTI. A taxa de ocupação geral de leitos de UTI está em 63,95% e de leitos de enfermaria está em 60,81%. O estado mineiro registrou, até o momento, mais de 271 mil casos confirmados de Covid-19. Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, a possibilidade de reinfecção reforça a necessidade de se manter as medidas de prevenção, independente se a pessoa já teve ou não a Covid-19. 

Copiar o texto
Brasil
24/09/2020 10:30h

Atendimentos presenciais foram retomados na última semana, mas perícias tiveram que ser suspensas após médicos se negarem a trabalhar, alegando falta de segurança

Baixar áudio

O INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) vai permitir a remarcação de perícia médica por meio da central 135. A nova regra vale para os casos em que o usuário não comparecer na data agendada ou quando não for possível atendê-lo pela agência da Previdência. 

A medida ocorre em meio ao retorno gradual do atendimento presencial nas unidades do INSS, como forma de combater a disseminação do novo coronavírus. De acordo com a portaria, a perícia médica será remarcada para o local onde o atendimento foi agendado inicialmente. A medida não se aplica às agências que permanecem fechadas ou que não ofertam o serviço. 

Governo determina que peritos de 150 agências do INSS devem voltar ao trabalho imediatamente

“Drive Thru” do INSS é expandido para 803 municípios

Desde a semana passada, o INSS retomou o atendimento presencial, mas exclusivamente para pessoas com agendamento prévio.  No entanto, os médicos peritos decidiram não voltar ao trabalho alegando insegurança. Na última terça-feira, o INSS informou que, após adequações, 149 peritos médicos federais retomaram os atendimentos em 57 agências da Previdência Social.

Copiar o texto
24/09/2020 10:20h

Desses, 3,9 milhões testaram positivo para a Covid-19. Levantamento também aponta que afastamento do trabalho devido ao distanciamento social continua em queda

Baixar áudio

Cerca de 17,9 milhões de brasileiros, o que significa 8,5% da população, fizeram algum teste para saber se estavam infectados pelo novo coronavírus até o mês de agosto. Desses, 21,6% (o equivalente a 3,9 milhões de pessoas) testaram positivo para a Covid-19.  Os dados estão na pesquisa PNAD Covid-19, divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 

O levantamento também aponta que o desemprego aumentou. Se no começo da pesquisa eram 10,1 milhões de desocupados, agora saltou para 12,9 milhões, aumento de 27,6%. Já a força de trabalho subiu de 93,7 milhões, em julho, para 95,1 milhões em agosto. 

CNS critica decisão do MS de revogar Portaria com lista de doenças relacionadas ao trabalho

Covid-19: Menor burocracia poderia ter agilizado início dos testes da vacina no Brasil, defendem especialistas

Segundo a pesquisa, o Acre foi o estado que apresentou a maior proporção de pessoas ocupadas afastadas do trabalho devido ao distanciamento social: 12,4%. Com exceção do Acre, Amapá e Rondônia, todas as unidades da federação registraram queda no percentual de pessoas ocupadas, mas afastadas do trabalho por causa do distanciamento social. 

Copiar o texto
24/09/2020 00:00h

Recursos serão destinados a ações de Atenção Primária à Saúde

Baixar áudio

Por meio de portaria, o Governo Federal vai transferir cerca de R$ 319 milhões a municípios de todos os estados do país e o Distrito Federal para o fortalecimento de equipes e de serviços relacionados à Atenção Primária à Saúde. A transferência dos recursos tem o objetivo de auxiliar as unidades federativas no enfrentamento à pandemia da Covid-19. 

Segundo a publicação, os repasses devem ser utilizados no atendimento a públicos específicos, como indígenas, população ribeirinha, ciganos, quilombolas, detentos, pessoas em situação de rua, entre outros. Damares Alves, ministra da Mulher, Família e dos Direitos Humanos explica que ajuda financeira é essencial, devido à maior vulnerabilidade que esse público sofre em relação aos impactos do coronavírus.

“Todos eles, que por conta da pandemia passam por dificuldades, serão contemplados. Essa ajuda é para cuidar das pessoas mais vulneráveis [à Covid-19]”, disse a titular da pasta. 

De acordo com a portaria, “o incentivo financeiro tem a finalidade de apoiar a gestão local na qualificação da identificação precoce, do acompanhamento e monitoramento de populações específicas com síndrome gripal, suspeita ou confirmação da Covid-19.”

Municípios mantêm alta em relação a contratações de profissionais de saúde, aponta IESS

MS vai transferir R$ 369 milhões para municípios rastrearem e monitorarem contatos de infectados com a Covid-19

Para Renato Araújo, advogado especialista em Direito Constitucional, a ajuda federal é bem-vinda, mas ocorre com atraso. Ele ainda ressalta que esse tipo de transferência geralmente demora para ser efetivada.

“As pessoas contempladas são realmente mais vulneráveis e compõem o grupo de risco da Covid-19. No entanto, essa é uma medida tardia, pois ocorre no momento em que o país ultrapassa os 130 mil por conta do coronavírus. Além disso, toda transferência de recursos [a estados e municípios] é burocrática.”

O governo federal afirma que essas transferências ocorrerão em parcela única e não é necessária a adesão dos entes federativos para o recebimento dos recursos. Além disso, desde abril mais de R$ 4,7 bilhões foram destinados a povos e comunidades tradicionais. 

Copiar o texto
23/09/2020 14:00h

Um estudo conduzido pela Fiocruz indica que o novo coronavírus, responsável pela pandemia de 2020, é capaz de infectar células neurais.

Baixar áudio

Um estudo realizado no Centro de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde (CDTS/Fiocruz), em parceria  com o Instituto D'Or (Idor) e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), indicou que o novo coronavírus Sars-Cov-2, responsável pela pandemia covid-19, é capaz de infectar células neurais.

De acordo com a pesquisa, o vírus tem capacidade de infectar células neurais, embora não consiga se replicar no sistema nervoso central. Portanto, ao infectar o plexo coróide, há uma reação do sistema imunológico do organismo humano. Na análise, os pesquisadores pressupõe  que essa reação pode ter permitido que o coronavírus acessasse o sistema nervoso central e causasse danos no cérebro.

Projeto de lei prevê incentivos fiscais a pesquisas e estudos relacionados à Covid-19

Queda do orçamento de Transportes e Saneamento está ligada a investimento no setor privado, dizem especialistas

Com o avanço dos estudos, pesquisadores acreditam que  a doença Covid-19, que  inicialmente foi descrita como uma infecção viral do trato respiratório, afeta outros sistemas biológicos, incluindo o sistema nervoso central (SNC), como foi observada em alguns casos.

Copiar o texto
23/09/2020 00:00h

Concessão vai ocorrer de forma escalonada; governo ainda não divulgou calendário do pagamento para público geral

Baixar áudio

Até 30 de setembro, 1,6 milhão de beneficiários do Bolsa Família irão receber a primeira das quatro parcelas do lote residual do Auxílio Emergencial. Essa etapa da concessão do benefício refere-se ao pagamento de R$ 300. Para mães chefes de família, o valor será de R$ 600. 

A concessão do lote residual do Auxílio Emergencial aos beneficiários do Bolsa Família ocorrerá de forma escalonada, conforme o Número de Identificação Social (NIS). Os primeiros a receber o benefício são os que têm o NIS com final 1 e os últimos serão àqueles que possuem o NIS com final 0. 


Passados seis meses da pandemia, o secretário-executivo do Ministério da Cidadania, Antônio Barreto, alega que o novo coronavírus ainda tem causado danos à renda familiar dos brasileiros e que a prorrogação visa justamente minimizar esses transtornos. “O intuito é que essas pessoas tenham essa proteção financeira nesse momento da pandemia, pois ainda estão passando por um período frágil e difícil.”

Saiba quais os novos critérios do auxílio emergencial estendido até dezembro

Auxílio Emergencial ajuda a baixar pobreza extrema no Brasil

Em 16 de setembro, o presidente Jair Bolsonaro, publicou o decreto que regulamenta a prorrogação do pagamento do Auxílio Emergencial por mais quatro parcelas de R$ 300. O documento estabelece novos critérios para ter acesso à ajuda residual. Pessoas que antes eram consideradas elegíveis, mas que adquiriram vínculo empregatício deixarão de receber o benefício. 

Barreto explica que a publicação traz esclarecimento de quem têm direito ou não ao Auxílio emergencial. “Ficou claro que os detentos em regime fechado não têm direito ao auxílio, mas aqueles em regime aberto ou semiaberto podem receber o benefício. Brasileiros que moram no exterior não têm direito”, diz. 

O governo ainda não divulgou o cronograma do pagamento Auxílio emergencial a quem não é beneficiário do Bolsa Família. O benefício já contemplou 67,2 milhões de pessoas, segundo o Ministério da Cidadania. 
 

Copiar o texto
22/09/2020 10:30h

De acordo com o balanço, a média móvel de casos, que mostra a variação dos últimos 14 dias, teve resultado negativo de 11,4% no interior

Baixar áudio

O Amazonas registrou, de 13 a 19 de setembro, uma redução de 29,4% das internações por Covid-19. É o que aponta um levantamento divulgado nesta segunda-feira (21) pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). Ainda de acordo com o balanço, no mesmo período, houve um recuo de 63,1% no interior do estado e de 1,3% em Manaus.

Os dados revelam, ainda, que os óbitos tendo o novo coronavírus como causa confirmada registraram estabilidade, com variação de 7,5%. Os municípios de Manaus, Parintins e Carauari concentram 57% das mortes ocorridas nesse período.

Dez mil voluntários serão testados contra a Covid-19 em nova fase

Sancionada lei que regula pagamento de auxílio a quem teve redução de salário

De acordo com o balanço, a média móvel de casos, que mostra a variação dos últimos 14 dias, teve resultado negativo de 11,4% no interior, entre os dias cinco e 19 de setembro. No mesmo período foi registrado um aumento de 33,2% na capital.

Copiar o texto
22/09/2020 00:00h

Foi autorizada a ampliação da faixa etária dos participantes, com a inclusão de maiores de 69 anos

Baixar áudio

A vacina para combater a Covid-19 que possui os testes mais avançados no mundo, segundo o Ministério da Saúde, é a Oxford-Astrazeneca, que também é a que está em processo de análise mais avançado no Brasil. E agora, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou a ampliação dos estudos dessa vacina.

Desta forma, o número de voluntários vai dobrar, passando de cinco para dez mil participantes no Brasil. Além disso, foi autorizada a ampliação da faixa etária dos participantes, com a inclusão de maiores de 69 anos. A Anvisa também autorizou o aumento no número de estados onde os testes serão realizados e já estão liberados para entrar no processo de testes, o Rio Grande do Norte e o Rio Grande do Sul. Antes apenas São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia apresentavam condições técnicas para realizar os testes.



Os teste para a vacina contra a Covid-19 no Brasil está na fase 3, o que significa que a mesma é administrada a uma grande quantidade de indivíduos, normalmente milhares de pessoas, para que seja demonstrada a sua eficácia e segurança, ou seja, que a vacina é capaz de proteger os indivíduos com o mínimo possível de reações adversas. O gerente geral de Medicamentos da Anvisa, Gustavo Mendes, explica a importância de ampliar o número de pessoas e estados durante essa fase de testes.

“Quando você aumenta o número de voluntários, você tem uma maior adesão do país à pesquisa. Isso pode influenciar na celeridade dos resultados, pois quanto mais participantes, mais rápido você consegue ter um número suficiente para ter um resultado considerado válido. Em relação à faixa etária é importante. Ter voluntário maior de 69 anos vai possibilitar a inclusão em uma eventual bula dessa vacina como uma população que pode se beneficiar dela”, explicou Mendes.

PEC pretende beneficiar crianças e jovens com pagamento de benefício mensal

Orçamento emergencial para minimizar efeitos da pandemia tem execução superior a 70%

Se for considerado o desenvolvimento de vacinas ao longo da história da humanidade, podemos avaliar que a testagem e produção para uma vacina contra a Covid-19 está sendo realizada de forma muito acelerada, tanto pela tecnologia disponível hoje, quanto ela necessidade em vista da pandemia causada pela doença. Desta forma, o médico infectologista Hermeson Luz, acredita que se todo o processo de avaliação dessa nova vacina se mantiver no ritmo atual, é possível termos tudo pronto em janeiro de 2021.  

“Esse levantamento da última fase da vacina é de suma importância para termos certeza da segurança. Há pouco tempo tivemos alguns efeitos colaterais que foram relatados e levantados, mas agora a vacina voltou aos testes. Eu acredito que em janeiro possamos ter acesso à essa vacina, mas, óbvio, sempre com os olhos abertos para tentar reconhecer qualquer necessidade de intervenção ou não”, destacou o médico infectologista.  

A solicitação para ampliar os testes no Brasil foi do laboratório Astrazeneca, responsável pelo desenvolvimento da vacina, juntamente com a Universidade de Oxford. Importante destacar que ela tem origem no Reino Unido, mas com o acordo feito com o Brasil, será realizada a transferência de tecnologia para o laboratório nacional de Biomanguinhos, ou seja, uma vez que a vacina seja registrada, ela vai poder ser produzida no Brasil.

Copiar o texto
22/09/2020 00:00h

R$ 264,8 milhões serão utilizados para construir cisternas em escolas das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste

Baixar áudio

Por meio de medida provisória, o Governo Federal abriu crédito extraordinário de cerca de R$ 264,8 milhões a favor dos ministérios da Educação e da Cidadania. A maior parte dos recursos (R$ 178,5 milhões) será para a pasta da Educação, que utilizará os repasses para investimentos em medidas de segurança relacionadas à Covid-19 nas aplicações do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) e de outras provas aplicadas pelo governo. 

Outros R$ 86,3 milhões serão utilizados pelo Ministério da Cidadania para projetos que têm como objetivo possibilitar a universalização da água em escolas públicas das regiões Centro-Oeste, Norte e Nordeste.

Sérgio Queiroz, secretário especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, explica que, junto com outras ações do governo federal, o crédito extraordinário será fundamental para garantir o acesso a água pela comunidade escolar dessas regiões. 

“Esse crédito extraordinário, somado aos investimentos que já vêm sendo feitos no Programa Cisternas vai possibilitar que o Ministério da Cidadania universalize o acesso à água nas escolas públicas do Centro-Oeste, Norte e Nordeste.”

Os recursos previstos na MP visam adequar instituições de ensino para as medidas de higiene recomendadas por especialistas para que seja evitado o contágio do novo coronavírus. O professor de economia no Ibmec-DF William Baghdassarian diz que a pandemia da Covid-19 tem sido um desafio ao governo, pois ele acaba sendo obrigado a gastar mais do que o previsto. 

“Essa é mais uma das despesas que foram trazidas para o contexto da pandemia, que pressionam o orçamento da União e fazem com que o governo abra um crédito extraordinário.”

Governo propõe aumento de cerca de R$ 1,7 bi no orçamento do Ministério da Educação para 2021

Novo Fundeb prevê complementação de 23% da União

Segundo o Ministério da Cidadania, a implantação de cisternas vai promover melhores condições no retorno às atividades de 6.500 escolas, com garantia de água para consumo humano e viabilizando o preparo da merenda nas escolas. A pasta afirma que ainda vai realizar uma licitação para a contratação de empresas de engenharia.
 

Copiar o texto

Acesse nossos conteúdos de rádio