;<-- teste -->

Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Ministério da Cidadania

07/05/2021 18:35h

Interessados tem até o dia 20 de junho para se inscrever gratuitamente nas aulas

Baixar áudio

O Ministério da Cidadania lançou, nesta quinta-feira (6), o curso "Planejamento e Implementação de Políticas Públicas de Desenvolvimento da Primeira Infância", que será gratuito e oferecido na modalidade a distância e com linguagem auto instrucional.

Divido em seis módulos, o curso é destinado a formuladores e implementadores de políticas voltadas para a primeira infância, mas qualquer pessoa interessada no assunto também pode fazê-lo. Serão 40 horas de aulas, com o objetivo de contribuir para a formação e qualificação dos gestores públicos, aprimorando conhecimentos sobre o cuidado das crianças de 0 a 6 anos e o desenvolvimento da Primeira Infância.

Orçamento Criança: comissão aprova projeto para monitorar despesas com primeira infância

Ministério da Cidadania lança curso online de Estatística Básica para Políticas Públicas

As inscrições podem ser feitas até 20 de junho no Portal Capacitação Cidadania, e o curso deverá ser finalizado até o dia 30 do mesmo mês para emissão do certificado.

Como se inscrever

  • Acesse o Portal Capacitação Cidadania (http://ead.cidadania.gov.br/ead/)
  • Se for o primeiro acesso, clique em "Novo usuário"
  • Preencha os dados solicitados
  • Em seguida, entre com o CPF e a senha
  • No Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), clique sobre "Cursos"
  • Escolha qual formação você deseja se inscrever
  • Confirme e é só começar

Para receber o certificado, o participante deverá fazer o Teste Final, com desempenho mínimo de 60%, e a Avaliação de Reação. Em caso de dúvidas sobre o funcionamento do portal, acesse a opção “Perguntas Frequentes”.

Copiar o texto
19/04/2021 18:30h

Projeto Cuidar foi divulgado hoje (19), data em que se comemora o Dia do Índio

Baixar áudio

Os ministérios da Cidadania e da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos lançaram hoje (19) o Projeto Cuidar, que tem como objetivo conscientizar povos tradicionais e as comunidades indígenas sobre os efeitos do uso de álcool e outras drogas.

O início do projeto está previsto para o segundo semestre deste ano, caso as condições em relação a pandemia da Covid-19 permitam. O primeiro público a ser beneficiado será o da população indígena e, na primeira fase, as ações devem ser desenvolvidas no município de Dourados (MS).

De acordo com o ministro da Cidadania, João Roma, a parceria entre os ministérios atuará na capacitação de profissionais que possam mostrar novos caminhos e tratar diretamente na prevenção do uso de drogas e de álcool nas comunidades e povos tradicionais.

Copiar o texto
15/04/2021 00:00h

Monitoramento será feito em ações voltadas ao acolhimento e recuperação de indivíduos com transtornos relacionados ao uso, abuso ou dependência de psicotrópicos

Baixar áudio

Com objetivo de fortalecer e tornar mais efetivas as reuniões das Comunidades Terapêuticas, o Ministério da Cidadania publicou portaria que institui a fiscalização de forma remota desse tipo de acolhimento. A Portaria MC 625/2021, autoriza o monitoramento e fiscalização, por meio de videoconferências, de ações voltadas ao acolhimento e recuperação de indivíduos com transtornos relacionados ao uso, abuso ou dependência de psicotrópicos.

Estudos apostam no reposicionamento de medicamentos para tratar Covid-19

Eduardo Bismarck espera que Novo Refis impulsione aumento de arrecadação tributária

De acordo com o texto, a fiscalização será realizada por dois fiscais, sem aviso prévio à comunidade terapêutica e, no mínimo, uma vez durante a vigência de cada contrato. Esta deverá seguir alguns critérios de priorização como o quantitativo de vagas disponibilizadas e o mês de término da vigência do contrato. Outro ponto importante é que cabe à instituição encaminhar a documentação solicitada pelos fiscais durante a fiscalização remota, por meio de protocolo digital, em até 12 horas após o término de sua realização.

As ocorrências verificadas durante a fiscalização serão registradas em relatório, devendo a cópia ser encaminhada à comunidade em até 30 dias após a sua realização. A Comunidade Terapêutica terá o prazo de 10 dias, após o recebimento, para recorrer. O não cumprimento das obrigações, resultará nas sanções elencadas na legislação vigente e no respectivo instrumento contratual, sem prejuízo da rescisão contratual.

Copiar o texto
09/04/2021 16:30h

Compartilhamento de bancos de dados pretende garantir que o auxílio emergencial chegue às pessoas que mais precisam

Baixar áudio

Nesta quinta-feira (9), o Ministério da Cidadania firmou convênio com a Secretaria Especial da Receita Federal para permitir a troca de informações para ações de prevenção e repressão a fraudes relacionadas ao Auxílio Emergencial 2021.

Assim como em 2020, o Ministério pretende trabalhar com o cruzamento de dados extraídos do Cadastro Único e do banco de dados da Receita Federal. A análise será a partir da Declaração de Ajuste Anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física. 

Para o ministro da Cidadania, João Roma, “o propósito é garantir que o dinheiro público seja empregado nas pessoas que mais precisam”.
 

Copiar o texto
29/03/2021 12:45h

Ação de Distribuição de Alimentos (ADA) será realizada pelo Ministério da Cidadania nas localidades com decretos de Situação de Emergência (SE) ou Estado de Calamidade Pública (ECP)

Baixar áudio

O Ministério da Cidadania promove a distribuição gratuita de Cestas de Alimentos para minimizar os impactos econômicos da pandemia. Os municípios que desejam solicitar o apoio da pasta devem apresentar decretos de Situação de Emergência e Estado de Calamidade Pública.
 
Os decretos devem estar vigentes e serem reconhecidos pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec/MDR). As normas fazem parte da Portaria 618/2021, que traz a obrigatoriedade da declaração de calamidade pública para recebimento da Ação de Distribuição de Alimentos (ADA). 
 
A política é voltada para indígenas, quilombolas e beneficiários do Cadastro Único para Programas Sociais, através de parceria com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). 
 
Para participar, o município deve se cadastrar no Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID), para análise e reconhecimento federal. Após esse procedimento, o processo pode retornar para o município, com a solicitação de eventuais correções, como o acréscimo de documentos obrigatórios, por exemplo. 
 

Copiar o texto
25/03/2021 11:00h

Em audiência na Câmara, João Roma destacou que pagamentos do novo benefício terão início em abril, com o suporte das tecnologias digitais, para evitar aglomerações e filas

Baixar áudio

Durante sessão na Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados, nesta quarta-feira (24.03), o ministro da Cidadania, João Roma, destacou que o Programa Bolsa Família (PBF) está passando por um processo de reformulação para aumentar a abrangência.

A intenção é que o Bolsa Família possa ser um suporte mais amplo para o período após o fim do Auxílio Emergencial 2021, que começará a ser pago em abril, com parcelas de R$ 250, em média. As exceções são as chefes de família monoparental, que receberão R$ 350, e as pessoas que moram sozinhas, que terão direito a R$ 150.

O Governo Federal calcula que o pagamento do Auxílio Emergencial 2021 vai atingir pelo menos 45,6 milhões de famílias. Dos R$ 44 bilhões estabelecidos como limite para o benefício, R$ 23,4 bilhões serão destinados ao público já inscrito em plataformas digitais da Caixa, R$ 6,5 bilhões para integrantes do Cadastro Único e R$ 12,7 bilhões para atendidos pelo Programa Bolsa Família.
 

Copiar o texto
19/03/2021 10:15h

Essa é a maior folha de pagamentos já registrada pelo programa, com cerca de 300 mil novas famílias incluídas em março. Valor total de repasses é de R$ 2,7 bilhões, com benefício médio de R$ 186,49

Baixar áudio

O Programa Bolsa Família deu início aos pagamentos de março nesta última quinta-feira (18). Serão contempladas mais de 14,52 milhões de famílias, com um valor total de repasses de R$ 2,7 bilhões e benefício médio de R$ 186,49. 

Esse mês de março registrou a maior folha de beneficiários do programa, com 300 mil novas adesões em relação a fevereiro. Os pagamentos têm início pelos beneficiários com o Número de Identificação Social (NIS) final 1, seguindo até o dia 31, quando são contemplados aqueles com número final 0.

“O auxílio não pode ser visto como uma ajuda. A ajuda é antônima ao direito”, afirma doutor em Serviço Social

Mais 2,2 milhões de famílias do Bolsa Família passam a ter conta digital na Caixa em janeiro

Revisões do Cadastro Único e cancelamentos do Bolsa Família foram suspensos por mais 90 dias
 

A região Nordeste é a que possui o maior número de famílias atendidas. São mais de 7 milhões de beneficiários do programa, e três estados possuem mais de 1 milhão de contemplados. A lista segue com o Sudeste, 3,9 milhões, o Norte, 1,79 milhão, o Sul, 948 mil, e o Centro-Oeste, 702 mil. 

Os estados da Bahia, Pernambuco e Ceará concentram mais famílias do Bolsa Família do que toda a região Centro-Oeste ou Sul, por exemplo. 

Copiar o texto
17/03/2021 11:35h

Curso virtual do Ministério da Cidadania tem 40 horas de duração e é voltado para a qualificação dos profissionais que atuam com crianças, como técnicos dos Cras

Baixar áudio

O Ministério da Cidadania lançou um curso on-line voltado para a qualificação dos profissionais que atuam em políticas públicas da Primeira Infância. As inscrições podem ser realizadas até o dia 20 de abril. 

O curso "Programa Criança Feliz: Dialogando com as famílias" foi elaborado pelo governo federal em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). As aulas possuem 40 horas de duração e devem ser concluídas até o dia 30 de abril.

As atividades são voltadas para todos aqueles multiplicadores estaduais, supervisores municipais, visitadores domiciliares, gestores municipais de assistência social ou técnicos dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), por exemplo.

O objetivo é aprofundar os conhecimentos sobre as etapas de desenvolvimento infantil, para propiciar um maior apoio às crianças durante as visitas e encaminhá-las, quando necessário, à rede de serviços do território. O curso aborda temas como as dimensões do desenvolvimento infantil, os processos de aprendizagem, a gestação, o parto e o pós-parto.

Para participar, é preciso acessar o Portal EaD do Ministério da Cidadania, realizar o cadastro, selecionar a opção “Novo usuário” e preencher todos os dados solicitados. Em seguida, realizar o login, entrar no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), na área de "Cursos" e clicar no nome da capacitação que deseja se inscrever.

Copiar o texto
17/03/2021 00:00h

Iniciativa ocorre em parceria com a OIM e a Enap. As inscrições estão abertas e são gratuitas para qualquer pessoa

Baixar áudio

Estão abertas as inscrições para o curso online “Proteção socioassistencial a migrantes em situação de vulnerabilidade ou violação a direitos”. A iniciativa é do Ministério da Cidadania em parceria com a Escola Nacional de Administração Pública (EVG/Enap) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM). 
 
Além dos profissionais do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), a capacitação tem como alvo organizações da sociedade civil e servidores que realizam atendimento a migrantes. Qualquer pessoa interessada pode participar e não há necessidade de comprovar vínculo com alguma instituição. 
 
O curso vai durar 30 horas e começa com uma introdução ao fenômeno migratório e aborda os direitos dos migrantes no Brasil. Depois, trata de questões específicas do atendimento socioassistencial a esse público. As inscrições podem ser feitas pelo site: escolavirtual.gov.br/curso/383

Ministério da Cidadania lança diretrizes para assistência social em contextos de emergência

Governo abre inscrições para organizações da sociedade civil criarem referencial do programa Moradia Primeiro

Copiar o texto
05/02/2021 11:05h

Cerca de R$ 1,3 bilhão foram devolvidos aos cofres públicos

Baixar áudio

Cerca de 1,4 milhão de pessoas não movimentaram os recursos do auxílio emergencial, e R$ 1,3 bilhão foram devolvidos aos cofres públicos. De acordo com o decreto que regulamentou o benefício, o prazo para movimentar o dinheiro a partir do crédito na conta social digital é de 90 dias. No caso dos beneficiários do Bolsa Família que receberam o auxílio, o prazo foi de 270 dias.

Segundo o Ministério da Cidadania, ao longo de 2021, ainda serão realizados pagamentos resultantes de contestações de benefícios negados e que forem considerados elegíveis. O governo também está fazendo reavaliações decorrentes de atualização da base de dados. No dia 28 de janeiro, já houve um pagamento de auxílios após essas análises e revisões.

Prefeitos e Congresso Nacional devem discutir auxílio emergencial e vacinação

Fim de auxílio emergencial e dívidas de início de ano; especialista explica como se organizar

O calendário de liberação de saques do benefício foi encerrado no dia 27 de janeiro. O programa de transferência de renda atendeu a 67,9 milhões de brasileiros e gastou R$ 292,9 bilhões em auxílios.

 

Copiar o texto