Auxílio Brasil

07/10/2022 14:41h

Em todo o Brasil, 21,1 milhões de famílias receberão o benefício a partir do dia 11 de outubro

Baixar áudio

O Auxílio Brasil vai chegar a 1,4 mil lares da região Sul em outubro. A informação é da CAIXA e do Ministério da Cidadania. O valor total a ser distribuído no mês às famílias beneficiárias do programa nos três estados da região será de mais de R$ 862 milhões. 

Em todo o Brasil, 21,1 milhões de famílias serão beneficiadas em outubro. A maioria dessas famílias é chefiada por mulheres, como destaca a presidente da CAIXA, Daniella Marques.

“21,1 milhões famílias serão assistidas, lembrando que o auxílio passou de 400 para 600 reais. A maioria das famílias é chefiada por mulheres. Então, são 17 milhões e 225 mil de mulheres que vão estar recebendo o benefício e são mais de R$ 12 bilhões, num total que serão pagos a partir do dia 11." 

O crédito do Auxílio Brasil ocorrerá a partir de 11 de outubro para os beneficiários com final de NIS 1. O pagamento seguirá escalonado, de acordo com o final do NIS do beneficiário, com término previsto para o dia 25 de outubro. 

Os beneficiários podem movimentar os valores pelo aplicativo CAIXA Tem, não sendo necessário ir até uma agência para realizar o saque. 

Podem utilizar o cartão do Auxílio Brasil para realizar compras no débito em estabelecimentos comerciais. 

Também podem sacar o benefício nos terminais de autoatendimento, casas lotéricas, correspondentes CAIXA Aqui, além das agências da CAIXA. 

Quem tiver dúvidas sobre as parcelas ou demais funcionalidades pode acessar os aplicativos Auxílio Brasil e CAIXA Tem, ou ligar para o telefone 111, da CAIXA, e número 121, do Ministério da Cidadania.

O calendário com as datas dos pagamentos do Auxílio Brasil pode ser acessado no site caixa.gov.br.

Copiar o texto
07/10/2022 14:31h

Em todo o Brasil, 21,1 milhões de famílias receberão o benefício a partir do dia 11 de outubro

Baixar áudio

O Auxílio Brasil vai chegar a 2,5 milhões de lares da região Norte em outubro. A informação é da CAIXA e do Ministério da Cidadania. 

O valor total a ser distribuído no mês às famílias beneficiárias do programa nos sete estados da região será de mais de R$ 1,5 bilhões.

Em todo o Brasil, R$ 21,1 milhões de famílias serão beneficiadas em outubro. A maioria dessas famílias é chefiada por mulheres, como destaca a presidente da CAIXA, Daniella Marques.

“21,1 milhões famílias serão assistidas, lembrando que o auxílio passou de 400 para 600 reais. A maioria das famílias é chefiada por mulheres. Então, são 17 milhões e 225 mil de mulheres que vão estar recebendo o benefício e são mais de R$ 12 bilhões, num total que serão pagos a partir do dia 11." 

O crédito do Auxílio Brasil ocorrerá a partir de 11 de outubro para os beneficiários com final de NIS 1. O pagamento seguirá escalonado, de acordo com o final do NIS do beneficiário, com término previsto para o dia 25 de outubro. 

Os beneficiários podem movimentar os valores pelo aplicativo CAIXA Tem, não sendo necessário ir até uma agência para realizar o saque. 

Podem utilizar o cartão do Auxílio Brasil para realizar compras no débito em estabelecimentos comerciais. 

Também podem sacar o benefício nos terminais de autoatendimento, casas lotéricas, correspondentes CAIXA Aqui, além das agências da CAIXA. 

Quem tiver dúvidas sobre as parcelas ou demais funcionalidades pode acessar os aplicativos Auxílio Brasil e CAIXA Tem, ou ligar para o telefone 111, da CAIXA, e número 121, do Ministério da Cidadania.

O calendário com as datas dos pagamentos do Auxílio Brasil pode ser acessado no site caixa.gov.br.

Copiar o texto
05/10/2022 04:00h

AUXÍLIO BRASIL: 21,1 milhões de famílias receberão benefício a partir do dia 11 de outubro

Baixar áudio

O crédito do Auxílio Brasil de outubro, previsto inicialmente para ser realizado no dia 18, ocorrerá a partir de 11 para os beneficiários com final de NIS 1. Ao todo, 21 milhões e 100 mil famílias receberão o benefício, no valor mínimo de 600 reais, neste mês, sendo 17 milhões lideradas por mulheres. Na mesma esteira dos repasses, cerca de 6 milhões de famílias receberão o Vale Gás de R$ 112 reais, valor médio do botijão de gás no país. 

As informações foram divulgadas durante coletiva de imprensa, na manhã desta terça-feira, 4 de outubro, que contou com a participação do ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, e da presidente da CAIXA, Daniella Marques.

Levantamento feito pela CAIXA revela que 70% dos beneficiários do Auxílio Brasil são informais, ou seja, têm alguma atividade autônoma e usam os recursos, principalmente, para investimentos no próprio negócio. Nesse sentido, a CAIXA se prepara para uma campanha em prol do crédito consciente, como adiantou a presidente da CAIXA, Daniella Marques.

“Não queremos estimular o endividamento das famílias, ao contrário. Temos que ter ciência que boa parte dessas famílias já estão endividadas, principalmente, no rotativo do cartão de crédito, onde as taxas são bem mais elevadas. O Ministério da Cidadania estabeleceu teto de taxa de 3,5%, a gente vai operar certamente abaixo desse teto e, principalmente, com uma conscientização grande para substituição de dívida. Assim que estiver preparado será devidamente informado.”

Durante a coletiva, o banco informou que já emitiu mais de 6 milhões de cartões de débito do Programa Auxílio Brasil, a beneficiários que recebem o benefício em conta Poupança Social Digital. A vice-presidente de Governo da CAIXA, Tatiana Thomé, explicou que também foi desenvolvido o cartão de débito virtual do Programa, disponível no aplicativo CAIXA Tem.

“É mais uma facilidade que foi desenvolvida para atender essas pessoas, que não precisam se deslocar para receber o seu benefício.”

Os valores do benefício também podem ser movimentados pelo aplicativo CAIXA Tem. Ainda pelo aplicativo, os beneficiários podem fazer compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual do Auxílio Brasil.  

Pagamentos de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral também podem ser feitos pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas, que também são pontos para saques, por meio da geração de token diretamente no aplicativo.

Segundo o ministro da Cidadania, Ronaldo Bento, todos os beneficiários cadastrados no programa e aptos a receber o repasse foram contemplados, o que garante que 100% das famílias estão supridas com o Auxílio Brasil.

“Isso é cuidado com a população do nosso país, isso é prática, ação. Então, trouxemos uma rede que é mais eficiente, um cadastro que é mais eficaz, e estamos conseguindo fazer a diferença.”

É importante que todos os beneficiários estejam com as informações cadastrais atualizadas no aplicativo. Quem tiver dúvidas sobre as parcelas ou demais funcionalidades pode acessar o aplicativo Auxílio Brasil e CAIXA Tem ou pode ligar pelo telefone para o 111 da CAIXA.

Copiar o texto
Brasil
04/10/2022 03:00h

Valores podem ser movimentados pelo aplicativo CAIXA Tem a partir do dia 11

Baixar áudio

A CAIXA antecipará os pagamentos do Auxílio Brasil e do Auxílio Gás de outubro. Previstos inicialmente para o dia 18, os repasses vão começar na terça-feira, 11 de outubro, para os beneficiários com final de NIS 1. 

O pagamento seguirá escalonado, de acordo com o final do NIS do beneficiário, com término previsto para o dia 25 de outubro. 

Ao todo, 21,1 milhões de famílias serão beneficiadas em outubro, a maioria dessas famílias chefiadas por mulheres, como destaca a presidente da CAIXA, Daniella Marques.

“21,1 milhões famílias serão assistidas, lembrando que o auxilio passou de 400 para 600 reais. A maioria das famílias chefiadas por mulheres. Então, são 17 milhões e 200 mil de mulheres que vão estar recebendo o benefício e são mais de 12 bilhões, num total que serão pagos a partir do dia 11.”

A vice-presidente de Governo da Caixa, Tatiana Tomé, explica como o beneficiário pode acessar e movimentar o crédito recebido.

"Ele [beneficiário] pode movimentar o benefício recebido do Auxílio Brasil pelo aplicativo CAIXA Tem, utilizando todas as funcionalidades, como PIX, pagamento de boletos, o cartão de débito virtual do Auxílio Brasil. Ou também pode sacar o recurso em algum dos pontos de atendimento da CAIXA, seja nas próprias agências, nas lotéricas ou nos caixas eletrônicos."

Para ter direito aos benefícios é preciso estar cadastrado no programa. É importante que todos os beneficiários estejam com as informações cadastrais atualizadas no aplicativo. Quem tiver dúvidas sobre as parcelas ou demais funcionalidades pode acessar o aplicativo Auxílio Brasil e CAIXA Tem ou pode ligar pelo telefone para o 111 da CAIXA ou no número 121 do Ministério da Cidadania.

A diarista e mãe de dois filhos, Suene Lima, do Gama, no Distrito Federal, é uma das beneficiárias do Auxílio Brasil. Ela conta que o benefício tem sido muito importante para a família:  

"Meus filhos não trabalham, precisam de alimentos. Preciso pagar aluguel, água, luz. Então, só tenho que agradecer. Pretendo receber esse auxílio por um bom tempo, porque tem me ajudado muito." 

Voltado a pessoas em situação de vulnerabilidade econômica e social, o Auxílio Brasil tem repasses do valor mínimo de 600 reais por família. Segundo informações do Ministério da Cidadania, o benefício chegou a mais de 20 milhões de famílias em setembro de 2022. 

O Auxílio Gás é um benefício bimestral equivalente ao valor da média nacional do botijão de gás de cozinha de 13 quilos. Ainda de acordo com o Ministério da Cidadania, 5,6 milhões de famílias foram contempladas em agosto deste ano.

O calendário com as datas dos pagamentos do Auxílio Brasil e Auxílio Gás de outubro pode ser acessado no site caixa.gov.br.

Copiar o texto
15/08/2022 04:15h

Com o objetivo de impulsionar o empreendedorismo feminino para mulheres em situação de vulnerabilidade social, a caravana ainda deve passar por Distrito Federal, Maranhão, Piauí e Rondônia em agosto

Baixar áudio

A Caravana Brasil pra Elas percorre o Brasil com capacitação profissional para mulheres. A ação faz parte do Programa Brasil pra Elas, lançado em março pelo governo federal, em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento  Industrial (ABDI) e o Sistema S. O objetivo é impulsionar o empreendedorismo feminino para mulheres em situação de vulnerabilidade social, por meio de cursos, divulgação de vagas de emprego, palestras e orientação sobre crédito. A programação também inclui atendimento à saúde, atividades de lazer e sorteios.

Com a meta de capacitar 20 mil brasileiras, a caravana já passou pelas capitais de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Tocantins. Os próximos destinos são as capitais do Ceará, Maranhão, Pará, Pernambuco, Piauí, Rondônia, Roraima, além do Distrito Federal. Confira as datas:

  • São Luís (MA) - 06/08
  • Teresina (PI) - 16/08
  • Distrito Federal - 20/08
  • Porto Velho (RO) - 27/08
  • Fortaleza (CE) - aguardando data
  • Recife (PE) - aguardando data
  • Boa Vista (RR) - aguardando data
  • Belém (PA) - aguardando data

Força de trabalho feminina

O Programa Brasil pra Elas tem como foco o público feminino atendido pelo Auxílio Brasil. Apesar de serem as principais mantenedoras das famílias beneficiadas, as mulheres foram as mais afetadas pelo fechamento de postos de trabalho durante a pandemia da Covid-19.

Dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD) mostram que, no 3° trimestre de 2021, a força de trabalho feminina perdeu 1,1 milhão de mulheres se comparado ao mesmo trimestre de 2019.

Segundo a doutora em economia Amanda Aires, com a perda dos empregos, as mulheres possuem mais dificuldades para retomarem os níveis salariais, além de acumularem ainda mais trabalhos domésticos durante a pandemia.

“Os homens passaram a produzir menos e as mulheres passaram a produzir muito mais [em casa]. Então, as mulheres estão ainda nesse abismo de acumular tarefas na pandemia. E agora com dificuldade para retomar os seus postos de trabalho e seus níveis de salário.” 

Programa Brasil pra Elas

Para mitigar os efeitos da pandemia na força de trabalho feminina, o Programa Brasil pra Elas busca recolocar as mulheres no mercado de trabalho e formar empreendedoras e potenciais geradoras de empregos, por meio de capacitação profissional e linhas de crédito de bancos federais, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Banco da Amazônia e Banco do Nordeste.

Ramira Felix, empreendedora de Ananindeua (PA), conta que passou por um momento muito difícil financeiramente, durante a pandemia. Desempregada, ela não tinha capital de giro para abrir o próprio negócio. Por meio de crédito do Banco da Amazônia, Ramira conseguiu estruturar o sonho de uma loja de roupas.

“Foi na pandemia que tudo aconteceu. No momento de crise que o Brasil estava enfrentando. Esse crédito mudou completamente minha vida. Esse dinheiro multiplicou e eu fiz algumas mudanças na loja. Uma loja de roupas usadas se transformou em uma loja bonita e pop.”

A coordenadora nacional de Empreendedorismo Feminino do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Renata Malheiros, destaca o perfil de mulheres atendidas pelo programa.

“A pandemia e a crise econômica, vinculada também à pandemia, afetaram de maneira desproporcional as mulheres, sobretudo o segmento que já têm baixa escolaridade e que já vinham em uma situação de vulnerabilidade. Então, programas como esse fortalecem as oportunidades de geração de emprego e trabalho.”

Segundo Renata Malheiros, além de ajudar a garantir a independência financeira para as mulheres, programas como o Brasil pra Elas também trazem avanços sociais para as famílias.

“Quando você junta entidades do Sistema S - Sebrae, Senai, Senac - e parceiros de bancos, parceiros do governo, é um grande mutirão para apoiar as mulheres a aprender um ofício, a abrir uma empresa, a abrir uma conta de banco. O empreendedorismo feminino é uma das formas mais rápidas de conseguir a sua independência financeira, de conseguir renda e poder trazer progressos para você e para sua família.”

AMAZÔNIA PRA ELAS: Programa do Basa estimula empreendedorismo entre mulheres

EMPREENDEDORISMO FEMININO: Com maior proporção de donas de negócios no Nordeste, Sergipe tem empresa 100% feminina de construção civil

Mulheres lideram três em cada dez negócios no Brasil, mas respondem por apenas 20% das operações de crédito

Copiar o texto
09/08/2022 04:00h

Benefício de R$ 110 será pago até 22 de agosto com base no dígito final do NIS. O pagamento do Auxílio Brasil foi antecipado e também será transferido nesta semana

Baixar áudio

Começa nesta terça-feira (9) e vai até 22 de agosto o repasse do Auxílio Gás. O valor do benefício será de R$ 110, o dobro das parcelas anteriores em virtude da emenda constitucional que elevou os benefícios sociais. Segundo a Caixa Econômica Federal, são cerca de 5,6 milhões de famílias beneficiárias. 

A quantia será equivalente a 100% do preço médio do botijão de 13 quilos até a parcela de dezembro de 2022 e voltará a ser metade desse valor médio em 2023. O cálculo do valor do auxílio é feito pela Caixa com base em pesquisas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

O pagamento é bimestral e será feito em dias úteis da semana, de acordo com o dígito final do Número de Identificação Social (NIS). Beneficiários com final do NIS 1 recebem dia 9 de agosto, final 2 no dia 10, e assim vai até dia 22, quando recebem as famílias com dígito final do NIS 0.  

Em 2022, segundo o Ministério da Cidadania, o orçamento total do Auxílio Gás era de R$ 1,9 bilhão, valor que passou para R$ 2,95 bilhões com a emenda constitucional. A previsão de duração do benefício é de cinco anos.  

Auxílio Brasil

O pagamento do Auxílio Gás ocorrerá nas mesmas datas das parcelas do Auxílio Brasil, que teve o calendário antecipado neste mês. Originalmente, seria de 18 a 31 de agosto. Os repasses são de, no mínimo, R$ 600 reais. Diferentemente do outro benefício, no entanto, esse repasse é mensal. 

Segundo o governo federal, houve inclusão de mais de 2,2 milhões de novas famílias, totalizando 20,2 milhões de beneficiários. O Ministério da Cidadania afirma ter adicionado ao programa mais de 7 milhões de famílias ao longo dos últimos dez meses.  O estado com maior número de beneficiários aprovados de julho para agosto é o Rio de Janeiro, com 336 mil inclusões, seguido por São Paulo (290 mil) e Bahia (235 mil). 

Para o economista César Bergo, o repasse desses recursos tem potencial para desempenhar papel importante na economia nacional. “Do ponto de vista da economia, é muito importante porque vai movimentar mercados, como também a área de distribuição de gás. Esperamos que isso também ajude as pessoas nesse momento de dificuldade. Não tenha dúvida, o volume de recursos é alto e pode contribuir para a movimentação da economia”, opina. 

Quem pode receber

Estão aptas a receberem o Auxílio Gás todas as famílias inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) com renda familiar mensal menor ou igual a meio salário-mínimo por pessoa, e as que tenham alguma pessoa que mora na mesma casa e receba o Benefício de Prestação Continuada (BPC) da assistência social, inscritas ou não no CadÚnico.

Já para o Auxílio Brasil, podem participar as famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que tenham gestantes, mães que amamentam, crianças, adolescentes e jovens entre 0 e 21 anos incompletos. As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda familiar per capita de zero a R$ 100,00.

Os mesmos cartões e as mesmas senhas do Auxílio Brasil são utilizados para recebimento do Auxílio Gás. O saque pode ser feito em lotéricas, terminais de autoatendimento e correspondentes bancários Caixa Aqui. Há também a possibilidade de depósito em contas poupança digitais, criadas para o pagamento do Auxílio Emergencial em 2020.

Prazo

Os beneficiários têm até 120 dias após a data do pagamento para sacar o dinheiro. Caso contrário, o auxílio volta para a conta do governo. O aplicativo Caixa Tem disponibiliza ajuda para quem tiver dúvidas sobre a situação. Há ainda a central de atendimento da Caixa, no número 111. 

O Ministério da Cidadania também disponibiliza um telefone para quem tem dúvidas sobre o cadastro ou sobre o pagamento: basta ligar no telefone 121.

Copiar o texto
21/07/2022 19:15h

A nova versão permite também saques totais ou parciais do benefício e controle de despesas

Baixar áudio

O novo cartão do Auxilio Brasil permite pagamentos no débito, saques totais ou parciais do benefício e controle de despesas. O modelo vem com chip para poder realizar a função débito, e permitirá que os usuários acompanhem o movimento da conta e consigam controlar despesas. 

Segundo o Ministério da Cidadania, quem irá receber os cartões novos primeiro serão os beneficiários que ingressaram no programa a partir de dezembro de 2021, na modalidade Poupança Social Digital. 

A emissão ocorrerá de forma gradual para um público estimado de 6,6 milhões de famílias que ingressaram no programa a partir do final do ano passado. Neste primeiro mês, a previsão é de que sejam emitidos 3,2 milhões de cartões.

O objetivo da mudança é modernizar o pagamento do benefício e dar mais independência ao favorecido na realização de compras, além de aumentar a segurança das transações. 

Ministério da Cidadania prorroga prazos para a atualização do Cadastro Único

Inácia Fernandes, de 42 anos, moradora de Mucambo (CE), acredita que é mais fácil receber o dinheiro, pois já está acostumada. "Eu prefiro receber na hora o dinheiro e passar no mercado, fazer as compras e pagar alguma coisa que tem que pagar, de forma direta.”

O economista Newton Marques acredita que não há motivos para receio. Ele explica que essa atualização do cartão, na verdade, facilitará o controle dos gastos. “A ferramenta dá liberdade aos beneficiários para compras, saques e pagamentos. Inicialmente, receberão o cartão 6,6 milhões de beneficiários na modalidade poupança digital.”

As famílias podem acompanhar o envio do cartão ligando na Central de Atendimento da CAIXA, no telefone 0800 104 0104, e 4004-0104 para capitais e regiões metropolitanas, ou nas agências da CAIXA.

Vale lembrar que, mesmo com o novo modelo, os cartões antigos continuarão válidos.
 

Copiar o texto
20/07/2022 21:00h

Os prazos que seriam até os dias 10 e 15 de junho, agora serão até os dias 12 e 14 de outubro

Baixar áudio

Os prazos para a averiguação e revisão dos dados das famílias inscritas no Cadastro Único foram prorrogados. No último dia 14 de julho, o Ministério da Cidadania publicou a Instrução Normativa nº 3, onde consta a alteração no calendário no Anexo 1

As famílias que estão no processo de Revisão Cadastral, antes teriam até o dia 15 de julho para realizar a atualização dos dados. Agora, a data limite para a alteração é até o dia 14 de outubro. Já as famílias que estão em Averiguação Social ou foram convocadas pelo processo de Focalização do Auxilio Brasil, teriam até o dia 10 de julho para atualizar o cadastro. O novo prazo vai até o dia 12 de outubro.

A Focalização do Auxilio Brasil verifica os dados cadastrais das famílias beneficiárias do programa que devem apresentar renda acima da linha de emancipação (R$ 525,00) e abaixo de meio salário-mínimo (R$ 606,00) por pessoa. O processo permite que o programa possa dar mais atenção e atendimento às famílias com o perfil permitido pela legislação para participarem do programa.

Revisão Cadastral

A Revisão Cadastral tem como objetivo garantir a atualização dos dados fornecidos pelas famílias atendidas pelo Cadastro Único, que estão desatualizados. São informações que estão há mais de dois anos sem serem atualizadas.

Averiguação Social

A Averiguação Social é o processo de verificação do material registrado no Cadastro Único, através do cruzamento das informações declaradas pelas famílias com outros registros administrativos federais. A averiguação busca identificar possíveis inconsistências nos dados disponibilizados pelas famílias, inclusive se a renda de cada integrante da casa está correta.

Cadastro Único

O Cadastro Único é uma base de informações que permite ao governo saber quem são e como vivem as famílias de baixa renda no Brasil. Segundo o governo federal, as famílias que podem se inscrever precisam ter:

  • Renda mensal de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 606,00); ou
  • Renda mensal familiar total de até três salários mínimos (R$ 3.636,00); ou
  • Renda maior que três salários mínimos, desde que o cadastramento esteja vinculado à inclusão em programas sociais nas três esferas do governo.

Programas que fazem parte do Cadastro Único 

  • Programa Auxílio Brasil;
  • Programa Tarifa Social de Energia Elétrica;
  • Isenção de Taxas em Concursos Públicos;
  • ID Jovem;
  • Carteira do Idoso;
  • Programa Casa Verde e Amarela;
  • Programa Bolsa Verde.

Como realizar o cadastro

Primeiramente, o interessado precisa realizar o pré-cadastro pelo Aplicativo do Cadastro Único ou na versão Web. Após a inserção dos dados, será necessário comparecer a um posto de atendimento do Cadastro Único na cidade do solicitante no prazo de 120 dias para levar os documentos de identificação das pessoas da família e complementar outros dados que são essenciais. 

No dia do comparecimento ao posto de atendimento, não é necessário que todos os integrantes da família compareçam, basta ser maior de 16 anos e, preferencialmente, ser mulher. A pessoa que realizar o cadastro ficará como Responsável pela Unidade Familiar (RF) no Cadastro Único. O RF deverá comparecer levando apenas o CPF ou o Título de Eleitor.

Para o economista Renan Gomes, os benefícios que as famílias podem conseguir a partir do Cadastro Único são fundamentais, pois significam um complemento importante dos recursos e melhora a possibilidade do acesso da criança a uma escola. 

“Estamos falando de famílias com pessoas desempregadas ou em subempregos ganhando muito abaixo do necessário para conseguir pagar as contas. Também há evidências de que esse auxílio gera mais possibilidades das crianças frequentarem escolas e inclusive melhora a qualidade da nutrição dessas famílias.”

É importante ressaltar que a atualização do cadastro deve ser feita a cada dois anos ou sempre que houver alguma alteração como:

  • Óbito ou nascimento de alguém da família;
  • Mudança de endereço;
  • Mudança de cidade;
  • Alguém foi morar em outro lugar;
  • Aumento ou queda no salário de algum dos integrantes da família;
  • Entrada ou mudança das crianças de escola.

Para mais informações, é possível acessar o site da Ouvidoria do Ministério da Cidadania ou ligar no telefone 121 da Central de Relacionamento do Ministério da Cidadania.

Copiar o texto
18/07/2022 01:20h

Mais de 18 milhões de famílias devem ser beneficiadas com os repasses que somam R$ 7,3 bilhões. Valor deve subir em agosto, com a nova PEC aprovada

Baixar áudio

A parcela de julho do Auxílio Brasil começa a ser paga nesta segunda-feira (18). Mais de 18,13 milhões de famílias devem ser beneficiadas com esses repasses, de valor médio de R$ 408,80, que somam R$ 7,3 bilhões em recursos do governo federal. 

Começam a receber primeiro os beneficiários com o final 1 no Número de Identificação Social (NIS), de acordo com o calendário do programa. Os repasses seguem até o dia 29 de julho.

A população do Nordeste é a que possui o maior número de beneficiários, com quase 8,6 milhões de famílias, segundo dados da Secretaria Nacional de Renda de Cidadania. As regiões Sudeste (5,2 milhões), Norte (2,1 milhões), Sul (1,2 milhão) e Centro-Oeste (941 mil) aparecem em sequência.

Em relação aos estados, a Bahia lidera no número de famílias contempladas, com 2,26 milhões ao todo. Também há mais de um milhão de contemplados nos estados de São Paulo (2,18 milhões), Pernambuco (1,44 milhão), Minas Gerais (1,43 milhão), Rio de Janeiro (1,33 milhão), Ceará (1,32 milhão), Pará (1,15 milhão) e Maranhão (1,10 milhão).

A quantia mínima do benefício está estipulada em R$ 400. Esses números devem sofrer alteração em agosto, já que o Congresso Nacional promulgou a PEC dos Auxílios que prevê um pagamento mínimo desse programa de R$ 600, até dezembro. 

O calendário de pagamento desse novo valor ainda não foi divulgado, mas também deve seguir a ordem do número final do NIS. Têm direito ao benefício famílias em situação de extrema pobreza, com renda familiar mensal per capita de até R$ 210.

“Além do benefício principal, há rendas complementares possíveis de acordo com os perfis das famílias, como a Bolsa Esporte Escolar, a Bolsa de Iniciação Científica e a Inclusão Produtiva Rural”, divulgou o Ministério da Cidadania, em nota.
 

Copiar o texto
Brasil 61