Municipalização

26/07/2021 19:00h

Promovido pelo MDR em parceria com a GIZ e o WRI Brasil, evento será realizado nos dias 26 e 27 de agosto. Inscrições já estão abertas

Baixar áudio

Representantes de governos de estados e municípios da Região Centro-Oeste, além do Distrito Federal, já podem se inscrever para a oficina regional que vai debater a elaboração da Política Nacional de Desenvolvimento Urbano, a PNDU. O evento está marcado para os dias 26 e 27 de agosto. As inscrições podem ser feitas até 13 de agosto.

A oficina do Centro-Oeste marca o encerramento das discussões sobre a PNDU em âmbito regional. Em breve, o Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, também vai auxiliar na promoção de conferências livres sobre o tema.

Os participantes das oficinas integram o processo colaborativo para formular os Objetivos de Desenvolvimento Urbano Sustentável, também conhecidos como ODUS, que vão servir de norte para a elaboração da PNDU.

Fernanda Capdeville, coordenadora de Apoio à Gestão Regional e Urbana do Ministério, destaca a importância da participação dos gestores regionais para que a política pública possa atender as necessidades locais.

"A política é nacional. A ideia é que a gente tenha a visão das cidades e considere a diversidade territorial das cidades brasileiras. Por isso que é muito importante a participação dos agentes locais na construção dessa agenda para o desenvolvimento urbano sustentável, por qual essa política nacional vai desenvolver instrumentos e programas para que a gente alcance os resultados."

A oficina é promovida pelo MDR, em parceria com a Agência Alemã de Cooperação Internacional, a GIZ, e o instituto WRI Brasil. A Universidade Federal Rural do Semiárido, a Ufersa, também integra a iniciativa.

Para saber mais sobre ações de desenvolvimento urbano do Ministério do Desenvolvimento Regional, acesse mdr.gov.br.
 

Copiar o texto
20/07/2021 07:19h

Acordo permite ao portal de notícias a utilização e distribuição de conteúdos da revista especializada: "uma associação entre as expertises da comunicação e da mineração", resume diretor comercial da publicação.

Há cerca de um mês, os leitores e usuários do Brasil 61 passaram a contar, diariamente, com conteúdos especializados sobre a mineração brasileira, atividade com faturamento de R$ 70 bilhões, apenas no primeiro trimestre de 2021 - segundo balanço do Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM) -, e que influencia diretamente nas finanças de milhares de prefeituras pelo País. 

A novidade é resultado de acordo operacional entre o portal e a Brasil Mineral, revista editada pela Signus Editora Ltda. A publicação é líder na cobertura do setor em quase quatro décadas de existência e principal canal de informações sobre o mercado mineral. 

São matérias, reportagens e entrevistas produzidas pela revista, que se somam às cerca de 800 matérias publicadas e distribuídas mensalmente pelo Brasil 61. Os textos são adaptados para formatos de texto web e rádio - com boletins em áudios -, e agregados sob editoria específica, a 'Brasil Mineral', hospedada na página inicial do portal, www.brasil61.com

Além disso, tudo é enviado por e-mail à rede de mais de 20 mil comunicadores de rádio e de mídias digitais online regionais, com utilização e reprodução gratuitas. O alcance potencial de público é estimado em 169 milhões de pessoas. 

Dada presença da atividade mineradora na vida das cidades e nas economias locais, os materiais também são distribuídos a gestores do Executivo, Legislativo e Judiciário municipais e estaduais. 

"Esse acordo operacional entre o Brasil 61 e a Brasil Mineral vem ocupar um espaço deixado pela grande mídia brasileira, que é a abordagem da municipalidade, da temática do Brasil real", explica o diretor geral do Brasil 61, Raimundo Rocha.

Se por um lado, o acordo diversifica o leque de pautas e engrossa a linha editorial municipalista do portal, por outro, pretende ampliar o diálogo entre empresas do setor, prefeituras, associações, comunicadores e população.

"Essa parceria permitirá que a mineração se comunique diretamente com a sociedade", resume Sérgio de Oliveira, diretor comercial da revista Brasil Mineral, ao fazer uma "associação entre as expertises da mineração [Brasil Mineral] e da comunicação [Brasil 61]", completa.

A mineração na economia

No primeiro trimestre deste ano, o setor mineral registrou alta de 95% no faturamento em relação ao mesmo período de 2020, alcançando R$ 70 bilhões (excluindo-se petróleo e gás). A arrecadação da CFEM – Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais (R$ 2,1 bilhões) foi 17,6% menor que no trimestre anterior, e 103% superior ao mesmo período de 2020. As exportações minerais brasileiras alcançaram US$ 12,3 bilhões.

Brasil 61

O Brasil 61 é um hub de comunicação com conteúdos jornalísticos e de variedades, com abordagem regionalizada, para diferentes plataformas, destinados aos comunicadores de rádio e de mídias digitais online regionais – portais de conteúdo, sites de veículos de comunicação e blogs de profissionais de comunicação e influenciadores digitais.

Em função dessa abordagem regionalizada e particularizada, o Brasil 61 dirige-se também aos gestores públicos do executivo, legislativo e judiciário municipal e estadual de todo o país, que, junto com os comunicadores, formam o grande grupo de poder responsável por influenciar e colaborar com as decisões que impactam a vida nos municípios, onde a história do Brasil real acontece.

Brasil Mineral

Criada em 1983, a revista Brasil Mineral é a líder absoluta do setor mineral. Editada pela Signus Editora Ltda., a publicação é dirigida às empresas de mineração, metalurgia, siderurgia, ferroligas, petróleo, engenharia e projetos, geologia, consultoria, entidades de classe do setor, órgãos governamentais afins a esses ramos de atividade e escolas. Atualmente, está na edição 410, publicada em junho.

Confira aqui a edição 410 da Brasil Mineral..
 

Copiar o texto
30/11/2020 12:50h

Ao todo as cidades receberam R$ 9,8 bilhões neste mês de novembro

Baixar áudio

Os municípios recebem, nesta segunda-feira (30), o último repasse do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Com o desconto constitucional do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), o valor será de R$ 2.128.474.276,96.

 O fundo distribuído entre os 5.568 municípios fechou novembro de 2019 com mais de R$ 8,8 bilhões. Agora, o mês termina com o repasse de R$ 9,8 bilhões. 

 O valor representa 0,60% a mais que montante repassado no ano passado, ainda assim, de acordo com o levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CNM), com base nos números da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), o FPM de novembro fechará com crescimento de 12,03%. Resultado influenciado pelo primeiro repasse do mês de R$ 6,2 bilhões, que representou crescimento de 21,28%.

Copiar o texto
13/11/2020 00:00h

O projeto tem como objetivo iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eleitoral

Baixar áudio

No próximo domingo (15), data do primeiro turno das Eleições Municipais de 2020, as cidades de Curitiba (PR), Valparaíso de Goiás (GO) e São Paulo (SP) serão palco de demonstrações de propostas de inovações para o sistema eletrônico de votação adotado no Brasil desde 1996. 

As apresentações fazem parte do projeto “Eleições do Futuro” criado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), onde foi feito um chamamento público e a seleção de 26 empresas que deverão trazer as propostas.

As demonstrações, que acontecerão das 10h às 15h, contarão com a participação de eleitores, que votarão em candidatos fictícios.

Lançado em setembro, o projeto tem como objetivo iniciar estudos e avaliações para eventual implementação de inovações no sistema eleitoral. 

As propostas deverão preencher três requisitos: segurança da votação, proteção ao sigilo do voto e eficiência. Depois da eleição, o TSE decidirá se adotará ou não alguma inovação no sistema de votação.

Copiar o texto
Saúde
28/07/2020 13:00h

A informação é de que Garbugio tinha hipertensão e começou a sentir os primeiros sintomas há oito dias

Baixar áudio

A covid-19 fez mais uma vítima que pertence ao grupo de gestores municipais do Brasil. Fabio Garbugio (PDT), de 46 anos, prefeito de Alto Taquari, a 509 km de Cuiabá, morreu no último domingo após contrair a doença. Com o falecimento de Garbugio, o número de prefeitos mortos pela Covid-19, desde o início da pandemia, é de pelo menos nove.

Mato Grosso registra maior crescimento percentual no número de novas empresas, aponta Ministério da Economia

Medidas Provisórias de combate à Covid-19 somam R$ 39,6 bilhões, diz MS

Vacina contra a Covid-19 começa a ser testada em voluntários de cinco estados e do DF

A morte foi confirmada pelo secretário de Saúde do município, Michel Lucas Rocha, e pelo vice-prefeito, Marco Aurélio Julie. A informação é de que Garbugio tinha hipertensão e começou a sentir os primeiros sintomas há dez dias. Ele estava internado em um hospital particular em Goiânia. 

O governador de Mato Grosso, Mauro Mendes, lamentou o falecimento de Fabio. Por meio de nota, ele disse que presta condolências à família, e reza “para que Deus dê forças aos amigos e familiares neste momento difícil". 
 

Copiar o texto
Brasil 61