Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Fraudes

16/09/2020 14:30h

Neste ano, órgão também vai fiscalizar aglomerações promovidas por candidatos

Baixar áudio

Uma portaria publicada pelo Ministério Público Eleitoral define como será feita a fiscalização das Eleições Municipais de 2020. Além de garantir que a votação não será alvo de fraudes, o MP Eleitoral, neste ano, também vai fiscalizar a aplicação das medidas de segurança contra o novo coronavírus. O documento define que servidores que compõem os grupos de risco vão poder trabalhar de casa e que o atendimento ao público pelo MP Eleitoral será feito preferencialmente pela internet.

Eleições: Horário de votação será de 7h às 17h, define TSE

TSE apresenta Plano de Segurança Sanitária para as Eleições Municipais. Saiba mais

A portaria também define que os membros do MP vão enviar recomendações aos partidos e candidatos para que as orientações das secretarias de Saúde sejam respeitadas. Não são recomendados eventos que causem aglomerações e o contato físico com o eleitor.

Caso irregularidades sejam detectadas, o membro do MP deve solicitar à Justiça Eleitoral autorização para que seja feita uma intervenção e uma multa seja aplicada.

Copiar o texto
03/09/2020 12:00h

Cruzamento de dados foi feito pelo Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA) e pela Controladoria Geral da União (CGU)

Baixar áudio

No estado do Pará, mais de R$ 12 milhões do Auxílio Emergencial foram recebidos indevidamente. A conta é do Tribunal de Contas do Estado do Pará (TCE-PA) e da Controladoria Geral da União (CGU) no estado. 

Governo federal prorroga auxílio emergencial por mais quatro meses

A auditoria cruzou dados da folha de pagamento estadual e das informações dos beneficiários do auxílio emergencial e encontrou 4.414 pessoas que receberam o benefício mas não se encaixam nos requisitos. Entre eles, servidores ou empregados públicos estaduais ativos e inativos. Somado com os indícios de ilegalidade encontrados antes, a quantidade de benefícios recebidos irregularmente no Pará é de 7.569.

Quem tiver recebido o benefício indevidamente pode devolver o dinheiro pelo site www.devolucaoauxilioemergencial.cidadania.gov.br/devolucao.

Copiar o texto
17/08/2020 10:35h

De acordo com auditoria do tribunal, fraudes podem somar R$ 150 milhões

Baixar áudio

De acordo com uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), mais de 90 mil pessoas podem ter recebido o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm) de forma irregular. As fraudes podem somar mais de R$ 150 milhões em pagamentos duplicados ou para pessoas que não se encaixam nos requisitos do programa.

Com base nesses dados, o TCU identificou pessoas que chegaram a solicitar o benefícios mais de quatro vezes. Também foi identificado pagamento para trabalhadores que já morreram e servidores públicos. Na avaliação do ministro de contas Bruno Dantas, causa perplexidade que o governo use bases de dados desatualizadas para validar os pedidos. O tribunal demandou que o governo reveja as bases de dados para corrigir os problemas.

Decreto prorroga prazos para reduzir jornada, suspender contrato e pagar benefícios

Informações sobre pagamento do BEm já podem ser verificadas por empregados na Carteira de Trabalho Digital

Já são 12 milhões de trabalhadores que tiveram seus empregos mantidos por meio do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. Instituído pelo Ministério da Economia por meio da Medida Provisória 936, o programa permite a redução da jornada de trabalho e de salário ou suspensão de contratos. Para que o sustento dos trabalhadores não seja comprometido, o governo paga o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm), calculado com base no seguro desemprego que o trabalhador receberia se fosse demitido.

De acordo com a auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU), até o fim de julho foram firmados 13,4 milhões de acordos de trabalho. 92,9% deles foram habilitados pelo governo. O governo também pagou R$ 18,6 bilhões ao conjunto de trabalhadores que podem receber o BEm. O valor representa a menos de 40% do que foi liberado em créditos extraordinários.

O tipo de acordo que se destacou foi o de suspensão do contrato, que representou 54,4% do total. 44,4% dos acordos pediam redução da jornada de trabalho e do salário. O valor médio das parcelas do BEm é de R$ 863 reais.

Copiar o texto
24/07/2020 10:40h

CEF divulgou que 1,3 milhão de contas foram bloqueadas por inconsistências; mais da metade apresentou suspeita de fraude

Baixar áudio

Os usuários do aplicativo Caixa Tem, utilizado para o recebimento do auxílio emergencial, já podem realizar o desbloqueio das contas que apresentaram inconsistência cadastral. O serviço será feito por meio de envio de documentos pelo próprio aplicativo, com prazo de até 24 horas para o desbloqueio. 

No caso de contas bloqueadas por suspeita de fraude, os usuários deverão se dirigir a uma agência da instituição. O cidadão será informado por meio do Caixa Tem. Para evitar aglomerações, será utilizado um calendário levando em conta a data de aniversário do usuário. 

Governo publica calendário de pagamento do Auxílio Emergencial 

Para os nascidos em janeiro, fevereiro e março, a data para o desbloqueio finaliza nesta sexta (24). Para os que fazem aniversário em abril e maio, a data para se dirigir à agência é de 27 a 31 de julho. Os nascidos em junho e julho, de 3 a 7 de agosto. Quem faz aniversário em agosto, setembro e outubro tem entre os dias 10 e 14 de agosto para ir até uma agência. Novembro e dezembro ficam com as datas de 17 a 21 de agosto. 

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, avaliou como “pequeno” o prejuízo causado por contas fraudadas, justamente porque foram bloqueadas. A estimativa é de que um milhão e trezentas mil contas tenham sido bloqueadas, sendo 51% por suspeita de fraude e 49% por problemas cadastrais, esses podendo ser solucionados pelo próprio aplicativo. 

Copiar o texto

Acesse nossos conteúdos de rádio