Minas Gerais

23/09/2022 16:07h

Edital foi publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira (23). Investimento projetado é de cerca de R$ 4 bilhões ao longo de 30 anos de contrato

Baixar áudio

Está marcado para 22 de dezembro o leilão de privatização da Companhia Brasileira de Trens Urbanos, a CBTU, no estado de Minas Gerais, o que inclui a concessão dos serviços prestados no metrô da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

A empresa vencedora será responsável pela gestão, operação e manutenção da rede, incluindo a Linha 1, de Novo Eldorado a Vilarinho, que será ampliada com a construção de mais uma estação, e também a Linha 2, que será construída e vai operar entre Nova Suíça e Barreiro.

O processo de concessão da CBTU contou com participação do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, que foi responsável por articular os 4 bilhões de reais necessários para a operação. Fernando Diniz, secretário de Fomento e Parcerias com o Setor Privado da Pasta, destaca a importância da participação da iniciativa privada para a melhoria dos serviços.

“A gente está esta semana anunciando a concessão do metrô de Belo Horizonte e essa concessão vai possibilitar que seja modernizada e ampliada mais uma estação e construir a linha 2 do metrô de Belo Horizonte, que é um sonho de todos da capital mineira. Isso só é possível porque é uma ação entre dois governos que valorizam a iniciativa privada como forma de fomentar investimentos e dar mais eficiência ao serviço público.”

O edital de concessão também prevê a renovação da frota de trens e a modernização dos sistemas e da infraestrutura do Metrô da Grande BH, resultando em uma operação mais eficiente e segura. Além disso, também está prevista a disponibilização de sanitários gratuitos nas estações, a melhoria na conexão com as linhas de ônibus municipais e intermunicipais e a redução do intervalo entre as viagens, resultando em menor tempo de espera pelos usuários.

Para mais informações sobre as ações do Governo Federal em mobilidade urbana, acesse mdr.gov.br.
 

Copiar o texto
15/09/2022 19:30h

Recursos serão destinados a empreendimentos de esgotamento sanitário e manejo de águas pluviais

Baixar áudio

Cinco cidades de Minas Gerais vão receber, juntas, mais de R$ 2,9 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico.

O maior repasse – de mais de R$ 1,6 milhão – será destinado à capital, Belo Horizonte, que usará os recursos para obras de drenagem urbana sustentável nos Córregos Jatobá e Olaria.

Sete Lagoas contará com mais de R$ 604 mil para a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário (SES) da sede municipal. Já Viçosa terá R$ 540 mil para a mesma obra.

Itaúna contará com mais de R$ 85 mil para a ampliação da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) da sede municipal.

Por fim, Muriaé vai receber R$ 61 mil para drenagem urbana sustentável na sede municipal.

No total, 26 cidades brasileiras vão receber, juntas, mais de R$ 11,6 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico. São empreendimentos de abastecimento de água, esgotamento sanitário, saneamento integrado e manejo de águas pluviais, além da elaboração de estudos e projetos.

Os recursos serão destinados a municípios dos estados da Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Sergipe e São Paulo.

Copiar o texto
15/09/2022 04:00h

Evento vai até domingo (18), no Parque de Exposições João Alencar Athayde. Moradores do município terão a oportunidade de ter à disposição diversas ofertas de imóveis e realizar todas as etapas da contratação, escolher o imóvel mais adequado às necessidades e realizar financiamentos

Baixar áudio

Começa nesta quinta-feira, dia 15, a Feira habitacional em Montes Claros, com a participação da CAIXA. A feira será realizada no Parque de Exposições João Alencar Athayde até domingo, dia 18 de setembro. 

A vice-presidente de Habitação da CAIXA, Henriete Bernabé, explica que a população de Montes Claros poderá escolher o imóvel que mais se adequar ao perfil e às necessidades.

“Vamos reunir em um único local diversas construtoras e a CAIXA vai estar presente, para aquelas famílias que têm interesse de realizar o sonho da casa própria. A CAIXA tem as melhores condições de mercado em relação a taxas e financiamentos.”

Durante a feira, haverá atendimento na rede parceira de Correspondentes Caixa Aqui. Os interessados podem escolher o imóvel mais adequados às necessidades e realizar o financiamento de acordo com perfil. É uma oportunidade de ter à disposição diversas ofertas de imóveis e realizar todas as etapas da contratação. 

E quem preferir pode baixar o aplicativo CAIXA Habitação diretamente no celular para saber as condições para contratar o crédito. Atualmente, dois milhões de clientes acessam mais de 50 funcionalidades por meio do aplicativo.

A CAIXA é a única que oferece quatro opções de linhas de financiamento imobiliário com recursos do sistema brasileiro de poupança e empréstimo, o SBPE. O interessado pode optar por TR, IPCA, Poupança Caixa ou Taxa Fixa, ou ainda financiar imóveis novos, usados construção e reforma. 

Henriete Bernabé reforça aos moradores de Montes Claros a importância da feira.

“As pessoas que visitarem a feira e encontrarem o imóvel que tem a prestação que caiba no bolso já podem sair da feira com o imóvel contratado, com seu financiamento concluído. Então você, morador que nos ouve, vale a pena visitar a feira.”

O Parque de Exposições João Alencar Athayde fica na Praça Lindolfo Laughton, 1373, em Alto São João. O evento segue até domingo, dia 18.

No site caixanoticias.caixa.gov.br você pode acessar a lista com as datas e locais das próximas feiras ou pelo telefone 3004-1105. Repetindo 3004-1105. 

O aplicativo CAIXA Habitação está disponível para os sistemas operacionais Android e IOS e pode ser baixado de graça nas lojas Google Play ou App Store

Copiar o texto
14/09/2022 03:30h

Pais e responsáveis da cidade de Belo Horizonte, aproveitem a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves

Baixar áudio

As unidades de saúde do SUS de todo o País já aplicaram mais de 3,6 milhões de doses da vacina contra a paralisia infantil, desde o começo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação, iniciada no último dia 8 de agosto.

Em Belo Horizonte, são cerca de 47 mil doses aplicadas contra a pólio. O dado preliminar é do painel montado pelo Ministério da Saúde, com base nas notificações feitas em tempo real por estados e municípios. O público-alvo é de cerca de 104 mil bebês e crianças menores de cinco anos.  A Bruna mora na cidade e mantém a caderneta de vacinação do filho em dia.  

“A orientação que eu dou é essa: busque conhecimento. Busque entender o que é [vacina], para que serve, como é o processo. E você vai ver que é o maior benefício que você pode deixar para o seu filho e dar a ele saúde.”

O objetivo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é vacinar 95% da população menor de cinco anos de idade. Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha da Multivacinação.

A infectologista Joana D’arc alerta: o Brasil apresenta redução nas coberturas vacinais, o que pode ser um risco para a população. “Essa campanha é importante porque a gente tem tido uma redução muito grande do número de pessoas vacinadas no Brasil e isso faz com que a gente tenha risco de reintrodução de doenças, podendo ter surtos e epidemias de doenças já controladas. Vacinar é um gesto de amor porque a gente tem a certeza de que nossos filhos vão estar protegidos.”

CADERNETA DE VACINAÇÃO: Pais devem manter documento atualizado

POLIOMIELITE: Entenda os riscos de não vacinar as crianças

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada (VIP) e poliomielite oral (VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente. 

Em Belo Horizonte, a mobilização acontece de segunda a sexta-feira em todos os centros de saúde. O endereço das unidades e os horários de funcionamento podem ser consultados no site da prefeitura da capital: prefeitura.pbh.gov.br.

A atualização da caderneta vacinal aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Saiba mais:

Copiar o texto
13/09/2022 03:30h

Pais e responsáveis de Minas Gerais podem aproveitar a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves

Baixar áudio

Os pais e responsáveis por bebês, crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade devem ficar atentos: a Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação deste ano já começou. Em Minas Gerais, a mobilização envolve as mais de 5,6 mil unidades de saúde do SUS espalhadas pelos municípios do estado. São 18 vacinas do Calendário Nacional de Vacinação, do Programa Nacional de Imunizações, que previnem doenças como a Poliomielite, Sarampo, Rubéola, Caxumba, entre outras. 

A intenção é ampliar as coberturas vacinais das entre crianças e dos adolescentes menores de 15 anos de idade. Em 2022, a cobertura vacinal da poliomielite, por exemplo, está em 52,9%, no estado. Já a cobertura da primeira dose da Tríplice Viral é de 53,9%. Dados parciais do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações. A infectologista Ethel reforça: é fundamental ter altas coberturas vacinais para o controle das doenças imunopreveníveis.  “O que significa atingirmos um percentual grande da população para faixa etária indicada para cada vacina. Em geral, a meta de vacinação está entre 90 e 95% do público-alvo a ser vacinado.”

O foco da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é de 95% da população menor de cinco anos de idade.  Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos, não vacinados, que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha de Multivacinação. Moradora de Uberaba, Luana Cristina faz questão de levar os dois filhos ao posto de saúde para vacinar. 

“Nunca deixei de vacinar meus filhos. Todo mundo tem que estar ciente dessa vacinação. Não só da vacinação de Covid-19, mas de todas as outras. Desde quando o bebezinho nasce até a fase adulta, tem que ter vacinar, sim! É muito importante.”

Maranhão registra cobertura vacinal de 60,7% contra a poliomielite em 2021

BAHIA: Estado registra cobertura vacinal de 61,3% contra a poliomielite em 2021

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas de saúde. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada(VIP) e poliomielite oral(VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente. 

A atualização da caderneta vacinal aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Saiba mais:

Copiar o texto
12/09/2022 03:30h

A meta da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite é vacinar 95% das crianças de um a quatro anos no estado. Para a Multivacinação a meta é atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves. Pais e responsáveis de Uberlândia, aproveitem a mobilização nas unidades de saúde do SUS para atualizar a caderneta de vacinas de seus filhos e protegê-los de doenças graves.

Baixar áudio

As unidades de saúde do SUS de todo o País já aplicaram mais de 4,6 milhões de doses da vacina contra a paralisia infantil, desde o começo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação, iniciada no último dia 8 de agosto. 

Em Uberlândia, são mais de 13 mil doses aplicadas. O dado preliminar é do painel disponibilizado pelo Ministério da Saúde, com base nas notificações feitas em tempo real por estados e municípios.

O público-alvo da vacinação contra a pólio é de 41 mil bebês e crianças menores de cinco anos. 

A Mary Eliacino mora na cidade, é mãe de duas crianças e acompanha de perto o esquema vacinal de cada um dos seus filhos.

“Desde que elas nasceram, eu e meu marido acompanhamos de perto a caderneta de vacinação. A gente está sempre de olho para não perder nenhum prazo, para não perder nenhuma vacina. Eles tomaram todas as vacinas do Calendário Nacional de Vacinação e as vacinas são importantíssimas, porque erradicaram várias doenças e protegem as nossas crianças.”

O objetivo da Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite, também conhecida como paralisia infantil, é vacinar 95% da população menor de cinco anos de idade. Além de reduzir o número de crianças e adolescentes menores de 15 anos que estão com vacinas atrasadas, com a Campanha da Multivacinação.

A infectologista Joana D’arc alerta: o Brasil apresenta redução nas coberturas vacinais, o que pode ser um risco para a população.

“Essa campanha é importante porque a gente tem tido uma redução muito grande do número de pessoas vacinadas no Brasil e isso faz com que a gente tenha risco de reintrodução de doenças, podendo ter surtos e epidemias de doenças já controladas. Vacinar é um gesto de amor porque a gente tem a certeza de que nossos filhos vão estar protegidos.”

A Campanha Nacional de Vacinação contra a Poliomielite e de Multivacinação vai até o dia 30 de setembro nas unidades básicas. Para as crianças e adolescentes estão disponíveis as vacinas BCG; hepatite A, hepatite B; penta; pneumocócica 10-valente; pneumocócica 23-valente; poliomielite inativada (VIP) e poliomielite oral (VOP); rotavírus humano; meningocócica C (conjugada), meningocócica ACWY (conjugada); febre amarela; tríplice viral; tetraviral; tríplice bacteriana (DTP); dupla adulto (dT); varicela e HPV quadrivalente.

Em Uberlândia, a mobilização acontece nas 74 salas de vacina do município e nos ambulatórios das Unidades de Atendimento Integrado (UAI) – exceto Morumbi e São Jorge –, das oito da manhã às oito da noite.

A vacinação aumenta a proteção das crianças e adolescentes contra as doenças imunopreveníveis, evitando a ocorrência de surtos, hospitalizações e óbitos. Todos os imunizantes são seguros e estão registrados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

Saiba mais:

Copiar o texto
02/09/2022 14:30h

Recursos serão destinados aos municípios de Três Corações e Iapu

Baixar áudio

Duas cidades de Minas Gerais atingidas por desastres naturais vão receber mais de R$ 1,2 milhão para ações de defesa civil. As portarias com as liberações dos recursos foram publicadas na edição desta sexta-feira (02) do Diário Oficial da União (DOU).

O maior repasse – de mais de R$ 984 mil – será destinado ao município de Três Corações, atingido por corridas de massa. Os recursos serão empregados em obras de reconstrução de pavimentação asfáltica.

Já a cidade de Iapu, afetada por chuvas intensas, vai receber mais de R$ 239 mil para o restabelecimento da trafegabilidade.

Como solicitar recursos federais

Cidades em situação de emergência ou estado de calamidade pública reconhecido pela Defesa Civil Nacional estão aptas a solicitar recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para atendimento à população afetada.

As ações envolvem socorro, assistências às vítimas, restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de infraestrutura destruída ou danificada. A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD).

Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a valor ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
18/08/2022 13:27h

Recursos serão usados no restabelecimento da trafegabilidade das pontes do Córrego do Romeiro de Baixo e do Povoado da Aparecida

Baixar áudio

A cidade de Abre Campo, em Minas Gerais, vai receber R$ 524,8 mil para ações de defesa civil. O recurso será destinado ao restabelecimento da trafegabilidade das pontes do Córrego do Romeiro de Baixo e do Povoado da Aparecida, que foram danificadas por chuvas intensas. Cerca de mil pessoas serão atendidas com as obras.

A portaria com a liberação dos recursos foi publicada na edição desta terça-feira (16) do Diário Oficial da União (DOU). Confira neste link.

Como solicitar recursos federais

Em todo o País, estados e municípios afetados por desastres e com status de situação de emergência concedido pela Defesa Civil Nacional estão aptos a solicitar recursos para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado.

Capacitações da Defesa Civil Nacional

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link a lista completa dos cursos de capacitação.

Copiar o texto
Desenvolvimento Regional
09/08/2022 16:06h

Recursos serão repassados aos municípios de Almenara, Santa Luzia e Diogo de Vasconcelos

Baixar áudio

Três cidades de Minas Gerais atingidas por desastres naturais vão receber mais de R$ 2 milhões para ações de defesa civil. As portarias com as liberações dos recursos foram publicadas na edição desta terça-feira (9) do Diário Oficial da União (DOU).

O município de Almenara receberá R$ 995 mil para a reconstrução de ponte. Já Santa Luzia contará com R$ 898 mil para o restabelecimento da trafegabilidade.

A cidade de Diogo Vasconcelos terá R$ 146 mil para a reconstrução de bueiro. Os três municípios foram afetados por chuvas intensas.

Como solicitar recursos federais

Após a concessão do status de situação de emergência pela Defesa Civil Nacional, os municípios atingidos por desastres estão aptos a solicitar recursos para atendimento à população afetada. As ações envolvem restabelecimento de serviços essenciais e reconstrução de equipamentos de infraestrutura danificados.

A solicitação deve ser feita por meio do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2iD). Com base nas informações enviadas, a equipe técnica da Defesa Civil Nacional avalia as metas e os valores solicitados. Com a aprovação, é publicada portaria no DOU com a especificação do montante a ser liberado. 

Capacitações da Defesa Civil Nacional 

A Defesa Civil Nacional oferece uma série de cursos a distância para habilitar e qualificar agentes municipais e estaduais para o uso do S2iD, a partir do Plano de Capacitação Continuada em Proteção e Defesa Civil. As capacitações têm como foco os agentes de proteção e defesa civil nas três esferas de governo. Confira neste link.

Copiar o texto
03/08/2022 16:04h

A iniciativa visa garantir o fornecimento do carvão vegetal como diferencial competitivo na produção de ferro-gusa

A ArcelorMittal recebeu o Prêmio ECO 2022, da Amcham (Câmara Americana de Comércio), na categoria Processos, com o case “Uso sustentável do carvão vegetal para a estratégia de descarbonização”. O projeto tem como foco a estratégia adotada nas unidades da ArcelorMittal BioFlorestas e na planta industrial de Juiz de Fora (MG), que desde 2011 utiliza o carvão vegetal produzido nas florestas sustentáveis do grupo como matéria-prima na produção de aços.

A iniciativa visa garantir o fornecimento do carvão vegetal como diferencial competitivo na produção de ferro-gusa, com excelência operacional, de forma segura, inovadora e sustentável, com foco na descarbonização do aço. 

“Globalmente, o Grupo ArcelorMittal foi pioneiro no setor ao lançar a meta de ser carbono neutro até 2050 e, como passo intermediário, reduzir em 25% suas emissões específicas até 2030. A prática apresentada comprova mais uma vez a nossa atuação de vanguarda na produção de carvão vegetal no mundo”, aponta Jefferson De Paula, presidente da ArcelorMittal Brasil e CEO da ArcelorMittal Aços Longos e Mineração LATAM.

A ArcelorMittal tem estratégia de atuação baseada nas dez Diretrizes do Desenvolvimento Sustentável (DDS), estabelecidas a partir dos 17 Objetivos para o Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU). As Diretrizes estão fundamentadas nas melhores práticas e tendências da gestão de questões sociais, econômicas e ambientais relacionadas ao negócio. 

Soluções digitais para mineração com base em IA

USIMINAS: Ebitda ajustado soma R$ 1,9 bilhão no trimestre

A edição de 2022 do Prêmio ECO recebeu 108 projetos de 86 empresas, avaliados por um time de aproximadamente 50 jurados e especialistas. No total, 28 iniciativas de 27 empresas de todos os portes e segmentos da economia foram premiadas.

Copiar o texto
Brasil 61