Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Rio Grande do Sul

20/01/2021 06:00h

Com o reconhecimento, as cidades de Cerro Largo e Redentora, no Rio Grande do Sul; e o município de Quilombo, em Santa Catarina, vão poder ter acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais

Baixar áudio

Mais três municípios do Sul do País tiveram a situação de emergência reconhecida pela Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, vinculada ao Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). A medida se deu porque os entes enfrentam dificuldades por causa da estiagem que atinge a região.

Com o reconhecimento, as cidades de Cerro Largo e Redentora, no Rio Grande do Sul; e o município de Quilombo, em Santa Catarina, vão poder ter acesso a recursos federais para ações de socorro, assistência e restabelecimento de serviços essenciais à população, por exemplo.

Confiança dos empresários da Indústria diminui em janeiro

Exportações de carne crescem no Brasil em 2020

De acordo com o MDR, o auxílio pode ser solicitado sempre que houver necessidade, mesmo em situações recorrentes, como é o caso de desastres ocasionados por seca ou chuvas intensas.

Para ter acesso aos recursos, é necessário atender aos critérios exigidos por instrução normativa. Além disso, as prefeituras e os governos estaduais precisam apresentar o diagnóstico dos danos e um plano de trabalho para a execução das ações.

 

Copiar o texto
16/01/2021 00:00h

39 municípios serão contemplados para a execução de projetos selecionados por Consulta Popular

Baixar áudio

A Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Rio Grande do Sul (Sedetur) distribuiu R$ 2,5 milhões a 39 municípios para a execução de projetos selecionados pela Consulta Popular. Esses recursos serão usados na instalação de placas turísticas, revitalização de praças, construção de infraestrutura e promoção regional estão entre as ações beneficiadas.

Total de empregos nas áreas de alojamento e alimentação apresentam estabilidade, segundo IBGE

Ministério da Saúde e IFCE lançam curso online sobre atrativos naturais e culturais

Além disso, existe ampla diversidade de projetos de turismo beneficiados pela Consulta Popular, como atualização da sinalização dos caminhos turísticos do município; obras de revitalização; desenvolvimento de plano para marketing turístico, entre outros.

O destino dos recursos da Consulta Popular é decidido anualmente. Governo e Conselhos Regionais de Desenvolvimento (Coredes) organizam o processo por meio de assembleias públicas. Nessas reuniões, os temas são debatidos pela população. Depois disso, as prioridades são definidas em votação por parte dos eleitores.

Copiar o texto
06/01/2021 00:00h

Grande parte dos beneficiados com os recursos federais foram afetados pela estiagem na região Sul

Baixar áudio

Cerca de R$ 1,3 milhão estão sendo repassados para oito municípios dos estados de Santa Catarina, São Paulo e Rio Grande do Sul, em resposta aos desastres naturais. Grande parte dos beneficiados com os recursos federais foram afetados pela estiagem na região Sul. 

O repasse é realizado por meio da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Além da verba, o governo catarinense terá recursos disponíveis para ações de resposta às enxurradas ocorridas no fim do ano passado. 

SC: Governo estadual investe R$ 10 milhões para apoiar bovinocultores durante a estiagem

SC: Municípios afetados pela estiagem em 2020 receberão apoio financeiro do governo estadual

A verba deve ser utilizada para compra de alimentos, aquisição de reservatórios de água para o abastecimento da população e reparos. O apoio emergencial é complementar à atuação dos governos estaduais e municipais. O auxílio pode ser solicitado sempre que necessário, inclusive em situações recorrentes, como é o caso de desastres ocasionados por seca ou chuvas intensas.

Copiar o texto
05/01/2021 09:19h

Isso se deu com o indeferimento, nesta segunda-feira (4), dos quatro pedidos de reconsideração ao mapa preliminar da 35ª rodada do Distanciamento Controlado

Baixar áudio

O Rio Grande do Sul voltou a apresentar em uma região a bandeira preta, que representa risco altíssimo para o novo coronavírus. O quadro ocorre após duas semanas sem a classificação mais alta prevista no modelo. Isso se deu com o indeferimento, nesta segunda-feira (4), dos quatro pedidos de reconsideração ao mapa preliminar da 35ª rodada do Distanciamento Controlado.

No mapa definitivo desta rodada, que passa valer a partir desta terça (5) e vai até a próxima segunda-feira (11), a região de Bagé fica na cor preta. Outras 13 regiões ficam em bandeira vermelha, que significa risco epidemiológico alto. Outras 7 são classificadas em bandeira laranja, com risco médio.

Covid-19: brasileiros devem ser imunizados a partir de janeiro

Anvisa autoriza importação de 2 milhões de doses de vacina contra Covid-19

Das 21 regiões Covid do estado, apenas Guaíba e Uruguaiana, que se encontram em bandeira laranja, não aderiram ao sistema de cogestão. Os demais podem adotar protocolos próprios, elaborados pelas respectivas associações regionais, mas no mínimo iguais à bandeira anterior.

 

Copiar o texto
Saúde
04/01/2021 16:30h

Na última sexta-feira (1) o governo do Rio Grande do Sul divulgou o mapa preliminar da 35ª rodada com uma bandeira preta na região de Bagé. A cor representa risco altíssimo para o coronavírus

Baixar áudio

Após o prazo de 36 horas, o primeiro mapa preliminar do modelo de Distanciamento Controlado de 2021 recebeu quatro pedidos de reconsideração. O total foi contabilizado até as 7h deste domingo (3). Os recursos encaminhados por associações regionais e municípios são de regiões em vermelho que buscam atingir a bandeira laranja, e de bandeira preta para vermelha.

Na última sexta-feira (1) o governo do Rio Grande do Sul divulgou o mapa preliminar da 35ª rodada com uma bandeira preta na região de Bagé. A cor representa risco altíssimo para o coronavírus. O restante do mapa está dividido em 13 bandeiras vermelhas, que significa risco alto, e sete laranjas, que corresponde a risco médio.

Isenção de impostos para remédios usados no combate à Covid-19 é prorrogada até junho de 2021

No Dia Nacional do Hemofílico, conheça histórias de quem supera a doença todos os dias

Em bandeira laranja estão as regiões de Santa Maria, Uruguaiana, Taquara, Novo Hamburgo, Guaíba, Cruz Alta e Erechim. Com exceção de Bagé, as demais foram classificadas em bandeira vermelha.

Copiar o texto
Economia
31/12/2020 09:00h

Para as operações no Pronaf, o limite de financiamento é de R$ 50 mil e no Pronamp, de R$ 300 mil, com juros de 4% e 5% ao ano, respectivamente

Baixar áudio

Os produtores rurais do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina que perderam as lavouras por causa da seca passam a receber apoio para minimizar os impactos sofridos. A partir de um pedido do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), o Conselho Monetário Nacional (CMN) aprovou medidas que ajudam esses trabalhadores.

Neste caso, foi autorizada a criação de linha emergencial de crédito de custeio para plantio na mesma área para os pequenos e médios produtores enquadrados no Pronaf e no Pronamp. O benefício vale para aqueles que comunicaram perdas ao Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) ou que tenha acionado o seguro agrícola entre 1º de setembro e 31 de dezembro de 2020.

Segunda etapa de vacinação contra Febre Aftosa alcança 93% dos animais, em Sergipe

O produtor que quiser ter acesso ao crédito precisa seguir as recomendações do Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a lavoura financiada. Para as operações no Pronaf, o limite de financiamento é de R$ 50 mil e no Pronamp, de R$ 300 mil, com juros de 4% e 5% ao ano, respectivamente.

 

Copiar o texto
Brasil
26/12/2020 00:00h

Projeta contará com investimento de R$ 1,7 milhão

Baixar áudio

Pessoas em situação de rua em cinco municípios gaúchos serão contempladas pelo programa PopRua RS. Durante um período inicial de três meses, esse grupo populacional que vive em Porto Alegre, Caxias do Sul, Santa Cruz do Sul, Pelotas e Rio Grande terão reforço no atendimento às demandas mais básicas, como alimentação, testagem, pernoite e atendimento médico. 

A população em situação de rua contará com Equipamentos de Proteção Individual (EPI), espaço físico para higienização e banho, material de higiene pessoal, informações sobre empregos, entre outros atendimentos. 

Ministério da Cidadania lança diretrizes para assistência social em contextos de emergência

Com o projeto, o governo estadual afirma que pretende propiciar ao público-alvo a saída das ruas, fomentar o autocuidado e proteção na prevenção à Covid-19, ofertar espaços de moradia temporária, entre outros objetivos. O programa contará com um investimento de R$ 1,7 milhão.

Copiar o texto
18/12/2020 03:00h

Brasil pode ser obrigado a pagar royalties à China, país de origem da soja; tratado aguarda decreto presidencial

Baixar áudio

Aprovada pelo Congresso Nacional em agosto, a participação do Brasil no Protocolo de Nagoya pode evitar que produtores do Rio Grande do Sul tenham perdas por conta do uso e exploração do patrimônio genético de outros países. O acordo, no entanto, ainda aguarda promulgação de decreto presidencial para entrar em vigor. 

Pelo texto do tratado, os lucros de produção e a venda de produtos elaborados com recursos genéticos serão obrigatoriamente compartilhados com o país de origem, por meio do pagamento de royalties, estabelecimento de parcerias, transferência de tecnologias ou capacitação. No caso da soja, uma das bases da economia gaúcha, o Brasil teria de compensar a China, de onde vem o grão, se não houver consenso entre os países.

Para o doutor em Direito das Relações Econômicas Internacionais e sócio-diretor da consultoria Agroicone, Ricardo C. A. Lima, a não participação brasileira no acordo pode trazer mais custos de produção aos produtores gaúchos e prejudicar a competitividade brasileira no mercado internacional. “Pode ter um país que queira fazer cobranças abusivas pelo uso de um produto que teve origem nele, o que pode chegar a impactar no preço de alimentos no Brasil. Como a lei de um país pretende ser implementada em território de outros países de uma forma retroativa? Isso é super discutível e ilegal no final das contas, e o Brasil precisa estar lá para discutir isso”, afirma. 

O Protocolo de Nagoya foi criado em 2010, pela Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB) – espécie de conselho global que define regras internacionais sobre os recursos genéticos como sementes ou micro-organismos. Para o deputado federal Alceu Moreira (MDB-RS), a entrada definitiva do Brasil no acordo internacional é um avanço para a economia nacional.

“Esse acordo vai estipular as regras e parâmetros para a repartição de benefícios econômicos a recursos genéticos, sementes, plantas, animais. Alguns vão dizer que agora ficamos vulneráveis, que vamos ter que pagar pela origem dos produtos. Não. Na nossa legislação 13.123/2015, em que fui relator, já preservamos esses interesses”, diz o parlamentar. 

Protocolo de Nagoya ainda aguarda promulgação de decreto presidencial para entrar em vigor

Protocolo de Nagoya vai garantir mais investimento na produção de arroz e feijão em Goiás

Cenário internacional

Com a entrada em vigor do acordo de Nagoya, o Brasil passa a ter direito a voto na elaboração das regras sobre a repartição de benefícios, ou seja, o país passa a ter participação direta na agenda mundial da biodiversidade.

Na avaliação do professor da Universidade de Brasília (UnB) e ex-secretário-executivo da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB), Bráulio Dias, a ratificação do tratado traz mais respaldo internacional ao Brasil no segmento da biodiversidade. Dias acredita que um dos principais pontos do acordo é a segurança jurídica para atração de investimentos.

“A ratificação é importante porque dá ao Brasil assento nas mesas de negociação de aprimoramento do Protocolo de Nagoya daqui para frente. Todo mundo fala do potencial da bioeconomia do Brasil, mas sem regras jurídicas bem estabelecidas sobre como proceder com relação ao acesso e à repartição de benefícios pelo uso dos recursos genéticos, fica muito difícil para as empresas investirem em bioeconomia no Brasil”, argumenta. 

Copiar o texto
17/12/2020 12:15h

A maior parte dos recursos foi destinada ao estado do Piauí, que enfrenta longo período de seca em uma área que afeta 31 municípios.

Baixar áudio

Foi autorizado repasse de R$ 4,57 milhões para ações de recuperação de encostas e de socorro e assistência à população de sete cidades atingidas por desastres naturais. O montante será destinado através da Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério do Desenvolvimento Regional.

A maior parte dos recursos foi destinada ao estado do Piauí, que enfrenta longo período de seca em uma área que afeta 31 municípios. Dois municípios gaúchos e um catarinense em situação de emergência por conta de estiagem também tiveram repasses autorizados pela Defesa Civil nacional. Já na Bahia, dois municípios vão receber recursos para atenuar os impactos das tempestades e inundações ocorridas em novembro. 

Governo Federal reconhece situação de emergência em 15 municípios devido à falta de chuvas

Empreendedores do Centro-Oeste terão acesso a R$ 7,7 bilhões em crédito por meio do FCO

O MDR também reconheceu a situação de emergência em 28 cidades brasileiras, a maior parte em decorrência de seca ou estiagem. Atualmente, já são 56 municípios do Rio Grande do Sul e 41 de Santa Catarina com reconhecimento federal em decorrência do período de estiagem.

Copiar o texto
17/12/2020 11:10h

Trabalho visa treinamento de pessoas por meio do fomento ao empreendedorismo, a criação e/ou sustentabilidade de negócios embrionários, micro e pequenas empresas

Baixar áudio

O governo do Rio Grande do Sul lança, nesta quinta-feira (17), o programa RS Trabalho, Emprego e Renda (RS TER), que visa o treinamento de pessoas para a gestão de negócios e a geração de trabalho, emprego e renda por meio do fomento ao empreendedorismo, a criação e/ou sustentabilidade de negócios embrionários, micro e pequenas empresas.  Por conta da pandemia, o lançamento será feito online, às 11h30, através das redes sociais do governo do estado.

RS: Mais de 68% das indústrias do estado têm a intenção de investir em 2021

Copiar o texto