15/09/2021 03:00h

Na pandemia, houve uma redução de 40% no município. Unidade faz apelo por novos doadores

Baixar áudio

O tipo sanguíneo O positivo está em estado crítico no Hemocentro Regional de Eunápolis. A informação é da responsável administrativa da unidade, Karoline Cavalcante, que faz um apelo a todos que moram na região para que procurem o local e doem sangue. Além da carência para essa tipagem, ela explica que houve uma redução de até 40% no número de doadores em Eunápolis e que as tipagens negativas também se encontram em estado de alerta. 

“Gostaria de enfatizar a todos que o sangue não pode ser comprado na indústria. O sangue depende da ação solidária do próximo. Então, nós precisamos muito da sua ajuda. Compareça ao hemocentro e realize sua doação”, clama Karoline.

O motorista Rafael Lopes, 38 anos, se sentiu realizado ao doar sangue. Morador do Bairro do Uruguai na Bahia, ele doa há uma década. “No dia do meu aniversário, sempre tomo essa atitude de agradecer a Deus pelo dom da vida e faço isso doando sangue. Todas as vezes eu vou ao Hemoba, aqui em Salvador, doar voluntariamente, pois sei que muita gente precisa. Eu me sinto realizado em saber que estou sendo útil para a humanidade, estou muito satisfeito”, comemora.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a população precisa entender a importância de ir ao hemocentro e às unidades de coleta para doar sangue ou medula óssea. Mesmo com a pandemia, as doações não podem parar. Só assim os estoques de sangue podem ser abastecidos diariamente, evitando situações de emergência e escassez.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, alerta.

Onde doar sangue na Bahia

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em Salvador, os hemocentros regionais de Barreiras e Eunápolis ou uma das mais de 20 unidades espalhadas por toda a Bahia. Todos os hemocentros e unidades de coleta estão agendando as doações por telefone e pelo site do Hemoba (saude.ba.gov.br/hemoba/). 

Quem mora na microrregião de Porto Seguro, composta por 19 municípios, entre eles Caravelas, Mucuri  e Teixeira de Freitas pode procurar o Hemocentro Regional do Extremo Sul, em Eunápolis, localizado na Avenida Brilhante, sem número, no bairro Pequi ou discar para (73) 3261-1845.

Doadores dos municípios de Baianópolis, Catolândia, Formosa do Rio Preto, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves e São Desidério, podem procurar o Hemocentro Regional de Barreiras que fica na Rua Paulo Afonso, sem número, Barreirinhas (ao lado do Hospital Municipal Eurico Dutra). O telefone para contato é o (77) 3613-3799. 

Após uma semana da retomada das atividades comerciais em Salvador, dois postos de coleta de sangue da Hemoba foram abertos nos centros comerciais Salvador Shopping e Salvador Norte Shopping, atendendo demanda espontânea, de segunda a sábado, seguindo todos os protocolos de segurança estabelecidos pelo Salvador Shopping e pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur). 

Para saber mais sobre horários de funcionamento e endereços, acesse o mapa abaixo.

Critérios para doar sangue

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse saude.ba.gov.br/hemoba.

Copiar o texto
14/09/2021 12:30h

Gerente de Interiorização afirma que é preciso manter uma doação regular a fim de garantir os estoques

Baixar áudio

O tipo sanguíneo O negativo carece de abastecimento no Núcleo de Hemoterapia de Arcoverde. A informação é da instituição, que faz um apelo para que a população se mobilize para doar sangue. Andrea Sales, Gerente de interiorização do Hemocentro de Pernambuco (Hemope), afirma que é preciso manter uma doação regular. 

“Temos que falar da importância da doação, principalmente nesse momento, e incentivar a prática entre nossos amigos e familiares para garantir a manutenção dos estoques de sangue no Hemocentro de Pernambuco e em todo país. A doação periódica deve ser constante. Podemos nos unir e aumentar o número de doações”, certifica.

Lael da Silva, 43 anos, doa sangue desde 1996 e repete o ato com maestria. Morador do bairro Maranguape, no município de Paulista, ele faz um apelo. “Para quem nunca doou não espere que alguém ao seu lado, como amigo ou parente, precise para que você vá ao hemocentro doar sangue, não aja dessa forma, não espere que isso bata em sua porta, tão somente faça com amor e prazer”, aconselha o vigilante.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a população precisa entender a importância de ir ao hemocentro e às unidades de coleta para doar sangue ou medula óssea. Mesmo com a pandemia, as doações não podem parar. Só assim os estoques de sangue podem ser abastecidos diariamente, evitando situações de emergência e escassez.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, afirmou.

Onde doar sangue em Pernambuco

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em Recife, um dos cinco hemocentros regionais instalados em Garanhuns, Petrolina, Caruaru, Serra Talhada e Ouricuri.

Para doar em Arcoverde, se dirija ao endereço na Avenida Joaquim Nabuco, sem número, no bairro São Cristóvão. O telefone para contato é  (87) 3821-8550. O hemocentro regional de Caruaru, no agreste pernambucano, atende a 15 municípios. Entre eles, Alagoinha, Bezerros, Gravatá, Pesqueiro, Riacho das Almas e São Caetano. A unidade está localizada na Av. Oswaldo Cruz, sem número, Maurício de Nassau. O telefone para contato é o (81) 3719-9565.

Moradores de Caetés, Jurema, São João, Terezinha, Lagoa do Ouro e outras 15 cidades que compõem a microrregião de Garanhuns, podem procurar o hemocentro do município de Garanhuns. A unidade fica na Rua Gonçalves Maia, sem número, Heliópolis. O número para contato é o Fone: (87) 3761-8520.

Já o hemocentro de Petrolina, na região do São Francisco de Pernambuco, está próximo de sete municípios, como, por exemplo, Cabrobó, Lagoa Grande, Dormentes, Terra Nova e Santa Maria de Boa Vista. A unidade está localizada na Rua Joaquim Godoy, sem número, Centro. O telefone para contato é (87) 3831-9321.

Quem mora na região de Araripina, que é composta por dez municípios, como Exu, Santa Cruz, Trindade, Granito e Santa Filomena, podem procurar o hemocentro de Ouricuri. O endereço da unidade é Rua Ulisses Guimarães, sem número, Centro, telefone (87) 3874-4890.

E os residentes dos 17 municípios da região do Pajeú, que engloba cidades como Flores, Brejinho, Solidão, Triunfo e Carnaíba, podem procurar o hemocentro regional da Serra Talhada. A unidade está na Rua Joaquim Godoy, sem número, Centro. O número para contato é o (87) 3831-9321.
Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Os  vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos a doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse hemope.pe.gov.br

Copiar o texto
14/09/2021 12:00h

Unidades trabalham de forma integrada. Assim, hemocentros que apresentam volumes acima de sua necessidade cedem bolsas a outros a fim de manter equilíbrio

Baixar áudio

Com cinco regiões de hemoterapia, a hemorrede Ceará se mantém estável graças à mobilização para captação de novos doadores de sangue. Além do hemocentro coordenador que fica na capital cearense, outras unidades são responsáveis pelo armazenamento do estoque nos municípios que fazem parte da sua área de cobertura. São elas: Sobral, Iguatu, Quixadá, Crato e Juazeiro do Norte.

De acordo com Luciana Carlos, diretora-geral do Hemoce, a hemorrede trabalha de forma integrada. “Qualquer hemocentro que apresenta uma coleta acima de sua necessidade de transfusão, o estoque é remanejado a outras regionais para fins de equilíbrio. Mantemos uma estabilidade muito boa em toda hemorrede”, garante.

O publicitário Eduardo Mesquita, de 33 anos, doa sangue há mais de 14 anos e afirma ser muito gratificante saber que pode salvar uma vida. A motivação veio por meio de uma campanha de doação e captação de plaquetas no primeiro emprego dele.

“Isso é colaborar com alguém que esteja precisando, é algo que sobra e que representa sua saúde, seu estado físico. Mesmo sem saber para quem está sendo doado, você consegue ajudar ao próximo”, disse o morador do bairro Aldeota de Fortaleza, capital cearense.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, Com a nossa união, a vida se completa”, diz Marcelo Queiroga, ministro da Saúde.

Onde doar sangue no Ceará

Interessados em doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, as unidades regionais, que ficam em Crato, Juazeiro do Norte, Iguatu, Quixadá e Sobral. 

O hemocentro localizado em Sobral, no noroeste cearense, atende a outros 11 municípios. Entre eles, estão: Cariré, Forquilha, Graça, Pacujá, Mucambo e Senador Sá. A unidade fica na Rua José Maria Alverne, número 383, no Centro. O telefone para contato é (88) 3677-4624/4627.
Já o hemocentro de Iguatu, no centro-sul cearense, está mais próximo de quatro cidades, como, Icó, Orós e Quixelô. A unidade está localizada na Rua Edilson de Melo, sem número, na Vila Centenário. O telefone para contato é (88) 3581- 9409.

O hemocentro regional em Crato, no Cariri, é mais acessível aos moradores de oito cidades, entre elas, Juazeiro do Norte, Porteiras e Nova Olinda, por exemplo. Para chegar lá, dirija-se à Rua Coronel Antônio Luís, número 1.111, Bairro Pimenta. O telefone é (88) 3102-1260. 

Residentes dos municípios de Banabuiú, Boa viagem, Choró, Ibaretama, Madalena e Quixeramobim, podem se dirigir à regional de Quixadá, na Avenida Francisco Almeida Pinheiro, número 2340,  no Planalto Universitário. O telefone para contato é (88) 3445-1009. 

Localizado na Rua Beata Maria de Araújo, número 30, Bairro Romeirão, o Hemonúcleo de Juazeiro do Norte, no Cariri, está mais próximo dos moradores Barbalha, Crato, Jardim, Missão Velha, Nova Olinda, Porteiras e Santana do Cariri. O telefone para contato é o (88) 3102-1170. Todas as unidades também fazem agendamento para coleta de sangue ou cadastro para novos doadores de medula óssea. 
Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Os vacinados devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse hemoce.ce.gov.br.

Copiar o texto
14/09/2021 03:00h

O local promoveu uma campanha recente com o objetivo de captar mais voluntários para a doação

Baixar áudio

A situação  do estoque de Parintins precisa de uma atenção especial para a tipagem sanguínea O positivo. No entanto, o armazenamento, no geral, está bom, já que a região promoveu uma campanha recente para captar mais doadores, como informa Eliana Maria de Farias, gestora da Unidade de Coleta e Distribuição de Sangue em Parintins.

“A gente pede para que você, doador que estiver em tempo hábil para doação, que doe sangue a fim de que nosso estoque não entre em colapso. Tivemos uma baixa no nosso estoque na pandemia, mas tivemos estratégias que funcionaram para que não ficássemos sem sangue”, relembra.

Doadora diamante 

Com mais de 60 doações acumuladas, Jussara Carla Michilis repete o ato desde 1995. A professora de 62 anos também doou plaquetas e medula óssea. “Doar é um ato de solidariedade e a minha motivação é saber que posso ajudar alguém e isso se chama amor, a cada três meses eu agendo minha doação no Hemoam”, conta a moradora do Bairro Cidade Nova, no Amazonas. 

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa”.

Onde doar sangue no Amazonas

Interessados em doar sangue devem procurar a Unidade de Coleta e Distribuição de Parintins, que fica Rua Pedro Ferreira Gonçalves, no 1771, bairro São José. O telefone para contato é o (92) 9912-34710.

Outras unidades também estão disponíveis para receber novos voluntários. Quem mora em Alvarães e Uarini, pode procurar o hemocentro regional de Tefé no endereço na – Estrada do Bexiga, sem número, cujo telefone é (97) 99164-4651.

Moradores de Itapiranga, Nova Olinda do Norte ou Silves, podem procurar o Hemocentro Regional de Itacoatiara no endereço Rua Acácio Leite, número 2593, no Hospital Geral, no bairro Iraci. Para ligar, disque (92) 99178-5484. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo.

Critérios para doar sangue

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade. Para os menores de idade, é preciso apresentar autorização dos responsáveis e os idosos entre 60 e 69 anos só podem doar se já o tiverem feito antes dos 60.

Além disso, é essencial pesar no mínimo 50 quilos e estar em bom estado de saúde. O doador pode doar até quatro vezes ao ano se for do sexo masculino (com intervalo de 2 meses entre as doações) e três vezes se for do sexo feminino (com intervalo de 3 meses entre as doações). Doar sangue regularmente é seguro e não apresenta riscos à saúde, pois todos os materiais utilizados para doação de sangue são descartáveis e de uso único. “O volume coletado não ultrapassa nem 15% da quantidade total que o doador possui e depois de 24 horas o volume é reposto naturalmente”, como reforça a Coordenação-Geral de Sangue e Hemoderivados da Secretaria de Atenção Especializada à Saúde do Ministério da Saúde.

Segurança na doação durante a pandemia

Todos os hemocentros e unidades de coleta do país adotaram os protocolos de contenção contra a Covid-19. As doações estão sendo realizadas através de agendamento prévio pela internet ou telefone para evitar aglomerações. Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença.
 
Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante. Os vacinados com a CoronaVac devem aguardar 48 horas. E o tempo de espera para outras vacinas é de sete dias.
 
Vale lembrar que todos os tipos sanguíneos são importantes e não há um substituto para o sangue. Pessoas com doenças crônicas, tais como a talassemia e a doença falciforme, pessoas com determinados tipos de câncer, assim como aquelas que se submetem a transplantes e cirurgias de grande porte ou que se acidentam necessitam de transfusão de sangue.

Procure o hemocentro ou unidade de coleta mais próxima de sua região e agende a sua doação de sangue. Uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode salvar até quatro vidas. Seja solidário. Doe sangue!
 
Mais informações sobre endereços e horários de funcionamento estão disponíveis no site hemoam.am.gov.br.

Copiar o texto
14/09/2021 03:00h

Situação está associada à pandemia da Covid-19, depois que muita gente ficou receosa de sair de casa. Enfermeira faz apelo por novas doações de sangue

Baixar áudio

A Unidade de Coleta e Transfusão (UCT) de Quirinópolis precisa de uma atenção especial para as tipagens sanguíneas O negativo e B negativo, conforme aponta a enfermeira responsável pelo local, Louane Paula Dias. A baixa se deve à pandemia da Covid-19 instalada no país, quando muita gente passou a ter receio de ir ao hemocentro e fazer sua doação. 

“Para doar sangue, a gente gasta apenas alguns minutos. Dessa forma, podemos salvar até quatro vidas. Os critérios são básicos e simples. Seja você também um doador e procure um hemocentro mais próximo”, clama a enfermeira da UCT de Quirinópolis.

A fisioterapeuta Jordana Costa, 28 anos, disse que sentiu medo na primeira vez que doou sangue. No entanto, desde então, nunca mais parou de ajudar quem precisa. 

“É um ato de solidariedade e amor ao próximo. É muito gratificante para mim. Muita gente tem medo de doar, mas só de saber que eu vou salvar muitas vidas, eu me sinto emocionada e feliz”, comove-se a moradora do município de Britânia.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, disse o ministro.

Onde doar sangue em Goiás

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro
coordenador do estado, em Goiânia, um dos quatro hemocentros regionais instalados em Catalão, Ceres, Rio Verde e Jataí, ou uma das UCTs. 
Quem mora em Cachoeira Alta, Itajá, Lagoa Santa, Paranaiguara e em outras quatro cidades da região de Quirinópolis pode procurar a Unidade de Coleta e Transfusão de Quirinópolis na Rua Júlio Borges número 48, bairro Centro. 

Já os moradores de Niquelândia, Mara Rosa, Formoso, Estrela do Norte ou Alto Horizonte devem procurar a Unidade de Coleta e Transfusão de Porangatu na Rua 04, lote 13, sem número.

O hemocentro localizado em Ceres, no centro goiano, atende, sobretudo, a outros 21 municípios. Entre eles, estão: Goianésia, Itapaci, Nova Glória, Santa Isabel e Uruana. A unidade fica na Rua 29, número 576, Centro. O telefone para contato é o (62) 3307-3843.

Já o hemocentro de Catalão, no sul de Goiás, está mais próximo de 10 cidades, como Anhanguera, Cumari, Davinópolis, Nova Aurora e Três Ranchos. A unidade está localizada na Rua Osório Vieira Leite, número 78, Bairro São João e o telefone é o (64) 3441- 4013. 

Quem mora em Aparecida do Rio Doce, Castelândia, Mineiros, Santa Helena de Goiás, Serranópolis ou em um dos outros 13 municípios que fazem parte da microrregião do Sudoeste de Goiás, pode procurar o hemocentro regional de Rio Verde, que fica na divisa da Rua Augusta de Bastos com a Rua Luiz de Bastos, número 395, Centro, cujo telefone é o (64) 3613-1026, ou o hemocentro regional de Jataí, localizado na divisa da Rua Joaquim Caetano com a Rua Caçu, sem número, Bairro Divino Espírito Santo. O telefone é o (64) 3632-8778. 

Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo.

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o
cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue
pode ajudar até quatro pessoas. Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse hemocentro.org.br.

Copiar o texto
14/09/2021 03:00h

Redução no número de doações se deve à pandemia do coronavírus instalada no país

Baixar áudio

O Hemocentro Regional de Barreiras está com as tipagens sanguíneas negativas em estado bastante preocupante. A instituição aproveita para sensibilizar a população da região para se solidarizar doando sangue, principalmente agora diante do atual cenário da Covid-19. De acordo com Dulce Rodrigues, responsável administrativa pelo local, a pandemia reduziu bastante o número de doações.

“Nossos estoques estão críticos devido ao aumento de consumo diante desse cenário que estamos vivenciando.  Então, fazemos um apelo à população que faça o seu agendamento pelo telefone ou site”, disse.

O motorista Rafael Lopes, 38 anos, se sentiu realizado ao doar sangue. Morador do Bairro do Uruguai, na capital baiana, ele doa há uma década. “No dia do meu aniversário eu sempre tomo essa atitude de agradecer a Deus pelo dom da vida e faço isso doando sangue. Todas as vezes eu vou ao Hemoba, aqui em Salvador, doar voluntariamente, pois sei que muita gente precisa. Eu me sinto realizado em saber que estou sendo útil para a humanidade, estou muito satisfeito”, comemora.

Para o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, a população precisa entender a importância de ir ao hemocentro e às unidades de coleta para doar sangue ou medula óssea. Mesmo com a pandemia, as doações não podem parar. Só assim os estoques de sangue podem ser abastecidos diariamente, evitando situações de emergência e escassez.

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”, afirmou.

Onde doar sangue na Bahia

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em Salvador, os hemocentros regionais de Barreiras e Eunápolis ou uma das mais de 20 unidades espalhadas por toda a Bahia. 

Doadores dos municípios de Baianópolis, Catolândia, Formosa do Rio Preto, Luís Eduardo Magalhães, Riachão das Neves e São Desidério, podem procurar o Hemocentro Regional de Barreiras que fica na Rua Paulo Afonso, sem número, Barreirinhas (ao lado do Hospital Municipal Eurico Dutra). O telefone para contato é o (77) 3613-3799. 

Quem mora na microrregião de Porto Seguro, composta por 19 municípios, entre eles Caravelas, Mucuri  e Teixeira de Freitas pode procurar o Hemocentro Regional do Extremo Sul, em Eunápolis, localizado na Avenida Brilhante, sem número, no bairro Pequi ou discar para (73) 3261-1845.

Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo.

Critérios para doar sangue

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Todos os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse saude.ba.gov.br/hemoba.

Copiar o texto
26/08/2021 03:00h

Coordenador da unidade convida a população maranhense para doar e ajudar na demanda de pacientes que precisam de sangue

Baixar áudio

Com o objetivo de aumentar os estoques sanguíneos do município de Imperatriz, o hemocentro da região convida novos voluntários à doação de sangue, já que há uma carência nas tipagens negativas. O coordenador do Hemonúcleo de Imperatriz, Robson Barbosa, conta que o estoque de sangue dos tipos AB e A negativos estão em estado crítico. Os outros tipos, em geral, permanecem estáveis para atender a uma demanda grande. 

“Hoje atendemos 21 municípios e somos o maior hemonúcleo do estado, só perdemos para o hemocentro coordenador. Temos pacientes oncológicos que aumentam ainda mais a demanda por hemocomponentes. Campanhas devem ser permanentes, pois se não tivermos doações simultâneas, as demandas serão maiores. O ideal é que sejam sempre doações permanentes. Somente a doação voluntária é capaz de salvar vidas”, afirma.

Contribua!

A assistente administrativa Ennys Viana, 33 anos, conta que é muito prazeroso ajudar alguém doando sangue. “Eu sempre tive medo de doar, mas hoje eu já não tenho mais. Eu me sinto muito grata e feliz e acredito que um dia alguém possa repetir o gesto para um familiar”, frisa a moradora do Bairro Miritiua, no município de São José de Ribamar, no Maranhão.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa”.

Onde doar sangue no Maranhão

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em São Luís, um dos sete hemocentros regionais instalados em Balsas, Codó, Caxias, Pinheiro, Pedreiras, Imperatriz ou Santa Inês.

O Hemocentro Regional de Imperatriz, no Oeste Maranhense, está mais próximo dos municípios de Açailândia, João Lisboa, Montes Altos e Vila Nova dos Martírios. O endereço fica na Rua Coriolano Milhomem, 42, no Centro, cujo telefone é (99) 3525-2737.

Quem mora em Capinzal do Norte, Alto Alegre do Maranhão e Timbiras, deve procurar o Hemocentro do Codó no endereço Rua Barão do Rio Branco, sem número, em São Sebastião. Para ligar, disque (99) 3661-2266.

Residentes nos municípios de Buriti Bravo, Matões e Timon, podem procurar o Hemocentro Regional de Caxias no endereço da Av. Valter Brito, sem número — Campo de Belém. O telefone é o (99) 3521-1170. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de 3 meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de 2 meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos a doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea acesse emserh.ma.gov.br.

Copiar o texto
26/08/2021 03:00h

Instituição completa 18 anos em agosto. População pode presentear o hemocentro ao doar sangue e salvar vidas, indica diretor da unidade

Baixar áudio

No mês em que o Hemocentro Regional de Colatina completa 18 anos, a instituição convida a população a comemorar o aniversário da entidade doando sangue. Ainda que todas as tipagens sanguíneas sejam importantíssimas, o alerta vai para as de Rh negativo, que são de difícil acesso. 

De acordo com José Carlos Tosato, diretor do Hemocentro Regional de Colatina, a unidade registrou queda nas doações, refletindo tendência verificada na própria Hemorrede do Espírito Santo, que opera com apenas 40% a 45% do estoque de sangue habitual.

Tosato explica o que contribuiu para a diminuição nas doações e incentiva os moradores de Colatina e capixabas de outras cidades a contribuírem por meio desse gesto solidário.  

“Neste momento, ocorreu uma diminuição significativa do número de doações, seja por conta do inverno ou da safra de café, que é uma atividade econômica muito forte aqui na região. Isso somado ao período pandêmico impactou diretamente nas doações. É importante frisar que doar sangue é seguro. Todas as medidas de segurança são adotadas e obedecidas de forma a garantir a segurança tanto para o doador quanto para os servidores. Compareçam nas nossas unidades e ajudem. O sangue foi feito para circular”, clama.

Embora os tipos sanguíneos de fator Rh negativo sejam mais raros e, portanto, mais difíceis de repôr, Tosato diz que o hemocentro precisa da doação de sangue de todas as tipagens. 

“Todos os grupos sanguineos são igualmente importantes, sejam positivo ou negativo. Gostaríamos de convidar a todos os doadores que possam retornar e efetuar uma nova doação. Aqueles que ainda não efetuaram uma doação, que compareçam a algum dos hemocentros regionais: ou em São Mateus, ou em Linhares ou aqui em Colatina, na Serra, em Vitória, e efetuem a sua doação de sangue. O sangue doado em uma unidade pode estar disponível pra qualquer hospital da rede pública estadual no estado do Espírito Santo”, apela. 

Exemplo

A maquiadora Emanuele Muqui, de 29 anos, já acumula 32 doações e conta que decidiu doar aos 16 quando viu uma notícia na TV que uma pessoa morreu por falta de sangue. “Aquilo mudou minha vida. É importante doar sangue, é sobre amar sem conhecer a pessoa. Devemos dar nossa vida aos nossos irmãos. A gente tenta dar um pouco mais de vida a essas pessoas. Quando você ama as pessoas, você doa”, disse a moradora do Bairro Maruípe, no Espírito Santo.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa”.

Onde doar sangue no Espírito Santo 

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em Vitória, um dos três hemocentros regionais instalados em Colatina, Linhares e São Mateus.

O Hemocentro Regional de Colatina, no noroeste do estado, está mais próximo dos municípios de Alto Rio Novo, Baixo Guandu, Governador Lindenberg, Marilândia , Pancas e São Domingos do Norte. Para doar em Colatina, você deve ir ao endereço  Rua Cassiano Castelo, sem número. O telefone para contato é o (27) 3717-2810. 

Quem mora em Jaguaré, Conceição da Barra ou Pedro Canário pode procurar o Hemocentro Regional de São Mateus, cujo endereço é Avenida Othovarino Duarte Santos km 02, sem número, Residencial Park Washington. Para telefonar, disque (27) 3767-7954.

Quem mora em Aracruz, Fundão, Ibiraçu, João Neiva, Rio Bananal ou Sooretama deve procurar o Hemocentro Regional de Linhares, no endereço Avenida João Felipe Calmon, número 1305,  no Centro, ao lado do Hospital Rio Doce. Para ligar, disque (27) 3264-6000. Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados, devem esperar o tempo de imunização que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de 3 meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de 2 meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos a doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse saude.es.gov.br.

Copiar o texto
26/08/2021 03:00h

Unidade convida novos voluntários para ajudar pacientes que precisam de transfusão

Baixar áudio

Com queda significativa de quase 50% no número de doações, em razão da pandemia do novo coronavírus, o Hemocentro Regional de Floriano precisa de novos doadores regulares. Há também uma carência maior nas tipagens O negativo, bastante utilizado em acidentados; e AB negativo, como informa a coordenadora do Hemocentro Regional de Floriano, Elyomara Elayne Carvalho.

Ela também explica a importância de ser um doador regular. “Uma única bolsa de sangue pode salvar até quatro vidas. Seja você também esperança para quem precisa, doe sangue, doe vida”, clama.

O professor de informática Francisco César Veras, 32 anos, doa sangue há aproximadamente uma década e sempre que pode vai ao Hemocentro Regional de Floriano ajudar. 

Morador do bairro Ibiapaba, ele acredita que doar é um ato solidário. “Quando eu era criança, lembro que tinham muitas campanhas de doação de sangue por meio de unidades móveis e eu sempre presenciava minha mãe indo lá. Então eu copiei a ideia e me sinto muito bem em estar ajudando”, relembra.

O Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, reforça a importância da doação regular. “Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E, nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente. Com a nossa união, a vida se completa”.

Onde doar sangue no Piauí

Interessados em doar sangue e medula óssea podem procurar, além do hemocentro coordenador do estado, em Teresina, um dos três hemocentros regionais instalados em Floriano, Picos e Parnaíba. 

Moradores de Nazaré do Piauí, Rio Grande do Piauí, São Francisco do Piauí, São José do Peixe e outros sete municípios podem procurar o Hemocentro Regional de Floriano que fica na Rua João Dantas, número 1161, bairro Manguinha, cujo telefone é (89) 3522-2020.

Já a unidade de Picos, no sudeste do estado, fica próxima de 19 cidades como, por exemplo, Geminiano, Paquetá, Colônia do Piauí, São João da Canabrava, Bocaina e Oeiras. O hemocentro está situado na Praça Antenor Neiva, sem número, bairro Bomba. Para informações, ligue (89) 3421-0704.

O hemocentro regional de Parnaíba, no litoral piauiense, atende a 14 municípios. Entre eles,  Cajueiro da Praia, Ilha Grande, Luís Correia, Piracuruca e São José do Divino. A unidade está localizada na Praça Antônio Monte, sem número, Centro. O telefone para contato é o (86) 3321-2854.
Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 

Critérios para doar sangue e medula óssea

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. As pessoas vacinadas devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses entre as doações. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea acesse hemopi.pi.gov.br.

Copiar o texto
26/08/2021 03:00h

O local é responsável pelo atendimento de 46 municípios. Unidade intensifica estratégias para aumentar estoque, apesar do armazenamento estável

Baixar áudio

Apesar de a pandemia da Covid-19 ter diminuído a ida de novos voluntários à doação de sangue aos hemocentros e ter causado instabilidade nos estoques, a unidade do Hemoal (Hemocentro de Alagoas) em Arapiraca mantém níveis sanguíneos seguros. No entanto, a prática da doação não pode parar, pois a unidade é responsável por 46 municípios, como Lagoa da Canoa, Craíbas e São Sebastião.

Gerson Alberto, supervisor do Hemoal em Arapiraca, conta que a unidade pensou em várias estratégias para captar mais doadores de sangue, principalmente a partir de visitas aos municípios e povoados da região alagoana. “As estratégias têm sido ir a entidades religiosas, comunidades, zonas rurais, povoados e associações de bairros, multiplicando a informação para que as pessoas possam conhecer a hemorrede'', destaca.

Doe mais

Iriane Martins, 35 anos, moradora do Bairro Pilar, em Alagoas, acredita que as pessoas precisam ser mais empáticas e exercer esse gesto de solidariedade. “Principalmente agora na pandemia em que todos precisam doar mais. A doação é muito mais que tirar uma bolsa de sangue, é também um método de autoavaliação e de saber como está a sua saúde”, assegura a professora de Língua Portuguesa. 

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, estima que cerca de três milhões de doações são feitas ao ano e que essa prática deve continuar. Dessa forma, é importante procurar um hemocentro mais próximo para fazer sua doação de sangue ou medula óssea. 

“Vamos aproveitar essa oportunidade para reafirmar não só as ações de enfrentamento à pandemia, mas também a necessidade contínua de cumprir o preceito constitucional da saúde como direito fundamental. O sangue, ao longo do tempo, simboliza a vida. E nesse sentido, é importante a doação regular de sangue. Doe sangue regularmente, com a nossa união, a vida se completa”, afirmou.

Onde doar sangue em Alagoas

Todos os hemocentros e unidades de coleta estão agendando as doações por telefone ou pelo site do Hemoal (cidadao.saude.al.gov.br/transparencia/doacoes/). 
Para doar em Arapiraca, que atende a municípios como Campo Grande, Feira Grande ou Lagoa da Canoa, disque (82) 3521-4934. A unidade fica na Rua Desportista Ernesto Alves Siqueira, número 49, Centro.  

Quem desejar doar na capital Maceió, pode ligar para o (82) 3315-2109. O doador também pode solicitar a Hemovan, que permite que grupos de 10 a 15 pessoas se reúnam e sejam transportados até Maceió ou Arapiraca para coleta.

Para saber mais informações sobre endereços e horários de funcionamento das unidades mais próximas de você, veja o mapa abaixo. 
Critérios para doar sangue e medula óssea.

De acordo com a Coordenação-Geral de Sangue e Derivados do Ministério da Saúde, o procedimento para doação de sangue é simples. Primeiro se faz o cadastro, aferição de sinais vitais, teste de anemia, triagem clínica, coleta de sangue e depois o lanche. Isso tudo leva em média 40 minutos.

Vale lembrar que até mesmo quem foi infectado pelo coronavírus pode doar sangue e medula óssea. No entanto, é necessário aguardar 30 dias após completa recuperação da doença. Quem teve contato com pessoas infectadas também precisa esperar 14 dias para poder fazer a doação, apresentando RT-PCR negativo e ausência de sintomas. Já os vacinados devem esperar o tempo de imunização, que vai depender da marca do imunizante.

Para doar sangue é necessário ter entre 16 e 69 anos de idade e pesar no mínimo 50 quilos. Mulheres podem doar até três vezes ao ano com intervalo de três meses entre as doações. Já os homens podem doar até quatro, com intervalo de dois meses. A doação é voluntária e uma bolsa de apenas 450mL de sangue pode ajudar até quatro pessoas.

Candidatos à doação de medula óssea devem ter entre 18 e 35 anos, estar em bom estado de saúde e não apresentar doença infecciosa ou incapacitante. Segundo o Redome, algumas complicações de saúde não são impeditivas para doação, sendo analisado caso a caso.

Doar sangue e medula é seguro! Com a pandemia, todos os protocolos de contenção contra a Covid-19 estão sendo realizados. No dia da doação, será preciso apresentar documento de identificação com foto. Para saber onde doar sangue ou se cadastrar para doar medula óssea, acesse saude.al.gov.br.

Copiar o texto
Brasil 61