12/04/2024 18:54h

Presidente e ministro da Agricultura e Pecuária acompanharam envio do primeiro lote da proteína animal rumo ao país asiático

Baixar áudio

Recém-habilitada pela China para a exportação de carne, uma planta frigorífica localizada em Mato Grosso do Sul recebeu as visitas do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, e do ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro. 

Eles acompanharam o envio do primeiro lote da proteína animal ao país asiático, principal parceiro comercial do Brasil. Durante a visita, Lula destacou a força do agronegócio nacional e consequente contribuição para a balança comercial brasileira.  

"O presidente agradece porque ele embarcou o primeiro container de carne de qualidade para a China. A carne que eles estão comprando agora é carne de qualidade. É aquela que a gente quer comer, que a gente gosta e, quanto mais qualidade a gente tiver, mais a gente vai exportar. Eu fico feliz, porque esse país vai voltar a crescer muito e a gente vai gerar emprego na agricultura, na cidade, no comércio", disse. 

Até março, Mato Grosso do Sul tinha apenas três frigoríficos autorizados a exportar carne para a China. Com a habilitação há cerca de um mês, agora são sete. 

Além dos quatro estabelecimentos habilitados no estado, outras 34 plantas espalhadas pelo país receberam o sinal verde dos chineses. Com o anúncio, o Brasil aumentou de 106 para 144 o número de empresas habilitadas. 

O ministro Carlos Fávaro comemorou a abertura e ampliação de comércio com outros países. "Em 15 meses de governo abrimos 105 novos mercados para os produtos brasileiros da agropecuária. 49 países que nós não tínhamos relações comerciais com os produtos da agropecuária hoje estão disponíveis e estamos fazendo negócios", destacou. 

Fávaro ressaltou que a concretização de novas parcerias gera efeitos positivos para toda a economia. "As pessoas talvez não compreendam o que é essa abertura de mercado. É abrir uma loja da JBS do outro lado do mundo? Não é isso. É gerar oportunidade. É construir acordos com os países para que a gente possa comprar e vender produtos desses países. Essa habilitação gera oportunidades e riqueza para a empresa, mas também para a população. Hoje temos 2.300 colaboradores e, com essa habilitação, vamos para 4.600. É riqueza, emprego e felicidade na vida das pessoas", completou. 

O governo estima que as novas autorizações gerem incremento de cerca de R$ 10 bilhões à balança comercial brasileira em um ano. 

Abertura de mercados para o agro bate recorde histórico e cria oportunidades para novos produtos

Fávaro destaca recorde na abertura de mercados para o agro e projeta maior Plano Safra da história

China habilita exportação de soro fetal bovino de sete frigoríficos brasileiros

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 01:10h

A temperatura pode variar entre 19ºC e 30ºC

Baixar áudio

Nesta sexta-feira (12), o dia começa com muitas nuvens e possibilidade de chuva no Distrito Federal.
Durante a tarde, as chuvas são fortes e à noite, voltam a ser apenas uma possibilidade.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para perigo potencial de chuvas fortes e ventos intensos no Distrito Federal.
Segundo o Inmet, as chuvas dos primeiros três meses do ano aumentaram a umidade do solo em várias regiões do Brasil. Porém, para abril, é esperada uma queda nos níveis de umidade, especialmente no sul da Região Centro-Oeste, indicando uma diminuição na disponibilidade de água no solo nessa parte do país.
A temperatura mínima fica em torno de 19°C e a máxima prevista é de 28ºC. A umidade relativa do ar varia entre 55% e 95%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 01:04h

A temperatura pode variar entre 18ºC e 33ºC

Baixar áudio

Esta sexta-feira (12) começa com tempo encoberto em todo o estado de Goiás. Pancadas de chuva são esperadas no noroeste e sudoeste goiano. Nas demais regiões do estado, há possibilidade de chuva.  
Durante a tarde, as fortes chuvas se estendem por todo o estado. À noite, pancadas de chuva no noroeste e sul goiano. Nas demais regiões do estado, há apenas possibilidade de chuva. 
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para perigo potencial de chuvas fortes e ventos intensos em todo Goiás, atingindo cidades como Posse, São Luís de Montes Belos e Catalão.
A temperatura mínima fica em torno de 18°C, em Alto Paraíso de Goiás, e a máxima prevista é de 33ºC, em Colinas do Sul. A umidade relativa do ar varia entre 55% e 100%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 01:00h

A temperatura pode variar entre 22ºC e 34ºC

Baixar áudio

Nesta sexta-feira (12), o dia começa com muitas nuvens e pancadas de chuva acompanhadas por trovoadas isoladas em todo Mato Grosso.
Durante a tarde e à noite, a previsão da manhã continua. 
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para perigo potencial de chuvas fortes e ventos intensos em todo Mato Grosso, atingindo cidades como Guarantã do Norte, Paranatinga e Alto Araguaia
Segundo o Inmet, as chuvas dos primeiros três meses do ano aumentaram a umidade do solo em várias regiões do Brasil. Porém, para abril, é esperada uma queda nos níveis de umidade, especialmente no sul da Região Centro-Oeste, indicando uma diminuição na disponibilidade de água no solo nessa parte do país.
A temperatura mínima fica em torno de 22°C, em Campinápolis, e a máxima prevista é de 34ºC, em Cuiabá. A umidade relativa do ar varia entre 45% e 90%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 00:56h

A temperatura pode variar entre 21ºC e 36ºC

Baixar áudio

A sexta-feira (12) começa com muitas nuvens em todo o Mato Grosso do Sul. No leste do estado, há apenas a possibilidade de chuva. Nas demais regiões do Mato Grosso do Sul, pancadas de chuva acompanhadas por trovoadas isoladas.
Durante a tarde e à noite, as fortes chuvas acompanhadas por trovoadas isoladas atingem todo o estado.
O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um alerta para perigo potencial de chuvas fortes e ventos intensos em todo o Mato Grosso do Sul, atingindo os municípios de Naviraí, Costa Rica e Jardim.
Segundo o Inmet, as chuvas dos primeiros três meses do ano aumentaram a umidade do solo em várias regiões do Brasil. Porém, para abril, é esperada uma queda nos níveis de umidade, especialmente no sul da Região Centro-Oeste, indicando uma diminuição na disponibilidade de água no solo nessa parte do país.
A temperatura mínima fica em torno de 21°C, em Costa Rica, e a máxima prevista é de 36ºC, em Três Lagoas. A umidade relativa do ar varia entre 50% e 100%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 00:53h

A temperatura pode variar entre 14ºC e 28ºC

Baixar áudio

A sexta-feira (12) começa com muitas nuvens e chuva em todo Rio Grande do Sul. No nordeste e sudeste gaúcho e metropolitana de Porto Alegre, as chuvas são brandas. 
Durante a tarde e à noite, as fortes chuvas atingem todo o estado e são acompanhadas por trovoadas isoladas em cidades como Santiago, Osório e Cruz Alta.
De acordo com o Inmet, na Região Sul a combinação entre baixas pressões, calor e umidade, juntamente com o enfraquecimento do El Niño, resultou em chuvas significativas. Em Ibirubá, foram registrados 116,8 mm de chuva no dia 9. E Uruguaiana teve 149,6 mm no dia 17. Com a chegada de uma frente fria entre 20 e 21, o Rio Grande do Sul viu chuvas intensas, especialmente em Santa Vitória do Palmar, com 148,0 mm — e Jaguarão, onde as chuvas atingiram 125,0 mm.
A temperatura mínima fica em torno de 14°C, em Sant’Ana do Livramento. E a máxima prevista é de 28ºC, em Quatro Irmãos. A umidade relativa do ar varia entre 75% e 90%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 00:49h

A temperatura pode variar entre 12ºC e 31ºC

Baixar áudio

A sexta-feira (12) começa com tempo encoberto e pancadas de chuva isoladas em toda a Santa Catarina. 
Durante a tarde e à noite, a previsão da manhã continua no estado, atingindo municípios como Mafra, Tubarão e Araranguá.
Entre janeiro e março, as chuvas melhoraram a umidade do solo em várias regiões do Brasil, incluindo partes da Região Sul. No entanto, não se espera aumento na umidade do solo para abril em algumas áreas, como no oeste do Paraná, que pode enfrentar uma redução da umidade.
A temperatura mínima fica em torno de 12°C, em Bom Jardim da Serra. A máxima prevista é de 31ºC, em Romelândia. A umidade relativa do ar varia entre 75% e 95%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
12/04/2024 00:43h

A temperatura pode variar entre 16ºC e 35ºC

Baixar áudio

Nesta sexta-feira (12), o dia começa com muitas nuvens em todo o Paraná. Pancadas de chuva são esperadas no noroeste, oeste e centro sul paranaense. Nas demais regiões do estado, há possibilidade de chuva isolada. 
Durante a tarde, as fortes chuvas alcançam todo o estado. À noite, a chuva volta a ser apenas uma possibilidade nas regiões do norte, centro oriental e sudeste paranaense e metropolitana de Curitiba — em cidades como Paranaguá, Cerro Azul e Lapa. 
Entre janeiro e março, as chuvas melhoraram a umidade do solo em várias regiões do Brasil, incluindo partes da Região Sul. No entanto, não se espera aumento na umidade do solo para abril em algumas áreas, como o oeste do Paraná, que pode enfrentar uma redução da umidade.
A temperatura mínima fica em torno de 16°C, em Castro — e a máxima prevista é de 35ºC, em São Miguel do Iguaçu. A umidade relativa do ar varia entre 60% e 90%.
As informações são do Instituto Nacional de Meteorologia.
Sophia Stein, o Tempo e a Temperatura.
 

Copiar textoCopiar o texto
11/04/2024 23:37h

Em 20 anos, o Programa Água Doce entrega milésimo sistema de dessalinização no semiárido brasileiro. O objetivo é garantir política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano

Baixar áudio

Em 2004, no primeiro mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi lançado o Programa Água Doce. Ele tem por objetivo garantir uma política pública permanente de acesso à água de qualidade para o consumo humano, por meio do aproveitamento sustentável de águas subterrâneas salobras e salinas, no semiárido brasileiro.

Para isso, é preciso estabelecer cuidados técnicos, ambientais e sociais na implantação e gestão de sistemas de dessalinização, levando-se em consideração a presença de sais nas águas subterrâneas dessa região. Agora, 20 anos depois, no terceiro mandato de Lula, foi instalado o milésimo na cidade de Chorozinho, no Ceará, pelo Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR).

Desde a criação do Programa Água Doce, foram investidos R$ 434 milhões, beneficiando 250 mil pessoas, são disponibilizados 4 milhões de litros de água potável por dia em dez estados diferentes. São eles de Alagoas, Bahia, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Sergipe, Rio Grande do Norte e norte de Minas Gerais.

“É uma ação extremamente importante, porque o Programa Água Doce aproveita poços perfurados, onde a água não está em condição de ser consumida pela população por conta do alto índice de salinidade. Nós instalamos dessalinizadores a partir do mapeamento desses poços. O equipamento transforma aquela água, que até então não poderia ser consumida, em água em condições de consumo”, destaca o secretário Nacional de Segurança Hídrica, Giuseppe Vieira.

“Em alguns lugares do país a gente tem água em abundância, mas, na região semiárida brasileira, entre os estados do Nordeste e o norte de Minas Gerais, por exemplo, isso não ocorre. Então, normalmente, a alternativa que tem para poder abastecer a população é perfurando poços artesianos”, enfatiza o secretário.

Milésimo sistema 

Em cinco de abril, durante a solenidade de assinatura da ordem de serviço, no valor de R$ 434 milhões, para dar início às obras do Ramal do Salgado, o ministro da Integração e do Desenvolvimento Regional, Waldez Góes, anunciou a implementação do milésimo sistema de dessalinização. “É importante dizer também que aqui hoje nós estamos anunciando o milésimo sistema de dessalinização, que faz parte do Programa Água Doce, lançado pelo presidente Lula, em 2004. São mais de 300 sistemas somente no Ceará, e hoje a gente dá por inaugurado no Município de Chorozinho, o milésimo”, comentou o ministro Waldez Góes.

Quem representou o MIDR em Chorozinho foi a diretora a diretora de Revitalização de Bacias e Planejamento de Segurança Hídrica, Fernanda Ayres, e o coordenador do Programa Água Doce, Wellington Sandrelly. “Estamos muito felizes com o marco da instalação do milésimo sistema de dessalinização no país. Temos certeza de que esse sistema trará não apenas água de qualidade, mas também possibilidades de melhoria de vida para a comunidade, além de diminuir doenças provenientes do consumo de água de má qualidade”, declarou Fernanda Ayres.

Felicidade

“É possível ver a felicidade no rosto das pessoas que nunca tiveram acesso à água potável ou tiveram que ir a outros municípios ou comunidades para conseguirem consumir água de qualidade. Um sistema desse dá dignidade à população”, complementou Wellington Sandrelly.

O sistema atenderá cerca de 25 famílias que vivem no Assentamento Morros e Riacho Alegre. Com cerca de 100 habitantes na região localizada a 6,4 km da sede do município de Chorozinho, o sistema dessalinizador conta com um poço de vazão equivalente a 5.625 l/h, que vai garantir mais segurança hídrica e qualidade de vida para os moradores das comunidades.

José Gadelha, agricultor familiar, destacou a importância do sistema de dessalinização na região. “Essa ação mudou a realidade da comunidade, pois antes dependíamos de carro-pipa para água termos água com o objetivo de consumirmos. Agora, temos uma nova expectativa de futuro; em vez de migrarmos para a cidade, já há pessoas voltando para a comunidade com a chegada do dessalinizador”, comemorou João Gadelha.

Fonte: MIDR

Copiar textoCopiar o texto
10/04/2024 20:44h

O MIDR foi representado pela secretaria da Secretária Nacional de Desenvolvimento Regional e Territorial, Adriana Melo. Ela abordou sobre desafio de ampliar e aprimorar as políticas de desenvolvimento produtivo na América Latina e no Caribe

Baixar áudio

O Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR), representado pela Secretaria Nacional de Políticas de Desenvolvimento Regional e Territorial, participou da Conferência Anual conjunta do Banco de Desenvolvimento da América Latina e do Caribe (CAF) e da Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (CEPAL), realizada em Santiago, no Chile, nesta terça-feira (9).

Com o tema "O desafio de ampliar e aprimorar as políticas de desenvolvimento produtivo na América Latina e no Caribe", o evento debateu o estagnado crescimento da região ao longo da última década, abordando questões cruciais como a luta contra a pobreza e a desigualdade, a melhoria da educação e saúde, bem como os desafios das mudanças climáticas, que ameaçam o funcionamento das democracias na região.

Adriana Melo, secretária Nacional de Políticas de Desenvolvimento Regional e Territorial, representou o MIDR no evento, contribuindo para a terceira sessão de discussão intitulada "Políticas de desenvolvimento produtivo com enfoque territorial e iniciativas de arranjos produtivos locais", que realizou uma reflexão sobre a geração e aprofundamento de agendas estratégicas subnacionais para o desenvolvimento produtivo, com foco na coordenação entre os governos subnacionais e outras partes interessadas.

Durante o debate, a secretária destacou a importância de abordagens menos incrementais e mais estruturantes na promoção do desenvolvimento baseado em arranjos produtivos, visando a redução das desigualdades regionais. Ela ressaltou a necessidade de investimentos em processos de planejamento prévio e de fortalecimento da capacidade dos territórios para garantir a continuidade das políticas públicas, mesmo diante das mudanças de governo.

“O processo de transformação do território se dá ao longo prazo. Para conseguirmos estruturar processos virtuosos, que gerem dinamização econômica nos territórios e aumento de produtividade, precisamos ter uma atuação menos pulverizada, mas a partir de escolhas estratégicas, tanto em torno de setores produtivos quanto em torno de territórios elegíveis”, afirmou Adriana Melo. “Isso se dá a partir de um investimento dado em processos de planejamento prévio. Precisamos conhecer o território, precisamos prospectar para fazer escolhas e apostas estratégicas de forma participativa e consensuada no território. A partir daí, direcionamos os investimentos, alocamos as parcerias para implementação de projetos, que exigem um nível de maturidade natural e que, muitas vezes, perpassa ciclos de governo”, completou.

De acordo com Adriana Melo, as descontinuidades de governo podem ser percalços para os demais países e instituições nacionais podem ser alicerce de apoio as autonomias territoriais. “É preciso apostar na autonomia do território, no fortalecimento de suas capacidades, além de parceiros que consigam não sucumbir a essas descontinuidades. Como exemplos temos as universidades, instituições federais e institutos de pesquisas, que mantém quadros mais perenes e conseguem apoiar os processos de longo prazo”, explicou a secretária.

Além disso, a secretária também destacou a importância de uma abordagem territorial na transição para modelos de desenvolvimento mais sustentáveis, como a transformação da matriz energética em energia limpa, buscando garantir que os benefícios dos planos nacionais sejam distribuídos de forma equitativa em todas as escalas regionais. “O Brasil vive uma transição de modelo de desenvolvimento muito pautado na sustentabilidade e transformação da matriz energética em energia limpa. Isso precisa ser apropriado territorialmente. Para isso, buscamos implementar o trabalho forte de governança multinível”, ressaltou a secretária Adriana.

A discussão contou também com a participação de importantes figuras como Rolando Figueroa, Governador da Província de Neuquén, Argentina; Richard Calderón, Prefeito da Província de Imbabura, Equador; Guillermo Acosta, Ministro da Economia e Gestão Pública da Província de Córdoba, Argentina; e Oliver Torres, Diretor da TCI, capítulo latino-americano e Diretor de Estratégia do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Chihuahua Centro, México.

Fonte: MIDR

Copiar textoCopiar o texto