Dr. Ajuda!

15/10/2021 13:20h

A dermatologista Dra. Leila Bloch dá mais detalhes sobre o que é a caspa.

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Na medicina, a caspa é chamada de dermatite seborreica, uma condição muito comum do couro cabeludo, que não é contagiosa e que acomete até 40% da população mundial. A primeira informação que você deve saber é que existem diferentes tipos de caspa com formas diferentes de apresentação. Tem a dermatite seborreica ou caspa inflamatória, a oleosa e a descamativa.

Na inflamatória o que você irá notar é inflamação, em que o couro cabeludo está um pouco mais avermelhado. Na oleosa, o que você irá notar é uma oleosidade do couro cabeludo aumentada. Você pode perceber isso passando os dedos no couro cabeludo e observar se eles ficam com o aspecto brilhante ou mesmo um pouco mais engordurados. A caspa não tem sua causa completamente conhecida, e acontece por um desbalanço dos fungos que temos normalmente no couro cabeludo e por um aumento da produção de sebo pelas glândulas sebáceas que temos na cabeça, levando a inflamação, que se manifesta por um pouco de vermelhidão e, às vezes, coceira.

Apesar de não ter uma causa bem estabelecida, tem uma série de fatores que podem estar relacionados a presença da caspa:

  • Estresse
  • Lavar com água ou secar com o secador muito quente
  • Mudanças de estações (temperatura)
  • Doença neurológica ou HIV

Nem tudo o que ocorre no couro cabeludo é caspa, tem uma série de outras doenças que podem confundir o diagnóstico. Então, outras características que devem ser notadas são:

  • Se a área de acometimento do problema não ultrapassa o couro cabeludo. Quando isso ocorre é comum ser um outro problema como a Psoríase por exemplo. Deve notar ainda se não há pequenas áreas de pus no couro cabeludo semelhantes a espinhas que podem sugerir Foliculites. 
  • Presença de ardência ou qualquer outra alteração de sensibilidade do couro cabeludo que pode estar relacionado a Tricodinia
  • Reparar se está perdendo cabelo

Para ter o diagnóstico é necessária uma consulta com um profissional especializado. Se você possui alguns desses sintomas, não deixe de procurar um médico Dermatologista para fazer o diagnóstico correto e definir um tratamento individualizado para o seu caso.

ONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre o tema:

  1. O que é e tipos
  2. Causas
  3. Características

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
13/10/2021 13:35h

A fisiatra Dra. Luciana dotta dá mais detalhes sobre a doença

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

A fibromialgia é uma doença crônica, ou seja, é uma dor que dura mais de 3 meses e é um problema de saúde difícil de ser diagnosticado. Essas dores podem ter muitas características diferentes, elas podem vir em forma de pontadas, sensação de queimação, latejamento e assim por diante. Também pode aparecer em qualquer parte do corpo. Geralmente, durante a investigação, são realizados vários exames, que tem resultados normais ou que não justificam as dores, mas isso não quer dizer que o paciente não tenha um problema, pelo contrário, reforça o diagnóstico de fibromialgia.

 Além de dor, confira outros sintomas você deve reparar:

  • Pessoas com dor crônica tendem a ter oscilações de humor, podem ficar irritadas, ansiosas ou deprimidas
  • Transtornos de depressão e ansiedade
  • Alteração na qualidade do sono
  • Fadiga e cansaço
  • Alterações intestinais (constipação, cólicas ou diarreias constantes)
  • Alterações para urinar: dor, urgência 
  • Piora de cólica menstrual
  • Zumbido e tontura

A fibromialgia possui um impacto muito grande na vida dos pacientes, para o diagnóstico é necessária consultas com profissionais especializados. Não deixe de procurar um médico Fisiatra, Reumatologista, Neurologista e os médicos especialistas em dor.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar quatro áudios sobre o tema:

  1. O que é?
  2. Sintomas
  3. Dor psicológica 
  4. Diagnóstico e tratamento

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
11/10/2021 15:30h

A oftalmologista Dra. Flavia Luz dá mais informações sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Catarata é a opacidade do cristalino, uma lente natural que possuímos dentro dos olhos, que com o passar dos anos vai ficando opaca. Dessa forma, impede que os raios luminosos cheguem até a retina. O resultado é que a imagem fica borrada, sem nitidez e, com o passar do tempo, você pode até mesmo perder a visão.

Sintomas da catarata

O principal sintoma da catarata é a baixa visão. Catarata não dói, não coça, não arde e não deixa o olho vermelho. 

Fatores de risco

  • Pode se apresentar na fase congênita como também em adultos e jovens
  • Pode ser associada ao envelhecimento, mas também está associada a exposição excessiva a raios ultravioletas do sol.
  • Traumas oculares
  • Infecções oculares
  • Diabetes
  • Corticoides

Para o diagnóstico, é necessário uma consulta com o oftalmologista que, além de conversar sobre seus sintomas e te examinar, necessita também de aparelhos específicos para avaliar seu olho.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar três áudios sobre o tema:

  1. O que é?
  2. Prevalência
  3. Prevenção

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
08/10/2021 14:00h

A gastroenterologista Dra. Maira Marzinotto dá mais detalhes sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Vermes são parasitas que infectam o trato digestivo podendo causar diversas doenças, chamadas de verminose. Existem vários grupos de parasitas ou verme: protozoários como as amebas e giárdias, e os Helmintos como a tênia, lombriga, entre outros.

Esses parasitas habitam nos intestinos das pessoas contaminadas e, na maioria das vezes, são eliminados através das fezes. Se essas fezes não forem tratadas adequadamente, o que tende a acontecer nas áreas com saneamento básico precário, elas podem contaminar o solo, água e os alimentos ao redor. A forma mais comum da contaminação é a ingestão do próprio verme pela água ou alimentos contaminados.

Sintomas:

  • Dor em cólica na barriga ou diarreia eventual
  • Perda de peso
  • Coceira no ânus
  • Problemas no fígado, barriga d’água
  • Palidez
  • Anemia 
  • Falta de energia

As melhores maneiras para se prevenir contra vermes são: lavar as mãos após usar o banheiro e antes de cozinhar algum alimento, lavar adequadamente alimentos que comemos crus. Se você possui algum desses sintomas, não deixe de procurar um médico Gastroenterologista.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar quatro áudios sobre o tema:

  1. O que são?
  2. Transmissão
  3. Sintomas
  4. Prevenção

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
06/10/2021 12:30h

O psiquiatra Mauro Victor dá mais informações sobre depressão na infância

Baixar áudioBaixar áudio

A tristeza é uma reação normal diante de situações que geram frustração e desconforto. Por meio da tristeza, aprendemos a aceitar a realidade e mudar nosso jeito de lidar com ela. Não devemos evitá-la, e sim aceitá-la e ajudar as crianças a lidar com ela. Mas quando desconfiar que a tristeza não é normal e como diferenciar tristeza de depressão?

  1. A tristeza é passageira e temporária, em geral de minutos a horas. Depois, a criança volta a ter um estado tranquilo, calmo, que tende para o alegre. Já na depressão, o estado de tristeza, desânimo, falta de interesse, falta de prazer e irritabilidade tende a ser contínuo, com duração de vários dias, semanas e até meses. Esta fase, para ser considerada depressão, deve durar no mínimo 2 semanas.
  2. Na depressão, a criança e adolescente tem pensamentos negativos persistentes sobre ela, como achar o corpo feio, se achar chata, burra, sem amigos ou culpada excessivamente, ou sobre o mundo, com um pessimismo de achar que as coisas sempre dão errada ou uma desesperança de achar que não tem jeito de as coisas melhorarem no futuro.
  3. Há alterações biológicas como alterações de sono, alteração de apetite, alteração de energia e alteração de concentração. 
  4. Na tristeza, muitas vezes a reação está ligada a um ambiente, por exemplo na escola. Enquanto na depressão ela permanece em todos os lugares, seja casa, escola, casa de parentes ou amigos.
  5. Na depressão há um prejuízo significativo na vida da criança ou adolescente. Em geral, a pessoa deixa de se cuidar, as notas da escola caem, há um isolamento social e uma falta de vontade de fazer qualquer atividade.
  6. Na depressão, em casos mais graves, as pessoas têm pensamentos de se machucar e de morrer, chegando até a construir ideação suicida e realizar tentativas de suicídio se não forem ajudadas.

Fique de olho!

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. Tristeza vs depressão
  2. Como diferenciar tristeza da depressão?

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
04/10/2021 14:15h

O Dr. Fabio Ortega urologista, dá mais informações sobre essa doença

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

Você conhece alguém que acorda no meio da noite para urinar?

Acordar até uma vez por noite na maioria das vezes não é um problema. Mas, quando você acorda 2 ou mais vezes por noite, isso é um sintoma chamado Nocturia ou Nicturia e pode indicar algo de errado.

Primeiramente você deve diferenciar se está acordando porque está com vontade de urinar ou se está acordando por problemas do sono. Se você acorda pela vontade de urinar, temos 4 causas mais importantes:

  • Você está produzindo muita urina: nesse caso o seu corpo está produzindo mais que o normal o tempo todo, o que é chamado de Poliúria.
  • Sua bexiga não consegue armazenar muita urina: isso acontece em alguns casos quando a bexiga tem uma pequena capacidade, normalmente por inflamação da bexiga, cistite intersticial, mas é muito mais comum em quem não consegue esvaziar a bexiga adequadamente.
  • Você está produzindo muita urina somente a noite: o que chamamos de poliúria noturna. Beber muito líquido a noite aumenta a produção de urina durante a noite.
  • Bexiga hiperativa ou irritada: uma das características é que você sente vontade de urinar mesmo com pouca urina. Isso pode acontecer sem uma explicação clara que é o caso da bexiga hiperativa ou quando você ingere substâncias irritativas como café, chá, refrigerantes e chocolate, mas pode acontecer também se você tiver infecção urinária. Nesse caso preste atenção em outros sintomas como ardência para urinar, cheiro mais forte da urina que também pode ficar mais escura. Outros problemas mais graves, como Câncer, também podem iniciar com esse tipo de sintoma.

É fundamental que você saiba que acordar a noite para urinar não é apenas um sintoma de alguma doença. A interrupção do sono tem impacto direto na sua vida prejudicando, dentre outras coisas, a capacidade de atenção, memória e seu sistema imunológico. Preste atenção em todos esses sintomas e procure o médico Urologista.

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. O que é nocturia?
  2. Problemas no coração podem causar nocturia
  3. Problemas na próstata podem causar nocturia

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
01/10/2021 17:50h

A assistente social Leticia Andrade dá mais informações sobre o sistema único de saúde

Baixar áudioBaixar áudio

O sistema único de saúde chamado SUS, atende todo tipo de problema desde os mais simples como gripe e resfriado até os mais graves como câncer, doença de recém nascidos, transplantes, entre outros. Para atender todo os tipos de problema, o SUS é dividido em 3 níveis de atenção:

  • Nível Primário (Casos simples, também conhecidas como UBS, postos de saúde)
  • Nível Secundário (UPAS, AMAS  e grandes partes dos hospitais)
  • Nível Terciário (Tratamento, exames de alta complexidade, hospitais de grande porte como Hospital das clínicas, instituto do câncer)

Como conseguir exames e cirurgias no SUS?

Quando uma pessoa precisa de uma cirurgia, o hospital que ela será encaminhada é definido pela central de regulação, é essa central que irá avaliar quais os hospitais ou serviços que conseguem resolver o problema. Para conseguir uma cirurgia pelo SUS ou fazer exames complexos, primeiramente, você deve ir a uma unidade básica de saúde e, após receber o pedido médico, será direcionado a central de regulação que irá avaliar e notificar para onde o paciente deverá ir e resolver o seu problema. Se tiver dúvidas procure o serviço social da unidade básica mais próxima de você. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. Organização do SUS
  2. Como conseguir exames e cirurgias no SUS?

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
29/09/2021 13:15h

A ginecologista Dra. Denise Yanasse dá mais detalhes sobre o assunto

Baixar áudioBaixar áudioBaixar áudio

O mioma é um tumor benigno do útero, não é câncer. É muito comum e cerca de 50% das mulheres entre 30 e 50 anos podem ter. O problema do mioma é crescer e causar sintomas que estão relacionados principalmente ao seu tamanho e posição junto ao útero. Ele pode estar localizado dentro do músculo do útero (intramural), na camada mais interna do útero (submucoso) ou na camada mais externa do útero (subseroso).

Não se sabe a causa do mioma, porém existem alguns fatores de risco relacionados que são: histórico familiar, raça negra, dieta rica em carne vermelha, consumo de álcool, obesidade, deficiência de vitamina D, entre outros.

Os principais sintomas do mioma são:

  • Sangramento vaginal aumentado 
  • Sangramento vaginal prolongado (mais que 7 dias)
  • Sintomas de anemia (palidez da pele, falta de energia, cansaço constante)
  • Sensação de peso no pé da barriga
  • Infertilidade e/ou abortamento

 Caso suspeite desse problema, não deixe de procurar um médico ginecologista. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. O que é e tipos de mioma
  2. Sintomas
  3. Fatores de risco

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
27/09/2021 14:00h

A psiquiatra Dra Karina Calderoni dá mais detalhes sobre essa doença

Baixar áudioBaixar áudio

A síndrome do pânico é um transtorno em que acontecem crises repentinas e intensas de ansiedade, associada a sintomas físicos e uma forte sensação de medo ou desespero. Durante um ataque de pânico, são disparados no cérebro vários neurotransmissores envolvidos no que chamamos de reação de luta ou fuga. Na crise de pânico, tudo isso acontece sem que a pessoa esteja diante de nenhum perigo ou ameaça e pode ocorrer em qualquer situação, de forma repentina e inesperada. Além de todos os sintomas físicos, a pessoa sente um medo intenso, um desespero e uma sensação de perda de controle, de que vai enlouquecer ou morrer. Por não saber o que está acontecendo, geralmente a pessoa acredita estar tendo um ataque cardíaco ou um AVC.

Quando essas crises são frequentes e sem um fator desencadeante, estamos diante de uma síndrome ou transtorno do pânico. Com o tempo, a pessoa passa a ter medo de sofrer essas crises em locais nos quais sejam difíceis o socorro ou a fuga e passa a ter um comportamento de evitar tais situações. E, com isso, o repertório de atividades da pessoa vai ficando cada vez mais restrito até o momento que passa a não mais ter coragem de sair de casa.

Confira dicas para lidar com a crise de pânico:

  • Quando começar a se sentir mal, percebendo que é uma crise de pânico, procure se possível um local mais tranquilo em que você possa se sentar, respirar fundo e tentar controlar os pensamentos, racionalizando sobre os sintomas.
  • Puxe o ar lentamente contando até 4, segure contando até 2, solte o ar contando até 4 e segure no vazio contando até 2. Repita esse processo até sentir que controlou a hiperventilação.
  • Foque a sua atenção em alguma coisa, pode ser um objeto, pode ser uma textura ou cheiro conhecido e pode ser a própria respiração.
  • Outra alternativa é você imaginar que está em um lugar que te traga felicidade, calma. 

Cada pessoa irá encontrar uma técnica com a qual se identifique mais. O importante é sempre lembrar que é algo passageiro e que tem tratamento. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre o tema:

  1. O que é?
  2. Como lidar?

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
24/09/2021 13:30h

O ortopedista Dr Rodrigo Calil Abdo dá mais detalhes sobre esse tema

Baixar áudioBaixar áudio

É importante lembrar que o joelho é uma articulação de carga, grande parte das causas de dor nesse local tem relação com uma sobrecarga nessa articulação. Algumas coisas que você tem que identificar são como e onde é a dor? Quando e como ela começou? O que piora a dor? O joelho incha? Teve algum trauma? Vamos listar abaixo possíveis causas em dor no joelho:

Dores sem traumas:

  • Dor na infância: existe uma patologia bem comum da infância causada por excesso de atividade física associada a desequilíbrio muscular causando uma tração excessiva na inserção do ligamento patelar na tíbia causando esse quadro.
  • Dor na parte da frente do joelho também  é uma queixa muito frequente  e geralmente está relacionada a uma sobrecarga dessa região.
  • Problemas antigos do joelho: alguém que já teve problema no joelho devido uma batida, cirurgia, infecção, no passado  e anos mais tarde começaram a ter dor que foi piorando com o passar do tempo, é mais comum que estejamos diante da Artrose de joelho que é um desgaste progressivo da cartilagem do joelho e ocorre com frequência em pessoas com mais de 65 anos.

Dores após algum trauma:

É muito importante saber que tanto as batidas quanto as torções de joelho podem causar lesões muito mais graves e urgentes como a fratura quando o osso quebra e a luxação. Por isso, você deve procurar o Pronto Socorro quando:

  • A batida ou a torção for muito forte 
  • O joelho fica muito inchado e você não consegue nem mexer nem colocar o pé no chão
  • Existe alguma deformidade no joelho 
  • O pé está ficando escuro ou formigando 
  • Infecções no joelho o que chamamos de Pioartrites. 

CONTEÚDO PARA EMISSORAS DE RÁDIO: Nesta edição, você pode utilizar dois áudios sobre os seguintes temas:

  1. Dor anterior no joelho
  2. Osteoartrose de joelho

Para saber mais, assista ao vídeo do Dr. Ajuda sobre o assunto. 

Copiar o texto
Brasil 61