Sergipe

15/07/2022 03:30h

Do total, 49 mil já possuem uma formação ou estão inseridos no mercado de trabalho, mas precisam se aperfeiçoar

Baixar áudio

O estado de Sergipe precisa qualificar 62 mil trabalhadores em ocupações industriais até 2025. A informação consta no Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025, compilado pelo Observatório Nacional da Indústria da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Do total, 13 mil devem se capacitar em formação inicial - para repor os inativos e preencher novas vagas - e 49 mil já possuem uma formação ou estão inseridos no mercado de trabalho, mas precisam se aperfeiçoar.

O gerente executivo do Observatório Nacional da Indústria, Márcio Guerra, afirma que a qualificação profissional é crucial tanto para os trabalhadores que já estão empregados quanto para aqueles que estão fora do mercado de trabalho.

“O aperfeiçoamento deve ser uma estratégia para todos os profissionais. O aprendizado ao longo da vida passa a ter um papel fundamental no mercado de trabalho nos dias de hoje.”

Em Sergipe, a demanda pelo nível de capacitação até 2025 será de:

  • Qualificação (menos de 200 horas): 38.146 profissionais
  • Qualificação (mais de 200 horas): 12.508 profissionais
  • Técnico: 8.432 profissionais
  • Superior: 3.672 profissionais

Em volume, ainda prevalecem as ocupações com nível de qualificação, cerca de 81% do total. Mas, segundo Márcio Guerra, houve um crescimento da demanda por formação em nível superior.

“O nível superior cresce sem dúvida a uma taxa muito elevada. Então, é preciso entender que fazer educação profissional não é o fim de uma trajetória. Profissionais que fazem qualificação profissional, fazem curso técnico e depois caminham para o ensino superior são profissionais extremamente valorizados no mercado de trabalho, pela experiência, pela prática e também pela formação”, avalia.

Áreas de formação

Em Sergipe, as áreas que mais vão demandar profissionais capacitados, tanto em formação inicial, quanto continuada, são:

  • Metalmecânica: 12.174 profissionais
  • Construção: 10.605 profissionais
  • Transversais: 8.723 profissionais
  • Logística e Transporte: 6.671 profissionais
  • Têxtil e Vestuário: 4.449 profissionais
  • Alimentos e Bebidas: 4.239 profissionais
  • Couro e Calçados: 3.257 profissionais
  • Tecnologia da Informação: 1.842 profissionais
  • Automotiva: 1.637 profissionais
  • Eletroeletrônica: 1.428 profissionais
  • O gerente executivo do Observatório Nacional da Indústria, Márcio Guerra, destaca a relevância das ocupações nas áreas transversais. “Ou seja, aquelas ocupações coringas, aquelas profissões que são absorvidas por diversos setores da economia, que vão desde o setor automotivo até o setor de alimentos. No que diz respeito às áreas, vale destacar também aquelas profissões que estão relacionadas com a indústria 4.0, relacionada a automação de processos industriais.”

Ele também explica que há diferenças nas áreas de formação mais demandadas entre os estados. Isso se deve à dimensão do país e à complexidade da economia brasileira. Segundo Márcio Guerra, a heterogeneidade de recursos e de produção acaba refletindo essas características.

"Nós sabemos que, em alguns estados, há uma concentração industrial maior e em outras regiões, como a região Norte, há uma dispersão maior. Então a estrutura industrial, ou seja, os setores que são predominantes em determinadas regiões são diferentes.”

INDÚSTRIA: Demanda por profissionais com nível superior deve crescer 8,7% até 2025

Brasil precisa qualificar 9,6 milhões de trabalhadores em ocupações industriais até 2025

Mapa do Trabalho Industrial

De acordo com o Mapa do Trabalho Industrial 2022-2025, o Brasil precisa qualificar 9,6 milhões de trabalhadores em ocupações industriais nos próximos três anos. Márcio Guerra explica que a projeção considera o contexto econômico, político e tecnológico do país.

“A partir da inteligência de dados, o objetivo do mapa é projetar a demanda por formação profissional de forma que essa informação sirva, não só para o Senai, mas também para uma discussão mais ampla sobre qual vai ser a demanda futura de profissionais no mercado de trabalho. É muito importante para a sociedade conhecer quais são as tendências, quais são as áreas que tendem ao maior crescimento, sobretudo na sua localidade, mas também entender quais profissões têm mais relevância, mais demanda, para que ele possa planejar a sua trajetória de formação profissional”, explica.

Confira outras informações do Mapa do Trabalho Industrial e a demanda de outros estados no link.

Copiar o texto
14/07/2022 04:15h

As sergipanas dão exemplo de empreendedorismo feminino para o Brasil. Sergipe concentra a maior proporção de mulheres entre os donos de negócio do Nordeste e uma das maiores no País (37%), segundo o Atlas dos Pequenos Negócios, do Sebrae.

Baixar áudio

Quando o assunto é empreendedorismo feminino, as sergipanas dão exemplo para o Brasil. O estado tem a maior proporção de mulheres entre os donos de negócio do Nordeste e uma das maiores do Brasil, chegando a 37%, segundo o  Atlas dos Pequenos Negócios do Sebrae

E uma dessas protagonistas é a Rafaela Viana, de 31 anos. A empreendedora do município de Maruim fundou, em 2018, a empresa de acabamentos e pintura 'Mulheres de Obra' – a única da construção civil com mão de obra 100% feminina em toda a região. 

"Mulheres de Obra é uma empresa totalmente disruptiva, que veio quebrar paradigmas. Sempre tive vontade de ver mais mulheres no canteiro de obra. E aqui, no Nordeste, somos a única empresa 100% feminina na área da construção civil."

No setor da construção civil, Rafaela iniciou como técnica de edificações em uma empresa. Lá, notou que algumas coisas deixavam a desejar na parte de acabamento. E foi daí que surgiu a ideia de um novo negócio. Ela conta: “tudo mudou” após participar de um workshop do Sebrae sobre empreendedorismo feminino. 

"Teve aquela palestra maravilhosa sobre empreender, sobre o protagonismo da mulher. E saí de lá convicta de que iria montar meu próprio negócio. Desde 2018 para cá, o Sebrae faz parte, tanto da minha vida como da minha empresa. Já participei de duas edições do Delas [Sebrae Delas, Desenvolvendo Empreendedoras Líderes Apaixonadas pelo Sucesso]. Aprendi muito, agregou muito valor para meu negócio."

Desde então, a 'Mulheres de Obra' já fez oito obras de médio e grande porte e participou de obras em 500 casas e apartamentos. Para o futuro, Rafaela espera abrir mais filiais da empresa em outros estados brasileiros e que mais mulheres possam trabalhar nos canteiros de obras do País. 

Há 50 anos, o Sebrae apoia pequenos negócios como o da Rafaela. São pessoas que trabalham e realizam, movimentando a economia e transformando a história de milhares de brasileiros.

Copiar o texto
20/06/2022 16:40h

Recursos serão usados para ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário da cidade de Aracaju

Baixar áudio

Aracaju, em Sergipe, vai receber R$ 949,6 mil do Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), para dar continuidade a obras de saneamento básico. Os recursos serão destinados à ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário na Zona Norte da cidade.

“Os investimentos em saneamento básico garantem a preservação do meio ambiente, a melhoria das condições de saúde e mais qualidade de vida para a população. Estamos nos esforçando para garantir recursos para a continuidade e conclusão da maior quantidade possível de obras”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira.

Em maio, o MDR havia repassado R$ 1,7 milhão para continuidade da mesma obra em Aracaju e, em abril, outros R$ 4 milhões. Em março, haviam sido destinados R$ 50 mil.

Além dos recursos para Sergipe, o MDR também anunciou repasses para a continuidade de obras de saneamento básico em municípios da Bahia, Ceará, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rondônia, Santa Catarina e São Paulo. No total, serão repassados mais de R$ 16,6 milhões.

Novo Marco Legal

Com a sanção do novo Marco Legal do Saneamento, que completará dois anos em julho, o Governo Federal tem como objetivo alcançar a universalização dos serviços de saneamento básico até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90%, ao tratamento e à coleta de esgoto.

Investimentos em 2022

Desde janeiro deste ano, já foram empenhados R$ 286,3 milhões do Orçamento Geral da União (OGU) e repassados R$ 178,1 milhões para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. Outros R$ 504,4 milhões foram pagos para financiamentos por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Atualmente, a carteira de obras e projetos da Pasta no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de 1.058 empreendimentos, somando um total de R$ 41,8 bilhões, sendo R$ 25,2 bilhões de financiamentos e R$ 16,6 bilhões de Orçamento Geral da União.

Copiar o texto
30/05/2022 17:52h

As áreas com maior potencial de serem afetadas são a Zona da Mata Pernambucana, o leste e o agreste de Alagoas, e o leste, o agreste e o sertão de Sergipe

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional emitiu alertas para chuvas intensas em 119 cidades de diversas regiões de Alagoas, Sergipe e Pernambuco. Os avisos valem para esta segunda-feira (30) e para a terça-feira (31).

O boletim divulgado pelo Instituto Nacional de Meteorologia, o Inmet, aponta que as áreas com maior potencial de serem afetadas são a Zona da Mata Pernambucana; o leste e o agreste de Alagoas; e o leste, o agreste e o sertão de Sergipe.

Tiago Schnorr, coordenador-geral de Gerenciamento de Desastres da Defesa Civil Nacional, alerta para os problemas que podem ser provocados pelas chuvas intensas. "Essas chuvas podem gerar desastres hidrológicos, como alagamentos, enxurradas e inundações, ou geológicos, como deslizamentos em áreas de risco”.

O Cenad, Centro Nacional de Gerenciamento de Risco e Desastres da Defesa Civil Nacional, segue monitorando o cenário. A orientação para os moradores das regiões afetadas é buscar informações nas defesas civis locais. Além disso, é importante ficar atento aos alertas enviados por meio de SMS, TV por assinatura e pelas redes sociais da Defesa Civil Nacional e do Inmet.

A Defesa Civil Nacional também solicita que a população cadastre os telefones celulares para receber alertas por SMS. Para isso, é preciso enviar mensagem de texto para o número 40199, com o CEP do local onde mora.

 

Copiar o texto
Economia
24/05/2022 03:38h

Segunda parcela será depositada nesta terça-feira (24), os recursos vieram do leilão de barris excedentes e podem ser aplicados nas áreas da educação, saúde e infraestrutura

Baixar áudio

O estado de Sergipe recebe, nesta terça-feira (24), cerca de R$ 3 milhões do governo federal pela arrecadação com o segundo leilão de excedentes da cessão onerosa. Os municípios maranhenses, por sua vez, partilham aproximadamente R$ 1,2 milhão. 

Esta é a segunda parcela que a União repassa aos entes da federação em menos de uma semana. Na última sexta-feira (20), o estado de Sergipe embolsou R$ 45,5 milhões com a primeira transferência, totalizando cerca de R$ 49 milhões. Já as prefeituras pernambucanas receberam pouco mais de R$ 25 milhões que, somados à parcela que cai nesta terça, atingem cerca de R$ 26 milhões.

Na avaliação do conselheiro do Conselho Federal de Economia (Cofecon), Carlos Eduardo de Oliveira Jr., os recursos vão ajudar governos estaduais e municipais a disponibilizarem melhores serviços para a população, sobretudo em áreas mais relevantes para a sociedade. 

“Esse recurso deve ser aplicado necessariamente nos setores da Educação, Saúde e Infraestrutura. Os entes vão receber os valores para realizar investimentos junto à população. É claro que, sendo um ano eleitoral, os estados vão priorizar obras em que podem se tornar mais reconhecidos”, considera Oliveira Jr.

Extração

Os recursos foram resultantes do leilão dos volumes excedentes de petróleo dos campos de Sépia e Atapu, que ficam na Bacia de Santos, realizado pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), em dezembro do ano passado. Apenas com os bônus de assinatura do leilão, o governo arrecadou R$ 11,1 bi, dos quais R$ 7,67 bi estão sendo transferidos para estados e municípios. Em contrapartida, as empresas que arremataram os dois blocos deverão investir cerca de R$ 204 bilhões. 

Adolfo Sachsida, ministro de Minas e Energia, acredita que a transferência vai ajudar os governos estaduais e municipais a oferecerem melhores serviços para a população. 

“Os recursos serão repassados aos 26 estados, Distrito Federal e todos os 5.569 municípios do Brasil e podem ser investidos na educação, saúde e obras de infraestrutura. Esse repasse foi possível graças à atração de capitais privados realizada pelo Governo Federal por meio dos nossos leilões. Os recursos serão revertidos diretamente para o bem-estar da nossa população”, afirmou. 

Repasses

Embora os R$ 7,67 bi que estados e municípios recebem até terça-feira sejam relativos à arrecadação do Governo Federal com a segunda rodada da chamada cessão onerosa (entenda mais abaixo), os repasses ocorrem em dias diferentes. A primeira parcela, de R$ 3,67 bi é relativa ao repasse regular, previsto na Lei Complementar 13.885/2019, que estabelece os critérios de distribuição dos valores. A segunda, que totaliza R$ 4 bi, é um adicional definido pela Lei Complementar 176/2020. 

Distribuição do repasse normal: 

Estados - R$ 1,67 bi;
Municípios - R$ 1,67 bi;
Rio de Janeiro - R$ 334,2 mi.

Partilha da transferência adicional:
Estados - R$ 3 bi;
Municípios - R$ 1 bi. 

O que é cessão onerosa? 

A cessão onerosa é o regime de contratação direta — sem licitação — em que a União cedeu à Petrobras o direito de pesquisar e explorar as reservas de petróleo e gás natural em áreas do pré-sal. O acordo, previsto pela Lei 12.276/2010, deu à empresa o direito de extrair até cinco bilhões de barris de petróleo no pré-sal. 

Técnicos da própria Petrobras identificaram que o volume de barris nas áreas da cessão onerosa era maior do que o esperado. Pela legislação, o excedente da cessão onerosa pode ser leiloado sob o regime de partilha, como ocorreu pela segunda vez agora. 

Em 2019, a ANP promoveu a Primeira Rodada de Licitações dos Volumes Excedentes da Cessão Onerosa. Nesse leilão, que o governo considera o maior já feito no mundo, a União arrecadou quase R$ 70 bi. Desse total, R$ 11,73 bi foram transferidos para estados e municípios. 

Com os dois leilões, o Governo Federal arrecadou mais de R$ 81 bi, dos quais R$ 19,4 foram para os entes da federação. Segundo a Presidência da República, os oito leilões de petróleo e gás natural realizados no governo Bolsonaro garantiram investimentos de mais de R$ 800 bilhões e arrecadação superior a R$ 1 trilhão ao longo de 30 anos. Há expectativa de criação de mais de 500 mil empregos.

Copiar o texto
22/05/2022 16:40h

A exceção são os estados do Sul do país, com previsão de geada na Serra Gaúcha e Catarinense e sul do Paraná

Baixar áudio

Depois de uma semana gelada em todo o Centro-Sul do Brasil, o frio deve perder a intensidade nesta semana. Segundo o meteorologista Mamedes Luiz Melo, do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura deve se elevar ao longo dos próximos dias, com exceção das Regiões Sul e Sudeste.

Ainda nesta semana, há a possibilidade de geada na Serra Gaúcha e Catarinense e no sul do Paraná. Os nevoeiros também devem continuar entre o leste do Rio Grande do Sul até o leste da Região Sudeste e sul da Bahia.

Nas demais regiões do Centro-Sul, as temperaturas se elevam devido a presença de uma massa de ar seco. Nos períodos da tarde, a umidade relativa do ar pode chegar em torno dos 15%, em boa parte de Minas Gerais, São Paulo e Paraná.

E tem previsão de chuva nas Regiões Norte e Nordeste do País: “A chuva que vai acontecer ao longo dessa semana será mais expressiva na Região Norte e Nordeste, especialmente no extremo dessas regiões. Ou seja, no norte do Amazonas, Roraima, noroeste do Pará, norte do Maranhão, Piauí, Ceará, leste entre o Rio Grande do Norte até o leste de Sergipe. Esperamos um volume expressivo especialmente no leste entre o Rio Grande do Norte e de Pernambuco”, estima Mamedes.

Ciclone subtropical no Sul do País começa a se afastar do litoral

Qual a relação entre doenças e o frio? Quais são as mais comuns no inverno?

Inverno 2022

A previsão do Inmet é de um inverno gelado em 2022, devido a atuação do fenômeno La Niña sobre as águas do Pacífico Equatorial, que modifica a circulação geral da atmosfera.

“Estamos prevendo que esse inverno seja parecido com o do ano passado, especialmente no mês de junho, que pode ser frio, trazer aquela geada, até mesmo queda de neve, nessas áreas serranas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. E tem uma possibilidade também dessa massa de ar polar atingir a Região Sudeste do país, podendo ter aquela formação de geada mais intensa, até mesmo com perigo para os agricultores que plantam café nessas áreas”, alerta Mamedes.

Já para a região central do Brasil, a previsão é de um inverno dentro da média, inclusive com temperaturas ligeiramente elevadas em algumas áreas.

Copiar o texto
17/05/2022 21:30h

Recursos serão utilizados na ampliação do sistema integrado de abastecimento de água da Adutora do Piauitinga

Baixar áudio

A cidade de Lagarto, em Sergipe, vai receber R$ 2,9 milhões do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, para investir em saneamento básico. Os recursos serão usados na continuidade das obras de ampliação do sistema integrado de abastecimento de água da Adutora do Piauitinga. 

"Os investimentos em saneamento básico garantem a preservação do meio ambiente, a melhoria das condições de saúde e mais qualidade de vida para a população", destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira.

Além dos recursos para o Pará, o MDR também anunciou repasses para a continuidade de obras de saneamento básico em municípios da Bahia, Ceará, Goiás, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul, Sergipe e São Paulo. No total, serão repassados mais de 20 milhões de reais.

Com a sanção do novo Marco Legal do Saneamento, que completará dois anos em julho, o Governo Federal tem como objetivo alcançar a universalização dos serviços de saneamento básico até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90%, ao tratamento e à coleta de esgoto.

Desde janeiro deste ano, já foram empenhados R$ 222,9 milhões do Orçamento Geral da União (OGU) e repassados R$ 153,5 milhões para garantir a continuidade de empreendimentos de saneamento básico pelo País. Outros R$ 434,6 milhões foram pagos para financiamentos por meio do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

Atualmente, a carteira de obras e projetos da Pasta no setor – contratos ativos e empreendimentos em execução ou ainda não iniciados – é de 1.081 empreendimentos, somando um total de R$ 42,2 bilhões, sendo R$ 25,3 bilhões de financiamentos e R$ 16,8 bilhões de Orçamento Geral da União.

Copiar o texto
10/05/2022 21:26h

Recursos serão usados na ampliação do sistema de esgotamento sanitário das cidades de Aracaju e Corumbá

Baixar áudio

LOC: O Governo Federal vai repassar mais de  R$ 1,8 milhão para a continuidade de obras de saneamento básico nos estados de Sergipe e Mato Grosso do Sul.

A cidade de Aracaju receberá mais de R$ 1,7 milhão para a ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário na Zona Norte.

Já o município de Corumbá vai contar com quase R$ 100 mil para ampliação do Sistema de Esgotamento Sanitário na sede municipal.

O ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, destaca a importância dos investimentos federais no setor de saneamento básico. “Os investimentos em saneamento básico garantem a preservação do meio ambiente, a melhoria das condições de saúde e de qualidade de vida da população.”

Neste ano, a cidade de Aracaju já recebeu mais de R$ 6 milhões para a continuidade de obras de saneamento. Já para Corumbá, foram repassados quase R$ 500 mil.

 

Copiar o texto
06/05/2022 17:05h

Recursos serão destinados à instalação de cisternas e à retomada de obras nos perímetros de irrigação Propriá e Betume

Baixar áudio

O Governo Federal vai investir R$ 7,5 milhões na segurança hídrica e desenvolvimento regional do estado de Sergipe. Ao todo, nove municípios serão beneficiados com a instalação de cisternas e com a retomada da reforma de canais localizados nos perímetros de irrigação Propriá e Betume. 

A partir de junho deste ano, o Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR, vai iniciar a instalação de 454 cisternas nas cidades de Poço Redondo, Porto da Folha e Monte Alegre de Sergipe. Os investimentos federais são de R$ 3,5 milhões. 

Durante a cerimônia de anúncio dos recursos, o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira, destacou a importância de garantir água para comunidades rurais e de pequeno porte. “Por mais que a gente faça grandes obras hídricas, vai ter comunidades onde a água não vai chegar. Por isso, nós temos que investir nas pequenas soluções, nos poços, nas cisternas e nos dessalinizadores”.

Já as obras para a retomada da reforma de canais dos perímetros de irrigação Propriá e Betume receberão investimentos federais de R$ 4 milhões. Serão beneficiados os municípios de Propriá, Cedro de São João, Telha, Neópolis, Ilha das Flores e Pacatuba. 

O gerente-executivo do projeto irrigado Betume, Genival de Souza, destacou as melhorias que estão ocorrendo em benefício do local. “Houve uma grande melhora com as obras de recuperação de canais. Também foram instaladas estações de bombeamento, flutuantes e quadro de comandos novos. Tudo isso veio para beneficiar o projeto e ainda tem mais obras e andamento”.

O ministro Daniel Ferreira também participou nesta sexta-feira da introdução, no Rio São Francisco, de 15 mil camarões-pitu e 10 mil peixes da espécie xira. O objetivo é recompor a fauna local. 

 

Copiar o texto
08/04/2022 18:12h

Recursos serão destinados à ampliação do sistema de esgotamento sanitário na Zona Norte da cidade de Aracaju

Baixar áudio

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), vai repassar mais R$ 4 milhões para a continuidade de obras de saneamento básico na cidade de Aracaju, em Sergipe. Os recursos serão destinados à ampliação do sistema de esgotamento sanitário na Zona Norte da capital sergipana.

“Os investimentos em saneamento básico garantem a preservação do meio ambiente, a melhoria das condições de saúde e mais qualidade de vida para a população. Estamos nos esforçando para garantir recursos para a continuidade e conclusão da maior quantidade possível de obras”, destaca o ministro do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira.

Além dos recursos para Sergipe, o MDR também anunciou repasses para a continuidade de obras de esgotamento sanitário, saneamento integrado e manejo de águas pluviais nas cidades de Lauro de Freitas, na Bahia, Sete Lagoas, em Minas Gerais, Joinville, em Santa Catarina, e São Paulo capital. No total, mais de R$ 6 milhões serão investidos pelo Governo Federal.

 

Novo Marco Legal


Com a sanção do novo Marco Legal do Saneamento, que completará dois anos em julho, o Governo Federal tem como objetivo alcançar a universalização dos serviços de saneamento básico até 2033, garantindo que 99% da população brasileira tenha acesso à água potável e 90%, ao tratamento e à coleta de esgoto.

Copiar o texto
Brasil 61