;

Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o usuário realize o login no site do Brasil 61 - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Política de privacidade

Nós do Brasil 61 coletamos e usamos alguns dados dos nossos leitores com o intuito de melhorar e adaptar nossas plataformas e nossos produtos. Para isso, agimos conforme a Lei Geral de Proteção de Dados (Lei 13.709/2018) e nos esforçamos para sermos transparentes em todas nossas atividades.

Para podermos oferecer melhores serviços e veicular peças publicitárias de nossos anunciantes, precisamos conhecer certas informações dos nossos usuários.

COMO O BRASIL 61 COLETA SEUS DADOS

– Quando você se cadastra e cria um usuário no Brasil 61

Quando você entra no nosso site, fornece informações (dados) para a criação do usuário. Estes dados são usados para orientar a estratégia do Brasil 61 e o desenvolvimento de novos serviços e/ou produtos. Essas informações são fornecidas voluntariamente por você leitor e não são compartilhadas com nenhum terceiro.

– Quando você acessa o site do Brasil 61 (www.brasil61.com.br) ou abre uma de nossas newsletters enviadas por e-mail

O Brasil 61 usa tecnologias como cookies e pixel tags para entender como é a sua interação com as nossas plataformas. Esses dados permitem saber, por exemplo, de que dispositivo você acessa o site ou em que links você clicou e quanto tempo permaneceu lendo as notícias. 

COMO O BRASIL 61 USA OS SEUS DADOS

Nós, do Brasil 61, usamos seus dados sempre com a principal intenção de melhorar, desenvolver e viabilizar nossos próprios produtos e serviços a você leitor.

Seus dados são sempre analisados de forma não individualizada, mesmo os que são fornecidos vinculados seu nome ou ao seu endereço de e-mail. 

Os dados em conjunto são analisados para criar relatórios estatísticos de audiência sobre as páginas, textos e meios de acesso ao site e às newsletters. 

Esses relatórios são compartilhados com nossos anunciantes e patrocinadores e servem para modelar estratégias e campanhas institucionais.

As informações que você fornece durante a criação do cadastro do seu usuário no Brasil 61 são utilizadas para a formulação de estratégia comercial e desenvolvimento de novos produtos e/ou serviços.

Essas informações individualizadas podem ser usadas pelo Brasil 61 para o envio de campanhas comerciais e divulgação de serviços e/ou produtos próprios. Não são compartilhadas com nenhum terceiro.

As informações captadas por meio de cookies e pixel tags são usadas em relatórios internos de monitoramento da audiência e também em relatórios para os anunciantes verificarem a efetividade de suas campanhas. Essas informações não estão vinculadas a nome ou e-mail dos leitores e são sempre avaliadas de forma não individualizada.

O Brasil 61 compartilha informações captadas por meio de cookies e pixel tags com terceiros, como anunciantes, plataformas de redes sociais e provedores de serviço – por exemplo, o serviço de envio de e-mails. O Brasil 61 também em seu site cookies de terceiros que captam informações diretamente do usuário, de acordo com suas próprias políticas de privacidade e uso de dados. 

O QUE O BRASIL 61 NÃO FAZ COM SEUS DADOS

– Não monitoramos ou coletamos dados de páginas que não pertencem ao Brasil 61.
– Não compartilhamos ou vendemos para terceiros nenhuma informação identificável.

O QUE VOCÊ PODE FAZER SE NÃO QUISER MAIS QUE SEUS DADOS SEJAM USADOS PELO BRASIL 61

– Caso não queira que o Brasil 61 use nenhum tipo de cookies, altere as configurações do seu navegador. Nesse caso, a exibição de anúncios e mensagens importantes do Brasil 61 e de nossos anunciantes pode ser prejudicada.

– Caso queira deixar de receber algum newsletter ou e-mail de alertas de notícias, basta clicar em “Unsubscribe”, na parte de baixo do e-mail enviado pelo Brasil 61. 

– Caso queira excluir seu usuário e apagar seus dados individuais da base do Brasil 61, basta enviar um e-mail para: privacidade@brasil61.com

 Última atualização: 24 de dezembro de 2020 

Desastre

29/03/2021 10:40h

Capacitação está marcada para os dias 30 e 31 de março, nos municípios mais vulneráveis à situação de risco

Baixar áudio

Defesa Civil de Rondônia promove, nos dias 30 e 31 de março, treinamentos para situações de riscos e desastres que envolvam alagamentos, enchentes e inundações. A capacitação ocorrerá nos municípios mais vulneráveis como Ariquemes, Buritis, Chupinguaia, Cabixi, Costa Marques, Cacoal, Guajará-Mirim, Jaru, Ji-Paraná, Machadinho d’Oeste, Monte Negro, Nova Mamoré, Pimenta Bueno, Pimenteiras do Oeste, Rolim de Moura e Vilhena.

Segundo a Comissão de Defesa Civil do Estado (Cedec), Guajará-Mirim e Nova Mamoré, por exemplo, estão na faixa de fronteira com a Bolívia, e geralmente são tomados pelas águas, quando ocorre o aumento do nível do rio Mamoré e seus afluentes.

O que será ensinado

- Roteiro para que o Poder Executivo Municipal crie e efetive a Coordenadoria Municipal de Proteção e Defesa Civil;

- Orientação para ação tanto no período de normalidade, quanto no período de anormalidade;

- Capacitação dos entres municipais para utilização do Sistema Integrado de Informações sobre Desastres;

- Medidas práticas nos processos de reconhecimento federal e solicitação de recursos para resposta e reconstrução;

- Treinamento de agentes de Defesa Civil Municipais, quanto aos procedimentos de situação emergência e/ou estado de calamidade pública.

AC: Governo federal auxilia municípios a enfrentar efeitos das enchentes

MDR publica portaria com Norma de Defesa Civil

Segundo a Cedec, todo integrante da Defesa Civil, voluntário ou não, deve participar do treinamento para ações de prevenção, preparação, socorro e assistência às populações atingidas e reconstrução de moradias. 

Copiar o texto
25/02/2021 11:20h

Nesta semana, o governo federal reconheceu o estado de calamidade pública em dez cidades do estado e disponibilizou R$ 450 milhões

Baixar áudio

O presidente Jair Bolsonaro sobrevoou nesta quarta-feira (24) as regiões afetadas pelas enchentes no Acre e anunciou o envio de recursos para socorrer a população nas localidades mais atingidas. 

Nesta semana, o governo federal reconheceu o estado de calamidade pública em dez cidades do estado e disponibilizou R$ 450 milhões para apoiar estados e municípios no enfrentamento aos desastres naturais que vêm ocorrendo no país.

AC: Governo federal auxilia municípios a enfrentar efeitos das enchentes

Acre recebe apoio da Força Nacional para segurança das fronteiras

Desde a última semana, o Acre tem sofrido com as cheias dos rios e alagamentos, o que agravou os cenários das epidemias de dengue e covid-19 já existentes. Mais de 130 mil pessoas foram afetadas até agora.

Copiar o texto
22/02/2021 15:00h

Várias casas estão submersas e moradores foram soterrados por deslizamento de terra

Baixar áudio

Por conta das fortes chuvas dos últimos dias em Santa Maria de Itabira, ocorreram alagamentos e desmoronamentos na cidade – que fica a cerca de 130 quilômetros de Belo Horizonte (MG). Várias casas estão debaixo d’água devido ao transbordamento do Rio Girau e moradores foram soterrados após o deslizamento de um barranco. Além disso, estradas e vias no município estão interditadas.

Senai Minas Gerais tem mais de cinco mil vagas abertas para cursos técnicos

Estudo aponta sequelas cognitivas em 80% dos pacientes curados da Covid-19

O governador do estado, Romeu Zema, informou que foram enviados helicópteros para ajudar nos trabalhos de resgate e um caminhão com ajuda humanitária (colchões e kits de higiene). A prefeitura de Itabira, cidade vizinha, também colocou as escolas à disposição para abrigar e fornecer alimentação aos moradores e deverá enviar caminhões-pipa para ajudar no abastecimento à população. A previsão meteorológica para os próximos dias, é de que mais chuva ocorra pela região.  

Copiar o texto
02/01/2021 00:00h

Instância atua na prevenção de desastres e na proteção das comunidades afetadas

Baixar áudio

Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil é regulamentado por decreto presidencial n° 10.593. A instância atua na prevenção de desastres e na proteção das comunidades afetadas, por meio de planejamento e articulação entre a União, estados e municípios. O novo decreto leva em consideração as leis 12.608/2012 e 12.340/2010, que tratam respectivamente sobre a criação de um sistema de informações e monitoramento de desastres e sobre a transferência de recursos financeiros para ações de prevenção e recuperação em áreas de risco.

Segundo o texto, a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec), do Ministério do Desenvolvimento Regional, fica responsável pela coordenação e apoio técnico ao sistema, além da articulação com órgãos e entidades federais para executar as ações de gerenciamento de riscos. 

Veto do Marco Legal do Saneamento pode atrapalhar extensão do período de contratos concedidos no Nordeste

R$ 580 milhões em infraestrutura de saneamento básico chegará ao Espírito Santo com concessões do novo marco do saneamento

O decreto também regulamenta o Sistema Nacional de Informações e Monitoramento de Desastres, que vai integrar os sistemas existentes ou que venham a ser implementados. A plataforma deverá fornecer informações sobre riscos climatológicos, de incêndios, de manejo de produtos perigosos, riscos em barragens, entre outros.

O texto do decreto foi proposto pelos Ministérios do Desenvolvimento Regional, da Cidadania, da Defesa, da Justiça e Segurança Pública, da Saúde e do Meio Ambiente, além da Secretaria de Governo da Presidência da República.

Copiar o texto
08/12/2020 12:15h

Norma foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira (7). Saiba mais

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) assinou portaria nesta segunda-feira (7) com procedimentos para o envio de alertas à população em situações onde há possibilidade de desastres. A norma também traz orientações para utilização do sistema Interface de Divulgação de Alertas Públicos. 

As regras valem para notificações enviadas por mensagem de texto, televisão por assinatura ou plataforma de avisos públicos. Segundo o MDR, o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastres vai ter um formulário em meio digital, no sistema Interface. O objetivo é permitir o registro das instituições e responsáveis, que vão poder cadastrar, enviar e gerenciar alertas, de acordo com o seu nível de atuação e instituição vinculada. 

Mais 10 municípios brasileiros entram no grupo de cidades consideradas em situação de emergência

Defesa Civil destina R$ 34,3 milhões para obras de prevenção e restabelecimento de desastres

Lei que prevê maior rigor na segurança de barragens é sancionada

Caberá aos órgãos de proteção e defesa civis municipais o disparo de alertas de desastres à população. Quando não forem capazes de realizar esse trabalho, a responsabilidade será dos órgãos estaduais. Para os tipos de envio por mensagem de texto, vai ser aceita a disseminação de alertas em três níveis: moderado, alto ou muito alto. Já no caso das notificações via TV por assinatura, apenas os níveis de severidade alta ou muito alta vão ser permitidos. 
 
De acordo com o texto, todos os alertas enviados devem estar acompanhados de recomendações ou ações emergenciais para a população em risco de desastre.  

Copiar o texto
20/11/2020 15:00h

A medida permitirá que prefeituras solicitem apoio do Governo Federal para ações de socorro e assistência à população, por exemplo

Baixar áudio

Mais 10 municípios brasileiros atingidos por desastres naturais passaram a ter a situação de emergência reconhecida pelo Governo Federal. A medida permitirá que prefeituras solicitem apoio para ações de socorro e assistência à população, assim como restabelecimento de serviços essenciais e recuperação de áreas danificadas. A medida foi decretada pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR).

Na Bahia, por exemplo, nove cidades foram afetadas por chuvas intensas. São elas: Almadina, Coaraci, Ibicaraí, Ibicuí, Irecê, Itabuna, João Dourado, Juazeiro e Lapão.  No Rio Grande do Sul, por sua vez, o município de Caiçara teve o reconhecimento da situação de emergência por causa da estiagem, que ainda afeta parte do estado gaúcho.

Especialistas avaliam positivamente a concessão da Rodovia Presidente Dutra

Anac revisa contratos de aeroportos em decorrência da pandemia da Covid-19

Em outra ocasião, o MDR também reconheceu a situação de emergência em todo o território do Piauí, em decorrência da Covid-19. O mesmo processo ocorreu em abril, mas a vigência do decreto estadual encerrou após 180 dias. Recentemente, o governo estadual publicou novo decreto mantendo a situação de emergência.

 

Copiar o texto
13/11/2020 18:00h

O auxílio poderá ser solicitado sempre que necessário, inclusive em situações recorrentes, como é o caso de desastres ocasionados por estiagem ou chuvas intensas

Baixar áudio

A Defesa Civil Nacional autorizou o repasse de R$ 34,39 milhões para obras de prevenção e ações de socorro, assistência à população e restabelecimento dos serviços essenciais em Roraima, Santa Catarina e Pernambuco. A medida foi definida por meio da Portaria 624/2017. 

As ações de prevenção compreendem a realização de obras que possam atenuar o impacto dos desastres naturais, planejadas para reduzir a sua ocorrência e intensidade. O auxílio poderá ser solicitado sempre que necessário, inclusive em situações recorrentes, como é o caso de desastres ocasionados por estiagem ou chuvas intensas.

A maior parte dos recursos será aplicada na obra de macrodrenagem do igarapé Pricumã, em Boa Vista (RR). A construção de um canal de concreto armado, deverá resultar na contenção de alagamentos nos bairros Pricumã, Buritis e Asa Branca, beneficiando diretamente 27,5 mil pessoas. 

Guia de transporte público deve orientar prefeitos e vereadores eleitos este ano

MG: Obras públicas do estado terão utilização da metodologia BIM

Santa Catarina receberá R$ 2,66 milhões para duas obras de prevenção em rodovias de Florianópolis. Outro município catarinense que teve o repasse de recursos federais autorizado foi Timbé do Sul, atingido por um vendaval. Já a cidade de Barra de Guabiraba (PE) receberá R$ 248,9 mil para o restabelecimento de duas pontes.

Para solicitar recursos para a execução de ações de prevenção em áreas com risco de desastres, estados e municípios devem apresentar plano de trabalho, relatório de diagnóstico e laudos técnicos. 
 

Copiar o texto
Brasil
12/11/2020 16:00h

Foco está na capacitação de colaboradores e funcionários a nível municipal.

Baixar áudio

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) está com inscrições abertas para capacitação de agentes e servidores municipais para solicitação de recursos federais para ações de resposta a desastres. 

O tema faz parte do segundo módulo de um curso online, cujo objetivo é ensinar servidores e colaboradores das prefeituras municipais a utilizar o Sistema Integrado de Informações sobre Desastres (S2ID). Apesar do público-alvo, qualquer pessoa pode fazer o curso. 

As inscrições no módulo e o acesso ao conteúdo podem ser feitos pelo site www.escolavirtual.gov.br/curso/349. O ciclo possui carga horária de 40 horas e tem certificado emitido pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap). 

Lei que prevê maior rigor na segurança de barragens é sancionada

Copiar o texto
02/10/2020 11:00h

Repasse do governo federal deve beneficiar mais de três milhões de pessoas, segundo MDR

Baixar áudio

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) liberou mais de R$ 51 milhões para ações de prevenção e respostas a desastres naturais. O recurso será dividido entre quatro estados e 25 municípios. A estimativa é que o repasse beneficie cerca de três milhões de pessoas. 

O Piauí é o estado que recebeu maior volume de recursos. Cerca de R$ 16 milhões foram destinados para ações de prevenção em áreas de risco, que podem sofrer desabamento e alagamento, próximas à barragem do Bezerro, no município de José de Freitas. 

Operação Focus investiga origem das queimadas no Pantanal

MMA cria programa que valoriza quem preserva florestas nativas do país

Como resposta aos incêndios florestais que atingem o Pantanal, os estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o município de Barão Melgaço receberam cerca de R$ 15,68 milhões. O dinheiro deve ser usado para aquisição de equipamentos para brigadistas, contenção do fogo, abastecimento e aluguel de aeronaves.   

Copiar o texto
Economia
10/09/2020 10:24h

A Pasta autorizou, ainda, o repasse de R$ 4 milhões para a construção de um muro de gabião para contenção de uma encosta, em Arroio do Meio.

Baixar áudio

Municípios do Rio Grande do Sul atingidos por vendavais e inundações recebem recursos do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR). Ao todo, mais de R$ 10 milhões foram destinados para as cidades de Arroio do Meio, Estrela, Iraí, Lajeado e Muçum. O valor deve ser utilizado na recuperação da infraestrutura urbana e garantia da segurança e atenção aos moradores afetados.

A Pasta autorizou, ainda, o repasse de R$ 4 milhões para a construção de um muro de gabião para contenção de uma encosta, em Arroio do Meio. A quantia deve ser liberada logo que a prefeitura local concluir o processo de licitação do serviço.

Agenda regulatória do governo federal quer reduzir número de acidentes de trânsito

5G: decreto facilita instalação de infraestrutura de telefonia e internet

O secretário nacional de Proteção e Defesa Civil, coronel Alexandre Lucas, afirma que, para que o auxílio seja prestado com mais agilidade, é preciso que os gestores municipais sigam o procedimento necessário e prestem as informações o mais detalhadamente possível. Segundo Lucas, quanto mais precisa a informação, mais rápido os municípios atingidos por desastres serão beneficiados. 
 

Copiar o texto