VOTORANTIM CIMENTOS

Brasil Mineral
21/07/2021 16:55h

Segundo empresa, moagem irá abastecer mercado da região Metropolitana de Fortaleza.

A Votorantim Cimentos iniciou operação da nova linha de produção de sua fábrica de cimento no Complexo Industrial e Portuário do Pecém (CE). Com a expansão, a unidade passa a ter capacidade de produção de 1 milhão de toneladas anuais de cimento, volume este que abastecerá o mercado da região metropolitana de Fortaleza. 

Foram investidos aproximadamente R$ 200 milhões no projeto, que teve duração de três anos, e priorizou a eficiência energética e a automação industrial, com a instalação de equipamentos de última geração, seguindo a estratégia de sustentabilidade da empresa. Para a execução das obras e início da operação, a unidade gerou mais de 600 empregos, entre diretos e indiretos.

“O empreendimento ajudará a impulsionar a economia, gerando mais emprego e renda aos cearenses. Temos trabalhado dia e noite para atrair novos investimentos ao Ceará e, com isso, aumentar a geração de novos postos de trabalho para a nossa população”, diz o governador do Ceará, Camilo Santana.

O presidente global da Votorantim Cimentos, Marcelo Castelli, disse que a ampliação de Pecém é um orgulho para a companhia, pela qualidade técnica e contribuição ao desenvolvimento social, econômico e ambiental do Estado.

“Com o investimento que realizamos, fortalecemos a atuação e presença em um mercado estratégico como é o Ceará. Com a nova fábrica, mais moderna e eficiente, vamos aumentar nossa capacidade de produção, distribuição e nível de atendimento aos nossos clientes na região”. 

A nova linha de produção da Votorantim Cimentos em Pecém irá fabricar o Cimento Poty – Todas as Obras. Foram realizados diversos estudos para que o produto, além de oferecer a qualidade já conhecida no mercado do Ceará, tenha como vantagem adicional mais proteção contra maresia.

A nova linha de produção tem um moinho de cimento, que consome menos energia elétrica. O equipamento vertical reduz em 30% o consumo de quilowatt-hora em comparação ao moinho horizontal, além de ter um circuito fechado de refrigeração que reduz a geração de efluentes. Por meio desse sistema é possível reutilizar a água usada para resfriar os equipamentos, proporcionando uma diminuição de 90% no consumo do recurso hídrico industrial.

O cimento produzido em Pecém emite 60% menos CO2 por tonelada quando comparado ao produto produzido anteriormente, beneficiando o meio ambiente e o planeta.

“Todas as iniciativas que desenvolvemos trabalham em sintonia com os nossos Compromissos de Sustentabilidade para 2030 e estão alinhados à missão do setor de produzir concreto carbono neutro até 2050”, ressalta o diretor de Operações no Brasil da Votorantim Cimentos, Edson Araújo.

A Votorantim Cimentos tem duas operações industriais no Ceará. A fábrica de Pecém, inaugurada em 2008, produz cimento e argamassas. Antes da ampliação, a capacidade de moagem de cimento da unidade era de 200 mil toneladas por ano. Já a fábrica de Sobral opera desde 1968 e possui duas linhas de produção de cimento com a marca Poty: Todas as Obras e Obras Estruturais.

Com o investimento realizado na expansão, as duas unidades somam uma capacidade de produção total de 2,2 milhões de toneladas de cimento por ano no Estado do Ceará.

A Votorantim Cimentos possui atualmente uma linha ferroviária que realiza o transporte de insumos e produtos entre suas instalações de Sobral, de Pecém e do Centro de Distribuição (CD) de Mucuripe, em Fortaleza. Para fortalecer o atendimento da região metropolitana de Fortaleza, a empresa também ampliou o seu ramal ferroviário em 2,6 km para expedição do produto ensacado e abastecimento do CD. Com isso, a companhia também aumenta suas alternativas logísticas para transportar insumos e abastecer o mercado com seus produtos.

Copiar o texto
27/05/2021 16:51h

A Votorantim Cimentos implantou um sistema de inteligência artificial que prevê a resistência final do cimento.

A Votorantim Cimentos implantou um sistema de inteligência artificial que prevê a resistência final do cimento. Os ensaios de resistência à compressão aos 28 dias são obrigatórios pela norma brasileira, porque indicam a resistência à compressão do cimento 28 dias após a sua aplicação e, naturalmente, demoram o mesmo período para serem concluídos. Com a implantação do sistema inédito, é possível saber em até três dias o resultado que antes levava 28 dias, permitindo que a empresa faça correções preventivas em eventuais desvios de resistência do cimento, eliminando ou reduzindo eventuais problemas do concreto.

A tecnologia de IA é utilizada em 27 laboratórios em fábricas de cimento da companhia no Brasil e na Turquia. Os resultados futuros do teste são calculados a partir de dados confiáveis, combinados com recursos matemáticos e estatísticos. O novo sistema da Votorantim Cimentos utiliza o modelo preditivo, que é um campo da inteligência artificial conhecido como aprendizado de máquina (do inglês "machine learning"). 

Desenvolvido a partir de uma base de dados com os resultados reais dos testes dos cimentos realizados entre 2017 e 2019, o sistema utilizou essas informações e dados de composição física e mineral para criar padrões para prever os resultados da resistência do cimento. Os ensaios de resistência à compressão requeridos pela norma brasileira também continuam a ser realizados na forma tradicional e comprovam os resultados previstos pelo novo sistema, apresentando uma eficiência de 99%. "A resistência de compressão do cimento é um dado técnico de extrema importância, pois impacta diretamente o concreto e a execução das obras dos nossos clientes. Se conseguirmos prever antecipadamente algum desvio de resistência, podemos atuar de maneira rápida na correção, evitando ou reduzindo eventuais problemas, afirma a consultora de Pesquisa & Desenvolvimento da Votorantim Cimentos, Gabriela Leon.

Copiar o texto
Brasil 61