Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil
Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

ROBÓTICA: Equipe de São João del-Rei (MG) vence categoria em campeonato mundial

A Atombot ainda conquistou o quinto lugar no desempenho do robô. Torneio reuniu 108 equipe de 50 países


A Atombot, equipe de robótica do Sesi de São João del-Rei (MG), foi a campeã da categoria de Excelência em Engenharia e quinta colocada no Desempenho do Robô no FIRST Championship, campeonato mundial de robótica educacional. O torneio realizado em Houston, nos Estados Unidos, ocorreu entre 20 e 23 de abril e reuniu 108 equipes de 50 países, o que reforça o feito da equipe mineira. 

Formada por cinco alunos, sendo quatro do ensino fundamental e um do ensino médio, a Atombot é treinada pelo professor Paulo de Tharso, o Paulinho. Em Houston, os brasileiros colocaram o robô de lego que construíram à prova, na arena, para resolver problemas relacionados ao transporte de cargas, tema proposto pela organização do FIRST Championship nesta edição. 

Os estudantes do Sesi de São João del-Rei tiveram três rounds de dois minutos e meio para cumprir missões com o robô de lego na arena, como a entrega de encomendas para diversos modais de transporte, como avião e trem, por exemplo. Dos 680 pontos possíveis no Desempenho do Robô, a Atombot conquistou 650, o que rendeu aos brasileiros a quinta colocação na categoria. 

Mas o melhor estava por vir. Na categoria de Excelência em Engenharia, em que os juízes analisam quesitos como a programação que está por trás do robô, os mineiros de São João del-Rei foram imbatíveis. O professor Paulinho, que dá aula de física e é o técnico da Atombot, destaca que o sonho de todas as equipes da modalidade de lego é chegar ao campeonato disputado nos EUA. 

Toda a dedicação e abdicação da equipe, segundo ele, já seriam recompensados com a participação no FIRST Championship. Melhor ainda foi sair de lá com as conquistas. “Ver as crianças felizes foi muito bom, muito legal, muito emocionante. E ainda sair de lá premiado, bem classificado. Então, é uma vitória muito bacana, é uma emoção muito grande, mas a gente também tem consciência e pé no chão de que a gente conseguiu nosso objetivo, mas nós não somos melhores do que ninguém. A gente só fez um projeto bacana que foi contemplado”, afirma. 

Outras três categorias estavam em disputa no torneio: design mecânico, valores e projeto de inovação. 

5G: Câmara aprova projeto que facilita chegada da tecnologia no país

Capacete Elmo: dispositivo criado no Brasil ajuda a reduzir em 60% intubação em pacientes com pneumonia

Governo tem planos para multiplicar por cinco faturamento da indústria de semicondutores em quatro anos

Aplicativo
Na categoria de inovação, as equipes deveriam encontrar um problema relacionado ao transporte de cargas e propor uma solução inovadora. A Atombot está desenvolvendo um aplicativo que pode ajudar a resolver os problemas dos caminhoneiros que passam por São João del-Rei. 

Segundo os estudantes, as ruas apertadas e mal sinalizadas e o alto volume de entregas por dia contribuem para os congestionamentos no município, que são causados principalmente pelos caminhões, que ficam rodando pela cidade por não acharem vagas para carga e descarga dos produtos. 

“Atrasa entrega, congestiona, dá problema no patrimônio histórico, porque os caminhões ficam perdidos, rodando muito pesados e São João del-Rei é toda perfurada por baixo por causa de minas de ouro, essas coisas assim”, descreve o professor Paulinho. 

A Atombot criou um aplicativo em que o motorista preenche os dados do local de entrega e o app direciona o caminhoneiro para a vaga de estacionamento mais próxima. A solução será possível porque as vagas destinadas aos caminhões vão contar com sensores que vão transmitir ao aplicativo quais estão disponíveis e quais estão ocupadas.  

“Se ele localizar que a região em que ele está precisando chegar está com as vagas   ocupadas, então ele não precisa entrar na cidade. Ele pode aguardar e fazer a reserva daquela vaga através do aplicativo. Ele pode parar fora da cidade e na hora em que a vaga desocupar, ele pode se direcionar pro local. Ou seja, não vai mais ter congestionamento, ou vai reduzir e muito, consequentemente vai aumentar a velocidade de entrega, reduzir preço e não vai estragar o patrimônio histórico”, explica. 

A expectativa é que até junho tudo esteja pronto para funcionar. A equipe de robótica conta com o apoio da Universidade Federal de São João del-Rei e com uma universidade que fica na Califórnia, nos EUA. A iniciativa não tem fins lucrativos e o projeto será repassado para a prefeitura local implementar. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A equipe de robótica do Sesi de São João del-Rei (MG) foi a campeã da categoria de Excelência em Engenharia do FIRST Championship, campeonato mundial de robótica educacional realizado em Houston, nos Estados Unidos. Conhecida pelo nome Atombot, a equipe também foi a quinta colocada no Desempenho do Robô. 

A Atombot é treinada pelo professor Paulo de Tharso, o Paulinho, e é formada por cinco alunos da escola mineira. Em Houston, os brasileiros colocaram o robô de lego que construíram à prova, na arena, para resolver problemas relacionados ao transporte de cargas, tema proposto pela organização do torneio. O professor Paulinho descreve como se sentiu com o desempenho da equipe. 

TEC./SONORA: Professor Paulinho, treinador da Atombot
 

“Ver as crianças felizes foi muito bom, muito legal, muito emocionante. E ainda sair de lá premiado, bem classificado. Então, é uma vitória muito bacana, é uma emoção muito grande, mas a gente também tem consciência e pé no chão de que a gente conseguiu nosso objetivo, mas nós não somos melhores do que ninguém. A gente só fez um projeto bacana que foi contemplado”. 
 

LOC.: Além das categorias de excelência em engenharia e desempenho do robô, outras três estavam em disputa no torneio: design mecânico, valores e projeto de inovação. Para disputar essa categoria, a Atombot desenvolveu um aplicativo que pretende resolver os congestionamentos em São João del-Rei, boa parte deles causados pelos caminhões que ficam rodando as ruas apertadas da cidade histórica em busca de uma vaga para estacionar e descarregar os produtos. 

Por meio do app, o motorista vai preencher os dados do local de entrega e vai ser direcionado para a vaga de estacionamento mais próxima. As vagas vão contar com sensores que vão transmitir ao aplicativo quais estão disponíveis e quais estão ocupadas.  

TEC./SONORA: Professor Paulinho, treinador da Atombot
 

“Se ele localizar que a região em que ele está precisando chegar está com as vagas   ocupadas, então ele não precisa entrar na cidade. Ele pode aguardar e fazer a reserva daquela vaga através do aplicativo. Ele pode parar fora da cidade e na hora em que a vaga desocupar, ele pode se direcionar pro local. Ou seja, não vai mais ter congestionamento, ou vai reduzir e muito, consequentemente vai aumentar a velocidade de entrega, reduzir preço e não vai estragar o patrimônio histórico”. 
 

LOC.: A expectativa é que até junho tudo esteja pronto para funcionar. A equipe de robótica conta com o apoio da Universidade Federal de São João del-Rei e com uma universidade que fica na Califórnia, nos EUA. A iniciativa não tem fins lucrativos e o projeto será repassado para a prefeitura local implementar. 

Reportagem, Felipe Moura.