Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

Foto: Agência Brasil

Covid-19 avança em todas as regiões do Brasil

Na última semana epidemiológica, Centro-Oeste apresentou a maior taxa de crescimento de casos confirmados


A pandemia da Covid-19 segue sem dar sinal de desaceleração no Brasil. Na última semana epidemiológica, o coronavírus avançou entre todas as cinco regiões do Brasil. No período de sete dias, a média diária de casos confirmados no Centro-Oeste subiu de 3.696 para 6.038, o que configura aumento de 63%. Os óbitos tiveram crescimento registrado em 7%.

Os números no Sul do país também chamam atenção. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul apresentaram aumento de 25% nos casos e 18% nas mortes – a média de registros confirmados por dia na região é de 5.588. No Sudeste, o Rio de Janeiro teve aumento de 279% nos casos na última semana epidemiológica, bem acima de São Paulo, por exemplo, que registrou crescimento de 49% nos diagnósticos. O aumento total na região foi de 25% nos registros e 18% nas mortes.

No Norte do país, os casos tiveram aumento de 8% e os óbitos de 13%. Já no Nordeste, os registros tiveram incremento de 27% e as mortes de 8%. 

“Verificamos que talvez os estados com maior incremento no número de casos se constitui Roraima, Goiás, Mato Grosso, e na última semana, tivemos aumento significativo no Rio de Janeiro, um pouco diferente da curva que vinha se mostrando nas últimas três, quatro semanas epidemiológicas”, pontuou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros. 

Em dados gerais do país, a média diária de casos registrados vem crescendo consecutivamente. Entre a penúltima e a última semana epidemiológica, a média diária de diagnósticos subiu de 33.573 para 45.665. Segundo o Ministério da Saúde, a Covid-19 está presente em 98% dos municípios brasileiros. 

“Verificamos que a maior densidade de casos da Covid-19 está em 44 municípios. A grande maioria dos municípios tem de um a 100 casos confirmados. A mesma coisa quando observamos em relação aos óbitos. A maior parte deles fica entre um a 10 óbitos”, avaliou Arnaldo Medeiros.

Boletim

O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde desta quarta-feira (29) aponta mais um dia de números elevados em casos confirmados e mortes pela Covid-19. Nas últimas 24 horas, a pasta notificou mais de 69 mil novos diagnósticos - o total de infectados em território nacional é de 2.552.265.

As mortes desde o início da pandemia já ultrapassam 90 mil (90.134), sendo 1.565 desde a última atualização dos dados. Os números oficiais do governo federal revelam ainda que 70% das pessoas que tiveram a Covid-19 estão recuperadas. No cenário entre os estados, São Paulo segue como o epicentro da crise sanitária no Brasil, seguido por Ceará, Rio de Janeiro, Bahia e Pará. 
 

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A pandemia da Covid-19 segue sem dar sinal de desaceleração no Brasil. Na última semana epidemiológica, o coronavírus avançou entre todas as cinco regiões do Brasil. No período de sete dias, a média diária de casos confirmados no Centro-Oeste subiu de 3.696 para 6.038, o que configura aumento de 63%. Os óbitos tiveram crescimento registrado em 7%.

Os números no Sul do país também chamam atenção. Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul apresentaram aumento de 25% nos casos e 18% nas mortes – a média de registros confirmados por dia na região é de 5.588. No Sudeste, o Rio de Janeiro teve aumento de 279% nos casos na última semana epidemiológica, bem acima de São Paulo, por exemplo, que registrou crescimento de 49% nos diagnósticos. 

No Norte do país, os casos de coronavírus tiveram aumento de 8% e os óbitos de 13%. Já no Nordeste, os registros tiveram incremento de 27% e as mortes de 8%. 

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, destaca o avanço significativo da Covid-19 em diferentes partes do país.
 

TEC./SONORA: Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

“Verificamos que talvez os estados com maior incremento no número de casos se constitui Roraima, Goiás, Mato Grosso, e na última semana, tivemos aumento significativo no Rio de Janeiro, um pouco diferente da curva que vinha se mostrando nas últimas três, quatro semanas epidemiológicas.”
 

LOC.: O boletim epidemiológico do Ministério da Saúde desta quarta-feira (29) aponta mais um dia de números elevados em casos confirmados e mortes pela Covid-19. Nas últimas 24 horas, a pasta notificou mais de 69 mil novos diagnósticos - o total de infectados em território nacional é de 2.552.265.

As mortes desde o início da pandemia já ultrapassam 90 mil (90.134), sendo 1.565 desde a última atualização dos dados. Segundo o Ministério da Saúde, a Covid-19 está presente em 98% dos municípios brasileiros.

Arnaldo Medeiros chama atenção, no entanto, que a maioria das cidades apresentam até 100 casos confirmados.
 

TEC./SONORA: Arnaldo Medeiros, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

“Verificamos que a maior densidade de casos da Covid-19 está em 44 municípios. A grande maioria dos municípios tem de um a 100 casos confirmados. A mesma coisa quando observamos em relação aos óbitos. A maior parte deles fica entre um a 10 óbitos.”

LOC.: Os números oficiais do governo federal revelam ainda que 70% das pessoas que tiveram a Covid-19 estão recuperadas. No cenário entre os estados, São Paulo segue como o epicentro da crise sanitária no Brasil, seguido por Ceará, Rio de Janeiro, Bahia e Pará.