Caixa tem. Foto: Agência Brasil
Caixa tem. Foto: Agência Brasil

Caixa inicia pagamento da primeira parcela do Auxílio Emergencial 2021 nesta terça-feira (06)

Beneficiários nascidos em janeiro receberão a ajuda financeira nas contas Poupança Social Digital


A Caixa Econômica Federal iniciou nesta terça-feira (06) os pagamentos do Auxílio Emergencial 2021. Beneficiários nascidos em janeiro receberão a ajuda financeira nas contas Poupança Social Digital, referentes à 1ª parcela da nova etapa do programa. A partir de hoje, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo CAIXA Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas.

Pelas novas regras, estabelecidas pela Medida Provisória 1.039/2021, o Auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. O valor médio do benefício será de R$ 250, variando de R$ 150 a R$ 375, a depender do perfil e da composição familiar.

Auxílio Emergencial 2021: lista de aprovados

Brasil registra criação de 400 novos empregos em fevereiro

É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não haverá nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso. O beneficiário receberá o maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa, seja a do Auxílio Emergencial.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A Caixa Econômica Federal iniciou nesta terça-feira (06) os pagamentos do Auxílio Emergencial 2021. Beneficiários nascidos em janeiro receberão a ajuda financeira nas contas Poupança Social Digital, referentes à 1ª parcela da nova etapa do programa. A partir de hoje, os valores já podem ser movimentados pelo aplicativo CAIXA Tem para pagamento de boletos, compras na internet e pelas maquininhas.

Pelas novas regras, estabelecidas pela Medida Provisória 1.039/2021, o Auxílio será pago às famílias com renda mensal total de até três salários mínimos, desde que a renda por pessoa seja inferior a meio salário mínimo. O valor médio do benefício será de R$ 250, variando de R$ 150 a R$ 375, a depender do perfil e da composição familiar.

É necessário que o beneficiário já tenha sido considerado elegível até o mês de dezembro de 2020, pois não haverá nova fase de inscrições. Para quem recebe o Bolsa Família, continua valendo a regra do valor mais vantajoso. O beneficiário receberá o maior valor, seja a parcela paga no âmbito do programa, seja a do Auxílio Emergencial.

Reportagem, Rafaela Gonçalves