Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Produção de veículos em julho é a maior desde novembro de 2020

De acordo com a Anfavea, foram produzidas 218.950 unidades no mês. Na comparação com julho de 2021, a elevação foi de 33,4%


No mês de julho, o Brasil registrou uma alta de 7,5% na produção de automóveis, em relação ao mês imediatamente anterior. De acordo com a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), foram produzidos 218.950 automóveis no mês. Na comparação com julho de 2021, a elevação foi de 33,4%. 

O presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite, explica que o setor ainda conta com restrições de insumos e logística, como mostram as paradas de fábrica. No entanto, ele explica que a indústria tem recebido mais semicondutores do que no ano passado e no primeiro trimestre deste ano. 

“Foi a maior produção desde novembro de 2020. Conseguimos ultrapassar uma barreira importante e mantivemos um crescimento. Em junho, tivemos um pequeno decréscimo em relação a maio, o que acendeu um alerta de que a situação poderia não estar performando como desejávamos. Apesar do cenário de instabilidade no mês anterior, o mês de julho foi importante para o crescimento da indústria”, destaca. 

Discussões tributárias somam R$ 5,44 trilhões no Brasil

Tecnologia 5G pode agregar US$ 1,2 trilhão ao PIB até 2035

Setor portuário movimenta 581 mi de toneladas de cargas no 1º semestre de 2022

O mesmo levantamento revela que, no mês passado, foram exportados 41,9 mil veículos. O total corresponde a 11,4% a menos que em junho, o mês anterior. Mas na comparação com o mesmo mês do ano passado, houve aumento de 76,3%.

Para a Anfavea, o quadro é um reflexo da crise financeira na Argentina, cujo governo vem limitando a saída de dólares do país. Mesmo que o Brasil tenha aumentado sua presença em importantes mercados da América Latina, a Argentina ainda responde por 30% dos embarques de veículos nacionais. 

O especialista em finanças Marcos Melo explica que o resultado é favorável. "De modo geral, o resultado melhora o ambiente de negócio na indústria automobilística, gerando novos empregos e renda. Mas algumas coisas precisam ser resolvidas. Pelo lado das vendas, ainda existe uma dificuldade, principalmente por causa da taxa básica de juros, a Selic, que está muito elevada”, avalia. 

Redução no IPI de automóveis 

Os automóveis de passageiros foram incluídos na nova etapa de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que passou a vigorar desde o início deste mês. Com isso, o desconto no IPI para essa categoria de veículos subiu de 18,5% para 24,75% sobre as alíquotas praticadas antes da primeira redução, no dia 1º de março. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: A produção de veículos no Brasil aumentou em 7,5% no mês de julho, na comparação com junho de 2022. Os dados são da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, a Anfavea. De acordo com o balanço, foram produzidas 218.950 unidades no mês. Um aumento de 33,4% em relação a julho de 2021.

O presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite, explica que o setor ainda conta com restrições de insumos e logística, mas explica que a indústria tem recebido mais semicondutores do que no ano passado e no primeiro trimestre deste ano. 
 

TEC./SONORA: Márcio de Lima Leite, presidente da Anfavea

“Foi a maior produção desde novembro de 2020. Conseguimos ultrapassar uma barreira importante e mantivemos um crescimento. Em junho, tivemos um pequeno decréscimo em relação a maio, o que acendeu um alerta de que a situação poderia não estar performando como desejávamos. Apesar do cenário de instabilidade no mês anterior, o mês de julho foi importante para o crescimento da indústria.” 
 


LOC.: O especialista em finanças Marcos Melo explica que o resultado é favorável.

TEC./SONORA: Marcos Melo, especialista em finanças

“De modo geral, o resultado melhora o ambiente de negócio na indústria automobilística, gerando novos empregos e renda. Mas, algumas coisas precisam ser resolvidas. Pelo lado das vendas, ainda existe uma dificuldade, principalmente por causa da taxa básica de juros, a Selic, que está muito elevada.” 
 


LOC.: O levantamento também mostra que, no mês passado, foram exportados 41,9 mil veículos. O total corresponde a 11,4% a menos que em junho, o mês anterior. Mas na comparação com julho do ano passado, houve um aumento de 76,3%.

Reportagem, Marquezan Araújo