Agência Brasil
Agência Brasil

Programa de visitação domiciliar Criança Feliz está presente em 2.934 municípios

Iniciativa oferece visitas às famílias mais vulneráveis e acompanhamento desde a gestação até os três anos de idade da criança, ou seis anos para aqueles que recebem o Benefício de Prestação Continuada


O programa Criança Feliz chegou a 2.934 municípios brasileiros, de acordo com o governo federal. O número equivale a 70,6% das cidades elegíveis para a iniciativa. O Nordeste é a região com maior número de adesões ao programa, com 1.629 cidades participantes. 

Gestantes, crianças de até três anos inscritas no Cadastro Único do Governo Federal e de até seis anos que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) são atendidas pelo programa. 

Programa Criança Feliz se adapta para continuar atendendo famílias vulneráveis durante a pandemia

O projeto, o maior do mundo em visitação familiar para a primeira infância, visa promover o desenvolvimento das crianças, levando em conta a família e o contexto de vida, de acordo com o governo. As ações da iniciativa integram as áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. 
 
Para aderir ao Criança Feliz, o município deve ter, pelo menos, um Centro de Referência de Assistência Social (Cras.) e, no mínimo, 140 pessoas que façam parte do público alvo.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O programa Criança Feliz chegou a 2.934 municípios brasileiros, de acordo com o governo federal. O número equivale a 70,6% das cidades elegíveis para a iniciativa. O Nordeste é a região com maior número de adesões ao programa, com 1.629 cidades participantes. 

Gestantes, crianças de até três anos inscritas no Cadastro Único do Governo Federal e de até seis anos que recebem o BPC (Benefício de Prestação Continuada) são atendidas pelo programa. 

O projeto, o maior do mundo em visitação familiar para a primeira infância, visa promover o desenvolvimento das crianças, levando em conta a família e o contexto de vida, de acordo com o governo. As ações da iniciativa integram as áreas da saúde, assistência social, educação, justiça, cultura e direitos humanos. 
 
Para aderir ao Criança Feliz, o município deve ter, pelo menos, um Centro de Referência de Assistência Social (Cras.) e, no mínimo, 140 pessoas que façam parte do público alvo.

Reportagem, Felipe Moura.