Indústria - Foto: Governo do Mato Grosso do Sul
Indústria - Foto: Governo do Mato Grosso do Sul

MS: Indústria é responsável por quase metade da geração de emprego no estado em 2020

Saldo positivo é de 6.886 ofertas de trabalho. Em 2019, foram apenas 563


Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, setor industrial do Mato Grosso do Sul teve um bom desempenho em 2020 e fechou o ano com saldo positivo de 6.886 vagas de emprego – quase metade (49%) de todas as ofertas de trabalho no estado. Segundo levantamento realizado pelo Radar Industrial da Federação das Indústrias do Estado (Fiems), foram contabilizadas 60.560 contratações e 53.674 demissões. 

Na comparação com 2019, o crescimento foi de impressionantes 1.123%, quando foram gerados apenas 563 novos postos de trabalho. Com o desempenho de 2020, a atividade industrial corresponde hoje a 19,5% de todo o emprego formal do Mato Grosso do Sul, atrás dos setores de serviço (29,2%), administração pública (21,4%) e comércio (19,9%).

O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisa da Fiems, Ezequiel Resende, destaca o segmento da indústria com a maior abertura de vagas de emprego em 2020.

“Destaque especial para atividade do segmento frigorífico, que respondeu por seis em cada dez novas vagas criadas pela indústria, no ano 2020, se destacando, o abate de suínos e aves. Outras atividades industriais que também contribuíram para esse desempenho, a gente pode citar a fabricação de celulose, fabricação de óleos vegetais e açúcar”, destaca.

Arte - Brasil 61

Em 2020, o Frigorífico Naturafrig Alimentos passou por um processo de aprimoramento da industrialização das carnes, que passaram a ser vendidas sem ossos. Segundo o dono da empresa Sérgio Capuci, o procedimento demandou mais mão de obra. Além disso, a própria pandemia da Covid-19 exigiu a contratação de funcionários.

“No caso da Covid-19, você tem de ter um pouco mais de funcionário, porque quando algum colaborador é contaminado, você tem que afastar todo o setor dele. Então, no meio de 800 funcionários, sempre tem um ou outro que apresenta teste positivo”, explica.

MS: Índice de Desempenho Industrial atinge maior patamar para o mês de dezembro, aponta Fiems

Três Lagoas é a melhor cidade para se fazer negócios na indústria no estado de Mato Grosso do Sul, aponta estudo

Reforma Tributária pode gerar até 300 mil empregos por ano e tornar oneração da indústria mais justa

No fechamento do ano de 2020, o setor da indústria sul-mato-grossense registrou o maior contingente de trabalhadores formalmente empregados dos últimos seis anos, com 132.186 funcionários. Esse é o terceiro ano consecutivo com abertura de vagas, o que indica recuperação das atividades industriais. Em 2019, o ano fechou com 125.300 trabalhadores.

O economista da Fiems, Ezequiel Resende, aponta o motivo para o bom desempenho da indústria no estado.

“Para esse bom resultado, a gente tem que citar uma melhora da demanda interna por produtos alimentícios, reforçada com bastante peso pela transferência de renda, que a gente observou no último ano, e pelo aumento das exportações, especialmente das carnes, dos óleos vegetais e do açúcar”, explica.

Em relação aos municípios, 59 cidades tiveram saldo positivo de contrações entre janeiro e dezembro de 2020. Entre os municípios com saldo positivo de pelo menos 140 vagas, destacam-se Dourados (+1.702), São Gabriel do Oeste (+625), Três Lagoas (+519), Sidrolândia (+514), Bataguassu (+396), Naviraí (+352), Itaquiraí (+339), Campo Grande (+282), Caarapó (+260), Angélica (+237), Água Clara (+211), Fátima do Sul (+193), Brasilândia (+175), Eldorado (+155) e Selvíria (+154).

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Mesmo com a pandemia do novo coronavírus, setor industrial do Mato Grosso do Sul fechou o ano com saldo positivo de 6.886 vagas de emprego – quase metade, ou 49%, de todas as ofertas de trabalho no estado. Os dados são do levantamento feito pelo Radar Industrial da Federação das Indústrias do Estado – a Fiems. Na comparação com 2019, o crescimento foi de impressionantes 1.123%, quando foram gerados apenas 563 novos postos de trabalho.

Em 2020, o Frigorífico Naturafrig Alimentos passou por um processo de aprimoramento da industrialização das carnes, que passaram a ser vendidas sem ossos. Segundo o dono da empresa Sérgio Capuci, o procedimento demandou mais mão de obra. Além disso, a própria pandemia da Covid-19 exigiu a contratação de funcionários.

TEC./SONORA: Sérgio Capuci, dono do Frigorífico Naturafrig Alimentos.

“No caso da Covid, você tem de ter um pouco mais de funcionário, porque quando algum colaborador é contaminado, você tem que afastar todo o setor dele. Então, no meio de 800 funcionários, sempre tem um ou outro que apresenta teste positivo”.

LOC.: O coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisa da Fiems, Ezequiel Resende, aponta o motivo para o bom desempenho da indústria no estado.

TEC./SONORA: Ezequiel Resende, coordenador da Unidade de Economia, Estudos e Pesquisa da Fiems.

“Para esse bom resultado, a gente tem que citar uma melhora da demanda interna por produtos alimentícios, reforçada com bastante peso pela transferência de renda, que a gente observou no último ano, e pelo aumento das exportações, especialmente das carnes, dos óleos vegetais e do açúcar”.

LOC.: Entre os municípios com saldo positivo de pelo menos 500 vagas abertas na indústria, em 2020, destacam-se Dourados, São Gabriel do Oeste, Três Lagoas e Sidrolândia.

Reportagem, Paloma Custódio