Foto: Rottonara (Pixabay)
Foto: Rottonara (Pixabay)

Covid-19: Saiba a forma correta de usar a máscara

É preciso ficar atento à qualidade da máscara, para que ela realmente proteja contra a Covid-19


O Brasil ultrapassou o número de 358 mil mortes por causa da Covid-19 e mais de 13 milhões de pessoas que ficaram doentes pela doença. Com a disseminação do coronavírus por todos os estados do país, o uso de máscaras é uma forma de reduzir as chances de contaminação pela doença.

A grande procura pelo equipamento de proteção individual nas farmácias e lojas especializadas, fez com que os modelos produzidos industrialmente com materiais específicos e descartáveis ficassem escassos no mercado, mesmo para os profissionais de saúde.

Por conta do aumento das dúvidas sobre a correta utilização das máscaras de proteção, qual o melhor tecido ou material de fabricação e como funciona o reuso da máscara, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desenvolveu um documento normativo de referência para orientar a sociedade.

Saiba como usar a máscara para evitar a Covid-19



A ABNT PR 1002/2020 contém recomendações de fabricação, design, desempenho e uso para as máscaras de proteção respiratória de uso não profissional, que podem ser reutilizáveis ou descartáveis. De acordo com o presidente da ABNT, Mario William Esper, as máscaras de proteção respiratória de uso não profissional podem ser produzidas a partir de diversos tecidos e disponibilizadas em diferentes formas. É recomendado atentar-se à qualidade, bem como aos requisitos mínimos de filtração e respirabilidade do produto.

“Temos alguns tipos mais utilizados para prevenir contra a Covid-19. As mais simples e eficazes, quando usadas corretamente, são máscaras cirúrgicas e a não profissional de tecido ou malha. Mas é preciso tomar cuidado para não escolher máscaras com respirador e que permita a entrada de ar, pois esse ar pode estar contaminado”, afirmou Mario Esper.

 

 

Além disso, as máscaras devem ser utilizadas pela população no dia a dia, com objetivo de proteger, evitando a contaminação pelo vírus da Covid-19. Mas não adianta apenas ter a máscara, é preciso fazer o uso da forma correta para que ela seja eficaz na proteção da pessoa. E é isso o que explica o médico infectologista, Francisco Bernardino, chefe da Unidade de Vigilância em Saúde do Hospital Universitário Lauro Wanderley, que faz parte da Rede Ebserh, em João Pessoa (PB).


“A forma correta de utilizar as máscaras, é sempre proteger de maneira completa a boca e o nariz. E na medida do possível evitar o contato com a superfície externa dessa máscara, que provavelmente é a parte que fica contaminada. É importante sempre evitar esse contato das mãos com a superfície externa. E, se porventura, acontecer esse contato deve-se higienizar as mãos com água e sabão ou álcool 70%”, destacou o profissional de saúde.   

É importante lembrar que a utilização de máscara não invalida a necessidade das ações de distanciamento social e a adoção de medidas de proteção e higiene recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Brasil ultrapassou o número de 358 mil mortes por causa da Covid-19 e mais de 13 milhões de pessoas que ficaram doentes pela doença. Com a disseminação da Covid-19 por todos os estados do país, o uso de máscaras é uma forma de reduzir as chances de contaminação pela doença.
Por conta do aumento das dúvidas sobre a correta utilização das máscaras de proteção, qual o melhor tecido ou material de fabricação e como funciona o reuso da máscara, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desenvolveu um documento normativo de referência para orientar a sociedade.
De acordo com o presidente da ABNT, Mario William Esper, as máscaras de proteção respiratória de uso não profissional podem ser produzidas a partir de diversos tecidos e disponibilizadas em diferentes formas.
 

TEC./SONORA: Mario William Esper, presidente da ABNT.
“Temos alguns tipos mais utilizados para prevenir contra a Covid-19. As mais simples e eficazes, quando usadas corretamente, são máscaras cirúrgicas e a não profissional de tecido ou malha. Mas é preciso tomar cuidado para não escolher máscaras com respirador e que permita a entrada de ar, pois esse ar pode estar contaminado.”
 

LOC.: As máscaras devem ser utilizadas pela população no dia a dia, com objetivo de proteger, evitando a contaminação pelo vírus da Covid-19. Mas não adianta apenas ter a máscara, é preciso fazer o uso da forma correta para que ela seja eficaz na proteção da pessoa. 
E é isso o que explica o médico infectologista, Francisco Bernardino, chefe da Unidade de Vigilância em Saúde do Hospital Universitário Lauro Wanderley em João Pessoa (PB).
 

TEC./SONORA: Francisco Bernardino, médico infectologista.
 “A forma correta de utilizar as máscaras, é sempre proteger de maneira completa a boca e o nariz. E na medida do possível evitar o contato com a superfície externa dessa máscara, que provavelmente é a parte que fica contaminada. É importante sempre evitar esse contato das mãos com a superfície externa. E, se porventura, acontecer esse contato deve-se higienizar as mãos com água e sabão ou álcool 70%.”
 

LOC.: É recomendado atentar-se à qualidade da máscara, bem como aos requisitos mínimos de filtração e respirabilidade do produto. Além disso, é necessário lembrar que a utilização do equipamento de proteção individual não invalida a necessidade das ações de distanciamento social e a adoção de medidas de proteção e higiene recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS), Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

NOTA

LOC.: Com a disseminação da Covid-19 por todos os estados do país, o uso de máscaras é uma forma de reduzir as chances de contaminação pela doença.  Por conta do aumento das dúvidas sobre a correta utilização das máscaras de proteção, qual o melhor tecido ou material de fabricação e como funciona o reuso, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) desenvolveu um documento normativo de referência para orientar a sociedade.

De acordo com o presidente da ABNT, Mario William Esper, as máscaras de proteção respiratória de uso não profissional podem ser produzidas a partir de diversos tecidos e disponibilizadas em diferentes formas. Ele explica que “As mais simples e eficazes, quando usadas corretamente, são máscaras cirúrgica e não profissional de tecido ou malha. Mas é preciso tomar cuidado para não escolher máscaras com respirador e que permita a entrada de ar, pois esse ar pode estar contaminado”.

O médico infectologista, Francisco Bernardino, explica que máscaras devem ser utilizadas pela população no dia a dia, com objetivo de proteger, evitando a contaminação pelo vírus da Covid-19. Ele afirma que a “forma correta de utilizar as máscaras, é sempre proteger de maneira completa a boca e o nariz. E na medida do possível evitar o contato com a superfície externa”.