Carros. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil
Carros. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Negociação de veículos por meio digital já é realidade em oito estados brasileiros

A iniciativa permite a transação comercial sem o reconhecimento de firma ou assinatura de contrato em papel. A ideia é usar a assinatura digital do gov.br e biometria facial


Pelo menos oito estados brasileiros estão aptos a realizar a transação de compra e venda de veículos por meio digital. Trata-se de uma nova funcionalidade da Carteira Digital de Trânsito (CDT). A iniciativa permite a transação comercial sem o reconhecimento de firma ou assinatura de contrato em papel. A ideia é usar a assinatura digital do gov.br e biometria facial.

Até o momento, aderiram à novidade os estados do Ceará, Acre, Paraná, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Roraima e Rio Grande do Norte. A iniciativa foi desenvolvida em conjunto pelo Ministério da Infraestrutura; Ministério da Economia (ME); Serpro, empresa de TI do Governo Federal, e departamentos de trânsito.

“Desde o início do governo, temos o desafio de simplificar a agenda de trânsito. Avançamos na carteira digital, colocando ali não só a habilitação, mas também o documento do veículo e agora a autorização de transferência da propriedade do veículo, tornando o procedimento mais eficiente e tornando o Estado mais próximo das necessidades do cidadão”, destacou o secretário-executivo do Ministério da Infraestrutura, Marcelo Sampaio.

Riscos

O coordenador da pós-graduação em Inteligência de Ameaças Cibernéticas do Instituto Daryus de Ensino Superior Paulista (IDESP), Thiago Bordini, entende que as facilidades virtuais são positivas, mas as negociações onlines podem ser utilizadas para alguns tipos de golpes. Por isso, ele alerta que os clientes sempre devem adotar alguns cuidados. 

“Ter a certeza de que se está fazendo um negócio com uma pessoa idônea, ou se realmente se trata de uma empresa, procurar mais informações, ver o processo com atenção, não utilizar links ou aplicativos que não sejam oficiais do governo. Além disso, confirmar se as informações estão corretas, se o veículo realmente está indo para a pessoa que comprou, se os dados estão corretos e se essa negociação de fato faz sentido”, orienta. 

Na palma da mão: cerca de 70% da população já acessou algum serviço público por meios digitais

Brasil amplia acesso à internet, mas qualidade dos serviços deixa a desejar

Ministério do Meio Ambiente oferece curso para preservação da da costa marítima

O aplicativo da CDT está disponível na App Store e Google Play. A facilidade pode ser utilizada por proprietários e futuros proprietários de veículos com documentos emitidos a partir de 4 de janeiro de 2021, data em que o antigo Documento Único de Transferência (DUT) foi substituído pela versão digital, a ATPV-e. O vendedor e comprador precisam ter login qualificado na plataforma de acesso gov.br, ou seja, conta com verificação prata ou ouro. Para atingir esse nível, a plataforma leva em conta o reconhecimento biométrico, facial e o cruzamento de informações com bases de dados de órgãos oficiais,  O Detran da unidade federativa deve ter aderido ao sistema. 

Confira o passo a passo para a negociação digital 

  • Registre a intenção de venda na Carteira Digital de Trânsito (CDT);
  • O Detran vai gerar a Autorização Eletrônica para Transferência de Propriedade de Veículo (ATPVe);
  • Vendedor e comprador são notificados pelo aplicativo;
  • A confirmação precisa de autorização com biometria facial;
  • Será agendada uma vistoria no Detran local para encerrar o processo.
     

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Pelo menos oito estados brasileiros estão aptos a realizar a transação de compra e venda de veículos por meio digital. Trata-se de uma nova funcionalidade da Carteira Digital de Trânsito, a CDT. Até o momento, aderiram à novidade os estados do Ceará, Acre, Paraná, Mato Grosso do Sul, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Roraima e Rio Grande do Norte.

A iniciativa permite a transação comercial sem a assinatura de contrato em papel e o reconhecimento de firma em cartório. A ideia é usar a assinatura digital do gov.br e biometria facial.

Segundo o diretor de Serviços Públicos Digitais, do Ministério da Economia, Luiz Miyadaira, a segurança que se tinha no processo físico também está presente no digital. 
 

TEC. SONORA: Luiz Miyadaira, diretor de Serviços Públicos Digitais do Ministério da Economia

“Porque eu quero ter segurança jurídica e também de que eu não estou passando o carro por um estelionatário. No digital, a figura muda porque eu não estou vendo você.  Então a forma de eu ganhar segurança e aí, muitas vezes uma segurança até maior do que o físico. Porque a gente faz a sua biometria a gente valida a sua biometria através desses níveis de conta. Então é a forma que a gente tem é um balcão digital praticamente, o aplicativo Gov BR. Ele a partir de movimentos, uma foto sua, eu sei que você tá viva e eu sei que você é você.”
 

LOC: O coordenador da pós-graduação em Inteligência de Ameaças Cibernéticas do Instituto Daryus de Ensino Superior Paulista (IDESP), Thiago Bordini, entende que as facilidades virtuais são positivas, mas é preciso que os usuários fiquem atentos para evitar cair em golpes. 
 

TEC./SONORA: Thiago Bordini, coordenador da pós-graduação em Inteligência de Ameaças Cibernéticas do IDESP

“Ter a certeza de que se está fazendo um negócio com uma pessoa idônea, ou se realmente se trata de uma empresa, procurar mais informações, ver o processo com atenção, não utilizar links ou aplicativos que não sejam oficiais do governo. Além disso, confirmar se as informações estão corretas, se o veículo realmente está indo para a pessoa que comprou, se os dados estão corretos e se essa negociação de fato faz sentido.” 
 

LOC.: O aplicativo da CDT está disponível na App Store e Google Play. O veículo precisa ter documento emitido após o dia 4 de janeiro de 2021. Para realizar a negociação digital, o interessado deve registrar a intenção de venda no CDT. 

Daí em diante, o Detran vai gerar a Autorização Eletrônica para Transferência de Propriedade de Veículo. Depois, vendedor e comprador são notificados pelo aplicativo. A confirmação precisa de autorização com biometria facial. No último passo, será agendada uma vistoria no Detran local para encerrar o processo.

Reportagem, Marquezan Araújo