Foto: Myke Sena/MS
Foto: Myke Sena/MS

Ministério da Saúde distribui 2,6 milhões de doses da CoronaVac para vacinação infantil

As crianças devem estar acompanhadas dos pais ou responsáveis na hora da imunização


Dezenove estados devem receber nos próximos dias mais de 2,6 milhões de doses da CoronaVac para a vacinação infantil. Com a nova remessa, o ministério já distribuiu mais de 7,5 milhões de imunizantes pediátricos em todo o Brasil.

São Paulo deve receber 22% do total de imunizantes. Minas Gerais, Ceará e Bahia seguem o estado paulista com as maiores quantidades. O Distrito Federal e os estados de Mato Grosso, Maranhão, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Tocantins e Espírito Santo não receberão doses desta remessa.  

Confira abaixo a relação de entrega das vacinas

Estado Número de doses
Mato Grosso do Sul 52.760
Distrito Federal 0
Goiás 26.600
Mato Grosso  0
Alagoas  33.920
Bahia 207.280
Ceará 241.680
Maranhão 0
Paraíba 91.280
Pernambuco 157.640
Piauí 49.800
Rio Grande do Norte 0
Sergipe 60.560
Acre 27.760
Amazonas 83.280
Amapá 6.120
Pará 86.120
Roraima 0
Rondônia 0
Tocantins 0
Espírito Santo 0
Minas Gerais 282.480
Rio de Janeiro 201.880
São Paulo 592.560
Paraná 159.880
Rio Grande do Sul 100.960
Santa Catarina 160.160
TOTAL 2.622.720


O estado do Ceará deve receber cerca de 241 mil doses. Moradora de Fortaleza, a autônoma Damina Alves é mãe da Maria Letícia. Com 9 anos, a menina recebeu o imunizante no final de janeiro. A responsável afirma que o sentimento é de alívio. "As crianças são o nosso futuro e não podem ficar desprotegidas e fora do processo.”

A moradora de São Paulo, Izabella Soares, é mãe de duas crianças, de 8 e 5 anos. Ela ressalta que a vacina é uma garantia de uma maior segurança. " É a única arma que temos para diminuir o contágio e acelerar a retomada de uma rotina normal", afirma.

O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, ressaltou que o Brasil tem uma das maiores políticas de vacinação contra a Covid-19 do mundo."Essa vacina poderá ser aplicada nos filhos dos pais que assim desejarem nas nossas salas de vacinação atendendo aos critérios estabelecidos pela Anvisa.”

O médico infectologista Hemerson Luz explica que a imunização infantil é importante para diminuir ao máximo a circulação do vírus. " Temos que levar em conta que o vírus vai achar brechas para continuar se disseminando, justamente nas pessoas não vacinadas, por isso as crianças devem ser vacinadas", ressalta. O médico também lembra que todos os imunizantes aplicados no Brasil tiveram a eficácia e segurança comprovada.

Responsáveis presentes

A vacinação de crianças entre 5 e 11 anos começou no dia 14 de janeiro de 2022. A CoronaVac é aplicada em crianças a partir dos 6 anos de idade, enquanto o imunizante da Pfizer pode ser aplicado em dos 5 anos.

Para que a imunização seja feita, os pais ou responsáveis devem estar presentes. Não é necessário a assinatura de nenhum termo por escrito, basta a apresentação de um documento com foto e o CPF. Em caso de alguma imunodeficiência, é necessário a comprovação por meio de algum laudo. A indicação é que essas crianças recebam a vacina Pfizer.

Hemerson Luz destaca que entre as diferenças da dose pediátrica e a dose adulta do imunizante da Pfizer estão a concentração e o frasco. Já na CoronaVac, a vacina aplicada em crianças é a mesma.

O Ministério também informou que trabalha para que a distribuição seja rápida e que vai seguir todos os protocolos de segurança para garantir a qualidade dos imunizantes. 

Veja mais:
Anvisa autoriza aplicação de CoronaVac em crianças e adolescentes de 6 a 17 anos

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC 01: O Ministério da Saúde deve entregar nos próximos dias mais de 2,6 milhões de doses da CoronaVac para a vacinação infantil. Dados da pasta mostram que a população entre 5 a 11 anos ultrapassa os 20 milhões de pessoas. São Paulo deve receber 22% do total de imunizantes. Moradora da capital paulista, Izabella Soares, é mãe de duas crianças, de 8 e 5 anos. Ela afirma que a vacina é a garantia de uma maior segurança. 

TEC./SONORA: Izabella Soares, internacionalista
“É a única arma que nós temos com as crianças para diminuir o contágio e acelerar a retomada de uma rotina mais normal possível."
 

LOC 02: Além de São Paulo, os estados de Minas Gerais, Ceará e Bahia vão receber as maiores quantidades de doses desta remessa. O Distrito Federal e os estados de Mato Grosso, Maranhão, Rio Grande do Norte, Rondônia, Roraima, Tocantins e Espírito Santo não receberão doses desta remessa.  O ministro da saúde, Marcelo Queiroga, ressaltou que o Brasil tem uma das maiores políticas de vacinação contra a covid-19 do mundo.

TEC/SONORA: Marcelo Queiroga - Ministro da Saúde
“Essa vacina poderá ser aplicada nos filhos dos pais que assim desejarem nas nossas salas de vacinação atendendo aos critérios estabelecidos pela ANVISA".
 

TEC./SONORA: Hemerson Luz, infectologista
“Temos que levar em conta que o vírus vai achar brechas para continuar se disseminando e é justamente nas pessoas não vacinadas."
 

LOC. 04: Hemerson Luz também lembra que todas as vacinas aplicadas no Brasil tiveram a eficácia e segurança comprovada. Com a nova remessa, o ministério já distribuiu mais de 7,5 milhões de imunizantes pediátricos em todo o Brasil.

Reportagem, Rafaela Soares