Empresas. Foto: Arquivo/CNI
Empresas. Foto: Arquivo/CNI

Impostos aumentam custo da instalação de investimentos no Brasil

Estudo revela que o custo final de instalação de uma siderúrgica no Brasil é ampliado em 10,6%, devido à tributação. Na Austrália, o mesmo investimento teria o impacto de 1,7%; no Reino Unido, 0,4%


Um estudo da Ernest Young revela que o custo final de instalação de uma siderúrgica no Brasil, por exemplo, é ampliado em 10,6%, devido aos efeitos da tributação sobre bens e serviços. O mesmo investimento teria o custo elevado em 1,7%, na Austrália. No México, a taxa seria de 1,6%. Já no Reino Unido, de apenas 0,4%. 

Essa diferença, segundo especialistas, é um fator determinante para que o Brasil aprove uma reforma tributária que torne o país mais atrativo economicamente. A ideia é que, com a aprovação da reforma tributária os investimentos produtivos no Brasil sejam desonerados, o que estimularia novos investimentos. 

Segundo o advogado tributarista Marcus Cruz, a necessidade de aprovar uma reforma tributária está ligada ao fato de o Brasil precisar de mais investimentos, e a população ser beneficiada com mais emprego e renda. 

“O excesso de legislação tributária é um problema. A reforma tributária promete simplificar e modernizar o sistema tributário. Promete, ainda, gerar impactos produtivos na produtividade e no crescimento econômico do País. A meta da reforma sempre foi substituir o atual modelo, que é caro e complexo, por um mecanismo mais moderno e mais eficaz”, pontua. 

REFORMA TRIBUTÁRIA: Senado pode votar no começo de abril

Negociação de veículos por meio digital já é realidade em oito estados brasileiros

“Não dá para apostar contra um cenário de economia crescente este ano”, aposta economista

Diante desse quadro, o Congresso Nacional trabalha para aprovar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 110/2019 que, entre outros pontos, visa simplificar o modelo de cobrança de impostos no Brasil. Para o senador Esperidião Amin (PP-SC), a medida é vista como uma porta para novos investimentos. Segundo ele, o texto evoluiu bem ao longo dos debates. 

“Acho que podemos ter a votação dela. Está evoluindo bem. De semana passada para cá, o texto caminhou de modo positivo. Houve mais fatos a favor do que contrários. A proposta está evoluindo satisfatoriamente”, considera. 

IVA Dual

De acordo com o que ficou definido até o momento, a PEC 110/2019 fará uma unificação de tributos. Neste caso, será criado um Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que será DUAL. Ele vai ser composto pela Contribuição sobre Bens e Serviços (CBS), de âmbito Federal, e pelo Imposto sobre Bens e Serviços (IBS), que vai abranger estados e municípios. O novo formato prevê, ainda, a criação do Imposto Seletivo (IS), em substituição ao Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), ambos federais.
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: Um estudo divulgado pela Ernest Young revela que o custo final de instalação de uma siderúrgica no Brasil é ampliado em 10,6%, devido aos efeitos da tributação sobre bens e serviços. O mesmo investimento teria o custo elevado em 1,7%, na Austrália. No México, a taxa seria de 1,6%. Já no Reino Unido, de apenas 0,4%. 

Essa diferença, segundo especialistas, é um fator determinante para que o Brasil aprove uma reforma tributária que torne o país mais atrativo economicamente. Segundo o advogado tributarista Marcus Cruz, a necessidade de aprovar essa reforma está ligada ao fato de o Brasil precisar de mais investimentos, para beneficiar a população com mais emprego e renda. 
 

TEC./SONORA: Marcus Cruz, advogado tributarista

“O excesso de legislação tributária é um problema. A reforma tributária promete simplificar e modernizar o sistema tributário. Promete, ainda, gerar impactos produtivos na produtividade e no crescimento econômico do País. A meta da reforma sempre foi substituir o atual modelo, que é caro e complexo, por um mecanismo mais moderno e mais eficaz.”
 

LOC.: No Congresso Nacional, parlamentares já trabalham para aprovar a PEC 110/2019. Entre outros pontos, a medida visa simplificar o modelo de cobrança de impostos. Para o senador Esperidião Amin (PP-SC), a proposta é vista como uma porta para novos investimentos. Segundo o parlamentar, o texto evoluiu bem ao longo dos debates. 

TEC./SONORA: Esperidião Amin, senador (PP-SC)

“Acho que podemos ter a votação dela. Está evoluindo bem. De semana passada para cá, o texto caminhou de modo positivo. Houve mais fatos a favor do que contrários. A proposta está evoluindo satisfatoriamente.” 
 

LOC.: A PEC 110 visa criar um Imposto sobre Valor Agregado (IVA), que será DUAL. Ele vai ser composto pela Contribuição sobre Bens e Serviços, de âmbito Federal, e pelo Imposto sobre Bens e Serviços, que vai abranger estados e municípios. O novo formato também prevê a criação do Imposto Seletivo, em substituição ao Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), ambos de âmbito Federal.

Reportagem, Marquezan Araújo