Foto: Pixabay (Pexels)
Foto: Pixabay (Pexels)

Indústria brasileira teve queda de 4,5% na produção de 2020

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)


Em 2020, a indústria brasileira teve queda de 4,5% na produção, com desempenho afetado pela pandemia da Covid-19. No período de março e abril, quando houve medidas de isolamento social para enfrentar a doença, a indústria recuou 27,1%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, de acordo com os dados, 20 dos 26 ramos industriais pesquisados tiveram queda na produção no ano.

Em seminário virtual, setor industrial e parlamentares debatem Agenda Legislativa de 2021

Anatel adia leilão que irá analisar proposta de edital para internet 5G

Mais de 60% dos 805 produtos pesquisados pelo IBGE tiveram redução. Entre as atividades industriais, a principal queda veio dos veículos automotores, reboques e carrocerias (-28,1%). Outras contribuições negativas vieram dos ramos de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-23,7%), indústrias extrativas (-3,4%), metalurgia (-7,2%), couro, artigos para viagem e calçados (-18,8%), outros equipamentos de transporte (-29,1%) e impressão e reprodução de gravações (-38,0%). Apenas seis atividades tiveram aumento de produção no ano, com destaque para produtos alimentícios (4,2%).

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: 

Em 2020, a indústria brasileira teve queda de 4,5% na produção, com desempenho afetado pela pandemia da Covid-19. No período de março e abril, quando houve medidas de isolamento social para enfrentar a doença, a indústria recuou 27,1%. Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e, de acordo com os dados, 20 dos 26 ramos industriais pesquisados tiveram queda na produção no ano.

Mais de 60% dos 805 produtos pesquisados pelo IBGE tiveram redução. Entre as atividades industriais, a principal queda veio dos veículos automotores, reboques e carrocerias (-28,1%). Outras contribuições negativas vieram dos ramos de confecção de artigos do vestuário e acessórios (-23,7%), indústrias extrativas (-3,4%), metalurgia (-7,2%), couro, artigos para viagem e calçados (-18,8%), outros equipamentos de transporte (-29,1%) e impressão e reprodução de gravações (-38,0%). Apenas seis atividades tiveram aumento de produção no ano, com destaque para produtos alimentícios (4,2%).