Foto: Peshkova/Adobe Stock
Foto: Peshkova/Adobe Stock

Ranking das melhores cidades para se empreender no Brasil em 2022

Pesquisa da Enap divulga o ranking dos municípios com maior potencial empreendedor


São Paulo, Florianópolis e Curitiba são as melhores cidades para se empreender no Brasil em 2022. É isso que mostra o Índice de Cidades Empreendedoras (ICE) 2022, ranking publicado nesta quarta-feira (16) pela Escola Nacional de Administração Pública (Enap) e pela Endeavor, uma rede de empreendedores que atua no Brasil há 20 anos. 

Para a viabilizar a pesquisa, foram considerados os cem municípios brasileiros mais populosos. O que não significa, na visão do coordenador-geral de pesquisa da Enap, Cláudio Shikida, que os demais municípios não tenham potencial empreendedor. “Fazer em todos os municípios do Brasil é nossa meta. Acredito que no interior também tenham muitos casos de empreendedorismo, mas que são difíceis de captar pelo tamanho da amostra que foi possível trabalhar nesta edição da pesquisa”, pondera Shikida. 

O Índice das Cidades Empreendedoras está na sexta edição e a Enap participa desde o ano passado. Nesta sexta edição, para fazer o ranqueamento, a pesquisa considerou os determinantes: ambiente regulatório; a infraestrutura; mercado; acesso à capital; inovação; capital humano; e cultura empreendedora - parâmetros inspirados por critérios da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).  Esta foi a primeira vez que a pesquisa mostrou um comparativo com o ano anterior. 

Os municípios que melhoraram o desempenho de 2020 para 2021 e passaram a integrar a lista dos ambientes mais favoráveis ao empreendedorismo foram Belo Horizonte, Joinville e Cuiabá. Já os que mudaram a posição e não estão mais entre os dez primeiros colocados são Brasília, São Bernardo do Campo, Jundiaí e Rio de Janeiro (veja a lista com o comparativo ao final da matéria).

Para a diretora de Altos Estudos da Enap, Diana Coutinho, o resultado não significa, necessariamente,  que as cidades que não figuram mais entre as dez pioraram. “Como nós deixamos todas as variáveis que compõem o ICE abertas, o gestor consegue ver onde que ele está melhorando, e consegue comparar ele com ele mesmo e também com outros municípios. Assim, decidir onde concentrar os seus esforços para tornar seu município mais atraente para empreendimentos”, explica. 

Congresso de Inovação: participantes defendem mais investimento em inovação para que país possa se desenvolver e ser competitivo

Brasil alcança maior taxa investimento desde 2014, mas ainda ocupa 128ª colocação em ranking internacional

Desafios para empreender 

Para o Sebrae, as condições para se empreender são muito diferentes entre os municípios brasileiros. Fatores como o tamanho da população, que influencia na escala de mercado; a proximidade com grandes centros urbanos, que facilita a logística; e a própria organização político administrativa local interferem na motivação para se empreender. “Além disso, a disponibilidade de mão de obra qualificada, bem como, o potencial turístico são fatores que estimulam o empreendedorismo”, explica  Derly Fialho, gerente da Unidade de Desenvolvimento Territorial do Sebrae Nacional.

Foi esse cenário favorável que fez com que há oito anos a designer paulistana Maíra da Costa se desafiasse a empreender. Uma intolerância à lactose a fez desenvolver o gosto pela culinária. Após morar quatro anos na Itália e trocar receitas com a mãe, veio a ideia de abrir um restaurante. As duas encontraram um cenário favorável: procuraram a Associação de Bares e Restaurantes de São Paulo, onde tiveram informações sobre a rotina do setor e pesquisas sobre tendências no mercado de alimentação. 

Fizeram cursos no Sebrae e se preparam para empreender. Tiveram apoio para a abertura do CNPJ, para localizar o melhor ponto de vendas e fizeram parte de um grupo setorial de alimentação. “Então, eu consegui entender sobre fornecedores, melhoria de processos. A gente acabava se enxergando como parceiros. Isso facilitou muito nesse momento de começar o início de negócio”, conta Maíra. 

Depois de dois anos de estudos, abriram um negócio focado em comida natural e vegana. “Desde o começo, quando a gente pensava em montar um restaurante, sabia que tinha de ser alguma coisa que pensasse a a na alimentação como uma forma de conseguir saúde”, explica. A empresa já existe há seis anos e durante a pandemia se reinventou para atender o público corporativo com entregas individualizadas para eventos on-line. Agora, Maíra conta que está abrindo mais duas unidades e que, num futuro breve, pretende transformar seu modelo de negócio em franquia. 

A Enap tem um núcleo de inovação que oferece cursos de capacitação para gestores públicos interessados na temática. 

Ranking das cidades empreendedoras

 

  1. São Paulo (SP)
  2. Florianópolis (SC)
  3. Curitiba (PR)
  4. Vitória (ES)
  5. Belo Horizonte (MG)
  6. Porto Alegre (RS)
  7. São José dos Campos (SP)
  8. Osasco (SP)
  9. Joinville (SC)
  10. Cuiabá (MT)

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: São Paulo, Florianópolis e Curitiba são as melhores cidades para se empreender no Brasil em 2022. É isso que mostra o Índice de Cidades Empreendedoras 2022, publicado nesta quarta-feira (16) pela Escola Nacional de Administração Pública, a Enap, e pela Endeavor, uma rede de empreendedores que atua no Brasil há 20 anos. 

Para a viabilizar a pesquisa, foram considerados os cem municípios brasileiros mais populosos. A diretora de Altos Estudos da Enap, Diana Coutinho, explica que o índice é um indicativo importante tanto para gestores públicos quanto para a sociedade.
 

TEC//SONORA: Diana Coutinho, diretora de Altos Estudos da Enap
“O empreendedor pode olhar quais os quesitos que ele considera mais importantes para o seu empreendimento e ir lá olhar dentro dos dos diferentes determinantes que compõem isso é ver quais os municípios que estão mais bem posicionados em relação aquilo que o empreendedor considera importante. E do ponto de vista do gestor público, como nós deixamos todos os todas as variáveis que compõe o índice de cidades empreendedoras abertas o gestor consegue ver onde que ele está melhorando”
 

LOC:. A empresária Maíra da Costa começou a pensar em empreender há oito anos no ramo de alimentação natural. Passou dois anos estudando o mercado de alimentação em São Paulo e contou com o apoio do Sebrae para desenvolver o plano de negócios. Para ela, esses foram fatores fundamentais para o sucesso. 

TEC//SONORA: Maíra da Costa, empreendedora

“Quando a gente decidiu empreender, abrir a empresa aqui em São Paulo, principalmente com a ajuda do Sebrae, eu acho que o processo foi bem fácil, num não foi difícil. Então, a gente desde o começo tinha CNPJ, tinha um local pra pra poder fazer a produção dos itens e desde o primeiro momento quando a gente fez terminando de fazer aquele plano de negócios, fui até o Sebrae e consegui uma série de indicações para poder abrir esse negócio.” 
 

LOC: A pesquisa considerou os determinantes: ambiente regulatório; a infraestrutura; mercado; acesso à capital; inovação; capital humano; e cultura empreendedora. Esta foi a primeira vez que a pesquisa mostrou um comparativo com o ano anterior. Entre as melhores cidades para se investir, cinco estão na região sudeste, quatro na Região Sul e uma no Centro-Oeste. 

Reportagem, Angélica Cordova