Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Ministério da Saúde reforça importância da vacina de febre amarela, postos de saúde de todo o Brasil oferecem dose contra a doença

Cerca de 15% das pessoas que contraem febre amarela podem desenvolver formas graves da doença. Crianças acima de 9 meses já podem ser vacinadas


O Ministério da Saúde faz um alerta sobre a febre amarela e ressalta a importância da vacinação contra a doença. Postos de saúde de todo o Brasil oferecem de forma gratuita a vacina. Podem receber a dose pessoas acima de nove meses a 59 anos de idade. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), desde 2017 o esquema vacinal é de apenas uma dose.

O Ministério da Saúde ressaltou ainda que 15% das pessoas que contraem a febre amarela podem desenvolver a doença de forma grave, podendo causar sequelas, como  insuficiência renal e hepática.

Em casos de sintomas como febre, calafrios, dores constantes na cabeça, corpo, costas, náuseas e vômitos a orientação é que busque acompanhamento e orientação médica, já que esses são os principais sintomas de febre amarela.

O Ministério da Saúde ainda faz um alerta: macacos não transmitem febre amarela. De acordo com dados da pasta, de julho de 2021 a maio de 2022, apenas quatro casos de pessoas com a doença foram confirmados, provavelmente nos estados do Pará e do Tocantins. A pasta recebeu 1.093 suspeitas de ocorrências em animais, e 25 delas foram confirmadas em laboratório. 

Mãe de primeira viagem, Michelle Rodrigues é cuidadosa com a filha Aisha, de 7 meses. O cartão de vacinação da menina é impecável, todas as vacinas em dia, e a mãe não vê a hora de imunizar a menina contra a febre amarela. Enquanto isso ela segue medidas de segurança para proteger a filha.

“Todos os dias eu passo repelente e deixo ligadinho o negócio, eu passo pq eu morro de medo dela pegar dengue, principalmente, febre amarela então, Deus é mais, se ela estiver pelo menos imunizada contra febre amarela, me deixa mais aliviada”, comenta.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: Mãe de primeira viagem, Michelle Rodrigues é cuidadosa com a filha Aisha, de 7 meses. O cartão de vacinação da menina é impecável, todas as vacinas em dia, e a mãe não vê a hora de imunizar a menina contra a febre amarela.
 

TEC.SONORA: Michelle Rodrigues, mãe


 “Eu já estou ansiosa pra esperar para vacinar ela, pra ela ficar livre pelo menos, né?"
 

LOC: Enquanto isso ela segue medidas de segurança para proteger a filha.

TEC.SONORA: Michelle Rodrigues, mãe


"Todos os dias eu passo repelente e deixo ligadinho o negócio, eu passo pq eu morro de medo dela pegar dengue, principalmente, febre amarela então, Deus é mais, se ela estiver pelo menos imunizada contra febre amarela, me deixa mais aliviada."
 

LOC: A vacina contra febre amarela é indicada para pessoas acima de 9 meses até 59 anos de idade. Desde 2017 o esquema vacinal é de apenas uma dose, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. A dose é ofertada de graça pelo Sistema Único de Saúde, o SUS. Basta comparecer em um dos postos da sua cidade com documento de identificação.
De acordo com Ministério da Saúde, 15% das pessoas contaminadas pela febre amarela sofrem consequências graves da doença, entre elas insuficiência renal e hepática.
O Ministério da Saúde ainda faz um alerta: macacos não transmitem febre amarela. De acordo com dados da pasta, de julho de 2021 a maio de 2022, apenas quatro casos de pessoas com a doença foram confirmados, provavelmente nos estados do Pará e do Tocantins. A pasta recebeu 1.093 suspeitas de ocorrências em animais, e 25 delas foram confirmadas em laboratório. 
Em casos de sintomas como calafrios, febre, dores de cabeça, costas e também no corpo, náuseas, vômitos e fadiga, a orientação é buscar um posto de saúde.
Reportagem, Mônica Vieira