Foto: Governo do Mato Grosso do Sul
Foto: Governo do Mato Grosso do Sul

Mato Grosso do Sul e outros três estados recebem recursos federais para enfrentamento de desastres naturais

Ao todo, Ministério do Desenvolvimento liberou R$ 5,1 milhões


O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) liberou R$ 5,1 milhões para auxiliar três municípios de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul, além dos estados de Mato Grosso do Sul e Santa Catarina no enfrentamento a desastres naturais.A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (16). 

Mato Grosso do Sul, que enfrenta fortes incêndios florestais, receberá a maior parte dos repasses. Ao todo, o governo federal vai disponibilizar R$ 3,8 milhões para o estado, que vai auxiliar em 37 ações, entre elas, locação de helicópteros e compra de equipamentos para combater o fogo.

Ministério da Saúde autoriza repasse de R$ 13,8 bi para reforço do SUS

Nesta semana, o Ministério do Desenvolvimento Regional já havia liberado cerca de R$ 624 mil para três cidades Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O dinheiro  será utilizado para a compra de cestas básicas e para reparos de infraestrutura. 
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC.: O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) liberou R$ 5,1 milhões para auxiliar três municípios de Mato Grosso e do Rio Grande do Sul, além dos estados de Mato Grosso do Sul e Santa Catarina no enfrentamento a desastres naturais.A decisão foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira (16). 

Mato Grosso do Sul, que enfrenta fortes incêndios florestais, receberá a maior parte dos repasses. Ao todo, o governo federal vai disponibilizar R$ 3,8 milhões para o estado, que vai auxiliar em 37 ações, entre elas, locação de helicópteros e compra de equipamentos para combater o fogo.

Nesta semana, o Ministério do Desenvolvimento Regional já havia liberado cerca de R$ 624 mil para três cidades Bahia, Minas Gerais e Rio Grande do Sul. O dinheiro  será utilizado para a compra de cestas básicas e para reparos de infraestrutura. 

Reportagem, Paulo Oliveira